You're here escrita por Bby Queen


Capítulo 1
Único




Haviam se passado exatos 365 dias. Hoje fazia um ano desde que Derek Hale havia deixado Stiles e o bando. Stiles não poderia dizer que foi o melhor ano da sua vida, mas também não sentia falta das tentativas de homicídio do mais velho. Ok, era uma mentira. Stiles sentia falta de tudo, dos olhares raivosos, do contato brusco entre os dois, das várias situações de quase morte e principalmente das tentativas de homicídio. Hoje seria seu último dia em Beacon, decidira abandonar a cidade indo pra faculdade mais longe que ele conseguira passar, Yale. Levantou da cama e se dirigiu para o último café da manhã como sendo residente daquela casa. Seu pai já o esperava na mesa, a melhor mesa que Stiles já tinha visto desde que se lembrava, havia de tudo que se pode comer em um café da manhã, o que fez Stiles sorrir.

– Animado pra amanhã? – o xerife perguntou dobrando o jornal.

– Mais do que você pode imaginar – Stiles forçou uma empolgação matinal. E não que não estivesse realmente animado, só estava saudoso.

Tomaram café da manhã juntos, como uma família normal faria em um dia de despedidas. O xerife se levantou da mesa e se dirigiu a cozinha, hoje também era um dos raros dias onde o pai de Stiles trabalhava a partir das dez, o que ainda dava um tempo de conversa aos dois. Enquanto lavava a louça o xerife fazia planos de como seria visitar o filho em Yale, afinal seriam quatro anos longe de casa, falando com o pai no máximo três vezes ao ano. Conversaram mais um pouco sobre o futuro de Stiles e a remota possibilidade de uma família. Quando deu o horário, o xerife foi para o trabalho, com a promessa que estaria de volta pro jantar. Stiles estava desanimado, frustrado e decepcionado, por que diabos Derek não deu noticiais? Será que ele havia sido morto por caçadores? Ou talvez ele só conheceu uma garota legal, arrumou um emprego, comprou uma casa e propôs a garota em casamento. Essa era a ideia que mais assustava Stiles. Resolveu, então, comemorar seu último dia com um pouco de videogame.

Provavelmente uma hora havia se passado desde que o garoto começara a jogar quando a campainha tocou, pensou até em ser seu pai, alegando que esqueceu o almoço, ou talvez Scott pra passar o dia com ele. Deu pause no jogo e foi até a porta. Ao abrir a porta deu de cara com a única pessoa que poderia animar seu dia: Derek Hale.

– Yale, não é? – Derek tirou os óculos escuros e sorriu.

Stiles nem sabia como reagir, mas provavelmente estava sorrindo como um idiota nessa hora. Cogitou abraçar Hale, mas isso acabaria se tornando um soco no olho do menino, então deixou pra lá.

– Não vai falar nada? – Hale agora tinha o semblante sério, como o de costume.

– HALE! – Stiles deu passagem ao mais velho.

– Não tinha um comentário mais inteligente? Como um garoto desse entra na faculdade? – Hale entrou na casa.

– Eu não sabia que você tinha voltado. É algo meio... Surpreendente.

– Eu não voltei, só vim fazer uma visita. Sabia que você ia adorar passar o dia comigo – Hale disse com um ar convencido logo após se jogar no sofá.

– Passar o dia com você? Veio aqui só por minha causa? – Stiles estava saltitando por dentro, queria pular no pescoço do mais velho e encher suas bochechas de beijos.

– Não se sinta tão especial. Cora queria vir pra ver Scott e Issac, eu só estou dando um tempo.

– Então você estar aqui não tem nada a ver comigo? – Derek com certeza sabia ser um cara mau.

– Também não precisa se sentir mal. – o mais velho riu irônico – Vamos, o que posso fazer pra melhorar seu humor?

“Me beija” o mais novo queria berrar. Mas apenas baixou o tom de voz para algo mais calmo e irônico.

– Você não conseguiria fazer isso nem se me levasse a um parque de diversões, Hale.

– Isso é um desafio? Parece um desafio. – agora o homem falava com ele mesmo – Ok, eu aceito o desafio.

– Espera. Você vai me levar pro parque? Não me faça rir, Derek.

– Você sabe muito bem o quanto odeio o som da sua risada, Stiles.

Ir a um parque de diversões com Derek Hale torna o parque muito mais divertido do que ele normalmente seria, ver um grandalhão com cara de assassino no meio a crianças é algo realmente engraçado. Stiles talvez pudesse se divertir, mas definitivamente não tanto quanto se estivesse beijando o mais velho exatamente agora. O primeiro brinquedo que foram foi a montanha russa, nada de errado aconteceu; Não tiveram a mesma sorte com o segundo, um jogo de barraca, um tiro ao alvo. Derek jogou uma das bolinhas com tanta força que ao invés de derrubar a garrafa a quebrou em várias partes. Stiles ria da cena, o grandalhão assassino agora tinha um ursinho de pelúcia. O próximo brinquedo era escolha do garoto, sempre adorou rodas gigantes, por mais lentas e chatas que elas fossem. O mais velho não pareceu muito animado com a ideia de subir em uma cabine e dar uma volta com Stiles, mas entrou de qualquer jeito. Lá de cima a vista era linda, uma perfeita lua minguante.

– Gosto daqui. – Stiles tentou sussurrar pra ele mesmo, mas era impossível que Derek não ouvisse.

– Gosta do parque ou do brinquedo idiota?

– Gosto do brinquedo idiota, e da lua.

– Você é um garoto muito estranho, Stilinski.

– Sorte sua, senhor Hale.

Depois da roda gigante comeram algodão doce e foram por último em um trem fantasma. Não era um brinquedo assustador, era engraçado ver como as fantasias eram idiotas e ridículas, até que chegaram a última sala. Stiles surtou e grudou em Derek quando viu o palhaço de pano sentado no fundo da sala, foi preciso que Derek arrastasse Stiles pra fora, enquanto ria do menino, para que saíssem do brinquedo. Agora já estava entardecendo e era melhor os dois voltarem antes do jantar, assim o xerife não descobriria que teve seu filho raptado por um maluco durante o dia. Derek levou Stiles pra casa, e por sorte o xerife ainda não se encontrava em casa.

– Vai ficar pro jantar?

– Com você? Não acredito que eu suporte tudo isso, e eu preciso buscar Cora.

– Ah sim – Stiles suspirou – Quando vou te ver de novo?

– Talvez em um ano. Agora sai do meu carro e volte ao seu pijama.

Stiles o obedeceu. Ficou parado na porta de casa até que nenhum rastro do Camaro preto fosse visto.

A noite, os amigos foram até a casa dele, junto com o pai comeram pizza e viram alguns filmes. Já era muito tarde quando todos foram embora. Já era uma hora apropriada pra pensar no dia maravilhoso e único que teve ao lado do grandalhão. Stiles subiu as escadas vagarosamente até o quarto, abriu a porta e se jogou na cama, não reparando nas sombras que cobriam a poltrona.

– Achei que você não fosse subir mais – Derek falou calmamente.

Stiles deu um salto na cama, ficando sentado, encarou o lobo.

– Você é louco? Por que nunca avisa quando está no quarto?

– Acho que eu sou grande o suficiente pra dispensar bilhetes. – Derek se levantou.

– Não na minha casa, senhor lobo mau – Stiles também levantou da cama – Passa fora daqui. É tarde e eu quero dormir.

– Eu só vim me despedir.

– Uma despedida de verdade?

– A última. – Derek assentiu e deu um passo à frente.

A distância entre os dois era mínima, um passo de qualquer um dos lado e eles se chocariam um contra o outro.

– Obrigado, Stiles. Por me ajudar com a matilha naquele tempo, e por me proporcionar algo parecido com diversão hoje à tarde.

– Hoje a tarde não foi divertido.

– Conseguiria ouvir seus batimentos daqui mesmo se não fosse lobo.

– Não seja tão convencido.

– Não minta.

– Talvez. Eu disse talvez.

– Continua mentindo. Não gosta de quando eu faço coisas legais para você?

– Sabe como é, me acostumei com os socos e roxos.

– Não seja por isso. – Derek ergueu o punho fechado.

– Eu tava brincando! Continue sendo legal, continue sendo o lobo bonzinho!

– Eu não te socaria, mas sua cara foi hilária. – Derek riu e abaixou o punho.

– Você é um babaca, Hale.

– E você se divertiu hoje a tarde. Então estamos quites.

– Que seja. – Stiles rolou os olhos.

– Bem, eu já agradeci. Não espere ouvir isso de novo. – Derek foi em direção a janela, desviando totalmente de Stiles.

– Nem um até mais?

– Não vejo porque disso.

Stiles foi até o homem mais velho.

– A pergunta de hoje a tarde ainda está valendo?

– Ham... - Derek pensou por alguns segundos - Ah, claro.

Stiles não teve outra ideia tão boa quanto essa, e nem teria, nem que se passassem um milhão de anos. Abraçou a cintura do mais velho e selou seus lábios. O mais velho por sua vez deu um passo pra trás, aterrorizado, mas ao se deparar com o rosto de Stiles tão perto e tão triste por ele ter rompido o beijo, ele não pode evitar. Segurou o rosto do mais novo e o beijou. Um beijo de verdade, um beijo calmo e carinhoso, as mãos do mais novo grudaram na blusa do mais velho assim que o beijo foi rompido.

– Isso melhora seu humor? – Derek pareceu desconfiado.

– Isso melhora qualquer coisa. – Stiles tinha o mesmo sorriso idiota de quando viu Derek parado na porta.

– Por que não pediu isso ao invés do parque?

– Você teria me beijado?

– Eu te beijei agora, não foi?

– Não teria sido muito diferente.

– Bom... teria.

– E por quê? – Stiles se afastou do mais velho.

– Porque eu não teria que perder uma noite. Eu poderia ter feito isso a tarde inteira.

Dessa vez foi Derek quem abraçou a cintura do mais novo, fazendo com que ele ficasse nas pontas dos pés, Stiles abraçou o pescoço do mais velho e sorriu, antes que seus lábios finalmente se juntassem de novo.