The Shield escrita por MahSpoladorMoreira, Sandy


Capítulo 47
Capítulo 46: Our Boys


Notas iniciais do capítulo

Olá meninas!
Estamos de volta, tirando o atraso!
O grande momento chegou!
Obrigada pelos comentários, esperamos que gostem!
Máh
*-*-*-*
Voltamos ;)
Gostaria de agradecer todos os comentários, é de muita importancia para nós. Beijããaoo
;***
Sandy




Música: http://www.youtube.com/watch?v=DSodJhj19ig&feature=related

Realmente, eu estava um milhão de vezes mais nervoso que Bella. Mas caramba, apesar de ser pai de Lisa, eu não vi o seu nascimento, não acompanhei a gravidez. E agora estou prestes a ver o parto, dos meus garotos, ver a minha mulher trabalhando para colocá-los no mundo, não tem preço.

Consegui informações com algumas enfermeiras, e descobri onde Bella estava. Um quarto, no final de um corredor. Dei duas batidas leves na porta, e recebi ordens para entrar.

- Boa tarde senhor... É marido da Bella? – a médica sorriu.

- Sim, Edward Cullen.

- Prazer, Dra. Rachel. Estou no plantão.

- Como está minha esposa?

- Muito bem, ela é forte... – senti um orgulho crescer em mim – Vocês optaram por parto natural... Certo?

- Ahn, certo. – na verdade... Bella tinha escolhido. Disse que o de Lisa foi natural, e foi maravilhoso. Mas agora a situação era outra. São dois bebês, não um.

- Vou tentar te explicar um pouco do procedimento ok? – assenti – Bella está caminhando para um parto normal. A bolsa foi rompida, mas as contrações dela estão espaçadas demais, e tem pouca dilatação. Isso significa que ainda não é o momento de os bebês nascerem. Esse é um procedimento que pode demorar muito tempo, muitas horas, já vi durar dias. Conversei muito com Bella, e é importante eu conversar com você. Ela vai fazer o que o corpo dela sentir vontade. Para um parto, e contrações, é importante caminhar, se mover, água, exercícios com bola, e até dançar. Mas ela tem que ouvir o corpo dela, o que ele pede. Se ela precisar descansar, ela vai descansar, comer, enfim, tudo. Quando chegar a hora, o corpo dela vai fazer força, vai corresponder. O trabalho de parto, é um trabalho em conjunto. Não só a gestante, mas o pai, a família. Consegue compreender isso?

- Perfeitamente, estarei com ela até o final. – assegurei.

- Era só isso que eu precisava saber... – ela sorriu – Entre, ela está na banheira agora...

- Eddie... – ela sorriu fracamente quando me viu. Sentei-me no chão, segurei uma de suas mãos e acariciei seu rosto.

- Meu amor, você é tão forte... – sorri para ela, fazendo carinho – Vamos conseguir tá?

- Por eles... – ela fez uma careta de dor – Contração... Mas estão espaçadas demais!

- Respire a cada contração. Seu corpo vai mostrar à hora certa para tudo...

- Eu sei amor, só fique comigo tá?

- Sempre.

(***)

Bella ficou cerca de uma hora e meia na banheira. Depois que saiu comeu pouco, estava morrendo de dor. Andou bastante, dançou um pouco, fez exercícios com bola, mas a noite mal dormida estava caindo em cima dela. Ela precisava dormir, mas não conseguia. As contrações se aproximaram, mas ainda não era o suficiente. Já estávamos a quase quatro horas nesse perrengue, e Bella não desistia de jeito nenhum.

- Bella, querida, o que acha de usarmos ocitocina* para acelerar o processo?

- Não! Não, não, não! Eu não quero nada disso! – ela bateu o pé. Cheia de dor, mas bateu o pé.

- Você quem sabe. Faça o que tiver vontade ok? Ouça seu corpo...

- Certo... – murmurou a contra gosto.

Bella estava visivelmente acabada, muito cansada, precisando dormir. E eu, estava realmente precisando ver ela bem, ver Lisa e os meninos, nos nossos braços. Quem estava praticamente pedindo ocitocina era eu!

- Amor... Estão mais fortes, mais rápidas... Chame alguém! – Bella sussurrou.

Saí correndo, e Dra. Rachel estava em pouco tempo ao lado de Bella. Começamos a monitorar exatamente o tempo de duração de cada contração, e o intervalo entre elas.

- Perfeito Bella, nove centímetros de dilatação! É a hora! Vou preparar tudo!

Começou uma correria imensa pela sala e pelo pequeno corredor. Bella estava visivelmente emocionada, e eu estava no mesmo nível. Depois de cinco horas, era o grande momento.

- Bella, como quer? – perguntou a médica – Deitada, sentada...? Cócoras?

- Eu quero... Sentar... Na escadinha.

- Como? Mas Bella, é praticamente no chão e... – fui interrompido por uma mão que apertou a minha com força.

- Mas eu quero... – ela falou trincando os dentes.

- Vamos lá! – a médica sorriu e as coisas foram ajeitadas para um parto na escadinha.

- Força Bella, eu já estou sentindo uma cabecinha... – a médica pediu – Força!

Bella estava esmagando minha mão com uma força que eu jurava ser impossível vir dela.

- Vai sair... Agora! – Bella deu um gritinho, e logo o primeiro choro veio, forte, alto. Eu não tive palavras para descrever o sentimento que tomou conta de mim naquela hora... Ver aquele pequeno, indo direto para os braços de Bella. Demos um beijo em sua testa, ainda suja...

Bella Pov.

Música: http://www.youtube.com/watch?v=Xum5RLPhweo&feature=related

Eu acho que sempre sonhei com um parto assim... Com um homem ao meu lado, e que fosse o pai do meu filho. O parto de Lisa foi lindo, maravilhoso. Mas eu estava só. E agora, eu tinha Edward lá, meu porto seguro, e eu sentia a força que ele me passava. Eu estava praticamente quebrando sua mão, e ele firme, ao meu lado. A primeira recompensa foi o primeiro choro, e o pequeno em meus braços, ainda ligado ao meu corpo pelo cordão umbilical.

- Tem mais um bebê Bella, o outro garotão está chegando, pronto para vir, faça ele vir Bella, faça!

Só faltava mais um pouco, só mais alguns minutos e meus dois tesouros estariam comigo. Quando o primeiro foi para os braços da enfermeira, que ficou próxima, eu me senti vazia, mas sabia que era por uma causa maior.

Vamos Bella, mais força, força, força agora! Parecia que minha mente gritava para mim, ou poderia ser a médica, ou Edward. Mas era uma voz tão distante. Tudo se tornou um imenso borrão, porque outro choro, ainda mais alto encheu a sala, e tudo ficou claro, ou melhor, escuro. A única coisa que eu via com clareza, era os dois branquelos, peladinhos e sujos de sangue colocados no meu colo, chorando a plenos pulmões, ligados a mim ainda, os dois. Acho que lembrei de tudo, desde o momento que eles foram parar dentro de mim, inesperadamente.

Os beijos que troquei com Edward naquela noite, o modo como fizemos amor, nossa separação, a união, o positivo, a novidade, os meses se passando, os toques, chutes, ultrassonografias, descobrir que eram gêmeos, descobrir o sexo, o natal, as compras para eles, as contrações, a dor... Para no final, tudo, absolutamente tudo, valer a pena. Tudo parecia ter se encaixado.

- O papai vai querer cortar o cordão? – perguntou a médica.

- Claro... – Edward, com um sorriso no rosto, lágrimas escorrendo e as mãos trêmulas, cortou o cordão que me separou dos pequenos.

- Bella, precisamos levá-los para os primeiros cuidados, deles e seus ok?

- Tudo bem. – ainda beijei-os mais uma vez, e eles foram levados. Com ajuda, deitei na cama, e me senti tonta.

- Você foi ótima... – Edward beijou minha testa, minhas bochechas, e por último, meus lábios. – Estou tão orgulhoso, feliz...

- Eles são lindos. – falei com um sorriso.

- Demais...

- Foi excelente Bella. Você só teve uma pequena laceração. Quatro pontinhos aqui e tudo bem. Vamos dar uma leve anestesia para você não sentir dor, e depois, já pode ir para o quarto, amamentar e fazer tudo mais necessário ok?

- Perfeito. – sorri.

Edward continuou ao meu lado, até que eu ficasse um pouco mole, e talvez, até dormisse...

(***)

-Vai demorar muito ainda, amorzinho?- escutei um cochicho de Lisa.

-Ela tá um pouquinho cansada, ela tomou um remedinho também. – escutei Edward respondendo igualmente baixo.

-Mais já tem um tempão que ela tá dormindo.

-Não tem não Lisa. Só Uma hora, - Meu Deus uma hora, meus bebês. Abri meus olhos.

-Mamãe?-Lisa estava sorridente e carregava uma caixinha. Edward segurava um buquê de rosas. Ele a pegou Lisa no colo e a trouxe até a mim. -Trouxe para você- Lisa me estendeu a caixinha. –Caso os bebês cansem de tomar leite puro, ai você come e dá leite com toddy pra eles mamãe. – eu ri de suas palavras.

-Obrigada anjo.

-Que bom que você acordou mamãe, já estava com saudades. E o amorzinho estava furando o chão já.- Edward sorria olhando para nós.

-Que bom que está de volta amor. Trouxe para você. - ele me estendeu as flores.

-Obrigada amor. Obrigada aos dois, por fazerem partes da minha vida.-Pronto já estava eu lá chorando.

-Own, mamãe não chora. Agente te ama. Meus irmãozinhos são tãão lindos- sim ela enfatizou o ‘tão’.

-Onde eles estão? Já devem estar com fome. Eu não quero que a primeira mamada deles seja de um banco de leite.

-Calma amor eles foram para o banho. Agora estão com Jazz fazendo uma consulta rápida. Peso, altura, visão, audição, respiração, teste de pezinho, essas coisas.

-Claro. Será que vão demorar muito?

-Nada, quer se sentar? Desde o banho que você está deitada.

-Claro. – ele sentou Lisa na poltrona de acompanhante e me ajudou.

-Onde está nossa família?

-Meu pai e o seu estão meio atrapalhando o trabalho do Jazz.

-Verdade mamãe, eles estão lá babando. - sorri para ela.

-Rose e Emmett disseram que voltam mais tarde.  É natal amor, Emmett tinha prometido almoçar com a família de Rose. Alice foi até Nossa Casa com a minha mãe para dar uma arrumada. E Trazer umas Camisolas mais confortáveis para você. – tudo estava perfeito, em seu ligar pode-se dizer. Escutei a porta se abrir e me virei em sua direção, Jazz havia a abriu logo atrás meu pai e sogro vinha cada um com um pequeno embrulho azul no colo.

-Olha quem veio ver a mamãe- disse meu pai

-Bem, eles estão com fome. - Carlisle completou.

-Obrigada- eles chegaram mais perto me entregando meus pequenos pacotinhos.

-Bella, Edward eles estão com tudo normal. O bebê 1- disse ele apontando para a direita- desculpe eu não sei os nomes- ele corou- Bem tem 2, 856 kg e mede 47 cm, o bebê dois tem 2,907 kg e mede 45,7 cm. Estão com exames e primeira vacinas em dias, e todos os exames com excelentes resultados.

-Eles são perfeitos filho- Carlisle disse.

-São mesmo. Bem Carlisle e eu vamos tomar um café na cantina, vamos deixá-los a sós.-disse meu pai, saindo. Jasper foi o único que ficou.

-Bem, vou te dar umas dicas, sei que você já é mãe, más dois é uma novidade certo?-assenti- Bem o ideal é que você faça a mesma coisa com os dois ao mesmo tempo, eu sei é assustador, mas é melhor. Assim você cria uma rotina igual para os dois. Assim quando um acordar para mamar o outro também vai, se eles acordarem cada hora um será mais difícil, você não irá dormir, e a produção de leite não será constante. o banho eu sei que é mais difícil, mas sempre que possível crie essa rotina ok?

-Entendemos, mas eu estarei sempre lá Jasper acho que ela não corre esse risco.

-Amor, não se esqueça da sua faculdade, tem seu trabalho também.

-Bella...

-Nem vem, alguém tem que trabalhar naquela casa e esse alguém é você, já que eu estou de licença.

-É mesmo amorzinho, alguém tem que comprar meu cereal, meu  toddy, meu biscoito. Meu deus e a coca-cola?-disse Lisa como se tudo isso fosse fundamental para alimentação Dela. Jasper riu dela.

-É mesmo Edward, e os brócolis... Quem vai comprá-lo?

-Aaah não Tio brócolis não.

-Tudo bem Lisa... Vou deixá-los sozinhos, Edward use os travesseiros ali do canto para auxiliar Bella a amamentá-los. Os dois ao mesmo tempo ok? Apóie-os é instintivo ok?

-Obrigada Jasper. - agradeci.

-Que isso qualquer coisa estou na cantina com Carlisle e Charlie. —ele sai nos deixando a sós, somente Lisa observava tudo atentamente. Edward trouxe os travesseiros e me ajudou a descer a camisola, livrando meus seios para alimentar meus dois milagres de natal. Eles se moldaram como disse Jazz era instintivo. A sensação de ter dois pequenos seres que precisava de você para sobreviver, que você além de concebê-los era indescritível. A primeira sugada sempre doía mais. Porém era a que mais marcava a vida de uma mãe. Lembro-me perfeitamente de Lisa. Seus olhinhos de cor ainda indecifrável me olhavam com tanta fixação que parecia dizer ‘ eu sei quem você é’ e a mesma coisa acontecia com meus pacotinhos azuis.

-Eu ainda posso escolheu um nome?- Perguntou Lisa vendo-os se alimentar.

-Claro amorzinho, já tem um?-perguntei

-Sim. Qual nasceu primeiro?

-O mais careca. - Edward a respondeu

-Então esse vai ser o... – ela fez suspense- Peter.

-Que lindo amor. -A elogiei.

-Agora a vez de vocês.

-Eu acho- disse Edward- que poderia se Thomas, é apropriado pra a ocasião. O que acha amor?

-Acho lindo. Peter e Thomas. Nossos garotos, nossos lindos milagres de natal. 

*Ocitocina: Hormônio utilizado para acelerar o parto.

*Escadinha: É aquela escadinha que tem ao lado da maca mesmo. Sim, um parto pode ser feito lá.

*Os gêmeos estão na nova capa da fic.

*Algumas informações e detalhes ‘técnicos’ foram tirados de:

http://crisdoula.blogspot.com

http://guiadobebe.uol.com.br/amamentando-gemeos/  http://www.clinicafgo.com.br/semana37.html

http://www.significado.origem.nom.br/

http://doispralaedoispraca.files.wordpress.com/2010/06/img_4367.jpg