e por amor serei, serás (seremos) escrita por Ironborn


Capítulo 1
Epifania


Notas iniciais do capítulo

então, aqui é o lugar pra fazer a dedicatória, ok HUEHUE eu te conheço há pouco tempo, mei MAS CÊ É MUITO LEGAL PORQUE TODO MUNDO QUE GOSTA DE DRAGÕES DE ÉTER É e cê foi muito gracinha naquelas mensagens lá do site tentando adivinhar quem era eu E CÊ ACERTOU mas eu te dei um zignal (te despistei, em baianês). e espero que você goste da minha fic porque EU GOSTEI DELA, pasmem.



e desde então sou porque tu és,

Você gosta de pensar em si mesma como uma garota — mulher, desculpe — forte, Maria Hanson. Gosta de pensar que esqueceu seus antigos sonhos — sim, os sonhos de princesa, exatamente estes — e aquele em que você acreditava que iria realizá-los.

Mas não se engane, menina — porque agora você é, sim, uma menina. A dor é inevitável, o sofrimento é opcional, são palavras que você guarda com cuidado desde que as ouviu pela primeira vez, sim, eu sei. E você adora repeti-las, principalmente quando está passeando nos jardins com Juan De Marco ou assistindo a uma peça no Majestade com Casanova. Essas palavras se tornaram seu mantra, e você também as repete todos os dias, ao amanhecer e ao anoitecer.

Mas eu sei que você ainda se lembra, Maria. Eu sei que ainda dói, em espasmos, de repente, quando algo aciona o gatilho da sua memória e você quer cair e você quer morrer, menina, porque tudo o que há na sua mente é Axel Axelaxelaxel e esqueça esqueçaesqueçaesque

E sei tudo o que disse porque eu — isto, tudo ou qualquer outro nome que você queira usar — sei todas as coisas. Todas elas, sem exceção, sim. Eu sei que ver João e Ariane te deixa feliz, muito feliz, mas você sente uma pontada de dor, bem escondida, quando você lembra que Axel Terra Branford e Maria Hanson já foram dois bobos apaixonados também. Eu sei disso porque sou eu quem mantém vocês todos vivos. Sou eu quem acredita.

Semideus, você me chama. Criador.

(mas sou muito mais que isso)

Isso, deite-se agora. O chão é frio, mas você gosta dele assim — distrai sua mente. O sofrimento te encontrou quando você era pequena, não foi, menina?

(em uma casa de doces e barro e vidro e escuridão)

Você sempre tentava — e às vezes, até conseguia — esquecê-lo, em cima de telhados — nomeando cometas.

Não chore, Maria Hanson. Não chore mais, porque eu não acredito em você para vê-la secando lágrimas com a manga da blusa. Eu criei-te para gritar mais alto do que todos, garota. Para brilhar.

Agora levante do chão e vá ajudar sua mãe a fazer o jantar. Vá preparar o que falar para as crianças na aula de amanhã.

Vá nomear outros cometas.

E se amanhã ou qualquer outro dia — ou hoje mesmo — você tiver vontade de chorar, menina-garota-mulher-Maria Hanson, só basta lembrar-se de três coisas;

todos os que você ama são feitos de água do mar e

você é feita de pó de estrelas e

(você vai encontrar a si mesma)

mais uma vez.

e desde então és, sou e somos

Você sente saudades da lua.

Não anoitece no Nunca. Não faz frio, não faz calor, não venta, não chove — nunca. É tudo mais agradável do que uma história de criança. Mas você ainda olha para o céu procurando ver o pálido reflexo dela, porque um lugar onde não anoitece é um lugar onde o tempo não passa.

(e esse lugar não existe)

Mas é onde está agora, príncipe. Seus pés se chocam contra o solo de Themiscyra enquanto você caminha com Livith e você não sabe se existe. Talvez você não exista, e nem Livith, e nem o Nunca (porque o tempo não está passando) e nem Maria — Maria?

Humanos são criações confusas, mesmo para nós, Semideusas — que deveria ser escrito com S maiúsculo, assim como Reis e Rainhas. Eu acredito em você, logo, você existe sim, príncipe Axel. Você e Livith e o Nunca e Maria — sim, ela também.

Alguns dias — se é que existem dias no Nunca, porque o tempo, o maldito tempo, ele não está passando — você acorda e deseja que ela nunca tenha existido. Em outros, você se pergunta como pôde ter desejado tal coisa. E ainda há outros, completamente diferentes dos demais — como este —, nos quais Livith pergunta você sente saudade de Arzallum? E você responde sim. Somente isso, quando você queria se sentir livre o suficiente para dizer e de Maria mais que do que tudo.

Mas você não diz porque tenta esquecê-la. E, enquanto isso, desliza suas mãos pelos cabelos da elfa — que são violetas, e não castanhos — e enlaça seus braços ao redor dos dela e se pergunta se pode amá-la, algum dia. Ela, Livith, que respira guerra e sangue e anda por entre corpos de gigantes caídos com a mesma leveza que anda nos galhos das árvores do Nunca. Livith, que cruza o céu montada em dragonesas e destrói sem olhar uma segunda vez.

E quando foi a sua vez de montar uma dragonesas e andar por entre corpos de gigantes caídos na ruína que já fora sua capital, você levantou a cabeça e olhou pro céu — você já estava lá, na verdade — vendo fadas-amazonas derrubarem torres e matarem os últimos gigantes — e você finalmente percebeu — em meio a gritos de piedade e misericór–

(dia).

Você não estava procurando pela lua — claro que não, príncipe. Esse tempo todo, você esteve procurando por pessoas.

Mãe? Pai? Anísio?

(Maria?)

Algumas coisas estão longe demais — até mesmo para garotos que voam em dragonesas e deixaram de ser crianças para se tornarem homens.

E eu te digo isso porque eu mesma me surpreendi naquele dia. Vi um elfo adulto abrir as asas e voar. Vi um garoto que abaixou a cabeça e se tornou um homem quando a levantou. E por alguns momentos eu fui tentada à andar sobre as terras dos homens mais uma vez.

Mas já não era mais necessário.

Você leva o seu nariz ao cabelo de Livith — sua mulher, sua sua sua — e inspira fundo. O cheiro é exótico, assim como ela mesma é, dos calcanhares até a ponta do nariz. E quando ela suspira contentemente nos seus braços, você sabe que não precisa se preocupar porque

o mundo é feito de intenções, ou seja

se você tem a intenção de amá-la

(ela, livith — que lança socos muito melhor que você, verdade seja dita)

você pode.

e por amor serei, serás, seremos.



Notas finais do capítulo

PRONTO, TÁ AÍ SUA FIC, DONA MEI (depois faço uma pra você, dite. NÃO CHORA) 3 e a mudança de estilo foi intencional, porque eu quis mostrar um semideus narrando a parte da Maria e uma semideusa narrando a parte do Axel.VEM AQUI DIZER QUE AMOU, MEI ♥