The Shield escrita por MariSpoladorMoreira, Sandy


Capítulo 23
Capítulo 22: Peladinha.


Notas iniciais do capítulo

Olá meninas voltamos ;DD. Gostaria de agradecer a compreensão de todas vocês.SEJAM BEM VINDAS as novas leitoras. Ficamos felizes que vocês apareceram. Bem por hoje é só até domingo.
Beiijoos ;***
Dyy

*-*-*-*

E é nessa parte que eu me lembro de Mike Newton falando com Bella em twilight ''Você está viva!'' (tentei achar o vídeo, mas, não achei :/)
Meninas! Eis que voltamos!
Eu realmente consegui ferrar meu ombro, mas peguei uma gripe essa semana que virou bronquite e tudo mais que quase morri. Fiquei boas horas no hospital, mas agora, voltei! Porque vaso ruim não quebra! kkkkkkkkkkkk'
Agradeço de todo o coração pelas mensagens (nyah, orkut, msn, e até celular!) que vocês me mandaram!
Vocês são demais, e sem esse apoio, eu estaria bem pior agora!
Esperamos que gostem do capítulo, e até logo!
Beijo grande,
Máh.




Bella Pov

A reforma da loja ia de vento em polpa. Eu e Alice estávamos mega cansadas. Fora algumas dores musculares de carregar caixas e mais caixas de roupas.

Eu literalmente extrapolava muitos horários. Era só eu agora para levar e buscar Lisa tanto na escola como nos treinos. Tinha reuniões escolares, reuniões da empresa. Minha agenda não tinha nem mais horário de almoço. Eu comia nas paradas sinaleiras de Londres enquanto buscava Lisa na escola. Mas comia em teoria né? Porque sempre acontece alguma coisa que me impede de terminar a refeição. É no sinaleiro que faço tudo! Desde arrumar a bolsa, tirar sobrancelha, maquiagem, anotações, verificar agenda. Parecerá frase de propaganda, mas se encaixa perfeitamente comigo: meu carro, minha vida!

Eu tinha melhorado -muito- ao ver minha princesinha bem, longe de perigo. Chegávamos atrasadas em suas aulas e consequentemente em minhas reuniões.

Lisa agora tinha um novo ‘robie’: O telefone. Sim ela e Edward se falavam mais de cinco vezes ao dia. Ele estava muito ocupado no hospital para vê-la então o telefone tocava várias vezes. Fiquei receosa de que Lisa pudesse se aborrecer por não ter uma presença mais física de Edward, mas pelo contrário. Ela sentia sim, muita falta dele ‘pessoalmente’, mas se sentia uma lady –palavras dela- recebendo tantas ligações.

Hoje como meu tempo foi mais escasso, pedi a Auggi para pegá-la para mim. Fui buscá-la em casa para ficar comigo e Alice na loja. Apesar de nova, Lisa tem um senso de moda incomum, uma coisa linda, que me enche de orgulho.

- Eu sei... Bem ele é legal comigo sabe?... Amorzinho está tudo bem. – escutei-a. Certamente estava no telefone, e nem preciso mencionar com quem...

- Lisa cheguei! -gritei

- Tô no telefone mamãe. É ela acabou de chegar. Vou ver... Se eu fizer meus deveres. Mentira? Como antes? E depois? Hum. Parece ser bem legal. Ok vou perguntar. Mamãe posso sair com o Edward hoje? -gritou ela. Aproveitei para ir tirando minhas roupas para um banho rápido.

- Lisa, ele tem que trabalhar amor. - respondi

- Não ele tá de folga hoje. – ela disse normal quando cheguei à sala de peças íntimas. – Mamãe, você poderia colocar uma roupa né? Só porque sou sua filha tenho que te ver peladinha? – corei loucamente, e ela deu uma risadinha – Ela está peladinha papai...

- Elisabeth Swan! – gritei, pensando nos impropérios que estariam rodando a cabeça de Edward.

- Desculpe mamãe, papai deu risada – ela falou – Pareceu feliz! – ouvi Edward gritando o nome dela um tanto irritado. Essa menina me dá orgulho, mas anda cada vez mais impossível!

Edward Pov

Resolvi que hoje mataria a saudade da minha pequena.

- Não ele tá de folga hoje. Mamãe, você poderia colocar uma roupa né? Só porque sou sua filha tenho que te ver peladinha? –sério a Lisa não precisava aguçar meu lado cafajeste. Em pensar que eu já tive aquele corpo... Já o possui e perdi por pura ignorância. Idiota. – Ela está peladinha papai...

- Elisabeth Swan! – Bella gritou do outro lado. Podia imaginar o rubor que tomou conta de seu rosto. Dei uma risadinha discreta.

- Desculpe mamãe, papai deu risada – ela falou – Parece feliz!

- Lisaaaaaaaa, mas que coisa menina! – falei me fingindo de irritado. Bem que dizem que quando crianças começam a ter muito entendimento, devemos ser um túmulo perto delas...

- Lisa você ainda tem deveres. – Bella falou.

- Mais ele falou que me ensina. – falei?

- Tudo bem Lisa só esteja aqui antes das oito, você ainda tem aula amanhã mocinha.

- Eu te amo. E seu sutiã ficou aqui na sala. – ai meu deus! Sério? Lisa sabe ser mau quando quer. Muito mal, e meu ‘amigão’ é que está dizendo...

- Elisabeth! As pessoas do outro lado te escutam. – Bella falou furiosa.

- Pronto Edizinho já posso ir mais primeiro tenho meus deveres. – disse a pequena, ignorando totalmente Bella, provavelmente estressada.

- Ok pequena. Passo aí em vinte minutos.

Fui buscar a princesa e ela já estava na portaria esperando. Conversamos um pouco, ela me contou sobre os amiguinhos, escola, treinos e disse que queria e precisava de um namorado. Acabei com a tal ideia na hora.

- Mas papai...

- Elisabeth, você tem 5 anos. Seja minha garotinha, e só minha por mais um tempo. Não quero nenhum menino rondando a senhorita.

- E você é só meu pai?

- Claro querida. – sorri para ela.

- Queria dividir você... – falou, encarei-a sem entender.

- Como?

- Me dê irmãos papai, por favor!

- Quando eu arranjar uma namorada, certamente. – sorri um pouco triste.

- Tem que ser com a mamãe! – gritou.

- Amor, ela não me quer...

- quer sim, eu sei que quer.

- Lisa, não complique.

- Eu te ajudo papai, por favor, me dê irmãos, more com a gente, nos faça feliz! – juntou as mãozinhas dramáticamente – Por favor?

- Isso não é assunto para você Lisinha...

- Papaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaai! – gritou.

- Shhhhhhhhhh! Ok, depois falamos disso!

- Aaaaaaaaaaaaaaaaaaa, sabia! Sempre consigo!

- Nem pense nisso sua convencida... – ela deu uma gargalhada deliciosa, que não pude deixar de acompanhar.

(...)

- Eu te amo papai, senti tanto a sua falta... – falou Lisa, lambuzada com algodão doce, sentada em meu colo.

Estávamos na grama do parque, vendo a movimentação. Jogamos bola, corremos, brincamos e fizemos muitas coisas. Logo eu a levaria de novo para casa, e ela estava comendo o que estava com ‘desejo’.

- Eu também minha princesa... – passei a mão em seus cabelos cheirosos e macios.

- Não vai mais me deixar né? Porque senão eu morro!

- Nunca mais, prometo.

- Não prometa papai, dói. – falou, e aquilo me magoou.

- Tudo bem eu... Eu sei lá, mas estarei sempre aqui!

- Te amo seu bobo! – ela esfregou um pedaço de algodão doce em todo o meu rosto, e lambeu minha bochecha.

- Sua monstrinha! – falei passando meu sorvete por toda a sua roupa e seu rosto também.

- Papai! – ela gritou rindo. Coloquei ela no chão, e saí correndo. Ela veio atrás, parecendo um ogro de lama.

Rolamos no chão, gritamos, rimos e pulamos. Acho que foi uma das melhores tardes da minha vida com a minha princesa...

(...)

- Já para o chuveiro mocinha! – disse Bella assim que a deixava na porta do apartamento. Lisa está imunda!

- Obrigado por permitir Bella.

- Não há de quê. Faço tudo o que é melhor para ela.

- Bella. Eu sei que fui um idiota, canalha e todos os adjetivos piores possíveis, mas, me dá mais uma chance. Eu sei que posso te fazer feliz. Sua filha é uma criança e compreendeu tudo. E caramba... Não suporto você me tratando mal assim...

- Exatamente. Minha filha é uma CRIANÇA. Eu não muito menos você. Eu sei que você merece uma chance. Todos merecem, mesmo você tendo segundas chances de mais. Só espero que você espere o meu tempo. – essa Bella é diferente da de tempos atrás. Essa Bella era ‘nua e crua’ não no sentido literal da palavra. Ela era verdadeira. Forte. Não uma Bella fraca e sem autoconfiança.

- Tudo Bem. Vou indo ainda tenho um plantão da madrugada e o de manhã. –disse já me virando.

- Edward?

- Oi?

- Você merece cada centavo. Seu esforço é grande.

- E você é batalhadora. Alice me fez enxergar isso. Esfregou na minha cara, de um jeitinho bem... Simpático e natural, se é que me entende.

- Alice é um ser irreprimível da natureza.

- Certamente... – falei coçando a cabeça. Tentei me refrear, mas não poderia perder essa – Estava peladinha Bella? – eu ri.

- Ora seu... – ela me olhou com raiva, mas por fim, soltou uma gargalhada tão gostosa quanto a de Lisa. – Oh bem, estava.

- Fiquei pensando...

- Em bobagens, tenho certeza. – ela terminou a frase.

- Não é muito difícil. – falei.

- Sei que não. – ela sorriu, e embarcamos num silêncio constrangedor.

- Vá ajudar Lisa, preciso trabalhar.

- Claro, adeus Edward, e obrigada.

- Obrigada você. Err, ahn, tchau.

- Tchau.

Trocamos um beijo no rosto, bem perto da boca, totalmente constrangidos e sem jeito. Saí rapidamente. Deixando Bella para trás.

Não consegui evitar um sorriso ao lembrar do rosto das duas mulheres da minha vida...