This Is My Gang! escrita por Metal_Will


Capítulo 114
Capítulo 114




Capítulo 114 - Última Esperança

  Graças à habilidade de Karina, conseguimos escapar da morte certa do ataque monstruoso do monstro Noswil recém-despertado. Aquele jogo havia chegado ao seu clímax e apenas uma única batalha nos separava do final de tudo aquilo. Mas, mesmo com pontos de ataque altos (já falei sobre minha brilhante ideia de ter aumentado os pontos de ataque ao máximo com aquele esquema da mina de ouro? É que já passaram alguns capítulos, mas nunca é demais lembrar minhas boas ideias), seria difícil escapar do mesmo ataque poderoso duas vezes. O que poderíamos fazer? Bem, era nossa vez, e cada um do grupo podia atacar. Eu, como o mais rápido, fui o primeiro.

- Sua vez, Daniel. O que vai fazer? - perguntou Wilson (agora ele realmente estava preocupado com a vitória).

- Acho que...vou mandar o elixir que roubei do Devirot para a Karina - respondi. Agora ela podia garantir o uso de sua magia mais uma vez.

- Boa - disse Wilson - Agora é a minha vez! Eu ataco o Noswil!

 E assim ele fez. Graças ao alto poder de ataque e por empunhar uma espada lendária, Wilson conseguiu garantir um grande dano ao chefão. Mesmo assim, não foi suficiente para derrotá-lo.

- Isso ainda não elimina todos os pontos de vida do Noswil - disse Cássio com um sorriso satisfeito - Vão precisar de mais do que isso!

- Tsc. Ainda não deu um jeito - falou Wilson - Mas ainda temos mais três pessoas para jogar! Vai lá, Jorjão!

 Jorjão era o próximo. Ele estava com o dobro de poder de ataque e atinge Noswil ferozmente. Os dados estavam a nosso favor. Mais uma quantidade considerável de dano atingiu o demônio e a vitória estava a poucos passos de nosso grupo.

- Isso! - comemorou Demi - Falta pouco agora, não falta?

- Na verdade...esse ataque elimina os pontos de vida de Noswil - disse Cássio, embora, por alguma razão, ele não parecesse nervoso com isso. Pelo contrário, estava apenas com os cotovelos em cima da mesa e as mãos entrelaçadas. Muito suspeito.

- Então...nós vencemos? - comemorou Demi, batendo palmas rapidamente de forma fofa.

- De certa forma, venceram - disse ele - Venceram a primeira forma de Noswil!

- Como assim? - questionei.

- Noswil não tem apenas uma forma física. Ele também tem uma forma de pura escuridão!

- Pura escuridão? - perguntei - Eu insisto: como assim?

- Agora ele é apenas pura energia maligna! Mas ainda é uma ameaça! - continuou o mestre - Não estou inventando! Eu havia guardado isso para o final!

 E, de fato, ele mostra de longe a próxima página do livro de regras, inclusive com a ilustração de uma nuvem negra amorfa representando a tal forma de pura "energia maligna do monstro".

- Não é invenção...você planejou isso mesmo como último recurso - questionou Wilson - Então...não havia meios de vencermos desde o começo, não é?

- Bwahauhauhaha! Não e sim. Na verdade, existe sim um meio de vencer Noswil nessa forma.

- Mesmo? - disse Jorjão esperançoso.

- Só que...eu duvido muito que vocês descubram como fazer isso - continuou ele - Mas que a possibilidade existe, existe!

- Mas...como vamos vencer uma coisa dessas? - perguntou Demi.

- Se é uma forma de pura energia...talvez ataques físicos não funcionem mais - disse Karina - Não tem jeito. Vamos ter que atingi-lo apenas com magias.

- Então agora somos inúteis - falei.

 Cássio não dizia nada, apenas aguardava nossas ações.

- Veremos. Mas é melhor garantir mais uma rodada. Uso a Barreira Final de novo! - disse Karina lançando os dados e garantindo mais uma rodada para todos nós. A coisa estava meio tensa.

- Muito bem - disse Cássio - Agora só falta a elfa mágica aí atacar.

- É o que vou fazer - disse Demi - Ataques físicos não funcionam, mas talvez uma flecha de luz bem aplicada resolva o problema!

- Será? - Cássio estava tranquilo demais. Parece que o caminho ainda não era aquele - É...infelizmente, não teve efeito nenhum!

- Como? - Demi reclamou - Agora você tá inventando!

- Não estou - disse Cássio - Acontece que a flecha, mesmo tendo a propriedade de luz, apenas passou por Noswil, fez um buraco, mas a densidade de energia maligna se acumulou novamente, tornando o seu ataque completamente inútil! Hahauhaha! Mesmo assim, magias ainda podem atingi-lo.

- E agora? - perguntou Jorjão.

- Bom, agora eu darei uma demonstração do poder de Noswil. Grande Explosão das Trevas! - disse Cássio, lançando os dados e explicando seu ataque - Isso vai atingir a todos com uma grande magia, arrancando não só seus pontos de vida, mas também seu poder mágico!

- Como é que é? - retrucou Wilson - Mas se tirar nosso poder mágico...

- Para de inventar, Cássio! Que graça tem vencer desse jeito? - perguntou Demi.

- Mas não é invenção - disse ele - Está aqui, nessa página.

 E, de fato, Grande Explosão das Trevas estava escrito no livro de regras em letras garrafais. E o efeito era aquele mesmo: alto dano e perda de poder mágico.

- Então era impossível de vencer desde o início - reclamei - Mesmo que chegássemos ao fim da história, você não nos deixaria ganhar de jeito nenhum!

- Você pode falar isso, mas existe um jeito de ganhar mesmo sem magia - disse ele - O único problema é...será que vocês descobririam como?

- Droga. Sem magia...sem poder atacar...como vamos ganhar? - reclamou Wilson.

- Não dá pra ganhar. Esse jogo é uma farsa - retruquei - Estamos perdendo tempo.

- Então admitem que não sabem o que fazer? - disse ele - Isso! Eu venci! Bwahauhauhaha!

- Ei, meninos, eu fiz bolo! - disse a mãe de Cássio toda sorridente, entrando na sala naquela hora.

- Mãe! Você quebrou o clima de novo! - reclamou ele.

- Oh, desculpe - disse ela com um sorriso - Quem quer bolo?

- Ah, eu quero! - Jorjão se adiantou, pegando, claro, o maior pedaço. Bem, a mãe de Cássio até pode ter acabado com o clima, mas que o jogo era impossível de ser vencido era. Depois que ela saiu e Cássio retomou sua posição de mestre da mesa, a tensão da situação voltou a nos dominar (mas pelo menos agora tínhamos bolo de cenoura para deixar as coisas menos amargas).

- E então? Admitem a derrota ou não?

- Não! - retrucou Wilson - A Barreira Final nos protegeu de novo! Ainda temos mais uma rodada.

- Então pensem bem, porque essa rodada será a sua última - disse Cássio.

- Ele disse que Noswil só era vulnerável a ataques mágicos - disse Karina - Então...como perdi todos os pontos mágicos com a última explosão, terei que usar o Elixir que Daniel me deu para atingi-lo com algum de meus poderes mágicos.

- Está bem - falei - Eu uso o Elixir em você. Assim poderá usar a magia logo que for sua vez.

- Mas não vai adiantar usar a barreira final de novo - comentou Wilson - Se ele atacar com aquele golpe, não teremos mais elixir para recuperar nossos pontos mágicos.

- Bem, vamos ver o que posso fazer - disse Karina - Wilson e Jorjão...vocês passam a vez de vocês?

 Os dois assentiram com a cabeça. Finalmente chegou a vez de Karina, que pensava em como atingir o demônio.

- Pelo que anotei dos meus poderes, tudo que tenho capaz de causar dano são magias elementais - disse Karina - Mas qual delas é mais eficiente contra pura energia como ele?

- Magias podem atingi-lo - garantiu Cássio - Por que não tenta?

- Está bem. Usarei a magia de fogo mais forte - disse Karina - Lanço os dados...

 O grande problema é que, apesar de Karina ter muitos pontos mágicos, a defesa de Noswil era bem alta. Ele até recebeu um pouco de dano, mas não adiantou muito.

- Não adiantou quase nada - falou Wilson, ao ver os resultados finais anotados por Cássio.

- Claro que não. Acha que uma magiazinha dessas venceria uma forma de pura escuridão como o Noswil? Não me façam rir!

- Então...não tem jeito! - reclamei - Esse jogo é um roubo!

- Se não sabem como vencer, não posso fazer nada - disse Cássio - O próximo ataque destruirá todos vocês! Vão se render agora ou..

- Espere! Ainda é minha vez - disse Demi - Se não dá pra ganhar com ataques e nem magias, então deve ser algo que não dependa de nossos pontos ou coisa assim.

- Sim? Mas e daí? Mas vocês não sabem o que fazer...

- Quais são as minhas opções? - perguntou Demi.

- Quer rever suas habilidades? Tá. Mas olhe aqui da minha mão, não posso deixar que vejam a resposta - falou ele, meio nervoso por ter sua vitória adiada.

- Hmmm...posso ter poder de cura, flecha de luz... - lia Demi.

- Nada disso parece servir para nada - reclamou Wilson - Não temos esperança nenhuma!


- E rezar? - questionou Demi - Como assim "rezar"?

- Os elfos são muito ligados às divindades da natureza - disse Cássio, meio que desviando o olhar - Err...e então? Decidiu o que vai fazer?

- O que foi? Parece meio nervoso - reparou Wilson.

- Não é nada! Escolham ou desistam logo!

- Escolha rezar, Demi - falou Karina.

- Como é que é? - estranhou Demi - Isso pode nos ajudar?

- Se não há mais esperança, só nos resta rezar, não é? - disse ela, arrumando os óculos.

- Você vai fazer isso mesmo? - disse Cássio - Acha que isso pode derrotar Noswil?

- Quem sabe - falou Demi - Eu escolho...rezar.

- Então...você reza? - disse Cássio, com a voz um pouco mais fraca.

- O que é que tem? - questionei - O que acontece se ela rezar?

- É...é isso que você faz... - ele continuava com as mãos trêmulas.

- Sim. Eu recorro às divindades místicas ou seja lá qual for a religião dos elfos.

 Cássio não conseguia segurar seu caderno direito. Tudo que fez foi jogá-lo no chão.

- Droga! Como fizeram isso? - reclamou ele.

 Espere. Era isso mesmo? O segredo da vitória era ter rezado para divindades élficas? Explica isso direito.

- Aqui está - falou Karina, ao pegar o livro do chão e ver como Noswil era derrotado - Se os heróis recorressem às forças da natureza, os deuses élficos iriam descer e usar seus poderes imortais para derrotar o terrível demônio Noswil.

- Achei que nunca fosse recorrer a isto! - disse Cássio - Como descobriram?

- Eu não suspeitei de nada no início - disse Karina - Mas quando você falou em rezar...imaginei que um jogo clichê como esse tivesse alguma solução "Deus Ex Machina" (*) só para dizer que não é tão clichê assim...de fato, você precisa melhorar muito suas habilidades de roteirista.

- Então...nós vencemos? - disse Wilson, não podendo se conter de alegria - Nós vencemos!!!

- Finalmente- falei - Agora podemos ir pra casa?

- Ah, não diga isso - falou Demi - Vamos brincar de outra coisa, Cássio? Podemos escolher um jogo que você possa vencer!

 Mas a cara de Cássio não estava muito amigável.

- Até o dia de hoje, eu considerava Wilson como meu maior rival - disse ele, com uma certa expressão séria.

 Apenas ouvíamos suas palavras com os olhos arregalados e uma gotinha escorrendo (exceto Karina, é claro, que sempre se mantinha apática).

- Mas a partir de hoje! - ele assume uma voz mais nervosa - Eu considero todos vocês como meus rivais! Da próxima vez, vou criar algo que vai derrotar todos vocês de forma humilhante!

- Que seja - falei sem muito mais saco de continuar ali - Vambora, galera.

- Já se vão? - disse a mãe de Cássio simpática - Não querem levar mais uns pãezinhos de queijo?

- Opa. Eu quero - falou Jorjão.

- Grrrrrrrrrr!!!!! Vocês me irritam em tudo! - reclamou Cássio - Eu vou para o meu quarto!

- Err...é que ele não aceita muito perder - explicou Demi - A senhora sabe, não é?

- Ah, sim, ele é assim mesmo - disse ela - Mas ele estava muito ansioso para jogar com vocês.

- Hã? - questionou Wilson, enquanto Jorjão continuava a devorar pães de queijo (certamente sem deixar nada para nós).

- O Cássio sempre foi muito sozinho. Fico feliz que sejam amigos dele - disse ela sorridente.

 Amigos não era bem a palavra, mas...se parar pra pensar, nunca era a gente que começava. Bom, é claro que iríamos encontrar com Cássio de novo. No caminho de volta, conversávamos mais um pouco sobre aquele dia no ônibus.

- Eu ainda acho que o Cássio é só um sujeito pouco compreendido - falou Demi - Bem que ele podia deixar o orgulho de lado e nos deixar ser amigos dele.

- Podemos não ser amigos, Demi - disse Wilson - Mas com certeza nos respeitamos como rivais.

- Seria legal se eles nos chamasse para jogar de novo e a mãe dele fizesse mais bolo - disse Jorjão.

- Não quero passar por um jogo chato daqueles de novo - falei.

- Nem se criarmos nosso próprio RPG e dessa vez chamarmos o Cássio para jogá-lo? - perguntou Wilson - Você pode criar uma história boa, não pode, Karina?

- Poder eu posso - disse Karina - Mas é mesmo difícil criar RPGs longe dos clichês medievais.

- Mas deixa isso pra depois - falou Wilson - Já tivemos muita dose de RPG para os últimos dias.

 Eu diria para os últimos séculos. Bem, mas fico feliz de tudo finalmente ter acabado. Acho que vou passar um bom tempo longe até dos RPGs de videogame.

------------------------------------------------------------------------------------

(*): "Deus ex Machina" ou "Deus fora da máquina". Quando o conflito da história é solucionado por um personagem ou força misteriosa que surge do nada.



Notas finais do capítulo

No próximo capítulo começamos um novo arco. Até lá! ;)



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "This Is My Gang!" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.