Badass escrita por Little Lonely Speaker


Capítulo 1
Capítulo Único


Notas iniciais do capítulo

Espero que gostem! ♥



Me lembro como se fosse ontem, o dia em que conheci a minha rainha. Ela sempre foi tudo para mim. Do primeiro até o último dia, sempre a amei incondicionalmente, sem freios, sem parar para respirar, sem direito a algum tipo de apoio quando ela me fez cair.

“- Vamos lá, Scott. Não vai doer nem um pouco. - Eu implorava para que ele fosse comigo na casa da Allison.

- Isaac, ela me odeia e eu não vou.

Bufei e olhei para ele pela última vez antes que eu arrancasse a cabeça dele mentalmente.

Mas não, eu nem cogitei a ideia dele sem cabeça. Por quê? Porque simplesmente, a garota mais bonita que eu já vi na minha vida, passou pelo corredor, com o treinador ao seu lado.

Ela tinha cabelo castanho claro, pele nem tão clara nem tão escura, olhos também castanhos e um rosto muito, muito lindo.

A garota passou do nosso lado, mas como Scott estava guardando livros no armário, ele não a viu, e nem viu que ela olhou para mim e sorriu, assim como eu olhei para ela e sorri:

- É, Scott, eu concordo com você, acho que não vamos na casa da Allison, mudei de ideia.

Scott fechou o armário com força, ficou alguns segundos parado, olhando a porta e depois olhou para mim. Ele ficou me encarando por alguns segundos, enquanto eu olhava a garota mais foda que eu conheci, conversando com o treinador sobre ser novata:

- Você sabe quem ela é? - Perguntei sem olhá-lo nos olhos.

- Quem?

- Aquela garota no final do corredor. - Apontei.

- Sei. O nome dela é Malia Tate.

- A g-garota-coiote que vocês salvaram? - Questionei com o rosto apavorado.

- Sim, por quê? - Ele olhou para mim com um olhar curioso.

- Porque Derek me contou que a mãe dele disse para ele o que ela escondia de Peter. - Me aproximei mais de Scott e diminui o tom da voz. - E ao que parece, ela é filha do Peter, o que faz dela uma Hale, Scott. Eu tô morto se o Derek descobrir que eu gostei da prima dele.

- Filha do Peter? - Ele perguntou e eu assenti. - Isaac, você já é um homem morto e enterrado.

Scott riu e saiu andando pelo corredor. Eu simplesmente quero matá-lo, mas não vou fazer isso, ele é um cara legal.

Balancei a cabeça e abri meu armário. Deixei meus livros e mochila no mesmo e fechei a porta:

- Oi. - Disse Malia sorrindo. - Desculpa ter te assustado, mas eu vi que você estava falando com Scott, e pensei que talvez você pudesse me ajudar.

- Com o quê? - Perguntei tentando parecer arrogante.

- A me deixar mais familiarizada com a escola, você sabe, sendo novata e um coiote por oito anos, não é uma das maneiras mais fáceis de se adaptar com uma escola cheia de humanos.

Olhei para ela, de cima para baixo, levantei uma sobrancelha e estalei a língua:

- Talvez eu te ajude, talvez não. Depende do meu humor.

- E como está seu humor hoje? - Ela perguntou dando um passo na minha direção, e eu recuei.

- Ele está um pouco irritado. - Mais alguns passo e eu estava encurralado na parede com Malia na minha frente.

- Entendi. Será uma volta pelo prédio e um treino particular de lacrosse, não te animaria um pouco? - Ela disse se aproximando mais do meu rosto, mordendo o lábio inferior

- Não. - Hale me olhou com os olhos castanhos e colocou os braços no meu pescoço.

- Por favor, cara, eu preciso que alguém me mostre a escola.

- E quanto aos professores?

- Estão dando aula.

- Outros alunos?

- Você é o único que vai embora agora, os outros ainda têm aula.

Bufei e revirei os olhos:

- Ok. Você ganhou, eu te mostro a escola, mas não venha pensando que eu tô sendo generoso, não é do meus costumes ser legal com quem eu não confio.

- Sério? Mas quem disse que você não vai confiar em mim?

- Minha intuição.

- Ela é tão forte assim? - Ela tirou os braços de mim e se afastou o suficiente para que nós pudéssemos andar lado a lado no corredor.

- Sim, ela é.

Malia se aproximou mais um pouco, e logo senti o suor escorrendo pelo canto do meu rosto e a palpitação do meu coração aumentar:

- Você está fedendo, é cheiro de ansiedade. Por quê?

- Por nada, não. Talvez você e seu olfato estejam errados. - Disfarcei.

- Ok, então.

Ela chegou mais perto e pegou minha mão. Malia parou e eu também:

- Nem sei seu nome, garoto dos olhos azuis.

- É Isaac, Isaac Lahey.

- Isaac. Que nome bonito.

- Obrigado. - Corei. - Então, essa aqui é a biblioteca, normalmente eu não passo muito tempo aqui dentro, Stiles é o que mais entra e sai.

Ela riu. Que risada gostosa de ouvir, ela virou o rosto para mim e parou de rir;

- Isaac, definitivamente você está cheirando muito mal. É quase carniça.

- Eu estou ansioso, sim, Malia. De fato. Mas ainda te falta descobrir o porquê. - Disse enquanto chegava mais perto dela. - Então me diga, por que estou fedendo?

- E-Eu não sei, você está me intimidando, para. Ou então, eu corto a sua garganta, dilacero o seu corpo e depois como. Você que escolhe.

- Eu paro, assim que você me disser o porquê.

- Acho que, não, eu tenho certeza que você está nervoso e ansioso, porque gosta de mim, mas não pode contar para alguém por algum motivo, e também porque está perto de mim. Está perto o suficiente para que eu arranque a sua cabeça.

- Ou perto o bastante para te beijar.

- Pode ser. - Dizia ela enquanto aproximávamos mais nosso rostos a cada frase.

- Pode ser que sim, assim como pode ser que não. Você não sabe nada sobre mim.

- Sei o suficiente para dizer que não quero te matar.

- Mas e se eu for um sociopata ou então um psicopata ?

- Se você for um, eu vou sofrer de Síndrome de Estocolmo, porque eu ia amar ficar presa em um apartamento abandonado, amarrada em uma cadeira, só porque o psicopata é você…

Sorri e peguei seu rosto. Colei nossos lábios e desci minhas mãos até a sua cintura. Da cabeça aos pés, ela é perfeita, é linda, extrovertida, inteligente, carismática e bem esculpida. E ainda dizem que não existe pessoa perfeita no mundo:

- Era por isso que estava fedendo?

- Se quando alguém te ama, ela fica fedendo, então é, era por isso, sim. - Respondi enquanto a abraçava e cavava meu rosto no seu pescoço.

- Seria maluquice amar alguém que mal conheceu?

- Acho que sim, mas eu não ligo se parecer loucura. As pessoas loucas são sempre as melhores.

Sorrimos e fomos embora da escola.”

Sim, foi simples, talvez clichê ou até mesmo ridículo. Mas nós dois, nós adoramos esse momento.

Dois dias depois, já estávamos namorando e ao que parece, Stiles não ficou muito feliz com a notícia.

Nós não ligamos no começo, mas exatamente um mês depois, algo que me fez querer morrer aconteceu. Foi pior que a morte de Allison, porque quando ela morreu, Malia estava lá. Agora, dessa vez, eu não tinha ninguém.

No dia que recebi a notícia eu quis simplesmente dar com a cabeça do Stiles, na parede, arrebentar os miolos do Derek e rasgar a garganta do Peter.

O que aconteceu? Bom, não gosto muito de falar sobre, então vou acrescentar nessa carta, as exatas palavras que a Lydia usou para me dar a notícia mais triste que eu poderia receber durante toda a minha vida inteira.

“Isaac, por favor, me prometa que não vai surtar ou algo parecido, mas o que eu tenho para te dizer não é uma das coisas mais alegres do mundo. Mas me permita te contar o que aconteceu até o devido fato que vou lhe dizer.

Quando o Stiles descobriu que você e a Malia estavam namorando, o pequeno e sinistro mundo dele se desmoronou por inteiro. E cheio de ódio e rancor que ele tinha dentro dele, Stiles foi até o loft do Derek contar que vocês dois estavam namorando. E Derek não reagiu da melhor forma possível, então ele contou tudo o que ele sabia para Peter.

Stiles estava ficando frio de novo, mas era estranho vê-lo daquela forma, porque ele não tinha mais o Nogitsune dentro dele, então Stiles sentia mesmo todo aquele rancor, ódio, raiva e mais alguma coisa que o capeta criou.

Os três, foram atrás da Malia no sábado, mas não a encontraram na casa do “pai”, sr.Tate, porque ela estava com você naquele dia, vocês estavam na casa do Scott assistindo um filme juntos.

Logo, como não a encontraram de imediato, Isaac, eles esperaram até domingo de manhã para dar o bote. E como você já tinha deixado Malia na casa do pai.

Eu sinto muito mesmo, Isaac, mas a Malia foi assassinada por Derek, Peter e Stiles.”

E foi assim que meu mundo pegou fogo e acabou. Ele foi queimado até o fim. Mas ninguém fez nada para me ajudar, ninguém nunca bateu na porta da casa do meu pai (me mudei para lá, depois de tudo), ninguém nunca perguntou se eu estava bem.

Talvez foi por isso que eu acabei onde estou hoje, nesse momento, no escritório do meu irmão, escrevendo essa carta para quem quiser ler.

Me desculpa, Scott, eu sei que você talvez não suporte a morte de três amigos, mas eu não consegui viver mais sem a minha Malia.

Me desculpa.

- Isaac Lahey

24/12/2014



Notas finais do capítulo

Espero que tenham gostado!
xoxo