Treat You Better escrita por Black Canary


Capítulo 10
Cartas na Mesa


Notas iniciais do capítulo

Obrigada pelos comentários ♥
Boa Leitura!!!



Eu e Alya tínhamos combinado de fazer compras e nesse momento estávamos sentadas em uma cafeteria qualquer conversando.

— Aí eu disse pro Nino que ele estava completamente errado, por que... Marinette! – ela estalou os dedos freneticamente na frente do meu rosto.

— Oi, o quê?

— Você está me ouvindo? – balancei a cabeça tentando afastar todos os pensamentos que a enchiam.

— Claro. – menti.

— Então sobre o que eu estava falando? – droga. Fui pega na mentira, então apenas suspirei derrotada – Francamente Marinette, você já era distraída quando caía de amores pelo Adrien secretamente, agora que está num relacionamento indefinido com ele, fica mais distraída ainda.

— Desculpa Alya. Pode continuar que eu vou prestar atenção.

— De jeito nenhum, só depois de me falar o que está acontecendo com você. – escorou a cabeça na mão e me encarou.

— É complicado de explicar.

— Então começa.

— Ai credo, Alya! Calma! É que o Chat anda meio diferente ultimamente.

— Você sabe por que, ou desconfia do motivo?

— Ele me deu uma desculpa esfarrapada e eu não quis insistir para que ele me contasse, porque não acho certo. Mas eu estou preocupada com ele. – suspirei e bebi um pouco do meu chocolate quente.

— Olha Mari, se você está preocupada com ele, a única coisa que pode fazer é conversar e aconselhar o Chat.

— Como vou fazer isso se nem sei o que está acontecendo com ele?

— Bem, isso você precisa perguntar a ele. Tenham uma conversa sincera e coloquem as cartas na mesa, vai ser melhor para os dois.

— Obrigada Alya. Você me ajudou muito.

— De nada amiga, mas se quer saber, em minha opinião só existe uma coisa que deixa os garotos estranhos dessa maneira.

— E o que é?

— Garotas.

*****

Será que ele está gostando de alguém? Faz sentido ele estar estranho se a explicação for essa.

E nesse momento eu estava andando de um lado para o outro no meu quarto, pensando sobre isso.

— Queria me ver? – me virei bruscamente e não deu muito certo, já que tropecei nos meus próprios pés e caí sentada no chão.

— Credo Chat! Dá pra parar de me assustar assim? – ele riu e me ajudou a levantar.

— Não tenho culpa que você é desastrada.

— Há há há! Ainda não me acostumei com você entrando pela minha janela. Mas não é por isso que chamei aqui.

— Então é por quê?

— Porque eu preciso saber o que realmente está acontecendo com você pra te deixar todo estranho desse jeito. – ele me encarou e saiu correndo em direção a janela, fui atrás dele e segurei seu braço – Você ia fugir? – perguntei indignada.

— Claro que não. – o loiro tentava se soltar.

— Então porque correu na direção da janela e está tentando se soltar de mim?

— Por que... Eu lembrei que deixei o forno ligado.

— Você não cozinha!

— Como pode ter tanta certeza?

— Se você cozinhasse já tinha tentado me seduzir com seus dotes culinários. – ele parou de tentar se soltar.

— E funcionaria? – o encarei e suspirei.

— Vai me contar o que está acontecendo ou vou ter que te acertar com taco de baseball e te prender em algum lugar até que me responda?

— Você tem um taco de baseball?

— Chat!

— Tá bom, eu conto! – ele levantou as mãos em sinal de rendição e nós dois sentamos na minha cama. – Pois bem, eu não sei por onde eu começo...

— Que tal do começo?

— Uau! Muito inteligente, juro que eu não tinha pensado nisso! – dei um tapa no braço dele.

— Vai logo!

— É que... Bem... E-Eu... Sabe...

— É alguma garota? – ele me encarou.

— Como sabe disso?

— Apenas um palpite. Agora me conta tudo. – ele abriu a boca várias vezes, no entanto não falava nada – Você gosta dessa garota?

— Gosto. – era estranho ouvir Chat dizer aquilo, entretanto apenas continuei prestando atenção. – Mas eu não devia gostar dela.

— Ué, por quê? – ele me encarou.

— Porque é complicado.

— Complicado como?

— Eu não sei Marinette, é muito confuso. – ele só me chama de “Marinette” quando é algo sério, portanto, meu preocupei. – Eu não sei como lidar com isso. – o loiro ficou de pé e eu fiz o mesmo, com certo receio que ele fosse tentar fugir de novo.

— Por isso que eu estou aqui para te ajudar, eu não quero que passe pela sua confusão amorosa ou sentimental sozinho. – coloquei minha mão sobre o ombro dele - Sabe que pode contar comigo.

— Desculpe, mas acho que você não entenderia. – Chat tirou minha mão do seu ombro e caminhou em direção a janela.

— Espera! Como eu já disse você me ajudou bastante com o Adrien e eu quero retribuir isso, você só precisa...

— Esse é o problema! – ele se virou para mim e me olhava sério.

— Como assim?

— Eu disse que você não ia entender. – Chat fez menção de sair, mas eu o segurei antes que ele o fizesse.

— Explica.

— Não dá.

— Então mostra. – provavelmente foi muito errado da minha parte falar isso, já que após meu pedido Chat realmente mostrou ao meu puxar para um beijo.

No começo pensei que estava sonhando novamente, porém depois eu percebi que não poderia ser mais real. O loiro segurou minha cintura e eu passei os braços ao redor do seu pescoço, aproveitando aquele momento. Senti um leve aperto de suas mãos ao redor de mim, após isso Chat depositou alguns beijos em meu pescoço enquanto eu deixava minha cabeça cair para trás e permanecia com os olhos fechados.

O pior é que eu mentiria se dissesse que não estava gostando.

*****

Se existe alguém que se sente um ser humano pior do que eu, essa pessoa merece um prêmio. Tentei persuadir minha mãe para ela me deixar faltar aula, mas infelizmente ela não deixou.

Quando cheguei à escola, encontrei Adrien, Nino e Alya conversando. De longe pude ver Chat chegando. Então respirei fundo e fui até meus amigos.

— Bom dia.

— Bom dia. – eles retribuíram e o loiro virou para me ver, já que eu estava atrás dele.

— Será que podemos conversar?

— Ih, lembrei que preciso de uma coisa que está lá junto com a outra coisa. – Alya deu uma desculpa e saiu tropeçando com Nino para dentro da escola.

— Claro que podemos. No entanto, deixe-me te falar uma coisa antes. Ontem eu não vim à aula, pois tive que fazer uma sessão de fotos que faz parte do acordo que fiz com meu pai.

— Acordo?

— É, ele só deixou sair com você se isso não atrapalhasse meu trabalho e eu preferi fazer aquela sessão pela manhã para sair com você mais tarde.

— Isso é muito legal da sua parte, mas porque não me ligou para sairmos?

— Porque eu decidi ir à sua casa fazer uma surpresa. Liguei para Alya e ela disse que vocês já tinham feito as compras e que ela tinha te deixado em casa, mas adivinha?

— Adrien...

— Quando eu estava chegando, vi Chat entrando pela sua janela. Eu até esperei alguns minutos, mas depois desisti, pois pelo visto ele ficou um bom tempo lá.

— M-Mas nós... E-Eu...

— Olha, eu não preciso de explicações. – ele abriu a mochila e tirou um embrulho – Comprei para você e ia te dar isso ontem. – Adrien jogou o objeto em minhas mãos enquanto meus olhos estavam cheios d’água – Por mais que não mereça isso é seu. – ajeitou a mochila e por fim entrou na escola, me deixando sem saber o que fazer, sozinha com o embrulho nas mãos e lágrimas escorrendo pelo rosto.



Notas finais do capítulo

Ahá, agora sim vocês não foram trollados :p
Espero que tenham gostado ♥ Kittykisses xx