Protegida de Malévola escrita por Theodora Ruby


Capítulo 34
Isso foi você.


Notas iniciais do capítulo

Boa leitura.



 

Depois de usar magia em Annelise, um tremor que dissipou a montanha Norian, ao leste, aconteceu.

 

"O que foi isso, Annelise?"

 

"Isso foi você. Você está mudando as coisas, como deve fazer."

 

Emma olhava ao redor, preocupada. Ela só ouvia a voz de sua guardiã, mas não a via, e sua voz estava diferente. De cima do paredão, pessoas comentavam sobre o tremor.

 

"(#)O que será que ocasionou isso?"

 

A mulher parecia preocupada, pela voz. Emma não podia vê-los.

 

"(#)A filha de Stormi está viva. Só ela pode alterar as coisas aqui. Temos que matá-la, todo o reino tem ordem do primeiro ministro."

 

Um homem pontuou mas a salvadora não ouviu, porque Emma estava ocupada, olhando desconfiada para Annelise - cujas asas a cobriam, impossibilitando Emma de ver algo - se surpreendendo na sequência.

 

"Anna?"

 

Asas mais afiadas nas pontas, como lâminas, e pontas de espinhos macias, exceto em uma ataque, surgiram em Annelise. Bem como seu tamanho de dragão mudou muito, a deixando maior do que Emma gostaria. Ela era enorme.

 

"Uau!"

 

A guardiã não cabia em si. Rodava para olhar melhor sua cauda, a perseguindo numa falha tentativa de pegar.

 

"Ai. Droga."

 

Emma ria baixinho, Annelise parecia um cachorrinho em busca da cauda. Seus espinhos podiam ser maiores agora, macios porém letais, era só ela soltar o resto deles.

 

"Tenha cuidado, Anna, vai se machucar."

 

Ela podia fazer vôos mais arriscados, Emma estava encantada com isso, ser um dragão parecia bem mais divertido que ser humana, porque Annelise parecia feliz em voar e Emma queria voar também.

 

Ela precisaria de Rocinante para tal missão. Por isso, ela deixou Annelise e suas gargalhadas felizes para chamar o corsel, agora, alado.

 

"Vamos lá,  tem que funcionar."

 

Com o rosto voltado para o céu, olhos fechados e uma concentração total envolvida, ela sentiu uma bola de luz sair de dentro dela; a bola era do tamanho de uma bolinha de golfe, era amarela com bordas laranjas e brilhava muito. Seu brilho oscilava, ora crescia e parecia uma esfera maior, ora diminuia e parecia apenas pequena.

 

"O que é isso?"

 

Emma deu um salto de susto, a agora não tão pequena dragão estava do lado dela, olhando a esfera subir rápido.

 

"É um chamado, eu acho."

 

"Você acha?"

 

"Não sei se vai funcionar."

 

"Por que? Sua tentativa de fazer algo funcionou em mim."

 

"Mas agora é diferente. Quero que aquela esfera encontre Rocinante e o traga até mim."

 

"Ah...quem é Rocinante?"

 

"O melhor amigo de Regina, depois do pai dela. E as minhas asas."

 

A guardiã fez uma careta engraçada.

 

"E ele se chama Rocinante?"

 

"Ele estava no submundo. Não sei se ele é projeção da minha cabeça ou se ele realmente está aqui, mas eu acho que conjurei um espelho, por onde ele passou..."

 

Emma ainda olhava para o alto, estranhamente o sol não a afetava. Ela olhava como se não ouvesse sol no céu, sem precisar fazer sombra com a mão, não tinha o incômodo que impossibilita alguém olhar. Ela sentia assim, que podia dominá-lo.

 

Já Annelise, sorria enquanto olhava pra ela.

 

"Você conjurou um espelho que pode trazer alguém do submundo?"

 

"Eu imaginei que poderia. Já que não tenho feijões mágicos, o espelho poderia ajudar."

 

"Eu não acredito!"

 

Annelise deu um salto e um giro no ar, feliz demais pra lembrar que sua cauda poderia ferir a princesa de Gaian.

 

"Hey! Cuidado aí em cima!"

 

A guardiã desceu e voou ao redor de Emma, até pousar e voltar a forma humana, ficando cara a cara com Emma.

 

"Eu pensei que só sua forma de dragão tivesse mudado."

 

"Não, eu mudei nas duas formas."

 

"Como isso é possível?"

 

"Você é a salvadora. É seu dever mudar as coisas por aqui."

 

Emma a olhou dos pés a cabeça, incrédula.

 

"Você cresceu. Está maior do que eu."

 

"Sou mais velha do que você, dois anos."

 

"Uau! E como isso é possível?"

 

"Não foram só você e seus pais as vítimas da maldição de Briar Rose."

 

Aquele nome não era estranho para Emma, ela já ouviu de Mary e estava relacionado à Floresta Encantada.

 

"Acha que o espelho funcionou de verdade? É impossível trazer alguém do submundo."

 

A - agora adulta - Annelise sorriu presunçosamente.

 

"Como você sabe sobre o espelho de passagem?"

 

"Espelho de passagem?"

 

Elas começaram a andar, saindo da sombra e passaram a ser vistas pelas pessoas. Um homem alto e velho reconheceu a guardiã de Emma, agora adulta, como deveria ser.

 

"(#)Olhem, é Annelise! E tem alguém com ela! É a salvadora, ela voltou! Matem-na!"

 

"Como eles me vêem, se estou morta? E como sabem quem eu sou?"

 

"Eles também estão. Desde a ruptura no tempo, os mortos daqui não fazem a passagem para o submundo. Eu posso vê-los, os demais vivos não podem. Você me salvou da maldição e é forasteira aqui, eles conhecem todos que vivem aqui, literalmente."

 

"E como eles sabem quem é você? Você mudou um pouco."

 

"Eu brilho, às vezes. Especialmente se devo te proteger. Lembra quando disse que sua mãe me enviou para te proteger? Ela sabia sobre esse e todos os outros ataques."

 

Antes que Emma pudesse perguntar qual era o ataque, ela o conheceu. Flechas com lâminas afiadas e envenenadas vieram contra ela.

 

"Eu já estou morta, eles não podem me matar."

 

Sua guardiã a protegia com magia prata cintilante. Quase a cegava a cada uso, ela nunca tinha visto magia igual.

 

"Sua majestade, a rainha, protegeu seu corpo. Não vai se decompor. Então, se essas flechas lhe atingirem, há risco de isso afetá-lo, causando uma ameaça entre nós e sua cidade. São flechas encantadas para que possam atingir o espirito os mortos. Por isso, não saia de perto de mim, especialmente quando quiser dormir."

 

Emma quis perguntar como isso era possível e o motivo de perseguirem-na, mas a dor aguda em seu ombro  a impediu.

 

 



Notas finais do capítulo

Obrigada pela leitura.



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Protegida de Malévola" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.