Nunca Fui Beijada escrita por Doninha Ruiva

Nunca Fui Beijada

Desde a antiguidade o beijo se faz presente na vida das pessoas. Pesquisadores acreditam que a ação de encostar uma boca na outra surgiu há milhões de anos com a tentativa de mamíferos passarem comida para sua prole.
Dizem que sua origem é desconhecida, porém há indícios que sugerem que a prática teria surgido na Índia. Textos antigos descrevem que os indianos tinham o costume de esfregar e encostar os narizes. Eventualmente, os lábios se encostavam e alguns achavam isso prazeroso. Há boatos de que os soldados de Alexandre, O Grande, aprenderam a prática com os indianos e as levaram de volta para suas casas. Com a morte do renomado conquistador, suas tropas foram divididas e espalhadas por várias áreas do Oriente Médio, e com elas o beijo.
Os romanos foram um dos maiores responsáveis pela popularização do beijo, levando-o para boa parte da Europa e partes do norte da África. O beijo era levado tão a sério na Roma Antiga que foram criadas leis para a sua prática. Por exemplo: se uma garota virgem fosse beijada de maneira apaixonada em público, ela tinha o direito de exigir o casamento com o homem que a beijou.
Na Idade Média, o beijo ganhou outros significados. Ele passou a ser elitizado, sendo que somente pessoas da mesma classe social poderiam se beijar na boca. Como muitas pessoas naquela época não sabiam ler nem escrever, o beijo ainda era usado para selar contratos.
Hoje em dia, o beijo na boca é um ato comum entre pessoas que possuem um relacionamento afetivo mais forte e próximo, e ás vezes por pessoas que nem mantém relações românticas, mas ainda assim desejam desfrutar dos prazeres carnais proporcionados por este ato tão antigo.
Segundo as minhas próprias pesquisas, o tal do beijo proporciona uma sensação diferente para cada pessoa, do mesmo modo que cada um tem um modo de fazê-lo. Segundo minha prima Dominique, o beijo é um segredo que se diz na boca, não no ouvido, já Lily é um tanto mais romântica, e alega que o beijo é o toque de duas bocas que se calam para ouvir a voz do coração. Roxanne, incomparavelmente prática, tem na verdade um lema sobre o assunto: não deixe para amanhã os beijos que pode dar hoje.
Eu tenho várias teorias sobre o assunto, contudo, se limitam apenas a isso, teorias. Não sou nada experiente no quesito beijo, na verdade, não tenho experiência alguma!
Sou Rose Weasley, 24 anos, Subsecretária Sênior do Ministro da Magia a mais jovem de todos os tempos , independente, inteligente, determinada. Só há um probleminha que não consegui resolver até hoje, e não é por falta de tentativas: Eu nunca fui beijada.


Classificação: 16+
Categorias: Harry Potter
Personagens: Rose Weasley, Scorpius Malfoy
Gêneros: Romance
Avisos: Linguagem Imprópria

Capítulos: 21 (34.237 palavras) | Terminada: Não
Publicada: 23/11/2014 às 21:49 | Atualizada: 29/09/2019 às 22:31

Notas da História:

- Quase todos os personagens pertencem à J.K. Rowling, exceto alguns que aparecerão ao longo da história e são originais.
— Qualquer semelhança com outra fanfic publicada é mera coincidência.
— Sem plágios, por favor. Todo mundo é capaz de criar uma boa história usando a própria criatividade.


Capítulos

1. O tal do primeiro beijo
1.154 palavras
2. Azar
1.283 palavras
3. Convite
1.382 palavras
4. Bebê
1.589 palavras
5. Dívida
1.828 palavras
6. Vinho
1.608 palavras
7. Herói
1.493 palavras
8. Algumas coisas nunca mudam
1.492 palavras
9. Domingo.
1.939 palavras
10. Japonês
1.725 palavras
11. Promoção
2.158 palavras
12. Fraude
1.272 palavras
13. Chá
2.028 palavras
14. Modo Leoa
1.657 palavras
15. Persuasiva
1.606 palavras
16. Entrevista
1.801 palavras
17. Os opostos
1.567 palavras
18. Afronta
2.394 palavras
19. Desmaio
2.059 palavras
20. Bom dia
1.703 palavras
21. Despedida
499 palavras