Foto de gaara do deserto
gaara do deserto nível 1
ID: 3517
Cadastro:
  • 26/12/2007

  • Para Família:

    Rezai, pois muito tempo eles não ficarão.

    Para Amigos:

    Protegei, pois eles se machucam muito fácil.

    Mãe, tia, prima e avó: Não esqueceis das conversas desconexas da escada.

    Pai: Ainda que se vá, ficará para sempre naquele pedaço de azulejo.

    Filha adotiva: Que a impaciência não te devore, eu estarei aqui para ajudar-te.

    Cachorro: Tua loucura me contamina e faz com que me mantenha sã.

    Papagaio: Nunca chegarei a te compreender. Mas não significa que eu tenha desistido.

    Irmãs: Os anos se passam, mas ainda posso ver os elefantes cor-de-rosa vagando por aquelas mesmas carteiras. Que época feliz, não?

    Para esses que me acompanham:

    Expressar animadamente o que sinto faz com que eu continue nessa empreitada. Eu continuaria assim de qualquer maneira.

    E enquanto estão aqui, transformando simples rabiscos de horas de aula perdidas em algo sério, me sinto completa. Se não alcanço determinadas expectativas ou não respondo quando me chamam, é porque simplesmente não tenho o que responder ou fazer. Nem por isso vocês deixam de ser importantes.

    Ainda que o contato seja minimo, me lembrarei de cada palavra.

    Pois nenhum ser humano vive sozinho.

    E ainda que só, a esperança da morte o acompanha em busca da razão.

     

    Por último:

    Joey: Por mais fútil que seja um sonho, terei forças para conseguir o minimo que seja. Para chegar aonde quero, mesmo que não me concedas o que preciso.

    Paul: Não te julgarei, não seria certo. Mas o que deixas aqui será respeitado por mim. Vá em paz, Paul Dedrick Gray, pai, irmão, marido, filho e um grande baixista para aqueles que deixaram-se contaminar pelo seu sonho. R.I.P 08.04.1972 - 24.05.2010.

    Metal: Gritas por mim quando não tenho voz. Me ampara com a raiva que fica presa no amago pantanoso. É o suficiente por agora.

     

    E a mim mesma:

    Desprezai o que é movido por ganância. O simples movimento do vento nas mãos me acalma.

    E não enxegarei mais nada.

     

    Muito prazer, Gaara do Deserto.