The Girl Of Cutting escrita por Fafa Moraes


Capítulo 38
Play To Win


Notas iniciais do capítulo

O capítulo de hoje está aí, mortos-vivos..Boa Leitura!
Link do blog oficial: http://thegirlofcutting.blogspot.com




Aquelas palavras que eu li no papel me fizeram despertar...Alguém estava querendo brincar comigo, e, quem brinca com fogo vai se queimar...

Minha primeira reação ao terminar de ler foi procurar alguém ao meu redor...Provavelmente o sujeito que tinha feito isso ainda estava por perto, eu fiquei um bom tempo observando o movimento para ver se via alguém suspeito, ou seja, alguém vestido todo de preto e com um capuz na cabeça, eu não ví ninguém, o que faria se visse? As opções variam entre segui-lo e sacar a arma e atirar na cabeça do babaca...Ao perceber que não tinha ninguém suspeito por perto eu tinha mais duas opções: 1) A pessoa que tinha feito isso já tinha ido embora ou 2) A pessoa estava na festa, provavelmente vestido normalmente, e, fingindo que nada aconteceu.... As duas opções eram boas, mas, é claro, eu não poderia fazer nada por enquanto, porque, o que eu iria dizer? Perguntar para cada pessoa naquele lugar gentilmente: "Você é o assassino misterioso? Porque, sabe, eu sou o assassino x, e, o assassino misterioso tem me perturbado bastante com bilhetinhos chatos, e, esse é o mais intrigante, não é você que está fazendo isso, é?"

Não, com certeza não...A única coisa que eu fiz foi ir correndo para o meio da festa procurar o Mike, ele tinha que saber disso...Foi bem fácil achar o Mike, agarrei ele pelo braço e fui puxando-o sem explicações, é claro que ele não deixou...

- Ei, vadia, o que foi?

- A gente precisa conversar seriamente, Mike....

- Sobre...? - Lancei um olhar para ele, acho que ele entendeu que era sobre algo inapropriado para falar no meio de tanta gente....- Ah, saquei...

- Ashley, isso também interessa a você... - disse, olhando para ela que estava parada bem perto de mim -

- Interessa, é...? - ela ficou pensativa por alguns segundos  - Ah, entendi, vamos...

Subimos o mais rápido que podíamos até o quarto do Mike, trancamos a porta e fechamos as cortinas, prevenção nunca é pouco quando você está lidando com um assunto tão secreto, e em um ambiente assim as paredes tem ouvido, e, também, o assassino misterioso ainda poderia estar por perto, para mim com certeza estava...

- Diz logo, Ali, você está me deixando nervoso, vadia.... - Mike olhava para mim aflito, assim como Ashley, por isso eu tirei do bolso o bilhete que o assassino misterioso havia deixado e comecei a falar:

- Eu fui lá fora pra me despedir da Jess, depois que ela foi embora eu fiquei um tempo lá, de bobeira, fumando e olhando pro céu, de repente começou a ventar e bom, isso parou bem perto do meu pé, eu vi que era pra mim, porque, dã, tinha o meu nome, abri e...Vejam por vocês mesmos... - Entreguei o bilhete para os dois, que leram super curiosos, e, depois ficaram pensativos, assim como eu fiquei assim que terminei de ler, realmente, era difícil saber quem foi que mandou isso...

- Entenderam agora porque eu estava com tanta pressa? 

- É, entendemos...Você conseguiu ver alguém? Bom, vestido de preto, encapuzado...Alguma suspeita, Ali? - Mike agora estava tão pensativo e sério quanto eu... -

- Não, assim que eu terminei de ler o bilhete a primeira coisa que eu fiz foi olhar em volta para ver se eu achava alguém suspeito, mas, não, não vi...O que eu pensei foi que ou a pessoa foi embora muito rápido, podendo estar vestido da forma como conhecemos o assassino misterioso ou não, ou a pessoa está aqui, digamos que "infiltrada na festa" mas, não podemos fazer nada por imediato, não dá pra simplesmente sair perguntando se alguma pessoa que está lá em baixo é o assassino misterioso, dá?

- É, Mike, a Alicia está certa...Não é muito conveniente sair perguntando isso, não podemos fazer nada por enquanto..Mas, vocês tem algum tipo de outra informação sobre esse tal assassino misterioso? - Se o momento não fosse totalmente sério eu iria pegar a câmera e tirar uma foto de um dos raros dias em que a Ashley usou o cérebro, mas, não, eu não aproveitei para fazer essa brincadeira, o assunto era sério de mais para isso... -

- Não, Ashley, não temos nenhum tipo de informação, a não ser um outro bilhete que esse cara aí deixou pra Ali... - Mike me encarava fixamente, como se quisesse que eu soubesse algo a mais, eu realmente sabia, mas, não ajudaria em nada.... -

- Bom, foram dois bilhetes...O ultimo eu achei meio inútil e desnecessário contar...Foi no dia em que eu incendiei a delegacia e matei o policial Max...O assassino misterioso deixou um bilhete em cima do banco do meu carro me parabenizando pelos crimes...Sem ser isso, nenhuma informação a mais, o que significa que vamos ter que esperar para ver o que o espertinho que está pedindo para morrer está tramando e descobrir quem é ele...Eu só espero que o filho da puta não brinque comigo, porque, se fizer isso ele irá ter um belo encontro com Lúcifer muito antes do que o esperado, isso eu prometo...

- Ah, vadia, sempre vingativa como sempre...Adoro isso em você, mas, você vai contar isso para o seu pai, não vai? Ele vai poder ajudar, Ali...Ou pelo menos deve tentar ajudar a descobrir alguma coisa...

- É, Mike, acho que você está certo, temos que contar pra ele, mas, amanhã...Vamos simplesmente esquecer isso e voltar para  a festa...Beber, fumar, quem sabe.... - fiz uma pequena pausa e olhei maliciosamente para o Mike, junto com um sorriso do mesmo tipo - Fazer algo mais depois que todos forem embora...

Guardamos o bilhete junto com os muitos dólares que tínhamos conseguido no assalto do banco, era um lugar seguro e escondido, para garantir que ninguém, incluindo o assassino misterioso que poderia estar por perto achasse o bilhete e o pegasse para sei lá que diabos trancamos a porta do quarto do Mike e fomos para a festa, nos divertir um pouco, embora esse caso do assassino x não conseguisse sair da minha mente, era bom um pouco de diversão para variar...

A festa ainda estava rolando e já eram mais de 3 da madrugada, os vizinhos provavelmente estavam reclamando, mas, quem liga? Música alta, bebida, cigarros...É o que todo mundo precisa para esquecer um pouco os problemas, não neguem...Mas, como eu sempre tenho um truque na manga achei um jeito de animar a festa, só precisava saber se o Mike topava...

- Mike, meu cafetão, vamos animar esse lugar? - disse, maliciosa, Mike sabia que era algo bem forte o que eu estava planejando... -

- O que você está tramando, Ali? Vadia, você não vai fazer...Hm, "desenhos" em vermelho-sangue em ninguém, vai? - Mike perguntou apenas por perguntar, sabia que não era isso que eu estava tramando.. -

- Não... - mostrei para ele um saco cheio de comprimidos de Metanfetamina, uma droga capaz de aumentar o apetite sexual -

- Isso é Metanfetamina? - Mike sabia que sim, e, também estava sorrindo maliciosamente agora -

 - Exatamente...É tudo que essa festa precisa...E, relaxa, eu também trouxe camisinhas caso a metanfetamina anime de mais os nossos ilustres convidados...E, mais uma coisa, quando eu disse que eu não me drogava, eu estava mentindo... - Talvez o Mike considerasse a metanfetamina uma droga, já eu não considerava...Pra mim é apenas um "doce" viciante.... -

- Interessante...Mas, você só usa metanfetamina, certo?

- Claro que sim, cafetão, eu não sou uma total psicopata - falei as ultimas palavras quase rindo -  a ponto de estragar o meu negócio assassino ficando totalmente pirada da cabeça...

Os mais tolos aceitaram a metanfetamina, outros já sabiam do que se tratava e preferiram não aceitar...

A festa rolou até praticamente 6 horas da manhã, mas, não pra mim e para o Mike, ficamos brincando na cama por mais um tempinho, se é que você me entende... Depois disso eu fui para casa, tomar um longo banho, e, pensar no que iria fazer sobre esse assassino misterioso,  e, também teria que falar com o meu pai sobre isso...Dormir? Quem precisa dormir? Até mesmo porque um dos efeitos da metanfetamina é a diminuição da necessidade de dormir...

Cheguei em casa calmamente, tirei as minhas botas, subi a escada com calma até o meu quarto...Quando eu entrei lá havia um papel em cima da minha cama...Assassino misterioso com certeza...Pensei e acertei...Ele estava se tornando meio previsível, isso ajudaria um pouco a descobrir a identidade dele, e, quem sabe á matá-lo...Abri o papel e comecei a ler...

"Pedir ajuda aos seus amiguinhos não vai adiantar, Alicia...Você vai ver, seu mundo vai começar a desmoronar em pouco tempo, eu serei o único...Os crimes serão apenas um passado para você, isso, se eu quiser mante-la viva...

Assassino Misterioso"

Qualquer um ficaria assustado com isso, qualquer um, menos eu...Era uma ameaça de morte, ou algo parecido, mas, pelo começo do bilhete ele ou ela ainda queria jogar um pouquinho comigo, e, eu não jogo para perder, nunca...Esse cara poderia querer me ver no chão, mas, eu também sei atacar, e, melhor que muita gente...isso se não for melhor que todo mundo...

Guardei o bilhete do assassino misterioso junto com os outros e fui tomar banho...Me despi, liguei a água quente e entrei em baixo do chuveiro...A alguns meses atrás essa seria a hora em que eu faria cortes nos meus pulsos e deixaria o sangue escorrer junto com a água, e, sinceramente, eu gostava disso...Gostava até um pouco da dor, mas, fazer cortes nas outras pessoas é bem melhor...Ver elas sofrendo agonizadas e dizendo "Porque você fez isso?! Não me mate, por favor!!" é algo muito bom...Mas, agora eu estava ocupada de mais para pensar nessas coisas...

Terminei de tomar banho e me vesti, algo simples...uma calça preta rasgada e uma blusa branca com algumas estampas em preto e vermelho que, sinceramente, eu nem sei ao certo o que são...Peguei o celular e liguei para o meu pai, ou melhor para o Nolan... .Em apenas dois toques ele atendeu...

- Alicia...O que me deu a honra de sua ilustre ligação?

- Não enche, Nolan...Precisamos conversar, pessoalmente...Tem a ver com o assassino misterioso...

- Ok, filhinha...Pode vir a minha casa, agora mesmo se quiser...Quero saber o que tem a me dizer...

- Ok, daqui a pouco eu chego aí... - Ignorei o "filhinha" provocativo dele e simplesmente desliguei na cara dele, peguei o meu carro e fui até a casa do meu querido pai...

Ele abriu a porta e sem cerimônias nós começamos conversar...

- E então, o que você tem a me dizer, Alicia?

- Mais três bilhetes, um no dia em que eu assassinei o policial Max e coloquei fogo na delegacia, o outro hoje de madrugada enquanto eu estava na festa do Mike, e, o mais recente foi hoje de manhã... - Tirei os papéis da bolsa e mostrei a ele, que os leu rapidamente....

- Isso é interessante...Ele pode estar tramando várias coisas...O que pretende fazer? - Ele ficou me encarando, eu apenas me calei, pensativa, o que deu a oportunidade perfeita para ele fazer mais uma de suas brincadeirinhas contra mim... - Ficou calada, Alicia? O ilustre ou melhor, A ilustre assassina x sem uma resposta na ponta da língua? Em silêncio por mais de um minuto? O assassino misterioso faz milagres... - Eu simplesmente tirei meu canivete do bolso, fincando-o na mesa de repente e com força -

- Não me provoque, Nolan..Já ouviu a famosa frase "Não confunda silêncio com fraqueza, afinal ninguém planeja um assassinato em voz alta...." pois é, se nunca ouviu está ouvindo agora...E, não, eu ainda não sei o que fazer, vou esperar o assassino atacar, quero ver do que ele é capaz de fazer, como escreveu nos bilhetes ele vai brincar, ou ao menos tentar brincar comigo antes de me matar, isso SE ele fizer isso...E, como você já sabe, ou, se não sabe deveria saber...Eu não jogo para perder, já está avisado, Nolan... - Eu apenas tirei o meu canivete da mesa, e vi que tinha deixado um belo buraco nela e fui embora, fria, como sempre.... -

Ao sair da casa do Nolan eu pensei em beber um pouco...Não tinha mesmo aula hoje, precisava pensar um pouco antes de pensar no que fazer...Com certeza essa noite eu cometeria um crime, o assassino x não pode ficar por muito tempo parado, principalmente não com o assassino misterioso agindo, não quero que o babaca pense que eu tenho medo dele, até mesmo porque eu não tenho medo de absolutamente nada....

Entrei no primeiro bar que eu vi pela frente, e me deparei com uma cena um tanto..Inusitada: Fox, beijando uma mulher, ali no meio do bar, que, por sinal estava vazio...Na verdade beijando é um termo pequeno para o que estavam fazendo, estavm se agarrando, de uma forma bem pesada....Eu realmente não estava nem aí para ele, até que eu me lembrei... Ele sabia que eu matava, e sabia o jeito que eu matava....E se fosse ele o assassino misterioso? Quer dizer, ele tinha motivos...Fui eu que terminei com ele, e ele poderia estar querendo se vingar...Na verdade, terminamos exatamente por isso, porque ele não concordava com o fato de eu ser uma assassina...E se ele fosse o assassino misterioso? Poderia ser uma forma de me fazer parar de matar, de um jeito ou de outro...Uma vingança e um jeito de conseguir o que quer, sim, ele era um bom suspeito para ser o assassino misterioso, mas, ainda não tinha certeza...Ninguém pode ter certeza de nada até ter provas...

É claro que eu não fiquei ali, encarando ele beijar aquela mulher, parada, pensando nas minhas teorias...Fui até o balcão e pedi uma garrafa de vodka, e me sentei em uma das mesas...Bem distante do Fox e daquela mulher, que por sinal eu não conhecia....Eu sabia que ele já tinha me visto...Ficou me encarando por um tempo, mas, a mulher não percebeu nada...Eu apenas fiquei ali, observando e pensando nas minhas teorias...Ele realmente poderia ser o assassino misterioso, ou, é isso que o assassino misterioso quer que eu pense...E, eu iria tirar essa história a limpo, de uma forma ou de outra...



Notas finais do capítulo

Reviews ou eu irei mostrar como eu, assim como a Alicia não jogo para perder? Quem brinca com fogo se queima...Queimá-los vivos seria bem divertido..
Mais uma coisinha, mortos-vivos...Eu quero teorias...Quem vocês acham que é o assassino misterioso?!
♥ Lady Suicide ♥



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "The Girl Of Cutting" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.