Haruno Sakura, do Clã Haruno escrita por EstherBSS


Capítulo 15
Capítulo 15 - Pressentimento


Notas iniciais do capítulo

Depois de muito tempo ausente eu finalmente voltei. Estou de férias agora e posso escrever.
Esse capitulo deu trabalho para sair. Foi dificil pegar a inspiração de volta. Pessoalmente, eu não gostei tanto, mas a partir do proximo capitulo melhora. Eu prometo.
Vou tentar responder todos os reviews que recebi também. E eu agradeço a todos que não abandonaram a fic e que me incentivaram a continuar.
Agora eu vou deixar vocês se divertirem com a leitura. Domingo tem mais.



Capítulo 15 – Pressentimento

                - Eu já estava começando a pensar que você não se recuperaria. – o homem falou enquanto a ajudava a se sentar.

                - Ah, Shizuka na! Ela já se recuperou? – a mulher disse.

                - Quem te viu, quem te vê. Está preocupada com a irmãzinha agora? – ele perguntou sarcástico.

O olhar mortal que ela lhe enviou foi o suficiente para que ele mudasse de opinião. Ele resolveu contar:

                - Hai. Ela acordou tem alguns dias, mas está tão ruim quanto você.

                - Sou ka (entendo). Vá chamar meu avô. Quero falar com Tsukoi sama. – a mulher disse.

                - Isso será impossível, Akina. Ele não está aqui.

                - Como assim?

                - Você ficou dormindo quase um mês. É normal que esteja por fora dos acontecimentos. Depois da batalha de vocês duas, o estádio ficou em estado crítico e suspenderam o exame. As últimas batalhas aconteceram não tem nem dois dias. Como você e a Sakura não estavam em condições de lutar, foram eliminadas.

                - E Tsukoi? – Akina perguntou tentando se levantar com dificuldade. O quarto dela era tão imponente quanto o de Sakura, mas não tinha tantos livros. O homem levantou e buscou um papel sobre a escrivaninha. Ele entregou o papel a ela.

                - Tsukoi sama recebeu uma mensagem de Toshiro sama para defender as terras em Ichigan. Parece que estão preparando um ataque maciço lá. O próprio mestre levou seus soldados mais fortes para realizar a missão. O clã está até bem vazio. Ele levou muitos soldados. Rayne, JD e Kurogane abandonaram o Chunnin Shiken para ir na missão.

Akina deu um sorriso de canto e leu o pergaminho.

                - Isso... – ela falou.

                - Chegou para você ontem. Eles estão esperando o seu sinal. Antes que você me pergunte, Tsukoi sama volta apenas daqui a duas semanas. – o homem falou desconfortável – Tem certeza do que vai fazer?

                - Qual a minha posição no clã agora? – Akina perguntou. O homem suspirou e disse:

                - Você perdeu a luta Akina. Depois que vocês duas caíram, Sakura conseguiu se levantar e foi declarada vencedora. Todo o Clã a reconhece como sendo a primeira Kunoichi.

Ele parou de falar quando a bandeja com alimentos foi lançada ao chão. Akina estava com raiva. Ela olhou para ele com um olhar louco:

                - Então eu acho que tenho mais do que certeza do que vou fazer. Esses idiotas vão entender com quem estão lidando. – ela se esforçou para levantar e caminhou até a escrivaninha. Escreveu algo num papel e o entregou ao amante – Entregue isso a eles e diga que irei a Ichigan para conversarmos.

O homem pegou o papel e suspirou. Ele temia Tsukoi, mas temia Akina ainda mais. Ela podia ser imprevisível quando estava com raiva e ele sabia disso. Mas ele já tinha se enfiado nesse plano mesmo...

@}---- @}---- @}---- @}---- @}---- @}---- @}---- @}---- @}---- @}---- @}---- @}---- @}----

Sasuke caminhava pela vila em direção ao bairro Uchiha. Ele passou em frente a uma livraria e seus olhos ficaram presos sobre a vitrine.

“Sakura disse que gostava de ler, quando estávamos em Oichiran.” Sasuke pensa e pondera sobre comprar um presente ou não. Ele resolve que aquilo é bobagem e continua caminhando. Trinta passos depois e ele resolver voltar.

Suspirou incomodado, olhando o livro comprado em suas mãos. Ele já tinha chegado a casa. “Estou parecendo uma versão patética do Naruto.” Ele pensou.

Mesmo antes de Sakura acordar, Naruto ia visitá-la todos os dias. E ele ia para acompanhar o Uzumaki. Apenas isso. Às vezes, Sasuke evitava ir para não ter que encontrar com aquele idiota do Kurogane. Mas como agora ele não estava, não haveria problema em ir.

Sasuke embrulhou o presente o melhor que pôde. Ele pensou seriamente em esquecer tudo, mas não conseguiu. O jeito que ela tinha olhado para ele naquela batalha. O elo que existia entre eles...

“Mas que bobagem é essa? Não há elo nenhum entre a gente.” – Sasuke pensou balançando a cabeça.

Resolveu entregar o livro de uma vez. Tinha que fazer isso antes que mudasse de idéia. Alguns guardas do clã já se acostumavam com a presença dela e não estranharam o fato dele estar lá. Naruto provavelmente já viera também.

Kiro, o garoto que ele conhecera no dia do Torneio, veio atendê-lo. Ele o levou alegremente até o quarto de Sakura. Ele disse aos soldados da casa que Tsukoi havia permitido a entrada de Sasuke.

                - Estamos cientes disso. – um dos guardas respondeu bruscamente.

Quando Sasuke chegou, Sakura estava jogando Shogi (1) com Mushui. Ela abriu um sorriso enorme quando o viu e ele se convenceu de que tinha feito o certo ao ter vindo. Sakura se levantou tão rápido quanto as suas feridas permitiam e veio falar com Sasuke. Ela provavelmente nem parou para pensar no que estava fazendo, pois Sakura se atirou sobre o Uchiha e o abraçou.

Ele ficou imóvel com a surpresa do abraço. Mushui deixou as pecinhas de Shougi caírem e os olhou com a boca aberta. Kiro pigarreou e Sakura percebeu o que estava fazendo. Ela se desvencilhou dele sem graça e vermelha.

                - Bom, agora que seu convidado já foi entregue, eu vou me retirar. Tenho umas outras coisinhas para fazer. – Kiro falou tentando ignorar o que acabara de ver.

Ele saiu e Sasuke não soube o que falar em seguida. Acabou por dizer:

                - Acho que atrapalhei o seu jogo.

                - Claro que não. – ela disse.

                - Claro que sim. – Mushui disse cruzando as patinhas.

Sakura olhou para ele com o cenho franzido e se voltou para Sasuke:

                - Tudo bem, eu estava perdendo mesmo. Mushui é melhor do que aparenta.

                - O que você quer dizer com isso, mocinha. Saiba que está diante do Grande Mushui, o dragão lendário, detentor de um grande p...

                - Que bom que está aqui, Sasuke kun! Naruto já veio. Eu achei que não te veria hoje! Mas estou feliz por ter vindo. – Sakura falou feliz e Mushui olhou zangado. Por que ninguém deixava ele terminar aquela frase?

                - Que pacote é esse? – Mushui correu para Sasuke e subiu no seu braço. O pequeno dragão agora tentava olhar dentro do pacote.

                - Mushui! Não seja indiscreto! – Sakura falou.

                - Lie. Está tudo bem. Eu trouxe para você. Uma vez você disse que gostava de ler. – Sasuke disse e entregou o envelope para Sakura.

Ela segurou o presente como se aquilo fosse a coisa mais importante do mundo.

                - Você pode considerar isso um presente por causa do seu bom desempenho no Torneio. – ele disse.

                - É, mas no final eu fui desclassificada.

                - Você lutou bem e é isso que importa. – ele falou e colocou as mãos nos bolsos em uma pose de indiferença.

Aquela declaração deixou a Haruno nas nuvens. Sakura rasgou o papel, ansiosa.

                - É sobre dragões. – Sasuke disse e olhou para o jardim interno que podia ser visto pela porta do quarto. Ele tentava evitar o olhar dela – Imaginei que você gostaria.

                - Eu gostei! Gostei muito mesmo.

Sasuke se sente desconfortável. Ele devia ter vindo com o Naruto, pelo menos o idiota sabia o que conversar. Ele olhou em volta enquanto Sakura mostrava o livro a Mushui. Ele viu um porta retrato com a foto do time sete e a Sakura. Ele se levantou e foi até o lugar onde a foto estava.

Ele se lembrava daquele dia. Eles já tinham terminado a missão e estavam de passagem por uma pequena cidade. Sakura percebeu o que ele estava olhando.

                - Você está com olhos tristes de novo, Sasuke. – Sakura falou. Ela fez sinal para que Mushui não falasse nenhuma bobagem.

                - Você sempre diz isso. – ele disse segurando o porta retrato nas mãos.

                - Ano, Sasuke kun...me contaram sobre o que aconteceu ao seu clã. – ela disse e pôde perceber o desconforto dele.

                - Eu acho que já está na hora desse dragãozinho ir embora. – Mushui falou ao perceber que os dois deveriam ficar sozinhos – Eu volto mais tarde, Sakura.

O dragãozinho se despediu e sumiu numa nuvenzinha de fumaça. Sakura olhou para Sasuke. Os dois estavam sozinhos, ele poderia falar se quisesse. A Haruno caminhou até ele.

                - Eu estava pensando... – ela começou a dizer em uma voz baixa - ...que a minha luta com Akina poderia ter te trazido más lembranças.

Ele não olhou para ela. Apenas continuou mirando o objeto em suas mãos. Depois de um tempo em silencio, ele disse:

                - Mais ou menos. – ele não entendia por que estava falando essas coisas com ela. Ele não costumava falar dessas coisas para ninguém – Itachi...ele não queria me matar, no fundo.

                - Esse é o nome do seu irmão? – ela perguntou e pôs a mão sobre o ombro dele.

                - Hai. Ele era o mais forte do clã. Ele se tornou AMBU bem novo também. – Sasuke comentou com um sorriso.

                - Ano, o que é um AMBU? – Sakura não conhecia o termo.

Sasuke olhou para ela para ver se ela estava brincando com ele. Ele percebeu que não era o caso. Balançou a cabeça e a puxou para sentar na porta do quarto. Os dois se sentaram de frente para o jardim interno.

Eles conversaram muito naquela tarde. Ele explicou para ela o que um AMBU, o que era a Akatsuki, quem era Orochimaru e muitas outras coisas. Era como apresentar a ela um mundo novo. E ele acabou contando a ela a verdade.

Toda a verdade. Incluindo o sacrifício que Itachi teve que fazer pelo bem da vila. Ele contou como foi quando ele soube da missão de matar Orochimaru e como ele sofreu ao deixar a vila e os amigos. Ele contou a ela como sentia falta do irmão e como Itachi tinha ajudado Konoha a derrotar Madara durante a Quarta Guerra Ninja.

Sakura também contou a ele coisas que ela não diria a qualquer um. Ela explicou como era realizar missões em Ichigan. Ela explicou que sempre fora fraca dentro do clã. E ela contara sobre Inouto e sobre a culpa que ela carregava. Ele perguntara se Akina tinha usado isso na batalha. Ele tinha percebido um genjutsu. Ela acenou positivamente.  Sakura contou a ele tudo sobre ela. As coisas que gostava, as coisas que detestava, os medos que tinha... Eles falaram de tudo um pouco.

Eles passaram a tarde toda falando e quanto mais falavam, mais tinham vontade de contar outras coisas. Sasuke se surpreendia por estar sendo tão aberto com alguém e principalmente por estar falando coisas que ele não esperava dizer. Mas ao conversar com ela, ele sentia o peso sobre as suas costas desaparecerem. E isso era bom.

Sakura se sentia um pouco sem graça por estar falando tanto. Mas ele estava compartilhando coisas importantes com ela e Sakura queria fazer o mesmo. Somente JD, Tsukoi sama e...sua irmã sabiam sobre Inouto. Só que, no momento em que ela dividiu o que acontecera com Sasuke, ela pôde sentir o peso sobre as costas diminuir. Era bom falar com ele.

No final do dia, quando Sasuke se preparou para dormir e se lembrou do que fizera, ele se sentiu tremendamente idiota. Mas ao mesmo tempo ele se sentia quase aliviado. Era a primeira vez que ele conversava com alguém sobre aquele assunto.

Ser mandado para Orochimaru em missão sendo tão novo o tinha afetado profundamente. Ele se entendia bem com o Naruto quando eles lutavam, mas explicar o que passara com palavras era muito melhor. Ele se sentia leve como há muito não ocorria. Pensou na Kunoichi de cabelo rosa e sorriu levemente. Ele se sentia diferente perto dela.

Em casa, Sakura pensava algo parecido. Ela estava com Mushui e sorria bobamente. Naquela noite, ela não queria pensar que ele era um Uchiha e ela uma Haruno. Ela se sentia leve e muito mais próxima dele. Estar perto dele parecia tão alcançável agora. Mushui percebeu a alegria da menina e se preocupou, apesar de ficar contente por vê-la assim sorrindo. Mas ele sabia que aquilo seria um problema no futuro.

@}---- @}---- @}---- @}---- @}---- @}---- @}---- @}---- @}---- @}---- @}---- @}---- @}----

Quatro dias depois e Tsukoi ainda estava em Ichigan. O clã parecia estranhamente vazio sem o avô e os principais guerreiros. O time sete continuava visitando a Haruno, mas conforme os dias passavam, Sakura ia sendo tomada por uma inquietação. Ela não conseguia explicar e os outros não pareciam entender. Devia ser intuição feminina.

                - Você devia estar feliz agora que é respeitada como a primeira Kunoichi do Clã. – Mushui disse afofando o travesseiro e deitando ao lado de Sakura.

A Haruno estava se preparando para dormir. A medida que os dias passavam, ficava cada vez mais difícil para ela simplesmente fechar os olhos e descansar.

                - Meu espírito está perturbado. – ela disse, sentando.

                - Isso são bobagens da sua cabeça. – o dragão falou enquanto cruzava uma perna sobre a outra.

                - Lie. – Sakura levou a mão ao coração – Meu Nen está instável.

Mushui abriu seus pequenos olhos e a olhou. O nen refletia o humor da pessoa de certa maneira. Se até o nen de Sakura estava sendo afetado, era porque ela estava realmente perturbada.

                - O que você sente, minha pequena? – ele subiu na coxa dela e perguntou.

                - Eu tenho um mal pressentimento. Sinto que algo muito ruim vai acontecer conosco. E eu sinto que não poderei me proteger disso.

                - Sabe, sua bisavó também costumava ter pressentimentos. Ela deixou de treinar para se especializar neles. Em uma batalha ela não era de grande ajuda, mas ela sempre era capaz de avisar quando iam ser atacados. Tsukoi sobreviveu por muito tempo por causa da mãe dele que lhe dava “previsões” antes das missões.

                - Eu não sabia disso. – Sakura olhou surpresa para o seu dragão.

                - Pouca gente sabe. Essa habilidade não era divulgada.

                - Acha que eu posso ter essa habilidade?

                - Acho que ela se manifesta em você em menor intensidade. Sua bisavó podia ter visões completas do futuro. Uma verdadeira vidente. Você só tem uma intuição mais forte. De qualquer jeito, estarei aqui e posso invocar outros dragões para te proteger. Você não precisa se preocupar.

                - Estou tentando, mas é mais forte do que eu. E esse tempo não ajuda. – Sakura mordeu o lábio inferior e ficou a ouvir os trovões do lado de fora. A porta do quarto que dava para o jardim estava bem fechada, mas ela podia escutar o som da chuva contra a madeira e o vidro.

                - Eu tive uma idéia que não me agrada, mas que deve funcionar. – Mushui falou.

                - O que é? – Sakura perguntou curiosa.

                - Vamos conversar sobre algo que te deixa feliz.

                - Ah, é? Que assunto você tem em mente?

                - Meu assunto tem por nome uma palavra de seis letras.

                - É uma charada? Deixe me pensar. Seis letras...

                - Além disso, o meu assunto tem cabelo preto e...

                - Você está falando do Sasuke?

                - Isso foi sem graça. Vamos deixar a charada de lado. Vou ser seu confidente essa noite. Você gosta dele, não é?

Sakura ficou vermelha como um pimentão. Mas Mushui estava certo. Ela gostava dele. A Haruno contou como se sentia perto do Uchiha. Depois de falar sobre o Uchiha durante horas, Sakura havia se acalmado, mas não completamente. O coração dela avisava. Alguma coisa ruim iria acontecer e ela sabia disso, mesmo não sabendo o que estavas prestes a ocorrer do lado de fora do quarto.