Foto de Red Handed
Red Handed nível 1
ID: 623316
Cadastro:
  • 24/08/2015

  • conta nova, mas estou aqui desde 23/12/2011 ;)

    Queria muito estar escrevendo, porém o terceiro ano não permite.

    Voltarei em breve...

    {twitter}

    Encontrei-me com a escrita no mais lindo dos acasos. Os primeiros encontros foram forçados e doloridos, com letras grandes que ocupavam as linhas dos meus antigos cadernos cor de rosa, os erros de português grotescos que ainda não consegui me livrar por completo e o medo de não ser boa o suficiente. Muitas vezes o desânimo me pegou e afastei-me por mais meses que gostaria. Esqueci o caminho de volta outras vezes, mas a escrita sempre foi meu refúgio em meio ao caos. Com ela eu encontrei uma mas minhas maiores amigas, rascunhei minhas primeiras personagens e tive controle das minhas próprias histórias.

    Com a escrita eu me apaixonei e hoje escrevo por amor, por necessidade, para reter a ansiedade e não explodir. Não posso, não consigo e nem quero reter nada, filtrar nada. Gosto de transformar bombas atômicas em fogos de artifício.

    Escrevo o que sou, o que sinto, o que sonho.

     

     

    Sim, eu sou e sempre serei a Red Hood. 

    Sim, eu mudei de conta.

    Por quê?

    Bem, eu ando com essa ideia já tem muito tempo, principalmente depois que eu escrevi "Like Scorpius Does" e outras histórias que haviam personagens homossexuais como principais, histórias que houvessem conteúdo sexual ou qualquer que contivessem qualquer outra coisa que poderia ser mal interpretada. O motivo é porque meu nome verdadeiro nome estava vinculado a antiga conta e qualquer um que me conhecesse poderia ter acesso a maioria das coisas que escrevo e eu não quero nem queria isso, pois as pessoas julgam.

    Quando passei a escrever o que me dava na cabeça senti uma sensação de liberdade tão grande que não quero reprimir isso nunca mais. E recentemente eu passei por uma situação muito complicada e triste com uma pessoa da minha família. Não teve nada a ver com algo que eu escrevi, mas sim com uma foto que eu postei.

    Era uma foto minha e de uma grande amiga, na praia com pôr-do-sol. Nós estávamos apenas abraçadas e a foto tinha uma legenda muito fofa com uma parte de uma música da Taylor Swift.

    Nada de mais, mas ela achou que era mais que isso, achou que tivesse direito de controlar o que eu posto, achou que mesmo não me seguindo na rede social estava tudo bem dar palpite sobre as minhas fotos, achou que era certo fazer minha mãe me obrigar a deletar a foto.

    Chorei muito, pois me senti péssima e violada. Odiei sentir na pele o que a maldade das pessoas causa, mas pelo menos isso provou como a pessoa nem me conhece de verdade, pois não conhecia uma das minhas melhores amigas.

    As pessoas ainda são extremamente preconceituosas.

    Contudo, e se eu fosse lésbica mesmo? E daí se eu fosse até bissexual? Ninguém tem nada a ver com isso, só eu mesma.

    Ah, e se eu não quiser me rotular assim eu também posso. As pessoas esquecem que tem coisas que você simplesmente sente e é normal não querer ou não saber explicar.

    Ninguém nunca vai sentir o que eu sinto. E, muitas vezes, eu sinto vontade de escrever sobre gays, lésbicas, héteros, sobre pessoas que vivem, que erram, que voltam atrás, e principalmente que amam.

    Fiz essa conta nova para me livrar de qualquer coisa que me impeça disso.

     

     

    To be taken with red hand in ancient times was to be caught in the act, like a murderer with his hands red with his victim's blood

     



    Red Rusty mudou seu nome para Red Handed15/11/2015