A Primeira Vez escrita por Lord Saki Tsukai, Fanclub_Tsukai


Capítulo 1
A Primeira vez.


Notas iniciais do capítulo

- Quero deixar claro que eu não odeio o Sasuke e não tneho nada contra ele no anime/manga Naruto, eu apenas espresso nessa one-shot a super proteção de um irmão mais velho.

— Essa fic é narrada pelo irmão mais velho da Sakura e eu não to nem ai se vão gostar ou não, eu fiz com carinho dedicada a minha imrã. E essa one é Sasuksaku, apenas narrada por mim.


Dedico essa one-shot a minha irmã Sakura, maninha muito obrigada por existir eu te amo muito e fiz isso especialmente pra você.

Agradecimentos:

Agradeço a todos do clã tsukai por me apoiarem a escrever essa one-shot, e agradeço a Mari por dar a sugestão do nome da série, Cerejinha do Nee-san.

Cerejinha do Nee-san é uma série de one-shots, todas narradas pelo Saki. Espero que no futuro eu posso postar as outras como por exemplo. Oh não perdi meu sobrinho, é uma das one-shots. Assim como conhecendo meu cunhado.Curtam a leitura.




A primeira vez.

 

 

Olá meu nome é Sakuno Haruno, mas podem me chamar de Saki. Tenho 19 anos, cabelo preto, forte, sou branco e tenho belos olhos verdes. Meu passatempo favorito é cuidar da minha maninha Sakura. Principalmente quando se trata de um certo emo que é namorado dela. Amigos emos me perdoem eu sei que chamar o Sasuke de emo é ofensa pra vocês, mas não posso fazer nada quando a isso.

Hoje eu vim contar uma das várias coisas que um irmão mais velho passa, principalmente quando se trata de um cunhado folgado que te odeia. Bem, não posso reclamar o sentimento é mutuo , pois eu não o suporto também. Dessa vez Sasuke passou dos limites ou quase, é difícil saber como ele pensa. Se é que ele pensa, em minha opinião ele é mais burro que uma porta, mas deixa quieto. A história é a seguinte:

Lá estava eu em mais um belo dia, era manhã de sábado e eu não tinha o que fazer. Então desci as escadas e fui até a sala assistir TV e adivinhem quem eu encontrei? Nada mais nada menos que a senhorita crescidinha. Serio essas crianças de hoje se acham adultas. Mas fazer o que? A vida é assim, um dia você está lá numa boa a levando pra passear no parque e no outro ela já está te apresentando seu futuro ex-marido. Mas isso é outra história. Como eu dizia fui para a sala e encontrei com uma expressão meio pra baixo.

– Cerejinha! - Gritei sentando ao seu lado.
– Retardado. - Me respondeu irritada.
– Que foi ta de TPM hoje? - sério, é bom saber antes. Não fiz meu testamento ainda.
– Não. Desculpe-me estou meio chateada. - Respondeu meio triste e isso cortou meu coração.
– Legal. - me espreguicei no sofá e liguei a TV.
– Ahhhhh - suspirou e eu aumentei o volume da TV.
– Algum problema? - Perguntei já imaginando a resposta, provavelmente meu querido cunhadinho tem algo a ver com isso.
– Não nada. - Disse ela olhando para os lados, ainda bem.
– Ta bom. - Voltei a olhar pra TV e a ignorá-la.

– Ahhhhhh - Aff esse Ahhh enche o saco.
– Ta legal me conta o que foi. - Falei entediado, por favor, que ela diga que não é nada outra vez.
– Quer mesmo saber? - droga errei.
– Não.
– Seu mala. - Respondeu fazendo biquinho. Droga, eu a mimei de mais.
– Ok. Conta por irmãozão o que a cerejinha tem. - Abri um largo sorriso e apertei suas bochechas. É tão fofo fazer isso.
– Saki seu retardado , eu já tenho 17 anos. - me fuzilou com os olhos, não entendo suas mudanças de humor isso assusta.
– Eu não paro não. Você ainda é um bebê, tem muito o que aprender. Mas me diga o que ouve com você? - É verdade, ela mal saiu das fraldas e já quer ser independente.
– Sasuke. Ele não me liga faz uma semana. - E lá vai ela falar do meu cunhadinho desprezível.
– As vezes ele perdeu o telefone no momento em que foi atropelado, ou se não ele caiu do quinto andar de um prédio e o celular quebrou. - Sorri imaginando a cena, qual é pode acontecer.
– Nossa isso faz eu me sentir bem melhor. - Amo a carinha de sarcasmo da maninha é kawaii.
– Que seja, eu posso sonhar né? - respondi sorrindo.

Desmanchei meu sorriso quando o telefone tocou. Poderia ser a Ino me perseguindo e me chamando pra sair pela bilhocentesíma vez, ou podia ser a Temari me xingando e acusando de levar o Gaara pro mal caminho. Mas não, tinha que ser o emo.

– Alô - Atendi o telefone com boa vontade, mas logo desmanchei meu sorriso.
– A Sakura está? -era ele.
– Não. Ela morreu. - Bati o telefone em sua cara, ha vamos ver se o emo aguenta isso.
– Morreu é? - Sakura me fuzilou com os olhos.
– Era engano, o telefonema era pra nossa avó.
– Ela ainda ta viva.
– Então o engano foi meu. - Sorri colocando o telefone no gancho.

TRIIIIMMM

Aff telefone desgraçado, me lembrem de quebrá-lo. Mas que cara chato. Uma das coisas que eu odiava em Sasuke era o fato dele ser insistente.

– Eu atendo. - Ela se levantou do sofá.
– Não! deve ser enganado. - Respondi me atirando na frente do telefone.
– você já ta passando dos limites. - Pegou a vassoura.

Se estão pensando que eu a deixei atender o telefone, saibam que estão certos. Por incrível que pareça ela tem coragem de me bater com aquela vassoura. Apenas me sentei no sofá novamente esperando por 2012.

– Alô - ela atendeu e logo vi um sorriso em sua face.
– Quem é? - Gritei do sofá.
– Diz pro seu irmão ir se enforcar com uma corda e sumir da sala! -Será um pássaro, um avião? Não! é o super Sasuke. Ouvi aquele emo gritar do outro lado da linha. É que o telefone da sala tem viva voz, legal né? Viva tecnologia.
– Diz pro seu namorado se atirar na frente de um carro em movimento e gravar pra eu ver. - Respondi indo pra cozinha. Eu não estava a fim mesmo de ouvir o que eles estavam falando.

Mas fala sério esse moleque deveria ter mais respeito. Eu deveria ter ficado quieto e feito um sanduba bem caprichando, mas não me aguentei e peguei o telefone da cozinha pra ouvir a conversa. Qual é? Eu tenho que protegê-la o governo espiona a vida de todo mundo e ninguém reclama.
– Aquele retardado ainda ta ai? - o emo do .... a deixa pra lá, senti vontade de esganá-lo.
– Vocês dois se amam muito. - A ouvi dar uma risadinha ao falar.. – E então Sasuke o que quer?
– Lembra aquilo que combinamos de fazer amanhã? - Ele disse meio nervoso. O que significa "aquilo"?
– Eu lembro, mas sério. Eu sou inexperiente e não sei se.... - Não to gostando disso.
– Sakura todo mundo da escola já fez, somos os únicos que ainda não tentaram. - Qual o problema nisso?
– Eu sei, mas.... Acho que é muito cedo pra eu tentar, não tenho experiência. - isso mesmo, com 40 anos você tenta.

– Eu te ensino, sou bom nisso. - Nossa que cara safado, e burro. – Garanto que será uma experiência incrível. - Ele disse com voz sexy, ai que nojo. Esse imoral.
– Ta. Então nos vemos amanhã. - Ela respondeu. – E Sasuke não conta pra ninguém que é... minha primeira vez. - Aff emo FDP, irei matá-lo.
– Vai ser nosso segredinho amor. - Desligou.

– Não acredito nisso.O que eles vão fazer? Esse imoral, a cerejinha é uma criança. Irei matá-lo e socá-lo até a morte. Já sei vou ligar pro meu pai. Aff o papai não, ele é o maior puxa-saco do emo. -Murmurei para mim mesmo acompanhado de um monte de palavrões que foram censurados.

Eu sabia que teria que resolver, a pergunta era como? Nada melhor que ligar para as autoridades.

Disquei o número rapidamente e liguei para meu melhor amigo e ex-cunhado Utakata.

– Alô quem fala? - Perguntei.
– Você liga pra mim e pergunta quem é?
– Da outra vez eu liguei e quem atendeu foi sua irmã, aquela louca.
– O que você quer imprestável?
– Imprestável é a senhora sua mãe que não soube te fazer, por isso veio com defeito.
– Nossa que coisa carinhosa. - Sarcasmo do Uta é pior que o da Sakura.
– Me ajuda numa missão?
– Qual?
– Estragar a primeira vez do emo e da minha cerejinha. - Falei quase quebrando o telefone.
– Cara isso é falta de namorada, deixa sua irmã em paz.
– Se ponha no meu lugar, o que faria se fosse eu?
– Eu seria feio. - Imprestável.
– Não sua anta! Você é irmão mais velho, imagina se estivesse no meu lugar.
– Se eu te ajudar você para de me encher o saco?
– Claro. - menos pra pedir dinheiro. Hehe, ainda preciso de grana. – Então tchau, explico o resto depois. - Desliguei na cara dele, adoro fazer isso.

Bom depois de chamar as autoridades, fiquei esperando aquela besta chegar. Mas que incompetente meia hora de atraso, ele acha o que? Que eu sou um desocupado que não tem o que fazer? Ta eu sou um desocupado mesmo, mas e dai? é questão de respeito e responsabilidade. Ta legal ser irmão mais velho ta me estragando de mais. Mas enfim aquele besta tinha chegado e tudo que eu precisava fazer era explicar.

– E então o que o senhor Saki quer? - Disse irônico. – Sério cara, se como irmão você já é assim imagina como pai. Coitada da mulher que se casar com você.
– E coitada da que casar com você, um imprestável que vai fazê-la trabalhar. - É pura verdade, ele é um imprestável.
– Fala logo o que você quer, se bem que já imagino o que é. - Disse indiferente. Metido.
– Vamos espionar o emo. Ele planeja tirar a inocência da minha irmãzinha e e3u não vou deixar nem que eu tenha que matá-lo pra isso. - Cara sou um gênio.
– Eu também não vou com a cara do Sasuke, mas você já ta exagerando. - Ele ainda não viu o que é exagero.
– De que lado você está afinal? - Traidor, desde quando ele defende o Sasuke?
– Estou falando que você enlouqueceu de vez. - Após dizer isso começou a rir, mas que cretino.
– Vai me ajudar ou não? - Essa demora me tira a paciência.
– Mas é claro que vou. - Ainda bem, se não teria que obrigá-lo.

Após Utakata concordar com meu plano começamos a seguir o emo pela cidade, e isso era chato. Fomos parar em tudo quanto é lugar e nada suspeito, bem até dar 15:00 horas.

Estávamos no carro apenas esperando Sasuke sair daquele super mercado, me pergunto o que ele foi comprar?

– Que tédio. - murmurou Utakata.
– É uma missão não é pra ser divertido.
– Estamos a exatamente 7 horas e 55 minutos seguindo o Sasuke pela cidade e não encontramos nada suspeito.
– Faz tudo parte do plano dele, nunca subestime os inimigos.
– Você já pensou em ir a um psicólogo?
– Eu já fui, mas depois a primeira consulta ela se mudou de cidade.
– Cara você tem problema.

– Meu único problema é esse cunhado noob.
– Que seja.
– Olha lá ele ta saindo.
– Vamos segui-lo.

Alguns minutos depois.


– Ele parou, olha ele ta entrando naquele motel.
– Eu sabia, eu sabia. Filho da... mãe dele.
– E então o que faremos?
– Vamos esperar ele sair, ou segui-lo o que você acha?
– Esperamos ele sair.

Eu sabia que aquele safado estava planejando fazer algo com minha irmã eu tinha certeza, então corri pra casa e fiquei ao lado do telefone esperando ele ligar pra ela ou esperando ela sair pra ver o que acontece primeiro. Devem estar se perguntando porque a Sakura não tem um celular? Porque da última vez que eu me meti na vida dela, ela jogou o celular em mim. Eu desviei e ele bateu na parede e quebrou, mas isso não a impediu de jogar o sapato, pena que o sapato acertou em cheio e prefiro não comentar os detalhes.

Bom ele finalmente ligou e eu como um irmão protetor os segui. Cheguei a um lugar que tinha uns nomes japoneses e eu não sei ler esse bagulho, não sei ler desenhos só letras. mas enfim, era tudo muito suspeito, fontes termais, inúmeros quartos. Falei com a recepcionista e perguntei se tinha algum a reserva no nome de um Uchiha e ela confirmou, nem esperei ela terminar de falar e fui correndo até o quarto.

– Tomara que não seja tarde, teria sido melhor ter trago meu rifle caso seja tarde, teria sido melhor vir disfarçado? francamente o que eu to falando, o nervosismo ta me deixando maluco?

Dava para ouvir vozes fracas vindo do outro lado da porta, pareciam gemidos. Eca mais que coisa imoral.

– Cerejinha porque? - Me encostei na porta choramingando, bom eu tava lamentando. Homem não chora.

Bom eu não podia deixar isso prosseguiu, bati na porta e ouvi uma voz dizendo entre. Apliquei um golpe de caratê na porta quebrando ela.

– Parados ai! - berrei, mas espera!Não era o que eu estava pensando.

Cara que mico tava geral olhando pra mim, de onde saiu esse monte de pessoas?

– Er...

– Senhor poderia nos informar porque está atrapalhando nossa aula de ioga? - Disse a professora, e que professora.
– ioga mas o que? Espera Ioga. Aleluia. - Me ajoelhei no chão. – Tia não sabe como o que você disse me faz feliz. - A abracei.
– Quem é você? - a Mulher me perguntou com uma expressão nada agradável e nossa, como ela era gostosa.
– Eu sou o Saki, irmão da.... - Olhei para o lado e vi minha maninha com uma cara de"sedizerqueémeuirmãovocêmorre"
– Eu sou aluno novo. - Respondi.
– Ta ok. sente-se no seu lugar. - Ela apontou para um canto.
– Eu vou sentar aqui bem do lado dessa menina de cabelo rosa. - Corri me sentei entre a Sakura e o e Emo, eu não ia deixar ele tão perto da minha irmã.

Depois da aula de ioga, que foi até legal. Porque eu sai mais relaxado. Eu, minha irmã e o meu desprezível cunhado estávamos andando pelo corredor.

– Nossa ioga é tão relaxando. - Falei andando calmamente.
– Corre! - Ouvi Sakura falar.
– O que?
– Eu vou te matar. -
– Jesus, Maria, José. Socorro.

Corri o mais que pude, mas não adiantou. ela acertou o sapato na minha cabeça e acabei de olho roxo. Pra que um salto daquele tamanho? altura não é documento, sabem o que eu aprendi naquele dia? Quando for se meter na vida da sua irmã para protegê-la, planeje sua fuga no final ou se não pode acabar morto, lembre-se de deixar seu testamento preparado e caso você sobreviva. Contrate uma enfermeira bem gostosa pra cuidar de você. Sou cara de pau mesmo, e se pensam que essa é a última vez que me meto na vida da minha irmã. Quem pensou sim se ferrou, porque trabalho de irmão mais velho é assim mesmo, é pior que operação de policia em favelas, nunca acaba. Fazer o que se ela vive no meu coração?

 

Já ia me esquecendo de perguntar.

– O SASUKE!
– Que é retardado?
– O que você tava fazendo naquele motel? - nossa se a Sakura ouve isso é o fim dele.
– Fui pagar uma conta do Itachi. - Droga errei

O trabalho não acabou, eu irei voltar. Muhahahaha, cof, cof, cof. Droga engasguei, tenho que treinar o riso maléfico. Como eu sempre digo, vida de irmão mais velho não é fácil.

 

 

 

 

Fim



Notas finais do capítulo

Espero que tneham gostado, deixem reviews.