Comentários em As Quatro Conchas

Valdie Black

09/10/2017 às 17:46 • Capítulo único
Achei perfeita essa história, do começo ao fim. Qualquer comentário que eu fizer não vai ser suficiente pra descrevê-la.
Acho que vc deu tanta profundidade que mesmo se não tivesse ocorrido seria melhor do que o que ocorreu de fato. Eu senti muito tudo que o Lennon passou aqui. Talvez eu esteja associando com o documentário mas a impressão que dá é que os Beatles para ele foram uma aventura da juventude e ele não está mais naquele lugar agora, como quando não conseguimos mais brincar com os brinquedos que amávamos na infância.
Tbm senti a morte presente, no carro sim e na fantasma claro mas eram só representações do tormento dele. A sensação que ele tinha de ter encontrado um beco sem saída, de não saber mais do que fazer dali pra frente. Ou talvez eu esteja projetando.
Enfim, fantástica história. Adorei a surpresa.
=***


Resposta do Autor [André Tornado]: Oi Valdie!
Li ontem o teu comentário e acredita que devo ter ficado com o tableto aberto nas tuas palavras mais de vinte minutos, a ler e a reler. Tu é que foste perfeita - eu sou tão imperfeito e como estou a representar uma pessoa real, num evento real, numa situação real (fora os meus acrescentos) fico cheio de dúvidas e de inseguranças. Ser´q ue ficou bom? Não, não ficou e se o Lennon fosse vivo haveria de me odiar, vou ser processado pela Yoko - coisas deste género...
Mas dizes que ficou perfeito... Eu gostei de escrever este conto e no final também achei que gostaria que tivesse acontecido - porque o John, no fim, ficou mais apaziguado com todos os seus fantasmas - reais, imaginários, interiores e externos. Em algum ponto da nossa vida temos de nos apaziguar.
Gosto muito de ler sobre pessoas famosas, biografias e afins. Porque em determinado ponto da longa estrada daquela vida fantástica e invejável existem momentos de pura humanidade e absoluta fragilidade. Afinal, somos todos humanos, incluindos esses deuses que fabricamos por ausência dos "verdadeiros" deuses.
Fizeste muito bem em associar com o documentário, pois o processo do fim dos Beatles não tem uma explicação simples, tipo a culpa foi da Yoko. Teve que ver com o simples facto de serem quatro rapazes que tiveram de crescer muito rápido e por vezes o amadurecimento forçado causa disfunções e distúrbios, afasta-nos do que precisamos verdadeiramente e das pessoas que nos querem.
Sim, a morte esteve presente. A morte dos Beatles, a morte do "primeiro" John Lennon, a morte da inocência, a morte como representação de um fim que dá espaço a outro início. A mulher misteriosa que o atormentava e que só ele via, um fantasma talvez... Uma projeção da sua mente. Não direi quem ou o quê ela é, decidam por vocês.
Amiga, nem sempre os nosso dias são felizes e na maior parte das vezes não o são. Mas uma mão amiga pode vir de onde menos esperamos - até de um conto, de palavras, de uma homenagem torpe a um grande homem escrita em forma de fanfic. Guarda estes tesouros e que o teu coração sorria, mesmo que os teus lábios não o façam.
Beijo!


Coppola

09/10/2017 às 22:23 • Capítulo único
Nasci em 99, não consegui ver o trabalho de John em vida, mas eu adoro a fase 64 a 66, principalmente no primeiro filme dos Beatles. Linda homenagem!!!!!!!
 
I AM THE WALRUSSSSSSSSS


Resposta do Autor [André Tornado]: Oi!
Nem eu consegui acompanhar o trabalho de John, mas essa é a maravilha. 
Ele ainda consegue tocar em nós, com tudo o que de bonito produziu, especialmente na música, maravilhosas imagens, polémicas e deliciosas entrevistas.
Depende da minha disposição, consigo gostar de todas as fases de John - até a de um John caseiro, a cuidar do filho em casa enquanto a Yoko saía para trabalhar. 
É um grande artista que o mundo inteiro sente falta e os fãs especialmente.
Muito obrigado pelo comentário.
Beijo!