Mother escrita por Moonbyul


Capítulo 2
Kushina Uzumaki




— Ei, Naruto! — A voz de Shikamaru ecoou pelo escritório do Hokage.

Imerso em seus próprios pensamentos, Naruto só percebeu a presença do amigo quando o mesmo gritou dentro da sala, Shikamaru não era de atrapalhar o Hokage a menos que fosse necessário, por isso a ação foi recebida com certa confusão por parte de Naruto, que estava focado nos relatórios de missões recentes completadas pelos genins, chuunins e jounins da vila, ele precisava assinar todos os papéis para serem passados para o arquivo, garantindo que todos os ninjas fossem recompensados por suas missões, era uma tarefa importante que, infelizmente, Naruto tinha deixado para a última hora.

— O que foi, Shikamaru? Entre logo. — Naruto respondeu.

Dando de ombros, Shikamaru entrou no escritório do Hokage, observando as enormes pilhas de documentos que estavam tanto em cima como ao lado da mesa, o computador estava desligado, ele imaginou que Naruto já estivesse cansado de o utilizar, seus olhos estavam deslizando rapidamente por cada documento e suas mãos o assinavam com a mesma agilidade, o que fez Shikamaru rir.

— É bom que esteja lendo tudo isso mesmo, Naruto, não vá mandar documentos diferentes para os setores errados. — O amigo debochou.

— Foi só uma vez, e foi quando eu estava no começo. — Naruto pontuou, sem rir.

— Bem, tanto faz, eu só vim dizer que estou indo. Boa noite. — Shikamaru logo deu às costas ao Hokage.

— Boa noite... — Naruto respondeu ainda com os olhos nos documentos.

“Espera, que horas são? Shikamaru sempre sai tarde...” O pensamento ecoou.

Naruto largou o documento que estava segurando e olhou para o relógio de parede próximo às fotos dos hokages anteriores e constatou que já passava das dez horas, bateu com a mão na própria testa ao se lembrar que tinha prometido à mulher que chegaria mais cedo para poder jantar com a família, havia feito algumas promessas à Hinata desde os últimos eventos que atrapalharam o exame chuunin para poder lhe passar alguma segurança, essas promessas incluíam tentar sempre sair no horário certo para jantar com a família, pelo menos alguns dias da semana.

Já era sexta-feira, e ele não tinha feito isso em nenhum dia da semana.

— Droga! — Naruto disse ao vazio de seu escritório.

Na mesma hora, deixou os documentos em cima da mesa, escreveu em um papel amarelo a palavra “URGENTE” e deixou em cima da pilha, ele terminaria aquilo amanhã, naquele resto de noite, tinha um compromisso a cumprir com a sua família.

Naruto saiu a passos largos do prédio, que estava praticamente vazio, ele imaginou se aqueles poucos shinobis e funcionários que ficaram lá não tinham famílias ou compromissos para aquela noite, afinal, era uma sexta-feira, por mais que não tivesse visto nenhum com aparência mais jovem, imaginava que as pessoas gostassem de sair para se divertir no último dia da semana, se bem que aquele tipo de férias de final de semana não se aplicava a quase ninguém que trabalhava lá, muito menos à Naruto, ele não tinha descanso de seu trabalho.

Tanto como Hokage, quanto como pai, ele estava sempre alerta, sempre trabalhando.

A caminhada noturna fez bem para que a cara de cansaço de Naruto sumisse, com seu passo largo e rápido ele demorou poucos minutos para chegar em casa, soltou o ar dos pulmões aliviado quando viu as luzes ainda acesas, jurando ter ouvido também a voz da pequena Himawari, imaginou já a filha e o filho brigando por alguma coisa, ou a menina conversando com a mãe, os filhos estavam crescendo muito rápido e Naruto tentaria acompanhar este crescimento da maneira que podia.

Tentando surpreendê-los, Naruto tocou a campainha, sem avisar quem era.

— Já vai! — Ouviu a voz de sua Himawari. — Quem é? — A menina perguntou enquanto já abria a porta.

— Você não tem que esperar a pessoa responder para abrir, mocinha? — Naruto se agachou para ficar mais próximo do tamanho da filha, dando-lhe uma bronca carinhosa.

— Papai! — Himawari pulou nos braços do pai. — Mamãe, o papai chegou!

— Pai? — Boruto apareceu no corredor, o sorriso se instalou em seu rosto quase que instantâneamente ao constatar a presença de Naruto em casa.

— Espero que ainda tenha comida pra mim. — Naruto riu, oferecendo o punho para cumprimentar o filho.

— Naruto-kun... — Hinata apareceu na porta da cozinha, seu sorriso gentil estava lá, como sempre. — Temos visitas!

— É mesmo?

Naruto entrou em sua casa e deixou as sandálias na porta, trazia Himawari no colo com a mão esquerda enquanto Boruto se pendurava em seu braço direito, o menino já estava grande e pesado, mas Naruto não se importou com a brincadeira, estava feliz do filho estar tão próximo a ele, então iria aproveitar ao máximo aquela demonstração de afeto espontânea e engraçada, mesmo que machucasse um pouco.

— Quem veio nos visitar... — Naruto foi até a cozinha, virando-se para a sala de jantar, encontrando a visita sentada na mesa de jantar, seus braços ficaram moles, Himawari desceu de seu colo e Boruto parou de puxar o outro braço, os filhos estranharam a reação do pai, porém não insistiram em compreender.

— Já que você não me chama, eu venho sem convite mesmo! — Kushina disse, mostrando-se claramente magoada.

— Mãe? — Naruto perguntou.

— Quem mais seria? — Kushina riu da própria brincadeira, se levantou da mesa e foi em direção do filho, pegando-o pelo rosto com as duas mãos. — Sei que você anda ocupado com Konohagakure, mas arranje um tempo pra gente!

— Sempre... — Naruto respondeu, estava imóvel.

— Ótimo! Vamos comer, ninguém jantou porque estávamos te esperando, essa comida deve estar ótima, Hinata! — Kushina disse toda alegre, o drama de alguns segundos atrás sumiu completamente de seu rosto.

— Vamos crianças, sentem-se do lado de sua avó. — Hinata disse gentilmente, Boruto e Himawari soltaram um “Hai” em uníssono e cada um se sentou de um lado de Kushina, enquanto Hinata se aproximou de Naruto, cochichando em seu ouvido. — Querido, está tudo bem? Você está pálido?

— Estou? — Naruto tocou seu próprio rosto gelado, as bochechas tinham a mesma textura de simples, tudo parecia muito real. — Eu estou.

— Você deve estar com fome, vou servir a mesa, vá se sentar. — Hinata sorriu.

— Não... Eu te ajudo, só um minuto. — Naruto disse.

Ainda perplexo, Naruto foi até a sala e tirou o manto de Hokage, deixando-o estendido sobre as costas do sofá, segurou firme nas mesmas e respirou fundo, voltou para a sala de jantar e Kushina ainda estava lá.

— Vai ficar parado aí, Naruto? — A mãe perguntou. — As crianças estão com fome!

— Papai, vem comer! — Himawari disse, sorridente.

— Claro, meu amor... — Naruto respondeu lentamente, sorrindo para a filha.

Naruto, ainda atordoado, foi até a cozinha e ajudou a esposa a levar as coisas até a mesa, servindo os filhos antes mesmo de se servir, quando foi se sentar, Boruto o interrompeu.

— Pai, senta aqui. — Boruto indicou o próprio lugar, ao lado de Kushina. — Quero sentar perto da mamãe. — Naruto percebeu que era um blefe.

— Tudo bem, filho. — Sem relutar, Naruto pegou o prato e sentou ao lado de Kushina, que exibiu um enorme sorriso para o filho.

— Hinata, essa comida está ótima! — Kushina disse.

Logo Boruto começou a contar de seu dia, o garoto havia completado uma missão de rank C e estava animado com seu progresso, estando confiante para os próximos exames chuunin, Himawari ficava empolgada com cada detalhe e Hinata fazia perguntas sobre segurança e sobre como Konohamaru estava os ensinando, aparentando estar muito preocupada, Naruto ficou em silêncio, contemplando a mesa cheia de comida e rodeada por sua família.

Em certo momento, ele sentiu a mão suave de Kushina envolver seu braço.

Naruto exibiu um grande sorriso em seu rosto.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Mother" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.