Begin escrita por chittazphon


Capítulo 1
Capítulo Único


Notas iniciais do capítulo

Boa leitura ^^



Respire fundo, conte até dez. Não fique nervosa, nada pode dar errado.

Sakura o viu entrar no restaurante quase que em câmera lenta. Não o via a duas semanas e seu coração palpitou mais forte quando ela notou que ele estava mais bronzeado, os olhos pareciam cansados, mas ele sorriu quando a viu, e ela sorriu de volta.

— Sakura! – falou vindo de encontro a ela, que por sua vez levantou e recebeu o abraço dele.

Seu corpo lhe era bem familiar, a maneira como ele se movia, o cheiro de colonia masculina, até mesmo a respiração e as batidas de seu coração, ele era esguio e musculoso; mas aquela era a primeira vez que ela notava tais detalhes com tanta perspicacia. A primeira vez que o sentia de verdade.

Sentaram-se e fizeram o pedido, para Naruto, o famoso ramén de porco e para ela, chá verde.

— Não estou com muita fome – justificou.

— Oh, eu me atrasei e você pediu algo antes de eu chegar?

— Não! – de repente, ficou nervosa. Como é que tocaria no assunto?

— Ah... Então o que foi?

Sakura ponderou as várias maneiras de contar para ele, talvez a história da cegonha não fosse má ideia.

— Bom... – começou ela. – Eu tenho algo importante pra te falar.

+++

— Suas suspeitas estavam certas, meus parabens Sakura, você está grávida de três semanas!
Sakura gelou. Parte de si estava feliz, pensou no futuro, dali alguns meses ela segurando um bebê de enormes olhos azuis, com Naruto ao seu lado e os dois se mudando para uma casa onde morariam juntos os três. Imaginou então varios anos mais a frente, fosse menino ou menina, a criança se tornaria um ninja, ah, teria a cerimônia de entrega da bandana, teriam missões, talvez ela pudesse ir em alguma missão junto.

"Nem sonhando vou virar uma mera dona de casa"

Essa parte sonhadora nela morreu quando lembrou do agora. Como iria contar ao Naruto? O que diria? Eles não eram casados, estavam saindo a menos de um ano, eram tão jovens, e Sasuke? Ela não tinha medo do que ele pensaria sobre ela sair com o loiro, mas de alguma forma não queria que ele soubesse.

Karin notou o nervosismo da menina e tentou acalma-la.

— Vai dar tudo certo, o Naruto pode ser um bobão, mas ele não vai te abandonar – sorriu gentilmente, coisa que era rara de se ver.

— Mas... E se... – "ele tem tantos planos pela frente! Por enquanto é professor da Academia, pode até ser bom com crianças, mas será que ele está preparado para ser pai?" Não teve coragem de dizer nada do que pensou, Karin encontrou sua mão e a apertou num gesto confortante.

— Respire fundo, conte até dez. Não fique nervosa, nada pode dar errado.

Sakura sorriu, mas não foi um sorriso sincero, ela estava apenas sendo educada. Seu estomago gelava a cada momento que pensava no futuro.

Já escurecia fora do laboratorio de Karin, no meio da floresta, foi onde Sakura escolheu que iria fazer o exame, pois não queria que seu nome constasse nos arquivos do hospital em Konoha onde qualquer um poderia ter acesso.

Voltou para casa e passou os dias seguintes pensando em alguma maneira de falar para ele.

+++

— Sakura, ta tudo bem? – Naruto questionou, a boca cheia de ramén.

O chá que ela pediu estava a sua frente, a comida havia chegado e ela nem percebeu.

"Que ótimo Sakura"

— Claro! – ela tentou disfarçar enquanto tomava um grande gole da sua bebida, que já não estava tão quente assim.

— Hum... Então, você disse que tinha algo importante pra me contar – ele comentou, meio pensativo. – O que era?

Sakura paralisou, engoliu em seco.
"Como é que eu vou contar?"

— Não era nada. Era só uma bobagem sobre o Kakashi. Nada de mais! – lhe garantiu.

— Oh, e o que era?

Sakura o fulminou com o olhar, porque é que ele tinha que ser tão curioso?

— Bem é que... Eu esqueci, deixa pra lá...

— Hm, tudo bem então – ele deu de ombros e continuou a comer. Passaram o restante do tempo que estiveram no restaurante jogando conversa fora, ele contou como foi a missão e ela lhe atualizou sobre o que houve na vila, o que não era realmente importante, mas ela não gostava da ideia de ficar em um silencio total com Naruto, afinal, o que ela apreciava em estar com ele eram os diálogos.

Assim que pagaram a conta, ela se viu andando muito a frente dele por Konoha. A noite estava estrelada e fresca, haviam crianças brincando na rua, em algum lugar, tocava musica tradicional, as lanternas coloridas faziam as ruas parecerem pinturas.

— Sakura-chan! – ele a alcançou e ficou de frente para ela. Ela notou que ele estava bem mais alto e ainda sorria, sentiu as orelhas queimarem um pouco. "Ele é tão bonito". – Tenho uma coisa para você!

Tirou do bolso um raminho com pequenas flores brancas, ainda estavam bonitas, ela notou, e ele colocou atrás da orelha dela. Sakura ficou hipnotizada por um momento e isso foi o suficiente para que ele lhe roubasse um beijo e saísse correndo e rindo.

Ela poderia ter ido atrás dele e lhe dado um cascudo, bem como nos velhos tempos, mas se limitou a sorrir.

Naruto e Sakura caminharam até o rio.

"É agora, eu preciso falar"

— Ei... – ela começou. – você pensa em casar?

Pessimo jeito Sakura! Parabéns por arruinar tudo!

Ele pareceu um pouco confuso.

— Que? Isso foi repentino, mas... Hum, claro que sim! Vou me casar com você, em breve, quando eu tiver juntado dinheiro o suficiente a gente vai se casar e vou comprar uma casa para a gente, vamos ser eu e você Sakura-chan! Tô certo!

Ele disse com bastante certeza e havia um sentido sonhador em suas palavras.

— Oh... – foi a unica coisa que ela conseguiu dizer. Apoiou-se na grade de ferro e suspirou. – ...eu também tenho algo pra você.

Mesmo ela tendo notado a ausencia de filhos na fala dele, prosseguiu. Retirou da bolsa um par de sapatos infantil minusculo e, tremendo de nervoso, encaixou-os nos dedos, como se fosse brincar.

O loiro arregalou os olhos, e observou enquanto a Haruno brincava com os sapatinhos sob a barriga. Sem dizer uma palavra, ele a envolveu em seus braços e enterrou o rosto nos cabelos rosados.

Ela percebeu que ele tremia, quando se afastaram, os olhos dele estavam encharcados, mas acima de tudo, ele sorria.

— Você não tá com medo? – Sakura perguntou.

— Um pouco – ele respondeu – mas posso dizer uma coisa? Eu ja acreditava em amor a primeira vista desde que te vi. Agora, acho que acredito em amor sem vista nenhuma.

Ele colocou a mão sobre a barriga dela, e ela sorriu, sentindo finalmente a garganta apertar.

— Naruto, eu te amo tanto...

— Eu sei, eu disse que era o homem dos seus sonhos! Eu também te amo Sakura-chan...

Os dois riram e nesse momento, houve uma explosão de fogos de artificio, declarando oficialmente que a primavera havia chegado, mas para os dois naquele momento, o significado era outro. A primavera tinha chegado e com ela, a nova familia Uzumaki ganhava um começo.



Notas finais do capítulo

Espero que tenham gostado :)



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Begin" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.