Satélite escrita por hinata_kawaii


Capítulo 1
Único




                                                                  Satélite

Apenas sorrindo. É assim que me lembro de você. E é assim que lembrarei sempre. Estávamos distantes há algum tempo e a sincronia já não era a mesma. As longas e agradáveis horas transformaram-se em minutos fugazes e quase impessoais. Mas havia ainda algo.

-Você ainda gosta de mim?

Sim. E no fundo, você já sabia a resposta. Eu, porém, fingi não escutar a pergunta.

Falamos ainda durante algum tempo: trabalho, amigos, festas e até mesmo clima. Exceto o que importava: nós. Vimos algumas crianças brincando na praça... correndo umas atrás das outras. Repentinamente correram a nossa volta. Na tentativa de nos desviarmos delas, acabamos nos aproximando. Sentimos o calor de nossos corpos aumentar com a proximidade. Os corpos, tensos, moviam-se no mesmo ritmo. Seu olhar fixava o meu desafiadoramente. Olhos avelã que tentavam engolir meus olhos âmbar. Sorrimos simultaneamente. É, realmente não gostávamos de perder. A tensão entre nós se dissipara completamente. Começamos, então, a relembrar nossas inúmeras conversas. Bobas, engraçadas, leves e até mesmo pervertidas. Exatamente como nós. O sol agora relutava em se manter desperto. Seus feixes luminosos e sonolentos pousaram sobre seus cabelos negros displicentemente soltos em seus ombros. Eu te observava e percebia o quanto você parecia incrível sob o efeito daquela transição de luzes e cores. Você sorriu ao perceber que eu te observava. Restou-me apenas sorrir sem graça e continuar nossa caminhada.

Sabe o que é realmente engraçado? Uma vez me disseram que quando estava perto de você, eu parecia orbitar. Ri na ocasião, mas foi apenas agora que entendi a força e o significado daquela afirmação. Senti algo pesar no meu estômago e uma ansiedade repentina.

- Caramba, escureceu rápido. Acho melhor ir pra casa.

- É. Pode deixar que vou com você até lá.

Quando enfim chegamos em sua casa, senti um vazio sufocante crescer dentro de mim. Eu iria embora em algumas horas e não disse nada que fosse importante. Eu já havia me virado para ir embora quando a ouvi rindo. Estremeci instantaneamente. O som de sua voz rouca rindo me encantava. Voltei-me pra ela com uma expressão de “que foi?”.

- Sinceramente... eu ainda estou esperando,sabia?

Adiantou-se um pouco e segurou minha mão. Sorriu.

- Eu vou voltar logo. Prometo.

Foi então que me aproximei e a abracei. Solucei em seu ombro e estreitei ainda mais o abraço. Não queria ir, mas era preciso. Acariciei seu rosto e beijei levemente sua bochecha. Olhou-me profundamente e, pela primeira vez, eu tive certeza. As palavras eram desnecessárias, afinal o satélite enfim havia definido sua trajetória.



Notas finais do capítulo

Essa história foi uma pequena reflexão.Exponha sua opinião a respeito...se quiser,é claro.