My Life with The Potters

Autor(es): Eponine


Sinopse

Quando os pais de Anastasia Dursley morrem, ela não faz ideia do que vai acontecer com ela.

Após o enterro, ela descobre que sua guarda foi dada aos Potter, o que vira sua vida de cabeça para baixo: Ela vai morar com a parte estranha de sua família, na qual ela apenas se recorda de Natais desconfortáveis e constrangedores.

Mas além de se mudar para uma casa diferente, Anastasia será apresentada para um novo mundo que jamais ouvira falar.



Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=5RirJiCMoW4



Notas da história
- Harry Potter e seus personagens não me pertencem, todos os direitos são da J.K Rowling e Warner Bros. Apenas Anastasia ♥.

— Capa com a atriz Kristen Stewart.

— JK Rowling: "Harry e Duda ainda se encontram, ao menos o suficiente para trocar cartões de Natal. A visita é mais como um dever, ambos se sentam em silêncio para que seus filhos se encontrem”

— A fanfic é uma espécie de diário de Anastasia.

— Personagens:

Adolescentes: http://1.bp.blogspot.com/-Ve_SLV5rwpc/VnsyH-B7qBI/AAAAAAAABRM/Y4_6GU6zXFA/s1600/my%2Blife%2Bwith.jpg
Adultos: http://2.bp.blogspot.com/-CSEuI3V_D64/VnsyLCEJPBI/AAAAAAAABRU/oJrEXwlo_vM/s1600/Sans%2Btitre%2B3.jpg
Shoreline: http://3.bp.blogspot.com/-71_vQMyesWY/Vpa2k6wQSyI/AAAAAAAABRw/Pj2cSpM_YJE/s1600/profs.jpg

—Trailer:

https://www.youtube.com/watch?v=5RirJiCMoW4



(Cap. 14) Capítulo 14

Bem, de volta a Shoreline, muita coisa aconteceu nesses últimos dois dias.

Eu acabei ligando para minha tia Carol, e ela disse que estava disposta a me receber, mas ela não podia fazer isso sem permissão do juiz, já que minha guarda pertence aos Potter. Eu estava pronta para conversar com o tio Harry depois do ano novo, mas uma conversa com o Ted mudou totalmente minha cabeça.

Na noite de Réveillon nós todos fomos para a casa dos Weasley, o clima estava muito pesado, muito denso, parecia que se eu riscasse o um fósforo a casa ia pelos ares. Consegui conversar com Dominique no banheiro e ela me contou tudo que tinha acontecido, que os pais dela estavam decepcionados, mas iam ajuda-la e tudo mais... E o tal de Julian e ela teriam que assumir aquilo.

Eu: Mas você não queria abortar?

Dominique: Eu estava com medo, Ana.

Fiquei com raiva dela, não sei porque. Acho que me senti contrariada. Eu nunca me senti tão deslocada como naquela noite, parecia que todos ali me odiavam e me culpavam pelo acontecido. O relógio se arrastava e eu sentia que ia sufocar de tanta culpa e desconforto, acho que foi a pior noite da minha vida. Tudo que Mike havia me ensinado a controlar parecia deslizar pelas minhas mãos. Minha respiração estava desregulada, eu sentia uma paranoia quase densa, uma vontade latente de chorar...

Eu estava tão triste quando o ano virou que eu praticamente mergulhei dentro de mim mesma. Lembrei da minha mãe... Ela sempre ficava o primeiro minuto do novo ano em silêncio, de olhos fechados, ela dizia que era para se conectar a si mesma. Tentei fazer o mesmo. Me senti horrível e sozinha, então fui para o banheiro chorar.

Na virada do ano eu fui abraçada por todos, mas minha mente estava tão perturbada que eu simplesmente não conseguia sentir afeto, na verdade eu sentia que todos estavam fazendo aquilo por obrigação. Tudo de ruim que podia vir na minha mente, veio. O acidente, o enterro, os primeiros dias na casa dos Potter, ter ficado internada, tia Ginny com Alzheimer, Lorcan e Brooke... Eu entrei muda e sai calada de 2020. Quando chegamos em casa eu fui para o quarto arrumar minhas malas, eu ia falar com tio Harry de manhã, depois que todos descansassem da festa, mas Ted abriu minha porta e tivemos esse diálogo:

Ted: Vai me doar sua cama? Não precisa arrumar suas malas para isso.

Eu: ...

Ted: Desculpa ter aberto a porta assim, é que eu achei seu chinelo na sala, achei que você precisaria. Eu tenho mania de abrir portas sem bater, me desculpa.

Eu: Tudo bem.

Ted: Então, para que são essas malas? Você levou a sério quando eu disse que deveria devolver meu quarto? Eu estava zoando.

Eu: Não... Eu... Eu vou embora.

Ted: Uau, agora? Era sua primeira meta de 2021? Você é boa nisso.

Eu: ...

Ted: Desculpa por essas piadas infames, eu sou um palhaço. Literalmente. Posso entrar?

Eu: Claro.

Ted: Trabalhar em um circo da mais trabalho do que você pensa... Então, para onde vai?

Eu: Vou morar com minha tia Carol.

Ted: Ahhh sim, claro. Por que?

Eu: Bem... Eu...

(Meu cérebro não estava funcionando direito, eu nem estava conseguindo lembrar meu próprio nome).

Ted: Posso te contar uma coisa?

(Ele sentou na minha cama, tão a vontade, eu queria ser tão autêntica como ele)

Ted: Eu odiava esse quarto. Aquela mancha ali no carpete é de uma poção mal feita, me perdoe por ela... Enfim! Ele é maior que o de Albus, e menor que o de Lily. Ele dá uma visão ruim para o jardim e eu consigo ouvir o ronco de James, tenho certeza que você sofre disso. Mas... Eu tive que viver aqui por três anos depois que minha avó morreu. Se o Ted de dez anos atrás soubesse que um dia ele conseguiria considerar esse lugar sua própria casa...

Ele me olhou no fundo dos olhos e eu consigo lembrar da boca dele se mexendo para pronunciar cada palavra.

Ted: Eu também me sentia a visita chata. Eu sei que é chato, eu sei que é terrível, mas vai passar. Não quero comparar minha avó a seus pais... Ou talvez eu queira, porque ela era minha mãe e meu pai ao mesmo tempo. Mas eu também fiquei sozinho no mundo, e tio Harry se sentia pior do que eu. E agora ele está passando por isso de novo.

Então eu comecei a chorar.

Ted: Ei, não é sua culpa. Ana... Você não é mais a visita, sinto te dizer. Você agora faz parte disso. Você tem que sentir a mesma culpa que James sente quando ele faz algo errado e magoa os pais... Dominique é doida, não é sua culpa ter se envolvido nisso, você fez o que qualquer melhor amiga faria.

Eu: Mas... Ela estava desesperada para abortar e agora... Parece que eu a forcei. Parece que eu que queria que ela abortasse.

Ted: Olha, uma vez, no último ano... Eu e Victoire juramos nunca contar isso para ninguém, mas acho que você precisa disso. Bem, nós éramos típicos adolescentes irresponsáveis e Victoire acabou ficando grávida. Mas ela abortou na quarta semana, e foi uma decisão totalmente dela, eu nem tive voz nisso... Você acha que Dominique não teria feito se não quisesse?

Eu: ...

Ted: A resposta é sim. Ela estava confusa e sozinha, precisava de uma amiga... E você é amiga dela.

Ficamos um tempo em silêncio até ele se levantar sorrir.

Ted: Bem, eu não vou te impedir de nada, só falei o que eu achava, sempre dou opinião onde não fui chamado... Você até pode ir para a casa de sua tia Carol, mas eu duvido que a louça se lave sozinha lá, ou seja, você vai ter que lavar.

Acabei rindo, ele é um doce.

Ted: Boa noite, Dursley!

Ele foi a única pessoa desde cheguei nesse lugar que me chamou de Dursley, e não de Potter ou qualquer derivado que lembrasse a família Potter e Weasley. Não sei se ele usou alguma magia, mas eu fiquei a primeira noite de 2021 inteira refletindo sobre tudo, Dominique, meus tios, meus pais, eu mesma...

Estou cansada disso tudo.

...

 Continuando...

Eu fiquei o dia primeiro analisando tudo ao meu redor. Quando eu cheguei a casa dos Potter, o café sempre estava pronto antes de eu acordar, eu fiquei uns bons meses sem ver tio Harry de pijama e tia Ginny parecia acordar sempre feliz e saltitante. James me resmungava um bom dia. Albus sempre puxava assunto, como se eu fosse uma colega que ele estava tentando deixar a vontade perto de seus velhos amigos. Lily sempre falava comigo em um tom extremamente formal, como se eu fosse uma funcionária pública surtada. Ela sempre estava de meias. Albus se trancava no banheiro em momentos avulsos do dia e a única pessoa que eu detestava as manias naquela casa era James.

Porque ninguém havia mostrado suas manias ainda.

Acho que agora eu entendo porque detestei James no começo... Ele foi o único que realmente me tratou como uma parente, e não uma visita. Ele continuou comendo de boca aberta, coçando o saco de cinco em cinco segundos e deixando a porta aberta escancarada quando ele ia fazer uma “mijada monstro”.

Bem, agora eu acordo e o café ainda está sendo pronto. E às vezes é cada um por si. Tio Harry na verdade se atrasa quase todos os dias para o trabalho e fica correndo de um canto para outro de pijama, ou um mix do pijama e terno. Tia Ginny tem um mal humor pior que o de James ao acordar e é melhor deixa-la trancada em seu escritório até as oito. James parece um monstro e fica pronto para atacar qualquer pessoa que ousar falar com ele, Albus acorda incrivelmente feliz e é insuportável ficar perto dele enquanto ele pinga uma poção em seu nariz para tratar sua rinite (algo que ele tinha vergonha de fazer na minha frente). Lílian é complexada com seus pés, mas agora ela anda descalça na minha frente. E ela nunca mostra seus pés fora de casa.

Pensando assim, talvez não tenha sido tão fácil assim para eles também, de repente, ter mais um integrante na família. E uma integrante que eles viam de três em três anos por algumas horas, de outro país, com outros costumes e biologicamente diferente deles.

Eu desarrumei todas as minhas malas e coloquei tudo no lugar, como se eu nunca tivesse surtado no dia anterior. Liguei para tia Carol e expliquei que era tudo um mal entendido. Espero que Mike me de algumas respostas na próxima consulta, porque eu realmente estou precisando dele.

Notas finais do capítulo
Esse é meu cap preferido, na verdade, não consigo escolher entre ele e o penúltimo. Tudo que eu queria falar sobre quando pensei nessa fanfic, está nesse cap. E Ted, meu doce Ted... Beijos




Todas as histórias são de responsabilidade de seus respectivos autores. Não nos responsabilizamos pelo material postado.
História arquivada em https://fanfiction.com.br/historia/667241/My_Life_with_The_Potters/