My Love Has Always Been You escrita por Danes Vaz, Vicky Parrilla


Capítulo 3
The Case Of The Little Princess


Notas iniciais do capítulo

Boa noite pessoal, capitulo de hoje.



~ Narrado por Emma ~

Quando estava seguindo em direção a minha casa para o almoço Ruby ainda me contava as novidades, fazia uns meses que não nos víamos, desde que ela decidiu volta pra cidade de uma vez, quando os meus tios morreram Ruby mudou muito, aquela alegria que víamos sempre nela, o lado engraçado brincalhão tinha sido deixado de lado e estava feliz por ver que ela estava superando isso e voltando a ser aquela doida que nós amávamos

— E você como esta? Você não me contou ainda, sempre que eu ligava ou nos falávamos pelo Skype quando perguntava como você estava, você sempre fugia do assunto – Abraço Ruby e olho pra mesma.

— Pra ser sincera não sei responder essa pergunta Em, eu quero voltar a ser aquela menina maluca que todo mundo amava, mas parece que quando começo a ficar feliz me sinto como se estivesse traindo a memória dos meus pais, que eu tenho que ficar com isso sempre, esse luto.

— Você acha que é isso que eles iam querer? Ou iam querer que você fosse feliz?

— Feliz isso eu tenho certeza, mas as pessoas ainda me olham com aquela cara “Ohh ela perdeu os pais” e isso me faz sentir mal – Paro de andar e olho pra ela.

— Pois eu sei o que vamos fazer

— Não vou cometer nenhum crime em

— Vamos sair hoje, nos divertir e vamos te fazer feliz assim como sei que seus pais queriam – Beijo o rosto da mesma – Tem alguma coisa pra fazer aqui depois das oito da noite?

— Tem sim, hoje tem a inauguração do Rabbit Hole, eu fui convidada mas não ia ir

— Pois nós vamos e vamos nos divertir, dançar e deixar a noite render para nós

— Seus pais vão deixar?

— Vão sim eu convenço eles – Rio e pisco para Ruby, chegando uns minutos depois em casa – Voltamos mãe

— Aqui na cozinha filha – Caminho com Ruby até a cozinha e vejo a vovó e corro até ela.

— Granny quanto tempo – Sorrio toda boba e encho a mesma de beijos –

— Oi minha menina, como você esta?

— Muito bem, morrendo de saudade

— Você não para de crescer não é mesmo

— Eu to tentando Granny, mas a mamãe cozinha muito bem ai fica bem difícil, e agora morando aqui e vocês duas cozinhando ai fica mais difícil – Nós quatro rimos e me sento perto de Ruby.

— Você pode tomar café la no restaurante comigo todos os dias Em, eu ajudo a Granny antes de ir pro colégio – Ruby falo toda animada.

— Nem me fala em colégio nem vou poder me acostumar com a cidade e já tenho aula amanhã – Resmungo e faço careta.

— Mas hoje ainda temos folga

— Isso é verdade, em falar nisso, mãe eu e a Ruby podemos ir em uma festa hoje?

— Hoje Emma? Amanhã vocês tem aula logo cedo.

— Ahh mãe por favor, só hoje – Fazendo cara de cachorro que caiu do caminhão da mudança e minha mãe me olha seria.

— Por favor tia deixa vai, prometemos que vamos nos comportar e não vamos reclamar pra ir pro colégio amanhã

— Mary deixa elas irem, vai ser bom pra Emma se enturmar – Minha vó suplica por nós e olha pra minha mãe.

— Esta bem, ok eu deixo vocês irem – Minha mãe nos olha e olho pra Ruby toda animada – Mas...

— Sabia que tinha uma mas

— Emma por favor, eu só ia dizer pra não passarem a noite inteira fora vocês tem aula amanhã

— Nós prometemos tia, vamos voltar e dormir pra ir pro colégio amanhã

— Então tudo bem vocês podem ir

— Eba – Rindo quando eu e a Ruby falamos ao mesmo tempo.

— Cadê o papai?

— Ele saiu com seu irmão pra ver algumas coisas da lanchonete

— Vamos esperar eles pra almoçar? – Pegando uma uva e levanto um tapa na mão da Granny – Ai só um poxa

— Nada de beliscar mocinha já estou arrumando a mesa parar almoçar.

— Tudo bem eu espero – Ainda passando a mão aonde havia levado o tapa – Mãe e meu quarto?

— Já está todo arrumado, eu arrumei antes de chegarem só falta colocar suas roupas lá dentro – Ruby fala toda satisfeita – Pintei ele de rosa e está cheio de pôster de banda

— Que? Ta maluca Ruby? – Falo preocupada e indignada – Sabe que odeio essas coisas, vou ter pesadelos. – As três caem na risada e fico sem entender.

— To brincando, acha mesmo que eu faria uma coisa dessas com você, eu sei bem do que você gosta

— Ufa levei até um susto agora, meu coração ate disparou – As três ainda riam da minha cara.

Depois de alguns minutos nos sentamos pra almoçar nesse clima descontraído, Granny e Ruby contam as coisas da cidade e minha mãe e eu contamos as novidades de Nova York, o resto da tarde passa bem rápido, Ruby me ajuda a organizar meu quarto e minhas coisas, já no fim da noite vamos nos arrumar pra poder ir pra tal inauguração, não era tão longe da minha casa então eu e a Ruby votamos por ir a pé mesmo.

Chegando lá achei que teríamos problemas pra entrar, mas acho que Ruby conhecia muitas pessoas na cidade, porque todo mundo cumprimentava ela.

— Emma fica a vontade certo, tem muita gente aqui então da pra se enturmar

— Vai me deixar sozinha? – Olho pra ela e falo um pouco mais alto –

— Não, mas to esperando uma pessoa, você se importa?

— Uma pessoa? Não claro que não – Olho pra ela curiosa – Quem é essa pessoa?

— Depois te conto eu prometo – Ela pisca pra mim e puxo ela pra pista de dança –

— Até essa pessoa misteriosa chegar você pode dançar comigo então – Seguro Ruby pela cintura e começamos a dançar.

— Acho que vai ser por pouco tempo, a pessoa acabou de chegar – Sinto um beijo estalado em minha bochecha – Daqui a pouco eu volto Em

— Certo, então vou beber alguma coisa – Beijo a testa de Ruby – Se comporta em lobinha – Me afasto e sigo até o bar e peço uma espanhola, quando me trazem a bebida decido ir mais próximo do palco pra poder aproveitar o som mais de perto, quando estava chegando perto do mesmo, sinto alguém esbarrando em mim e acabo tropeçando e derramando minha bebida em alguém.

— Mas que merda é essa, olha o que você fez garota.

— Me desculpe foi sem querer, eu... – Tento me justificar mas a menina logo me interrompe.

— Você estragou a minha roupa, você não presta atenção por onde anda garota – Serio ela estava toda bravinha por causa de uma simples blusinha.

— Calma é só uma blusinha – Acho que não foi uma boa ideia falar aqui, a patricinha havia ficado mais brava ainda.

— É uma blusinha que você acabou de manchar de vinho, agora vou ficar cheirando a álcool – Meu Deus precisava daquele escândalo todo, quando me viro pra retrucar ela me dá as costas e sai andando toda brava.

Serio piada isso, aonde esta as câmeras? Ela tinha dado aquele show todo por causa da roupa dela? Eu em menina maluca, já vi que patricinha também tinha nessa cidade, pessoas que só se preocupam com a aparência.

Dou os ombros e bebo o resto que havia sobrado no copo e volto a dançar próximo de algumas meninas, não ia deixar aquela maluca estragar minha noite.



Notas finais do capítulo

Ate a próxima pessoa



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "My Love Has Always Been You" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.