Comentários em Na Minha Vida

Valdie Black

07/12/2017 às 14:25 • A festa
Ah, eu tive pena do Ringo nesse capítulo. Na verdade estou tendo uma pena dele desde o começo da história porque acho que ele é o que mais sofre. OK, John é o órfão mas ele tem o Paul e vice versa. Ringo é bem solitário e não deve ter encontrado outra saída pra ele por isso acabou virando "ladrão" (entre aspas pq ele era um ladrão muito atrapalhado)
Só a Valdie pra achar tristeza num capítulo chamado "A Festa".
John é o mais engraçado, eu teria escolhido ele porque não acho nenhum dos Beatles bonitos necessariamente então teria que ir com a personalidade. Quer dizer, depende do ator que está interpretando o George...
Eu entendo, o final de ano é sempre essa correria. Por isso não tenho atualizado meu crossover.
=***


Resposta do Autor [André Tornado]: Oi Valdie!
O George é o George - sem atores.
Vamos imaginar que conseguimos agarrar nos Beatles e transportá-los para esta doideira de unierso alternativo. Mas percebi o que quiseste dizer, claro...
Ver as entrelinhas dos brilhos é um dom e não te deves acanhar ao confessá-lo. Acho muito bonito que vejas que acima da superfície brilhante possa existir um mar cheio de novelos mais escuros e menos cintilantes.
Sim, tens razão. O Ringo é mesmo um pobre coitado, um palhaço triste que faz rir os outros enquanto por dentro chora. Sempre me condoí por essa figura do palhaço de cara pintada e sorridente que esconde o que o seu coração grita.
No entanto repara que o Ringo está acompanhado, pela primeira vez, em muito tempo. Está inserido num grupo formado à força, mas que são os seus melhores amigos. Neste ponto já não há mesmo volta a dar.
No final do ano existem as festas e afasto-me necessariamente daqui, porque fico sem a rotina que me faz ser mais "certinho". Mas não vou estar totalmente longe, tu sabes disso.
Beijo!


Coppola

07/12/2017 às 18:21 • A festa
O que mais gostou no capítulo?
George Harrison

Aaaaa mas eu achei q Paul seria O escolhido da mulher, ou talvez John, mas John se deu bem com a Conchita (esse nome é diferente e lindo). Ringo, Ringo, ligando pra Maureen, foi engraçado porque geralmente as pessoas fazem isso quando estão bêbadas, entretanto.... Ele estava sóbrio e parece fazer isso com frequência kkkkkkk. Não existe melhor ser humano que meu favorito Ringo ligando pra deixar a ex mulher "feliz" kkkk. Foi demais!!!!! 
É legal pensar que eles ainda estão em fuga, mesmo depois de terem sofrido perigo na ilha e de terem ficado jogados no mar, porque eles estão em férias e se divertindo. Já sinto aquela vibe de irmandade deles, que já pensam nas mesmas coisas sem se comunicarem, em festas juntos e quando precisam falar sério eles falam também. 
Parabéns pra George Harrison, todo atrapalhadinho com a mulher mais velha e agora deve estar se divertindo com a mesma. 
É um dos meus capítulos favoritos até agoraaaa!!!!!


Resposta do Autor [André Tornado]: Oi!
O Paul não pode ganhar todas e como o George se mostrou tão impressionado, a Paloma detetou todo esse calor no mais novo e não perdeu a conquista.
O John ficou com a Conchita, Paul e Ringo com a irmã e a amiga da Conchita. Tudo muito bem destruído - os rapazes da aldeia é que não gostaram muito serem trocados pelos estrangeiros. Mas eles estão num lugar acolhedor e é uma festa.
O Ringo tem daqueles momentos impensáveis e extraordinários. Ligar periodicamente para a ex-mulher é um deles, o que torna o baterista adorável á medida que vamos descobrindo os seus segredos. Ele é irresistível!
Isso mesmo, já existe aquela vibe da irmandade deles, eles começam a entender-se.
E a fuga continua.
Beijo!!


Valdie Black

04/01/2018 às 14:24 • Estrada e liberdade
"Não sei escrever", disse o músico! (sei que era só uma desculpa pra não entrar em contato com ela depois, não se preocupe)
As conversas deles são bem idiotas, mas finalmente perceberam que podiam ser uma banda.
Posso fazer um elogio que não vai soar como elogio? Em alguns capítulos nada de muito extraordinário acontece mas ainda assim você consegue escrever tanto. Sei que parece fácil pra vc, mas não é.
 
Não faço ideia do que o Paul possa ter visto rsrsrs alguma referência que eu não vou entender, talvez.
=***


Resposta do Autor [André Tornado]: Oi Valdie!
Desculpa esfarrapada, realmente, mas o ato de escrever não é transversal a vários meios, feliz ou infelizmente. Quem escreve muito bem poesia talvez não consiga escrever um romance, quem escreve romances não consegue escrever relatórios de situação e quem escreve letras de canções pode atrapalhar-se a escrever uma carta a uma pessoa que mal conhece - porque a noite que passaram não confere automaticamente um estatuto de intimidade.
As conversas deles são aquelas conversas "de meninos" que mal acabaram de se conhecer...
Não, não é mesmo nada fácil e quando estipulo um objetivo parece que ainda fica mais difícil - do tipo, neste capítulo vai acontecer isto. Mas neste capítulo até tive de parar de escrever pois estava a sair-me bastante bem. Foi um dos capítulos que escrevi no aeroporto e deve ter sido o ambiente heterogéneo ao meu redor que me inspirou, acho.
O que o Paul encontrou é algo bastante simples, mas estou a gostar das teorias...
Obrigado por estares sempre aqui, mesmo que não nos tenhamos visto (aqui) desde o ano passado.
Beijo!


Coppola

05/01/2018 às 12:22 • Estrada e liberdade
Muito bom ver que a história voltou novamente! Estava já vagando pelo site lendo e relendo várias histórias iguais kk, com os mesmos assuntos e sempre com aquele mesmo clichê que todo mundo usa. Faz sucesso, mas me deixa entediada. Preciso falar que é até um alívio ver que essa história voltou, porque ela é muito sobre a aventura de uma das melhores bandas do mundo, e na atualidade. John é muito bad boy, tenho q admitir que se eu ficasse no lugar da Conchita eu iria achar ele ainda mais atraente. O Paul é sempre muito certinho e muito amoroso com as garotas. Ele vai se encontrar novamente com a Margaret? O Ringo é meu favorito, acho que eu ficaria muito triste de ver ele indo embora, mas curtição é curtição e precisamos de vez em quando ahaha. 
É muito bom ver eles cantando e vendo que podem formar uma banda. Serão pra sempre os melhores do mundo e a música dos Beatles continua a ser muito diferente e única. Nos dias de hoje chamariam muita atenção se tivessem sido lançadas agora.
Beijos, e feliz ano Novo! 


Resposta do Autor [André Tornado]: Oi!
Um bom ano novo!
E nada melhor do que começar o ano com histórias (antigas e boas) que são  uma boa recordação do ano velho. Eu disse que regressava em janeiro e cá estou - para continuar até ao fim desta história e sem interrupções programadas. Ainda vamos ter mais peripécias para partilhar com os rapazes.
O John é muito cativante com aquele jeito muito próprio, mas o coração dele é de muito difícil conquista. O Paul foi fiel a si próprio, com toda a tenção para com as meninas, mas o Ringo... o Ringo consegue ser ainda mais especial. O George estava na dele, como só o George sabe estar.
Se o Paul irá reencontra a Margaret? Veremos. Eles estão a caminho da cidade dela, isso é facto.
Também concordo - mesmo hoje os Beatles fariam um sucesso enorme e cilindravam a concorrência.
Sê bem-vinda de volta à história.
Beijo!!


Valdie Black

11/01/2018 às 14:23 • Famosos
Acredite se quiser mas eu cheguei a pensar que era maconha. Na verdade, eu pensei mesmo no LSD mas então lembrei que já está fora de moda. Gostei da resposta do Paul quando o jornalista perguntou se ele não se preocupava em ser uma má influência para os jovens e ele disse que a responsabilidade era do jornalista porque poderia não publicar aquilo se achava tão perigoso. Tbm odeio essa imprensa sensacionalista.
Tem tanta coisa que pode dar errado nessa viagem de carro que eu nem sei por onde começar. Eu acho que estar cheio de drogas e ter cartazes de fugitivos espalhados por aí não é uma boa combinação.
Achei engraçado quando o Paul comparou o nome da droga com o da ex (Mary Jane) e tbm fiquei surpresa pq não sabia que o primeiro nome dele era James...
=***


Resposta do Autor [André Tornado]: Oi Valdie!
Claro que acredito - era tão evidente que fosse maconha.
Só usei esse termo, que não se usa aqui, porque vocês conhecem a marijuana dessa maneira. Para que ficasse bem explícito que era mesmo erva para fumar. Sim, LSD era até estranho já que o John ia a conduzir... Eles teriam de fazer uma paragem e fazer uma dança qualquer índia ao estilo dos Doors...
Essa resposta do Paul é espetacular. Ora bem, ora pois, de quem é a responsabilidade de publicitar as coisas? Ainda hoje e hoje mais do que nunca essa responsabilidade parece arredada das preocupações correntes de quem fornece as notícias.
Mary Jane dá Maria Joana, marijuana - é outro dos nomes da coisa. Bem, a namorada do Paul (ou a ex desta história) era só Jane e sim, o nome dele é James Paul, James do pai, mas ele não o usa muito.
Esta viagem não é uma viagem pacífica. De vez em quando temos de nos lembrar que eles são bandidos procurados e que só estão juntos por causa do saco do dinheiro que o Ringo guarda.
Beijo!


Coppola

12/01/2018 às 11:57 • Famosos
Essa é mesmo a melhor história que eu estou lendo atualmente. Os Beatles são perfeitos e as aventuras deles estão sendo tão divertidas que a gente tem vontade de viver com eles. Sabe, né? Ajudar o Ringo a roubar um banco, fugir para lugares malucos, mas, acima de tudo, ficar com os amigos sempre. 
O Paul falou mesmo publicamente sobre o uso de drogas e deu um verdadeiro tapa na cara da mídia, que era a verdadeira culpada por espalhar todo o tipo de notícia sobre aquele assunto, quando existiam tantos jovens que seguiam os Beatles e todas as ações deles. Mas, pra mim, quem mais fala com paixão sobre as drogas, principalmente sobre  LSD, é o George ahaha. Os olhos dele chegam a brilhar!!!!
A maconha deu um ar super animado pra viagem que eles estavam fazendo. Eu estava ouvindo What is Life do Harrison enquanto lia e ela deixou as coisas ainda mais animadas kkkkk. Agora o que me resta é esperar e torcer para que a polícia não pegue eles. O que eles fizeram foi errado, mas eles são pessoas tão boas e engraçadas. 
P.s: Ringo chamando o nome da ex mulher dele, É TÃO A CARA DELE FAZER ISSO!!!!!! 
Beijossssss. 


Resposta do Autor [André Tornado]: Oi!
Obrigado! É muito bom ler isso dos nossos leitores, ter esse retorno e saber que conseguimos chegar tão longe com as nossas palavras.
Esta é uma aventura que todos nós, fãs e admiradores dos Beatles, gostaríamos de ter. Até eu não me importava de andar a fugir da polícia se era para estar na companhia dos rapazes, também. Fazer uma viagem cheia de acontecimentos, cheia de surpresas, de coisas boas e de outras coisas menos boas.
Verdade, o Paul foi aquele que falou em drogas numa entrevista pública e deu uma excelente réplica ao jornalista cínico que o estava a entrevistar. Naquela época era usual provocar qualquer um dos Beatles, até chegar à irritação para se criar polémicas ou escândalos. Eles queixam-se muito desse acossamento.
O George teve várias revelações com as drogas, deve ter chegado ao sublime e ao divino, daí ele gostar bastante do tema. Mente expandida e coisas dessas.
Eles sabem que assaltar um banco é um gesto muito condenável, mas estavam todos debaixo de uma grande pressão, o Ringo estava armado e a comandar a cena. Agora que já se passou muito tempo e eles passaram por muita coisa juntos, querem é conseguir safar-se da situação e a única solução é, por enquanto, continuar a fugir.
O Ringo fala com a Maureen ao telefone, o Ringo sonha com a Maureen. Acho que é muito típico dele, também.
Obrigado pelo comentário.
Beijo!


Coppola

18/01/2018 às 10:08 • Uma nova cidade
O que mais gostou no capítulo?
George

Começando minha quinta bem lendo essa história!!!!! 
Acho que mais do que nunca, agora que descobriram que são procurados pela polícia, os meninos precisam ficar calmos ou eles vão enlouquecer. Foi ótimo ver como o John usou as coisas que eles tinham, que eram poucas, pra resolver essa situação sem se deixar levar pelo sentimento de que algum policial vai encontrar eles. O George estava tão legal de se ler nesse capítulo, assim como o Ringo, e John, e Paul. E todos, como sempre. Paul cantando músicas que sempre acabam consolando e divertindo os outros. Espero que agora que eles chegaram na cidade da Margaret ela ajude eles.
Eles vão ligar para a família deles novamente? 
Aposto que agora na cidade nova as coisas vão ser mais fáceis. 
Capítulo ótimo, como sempreeee. Ansiosa pelo próximo!!!!  


Resposta do Autor [André Tornado]: Oi!
O John, mais uma vez, mostrou que é o líder que encaminha o grupo. Que os motiva quando é preciso motivar, que os acalma quando é preciso acalmar. 
Por enquanto não têm nenhum carro da polícia na sua cola, pelo que podem prosseguir com os seus planos. Devem ter cuidado, mas não podem ser paranoicos em relação a isso.
E o George foi o teu favorito! Gosto da atitude dele sempre mais desligada, mais afastada, mais quieta mas ainda assim a fazer contribuições inestimáveis para o grupo.
O Paul é o rei das canções melodiosas e acaba sempre por, depois de ser um chato, de os animar e de os inspirar.
E acaba de encontrar a Margaret. Uma grande surpresa! Pois julgavam-na no barco de pesca com o pai.
Veremos o que vai acontecer a seguir. Estão numa nova cidade e cheios de sonhos que envolvem a música e o rock 'n roll.
Obrigado pelo comentário.
Beijo!!


Valdie Black

18/01/2018 às 13:50 • Uma nova cidade
John nunca leva nada a sério, então não sei porque ele faria exceção agora.
Ainda estou esperando algo dar errado, desculpe minha maldade. Não é possível, gente, alguém tem que suspeitar deles pelo menos.
Margaret é aquela do barco? Ela se engraçou pelo Paul, não foi?
=***


Resposta do Autor [André Tornado]: Oi Valdie!
O John estava muito mal no início da história, portanto, na sua ótica, tudo o que tem acontecido é bem melhor do que ter voltado a casa, sem dinheiro para comer e sem um emprego.
Um dia a sorte acaba, isso é um facto da vida.
Essa tua curiosidade vai te levando pela história fora...
Sim, a Margaret é aquela do barco que engraçou com o Paul. Eles foram para a cidade dela e foi nesse lugar que acabaram de chegar.
Beijo!


Coppola

25/01/2018 às 13:25 • Amiga
Estava com saudades da Margaret, ela parecia uma menina tão doce e receptiva quando os meninos estavam no barco. Talvez, por ter visto pouca coisa sobre ela, eu ainda não tenha nada contra. Ela é legal, divertida e está disposta a deixar os meninos ficarem na casa dela. John pode estar certo, e tem algo errado com a garota, ou ele pode estar sentindo ciúmes da atenção que ela dá pro amigo McCartney. 
O Paul é sempre tão carinhoso e ele dá um basta nas travessuras que o John pensa em fazer, ou que faz. Ele está sempre lá pra garantir que o jeito sarcástico e engraçadinho do Johnny não atrapalhe na viagem dos meninos. Na vida real o Paul tb era a pessoa que colocava os pés de Lennon no chão, enquanto a cabeça dele voava em ideias e ideias. É a combinação perfeita de uma amizade!!!! 
Ringo e George são sempre tão amigáveis. O George com seu jeitinho mais tímido e ao mesmo tempo é legal e conversa bem com os amigos, tirando aquele clima entre John e Margaret. O Ringo é perfeito. Amo ele na vida real e amo ainda mais nessa Fanfic. Coitado, ainda não tem uma bateria própria pra tocar de vez em quando, mas ele sempre faz o ritmo com o que pode. 


Resposta do Autor [André Tornado]: Oi!
É isso mesmo, podem ser duas coisas - ou o John está certo e alguma coisa não está a contento, ou o John está errado e apenas movidos por ciúmes. A sua animosidade vai continuar no capítulo seguinte e o Paul também vai continuar a pôr água na fervura, para acalmar os instintos mais acintosos do amigo John.
Sem dúvida, o Paul é o contrapeso do John, a sua amizade baseia-se nas suas diferenças e na forma como juntos são infinitamente mais fortes e completos.
O George está na dele, sem ligar muito para os aparentes problemas de John com a Margaret, e o Ringo observa o jogo de forças e tenta ser um intermediário que contrabalança as personalidades fortes do grupo. Uma bateria não é um instrumento muito portátil, mas o Ringo não perde uma ocasião para impor o seu ritmo, de fazer soar a sua cadência que envolve tão bem a melodia dos Beatles ou qualquer canção rock.
Muito obrigado pelo comentário.
Beijo!


Valdie Black

25/01/2018 às 14:41 • Amiga
Sinceramente? John é só chato mesmo rsrsrs ele é desses que acha que tudo tem que ser do jeito dele, gente assim é muito chata. Veja só, ele não gosta de mulheres no grupo mas quando foi a vez da Yoko não viu problema algum.
Mas pelo jeito a Margaret mentiu sobre esse "assunto urgente". Tbm não posso dizer que acredito nela por causa da forma que você a descreveu falando.
=***


Resposta do Autor [André Tornado]: Oi Valdie!
Uma mulher no meio do grupo recentemente formado é demais para o Lennon que vê na presença feminina uma distração e uma ameaça ao seu estatuto de líder. Em relação a Yoko representou outra fase da vida do John, quando os Beatles já se estavam a desagregar e quando o próprio John já estava cansado de ser um Beatle - tudo começou com a tal crise em 1966 de que escrevi na histórias "As Quatro Conchas". Por isso, a Yoko não foi intrusiva, na noção de John. O grupo já não o interessava e ele queria mesmo ter outro amparo e encontrou-o nela.
Veremos se a Margaret foi sincera, se o John estava a ser implicativo ou se o seu pressentimento tem uma razão de ser.
Beijo!


Valdie Black

01/02/2018 às 14:34 • Atraiçoados
John foi mesmo um chato, ele é muito irritante às vezes. É o lado ruim de ter de conviver com ele. Imagino.
Sei que não estava vendo HIMYM porque nesse sitcom não havia tantas risadas da audiência sempre que uma piada aparecia. Foi um sitcom bem diferentão.
Ah, graças a Deus pela Margaret. Já estava cansada desses quatro se livrando da polícia com facilidade. Agora a chata sou eu.
=***


Resposta do Autor [André Tornado]: Oi Valdie!
O John é intratável, um génio desajustado, não era em vão que estava sozinho no início desta história, até estava afastado do seu amigo Paul. Ele não é uma pessoa fácil, acho que não era nada fácil na vida real e aqui quis expor esse lado chato, pois os protagonistas não podem ser perfeitos, perfeitinhos ao ponto de os vermos como pessoas falsas, na noção de não serem pessoas verdadeiras por detrás dos personagens.
E as coisas correram mal. Claro que haveriam de correr mal alguma vez, não é verdade? E a Margaret resolveu ser esse agente de mudança...
Não és nada chata. Se tudo corresse bem, não tinha graça.
Beijo!


Coppola

01/02/2018 às 17:52 • Atraiçoados
Eu quase nem acreditei. Que traíra, então quer dizer que o John estava certo? Quer dizer que ele sempre soube que a Margaret iria denunciar eles. Eu realmente achei que ele estava sendo bobo, que estava sentindo ciúmes do Paul, porque o Paul é o melhor amigo dele e tal... Mas a desconfiança dele era válida. Era provável tbm, lendo o capitulo anterior: Ou ele estava certo, ou estava sendo besta! 
George e Ringo ficaram sozinhos com aquela menina. Será que se John estivesse na casa ele iria notar o que ela estava fazendo? 
 


Resposta do Autor [André Tornado]: Oi!
Uma pequena reviravolta no destino dos rapazes - estava tudo a correr demasiado bem, mas algum dia haveria de correr mal. E foi neste dia! A Margaret acabou por traí-los.
O John não sabia ou teria ido embora e levado os amigos com ele. Ele apenas desconfiou da Margaret, havia algum detalhe que ele não percebia e que o estava a incomodar... Sem dúvida! Se ele tivesse ficado em casa, teria percebido e ido, no mínimo, encostar o ouvido à porta para ouvir o telefonema que ela fez à polícia. 
No próximo capítulo veremos um John mais natural, pois está só com o amigo Paul, e então ele não vai precisar de colocar a sua máscara e vai ser sincero, saberemos o que andou ele a pensar e a razão das suas atitudes. Ele vai tentar explicar-se.
Mas entretanto a polícia já foi avisada.
Obrigado pelo comentário.
Beijo!


Valdie Black

08/02/2018 às 14:24 • Adrenalina
Se John não fosse tão chato talvez as pessoas acreditassem mais nas suspeitas dele. Estou criticando muito esse beatle, não é? rsrsrs
Imaginei eles correndo da polícia como correm das fãs nos filmes haha não sei como eles vão sair dessa, mas eles fugiram até de canibais e tubarões. Apesar do medo é um aventura e eles estão em grupo. É divertido.
 
Eu quero ver eles correndo.
=***


Resposta do Autor [André Tornado]: Oi Valdie!
Estás a criticar demasiado o John Lennon, noto uma certa admiração...
Essa imagem é perfeita: os Beatles a correr feito loucos como no filme A Hard Day's Night. Só que em vez de serem das fãs, ser da polícia...
Lembrei-me que querias que as coisas dessem mal para os lados dos rapazes, mas ainda não foi (completamente) desta. Pensei em ti e em como devo ter-te desiludido porque eles não foram apanhados. Continuam a fugir.
Existe medo, existe uma coisa muito má que eles fizeram, mas continuam a ver-se como bons rapazes - percebeste que a moral desta história não é muito linear? E eles são bom rapazes, não são? Eras capaz de condená-los?
Eles vão correr muito - para a semana.
Beijo!


Coppola

09/02/2018 às 00:00 • Adrenalina
Gostei de ver o Paul achando, de primeira, que o John estava apenas com ciúmes. Porque eu achei isso também. Agora eu sei que Margaret realmente traiu os meninos. Acho a pior traição mesmo foi ela ter ajudado eles no barco, ter salvado a vida deles e ter conhecido cada um deles e visto que eram bons rapazes, divertidos, gentis e pessoas simples. ]
Como ela podia olhar para a cara do Paul, depois de ter tido um "romance" com ele e só por dinheiro denunciar eles a polícia? O John tudo bem, ele estava tratando ela mal na lanchonete. Mas e quanto a Ringo e George, como alguém pode trair aqueles dois só por dinheiro? 
Agora eu continuo esperando que os meninos se safem dessa, mais uma vez, porque não quero ver eles presos ou coisa parecida. Seria algum tipo de Orange is the New Black com os Beatles? Espero que eles realmente corram e muito. 
Amo essa história! 


Resposta do Autor [André Tornado]: Oi!
Pareciam mesmo ciúmes e o Paul, conhecendo a sua fama junto do elemento feminino, mesmo que todos os rapazes tenham tido as suas namoradas na aldeia de Viejos, tem tendência para fazer essa análise, mas o John foi tão sincero e eles são tão amigos que ele começou a perceber as desconfianças de John. Que, à saída do supermercado, se materializaram. A polícia chegou!
Podemos imaginar quais as razões da Margaret, mas o facto é que ela é uma traidora depois de ter convivido com os rapazes, depois de os ter salvado do mar. Talvez ela se sinta desiludida, enganada, zangada por eles serem assaltantes de bancos. Ela não conhece nada sobre eles, não sabe se o assalto foi ocasião única ou não, deve ter considerado que eram engraçados mas que só a estavam a distraí-la. Não imagina se serão perigosos ou não e o pai ela deve ter tido um papel importante nessa decisão.
O mais importante, porém, é que os Beatles são os protagonistas desta história e nós, leitores (e criador) sabemos as circunstâncias do assalto - e nunca veremos a razão do lado da Margaret. Ótimo! A intenção era mesmo essa. A empatia é com os Beatles, não com o resto do mundo.
Verdade, como é que alguém pode trair o George e o Ringo? Aqueles doces?
E serão eles presos? No próximo capítulo eles vão ter de dar uso ás pernas...
Muito obrigado pelo comentário.
Beijo!


Valdie Black

15/02/2018 às 14:12 • Corre, corre, corre, corre!
Aqui se chama "Os Reis do Iê Iê Iê".
Ah, eu gostei muito dessa correria com o John Wayne no background! Melhor cena da fanfic até agora. Falo cena porque foi muito coisa de filme.
Aliás, esse capítulo todo foi ótimo. Acho que gostamos deles porque não são criminosos comuns mas bem atrapalhados, além disso são os Beatles rsrsrs
Então a banda vai começar agora e vai fazer muito sucesso! Eu tive uma ideia de uma coisa pra acontecer nesse palco mas foi muito venenoso da minha parte e não vou dizer haha.
=***


Resposta do Autor [André Tornado]: Oi Valdie!
Foi um daqueles capítulos que tive de me esforçar para escrever... Porque é gente a correr, no fundo. E pronto, isso faz-se numa frase. Eles correm porque estão a ser perseguidos.
OK, título do filme sabido nos dois tipos de português.
O John Wayne estava lá para os mais perspicazes - e olha quem descobriu? A Valdie! Muito bem!
E por que razão gostamos deles? Afinal eles fizeram uma coisa muito censurável, roubaram um banco, mas acabamos por nos afeiçoar à sua falta de sorte porque a história está a ser contada por eles. E são os Beatles! 
Gosto de ver essas reações dos leitores (como quando gostavam do soldado Frint que era um soldado imperial!), mas cá para nós, eu também defendo os Beatles nesta história. E em todas as histórias!
Eles poderão tocar... Estão num palco e são músicos, estão a ser perseguidos e precisam de um esconderijo. O mais natural será aproveitarem a oportunidade.
Ah, que coisa venenosa foi essa? Quero saber.
Beijo!