Surprise escrita por Panda Chan


Capítulo 1
Único


Notas iniciais do capítulo

Hey gente, essa é minha primeira fanfic de PJO.
Resolvi escrever um pouco pra tentar fugir da minha depressão 'terminei uma fic'.
Boa leitura



Perseu Jackson consegue ser a criatura mais irritante que eu conheço. 

Hoje mais cedo ele invadiu a minha aula de arco e flecha e saiu me arrastando como se estive me salvando de um incêndio. 

— O que aconteceu? – perguntei preocupada. 

Esperava que a resposta dele fosse algo como “O exército dos titãs se aproxima!” ,“ Tyson sem querer comeu uma das pernas do Grover” ou até mesmo “Senhor D. está atrás de mim dizendo que vou virar um peixe-palhaço!”. Mas tudo que ele disse foi: 

— Quando terminar sua aula, me encontre nos campos de morango. 

Ele beijou minha bochecha e saiu correndo antes que eu pudesse gritar por ter atrapalhado uma aula que pode ser muito importante para a minha sobrevivência.  

—  Garotos — murmurei revirando os olhos. 

Minha aula acabou há mais ou menos meia hora atrás e desde então estou parada aqui como uma ninfa presa na árvore esperando a boa vontade de Percy vir me ver. 

Sendo uma semideusa tenho problemas de déficit de atenção esperar pra mim é algo torturante. Nessa meia hora já desenhei na terra três casas de luxo e dois projetos para uma talvez futura expansão do meu chalé. Não fiquei contente com nenhum deles. 

— Annabeth! Annabeth! – a voz de Grover me fez tirar os olhos do projeto da piscina subterrânea da casa número dois. 

Os cachos de Grover balançavam de um lado pro outro e suas pernas de bode corriam de forma surpreendentemente fácil sobre a terra sem tropeçar nas raízes que estavam espalhadas. 

Grover corria com tanta pressa que me perguntei onde estaria tendo uma promoção de enchiladas. 

— Olá Grover – disse sorridente – Aonde é o incêndio? – brinquei. 

— No chalé de Afrodite! – respondeu ofegante. 

— O quê? – disse sem acreditar. 

— Alguma das garotas de lá deve ter usado laquê demais, não sei, está tudo pegando fogo! Você precisa ir pra lá ajudar os outros semideuses a se organizar! 

Demorei alguns segundos para processar a informação. Chalé de Afrodite. Fogo. Laquê. Maldita deusa do amor e sua vaidade. 

Pisquei algumas vezes tentando apagar a minha expressão de terror. 

— Você já chamou o Percy? 

— Não, mas espero encontrá-lo logo. Se tem uma hora pra um filho do senhor dos mares ser útil, é agora – e saiu correndo. 

Corri o máximo que pude para chegar ao chalé de Afrodite usando os atalhos que muitos semideuses evitavam porque são cheios de ninfas que adoram pregar peças. 

Parei ofegante em frente ao chalé dez olhando ao redor em busca de algo que fosse ajudar a apagar o fogo, mas tudo que vi foram campistas seguindo suas vidas normalmente e o belo chalé cor-de-rosa cheirando a perfume de grife. 

— Mas que raios... – continuei olhando ao redor em busca de qualquer coisa que parecesse diferente, não tinha nada. 

Olhando com um pouco mais de atenção percebi Percy conversando com os Stolls em frente ao chalé três. 

Imediatamente fiquei com raiva do cabeça de alga que deve ter se esquecido do que combinou comigo para ficar jogando conversa foram com os trolladores do acampamento. 

Fui em direção a eles com a melhor expressão de brava que consegui fazer e pronta para deixar Poseidon sem nenhum filho meio humano. Atena teria orgulho de mim se soubesse disso. 

Percy virou em minha direção e com um sorriso amarelo saiu correndo em direção ao chalé de Zeus. 

— PERCY! - gritei – VOLTE AQUI! 

Ele me ignorou e continuou seu caminho. 

— Anna... – Travis praticamente cantou enquanto passava um braço ao redor dos meus ombros. 

— ...Beeeeth – Connor veio pelo outro lado e fez o mesmo que o irmão. 

— O que vocês querem? – perguntei no meu melhor tom de ‘caiam fora ou vão conhecer a fúria da minha adaga’

— Percy nos disse que dia é hoje – Travis estava com aquele sorriso maroto que significa problemas. 

— Parabéns – disse Connor com uma expressão menos marota – Estamos ansiosos pra ver o que vai acontecer. 

— O quê? 

— Não se fala de boba, filha de Atena. 

— De boba já temos muitas filhas de Afrodite – Travis piscou um olho. 

— Não sei do que estão falando – admiti. 

Eles olharam um para o outro e começaram a rir como loucos. 

— Travis, você sabe o que isso significa? 

— Claro que eu sei cara. 

Então juntos disseram: 

— Sabemos de algo que uma filha de Atena não sabe! 

Sei que é algo infantil, mas fiquei com muita raiva por isso. Filhos de Hermes sempre conseguiram me provocar direitinho. 

Sai batendo o pé com força no chão enquanto eles cantavam “Annabeth não sabe não sabe, vai ter que aprender. Orelhas de bobo e cabeça de ET”. 

Meu dia está sendo uma maravilha, meu namorado deu uma de louco pedindo para que eu o encontrasse e depois não foi, meu amigo sátiro estava tendo ilusões com falsos incêndios e dois filhos de Hermes se acham mais espertos do que eu. Uma maravilha. 

Só parei minha marcha raivosa quando avistei Thalia Grace parada em frente à Casa Grande. 

Thalia era a tenente das caçadoras, nunca vinha ao acampamento a não ser quando Ártemis estava caçando alguma criatura tão perigosa que só pudesse fazer isso sozinha. 

— Thalia— disse quando cheguei perto o bastante para não precisar gritar – Você está bem? 

— Annabeth! – Thalia me abraçou com força – Estou sim e você? – ela estava sorrindo. 

Thalia sorrindo sem ninguém se machucando por perto ou caindo em alguma de suas armadilhas? Alguém para a rotação da Terra, estou no universo errado. 

— Eu estou bem – confusa olhei para os lados em busca das outras caçadoras – Onde estão as caçadoras? 

— Em algum lugar do Canadá, eu acho – deu os ombros – Estou de ‘licença’. 

— Não sabia que imortais tiravam férias. 

— Normalmente não, mas hoje é um dia especial e Ártemis não pode dizer não. 

— Eu sou a única que não sabe que dia é hoje? 

Ela me olhou confusa. 

— Estou surpresa por você não saber. Siga-me. 

Segui Thalia pelas trilhas menos usadas pelos campistas. Eu as conhecia, é claro, mas não fazia ideia de para onde estávamos indo. 

— Que coisa mais exagerada – disse Thalia apontando pro chão. 

Olhei para baixo e vi que estávamos seguindo uma trilha de rosas vermelhas espalhadas pelo chão. Que estranho. Quem deixaria isso aqui? 

Continuamos andando até chegarmos ao lago onde fiquei de boca aberta com a cena que vi. 

Flutuando no lago estavam diversas lanternas jogadas na água ou dentro de canoas com filhos de Hefesto soltando fogos que formavam corações no céu. A área ao redor do lago estava coberta com as rosas e vários campistas que são próximos a mim estavam lá sentados em um círculo. Os filhos de Apolo tocavam uma música romântica no violão. 

— O que está acontecendo aqui? – perguntei admirada. 

— Você ainda não sabe? – Thalia deu uma risadinha e se afastou. 

— Thalia? – confusa olhei para trás. 

Percy estava usando uma roupa social, trazia nas mãos o maior buquê de rosas vermelhas que já vi na minha vida e o sorriso mais encantador que já o vi dar. 

— Oi sabidinha. 

— Percy, o que significa isso? 

— Isso tudo é pra você – me entregou o buquê. 

Senti minhas bochechas arderem de tanta vergonha e tentei não estragar tudo. 

— Mas, por quê? 

— Sabidinha – ele se aproximou mais – Feliz um mês de namoro – beijou minha testa com ternura. 

Espera, um mês? 

— Mas Percy... 

— Xiu – ele me deu um rápido selinho – Sei que é um pouco demais tudo isso e achei que tudo ia dar errado quando o Grover saiu falando de um incêndio. 

— Ei! – Grover estava sentado em baixo de uma arvore com uma pilha de latas do lado – Quando eu vi toda aquela fumaça pensei que era um incêndio. Como ia saber que eram essas lâmpadas estranhas? 

Percy revirou os olhos. 

— Depois fui pedir ajuda aos Stolls para trazerem toda essas lâmpadas até aqui. 

— O que fizemos de muita boa vontade, já que somos mais espertos que as filhas de Atena – não consegui identificar qual dos gêmeos disse isso e revirei os olhos. Eles nunca me deixariam em paz. 

— Eu achei que merecíamos algo especial. 

— Eu adorei, Cabeça de Alga – sorri – Mas tem algo que você precisa saber... 

— O que foi? – em segundos ele ficou com uma expressão preocupada. 

— É que, nós dois... – pressionei o lábio superior no inferior com força – Não sei como dizer isso... 

— Por Zeus! – Thalia estava com cara de brava e um olhar assassino – Não acredito que você vai dar um fora nele agora! 

Um instante de silêncio e depois todos os semideuses reunidos estavam fofocando e murmurando teorias absurdas sobre o fim do meu namorado. 

— Não é isso – balancei a cabeça pros lados – É que... 

— QUEM AI APOSTOU QUE ELES IAM DURAR MENOS DE SEIS MESES? – Travis abanava um bloco de notas enquanto Connor separava o dinheiro. 

— Porcaria – Connor me fuzilou com o olhar – Por sua causa estou perdendo vinte pratas Annabeth, muito obrigado. 

— Não é isso... 

— Annabeth má – Tyson apareceu com um presente muito mal embrulhado. Onde ele estava que eu não o vi? – Por que magoar o Percy? 

— Mas eu não quero magoar o Percy! 

— Quanta maldade numa pessoa só – uma garota asiática cujo nome eu não me lembro ficou olhando com um sorriso divertido no rosto. Pela sua aparência diria que ela é filha de Afrodite. 

— Annie, por que você esperou até agora pra fazer isso? – Percy fazia a sua cara de quero chorar mas não posso chorar. 

— Percy, eu não quero terminar com você. 

— Então por que disse isso? – ele estava fazendo biquinho. 

— Porque nosso aniversário de namoro é só amanhã. 

Todos ficaram em silêncio. 

Percy me olhava com cara de paisagem como se estivesse processando essa nova informação e os outros semideuses se olhavam incrédulos. 

— Ah – depois do que pareceram décadas Percy disse – ENTÃO FELIZ QUASE UM MÊS DE NAMORO! 

Ele me ergueu nos braços e ficou girando no ar. 

Os semideuses presentes começaram a rir e bater palmas. Tyson nos entregou seu embrulho, que era uma moldura para foto feita com conchas do mar. Agradecemos e voltamos a comemorar. 

— Hora de molhar os pombinhos! – gritou alguém. 

Antes que eu pudesse argumentar contra os semideuses ergueram Percy e eu e nos jogaram no lago. 

Naquele dia tive o segundo melhor beijo subaquático do mundo. 



Notas finais do capítulo

Gostaram? Não? Mande um review.
Gostou? Sim? Mande um review.
Leu? Mande um review.
Sou mendiga de review KOAKSOAKDA
Beijos cupcakes