Fix You escrita por BastetAzazis


Capítulo 5
Capítulo 5




Fix You

Escrita por: bastetazazis

Disclaimer: Para quem ainda não sabe, os personagens de Naruto pertencem a Masashi Kishimoto e nenhum lucro será obtido com esta fanfiction. "Fix You" pertence ao Coldplay.

"Sasuke estava sozinho de novo, e a solidão o fez repensar mais uma vez no trabalho que Sakura tivera para lhe dar um pouco de conforto fora do hospital. Mais uma vez ela colocara a felicidade dele na frente da dela, e como sempre, ele não podia recompensá-la."

-5-

Depois que Naruto foi embora, Sasuke passou o resto da tarde deitado em sua nova cama. Ele ainda se sentia enfraquecido, mesmo depois de quase uma semana de cuidados intensivos no hospital de Konoha. A escuridão que era obrigado a encarar logo o fazia perder a consiência, quando sonhos confusos da sua última luta ao lado de Naruto pintavam imagens que ele gostaria de esquecer. E assim ele passava seu tempo, entre períodos de conscientes e enfadonhos, e um sono superficial e incômodo.

Quando acordava, era tomado pela dúvida e o desespero de não saber mais como prosseguir. Desde os primeiros anos na academia que seu único esforço era vingar a morte do clã. Seus planos para depois que essa missão fosse concluída era treinar ainda mais arduamente para reeguer o nome Uchiha. Mas agora, além de ser o último Uchiha que esteve à beira da morte, ele se transformara num estorvo para a vila que ele mesmo havia renegado. Não havia espaço para um novo clã Uchiha em Konoha.

Quando seus pensamentos chegavam num beco sem saída, Sasuke procurava se concentrar para não elouquecer. Foi assim que, já no seu primeiro dia fora do hospital, ele percebeu que seu corpo estava se abituando à cegueira. Os ruídos vindos do lado de fora da janela lhe traziam informações sobre o que estava acontecendo na rua. Por trás da porta, ele podia adivinhar a movimentação dos seus vizinhos. Começou a prestar atenção nas vozes e imaginar se já tinha se encontrado com aquelas pessoas quando ele ainda enxergava. Era um exercício interessante, que ele começou a praticar para não ter que voltar aos sonhos ou às dúvidas que o assombravam.

Sasuke ouviu a porta em frente a sua bater, concluindo que Naruto havia acabado de chegar. Estava contando quanto tempo levaria para o ex-companheiro de time verificar se ele estaria precisando de alguma coisa, como se fosse uma criança que ele e Sakura se revezavam para cuidar, quando outro barulho na janela o chamou atenção. Virou bruscamente para aquele lado, e ouviu a voz de seu antigo sensei:

- Eu devia saber que não conseguiria surpreendê-lo!

- Kakashi – Sasuke cumprimentou com um aceno de cabeça.

O sensei levou um tempo examinando seu antigo e mais promissor aluno. Com exceção da venda nos olhos, era o mesmo Sasuke que ele encontrara tempos atrás, disposto a matar qualquer um que tentasse impedir de atingir seus objetivos. Havia um ar de melancolia por trás da máscara de Kakashi.

- Deixe-me adivinhar... – Sasuke quebrou o silêncio. – Você também veio ver se preciso de ajuda. Não precisa se preocupar, Sakura e Naruto estão se mostrando ótimas babás.

Kakashi não conseguiu decidir se o tom de voz do comentário era sarcástico ou apenas divertido. Vindo do Sasuke, provavelmente era a primeira opção.

- Eu vim para parabenizá-lo pela alta no hospital – Kakashi explicou com um certo tom de reprimenda na voz. – Não é qualquer um que escapa com vida dos golpes que você recebeu. E vim, sim, para saber se você precisa de alguma coisa. É isso que os amigos fazem.

Sasuke baixou a cabeça diante do comentário.

- Eu entenderia perfeitamente se você tivesse desistido de mim. Suponho que é isso que eu mereça.

- É – Kakashi concordou. – Talvez você merecesse isso mesmo. Mas acontece que eu tenho uma foto na minha cabeceira, com uma menina sonhadora no meio de dois turrões que viviam competindo entre si. Dois deles já me deram muito orgulho. Ainda não desisti do terceiro.

Sasuke esboçou um pequeno sorriso ao lembrar da foto que ele havia deixando com tanta relutância no antigo Distrito Uchiha.

- Hunf! Você é mesmo muito teimoso se acha que ele ainda tem salvação.

No mesmo instante, a porta do pequeno apartamento abriu com um estrondo, e a voz de Naruto chegou berrando aos ouvidos dos dois:

- Sasuke! Eu esqueci de você! A Sakura vai me matar se souber que eu te deixei sozinho a tarde intei... Kakashi-sensei!

- É, tem razão – Kakashi comentou divertido, o rosto ainda voltado para o Sasuke. – Ele ainda não aprendeu a falar baixo e andar discretamente como um ninja deveria.

- Hã? – Naruto ficou olhando com cara de bobo para os dois, coçando a cabeça. Mas então percebeu o leve sorriso de Sasuke e Kakashi, e sorriu também. O dia que ele tanto esperava desde que seu amigo havia partido finalmente tinha chegado. – Agora só falta a Sakura! – acabou revelando seus pensamentos em voz alta.

O sorriso no rosto de Sasuke esvaeceu, e Kakashi encarou em dúvida seus dois alunos depois do silêncio que surgiu na sala.

- Ela me avisou que ia ficar no hospital até tarde hoje, treinando um grupo novo de chunnins – Naruto emendou rapidamente. – É por isso que ela não está aqui hoje...

 - A Sakura não precisa se incomodar em passar aqui toda a hora. Eu estou bem – Sasuke replicou.

- É claro – Kakashi se intrometeu. – Como se a Sakura fosse deixar de se preocupar com algum de vocês. Eu conheço os alunos que treinei. Mas mudando de assunto, eu não vim aqui apenas para visitá-lo, Sasuke. Já que o Naruto apareceu, tenho uma notícia para vocês dois. E talvez seja até melhor que a Sakura não esteja aqui para ouvir o que tenho a dizer.

- Você já tem uma resposta do Senhor do Fogo e dos clãs? – Naruto se apressou em perguntar.

Kakashi pousou o olhar por um bom tempo em Naruto, deixando claro para o pupilo que não era para interrompê-lo. Sasuke, acostumando-se a interpretar os ruídos e o silêncio que o rodeava, percebeu rapidamente que se tratava de algo muito sério.

- Resposta do quê? – Sasuke indagou, curioso.

- Sim, Naruto, eu já tenho uma resposta – o sensei respodeu.  – E Sasuke, eu também vim aqui para lhe dar uma notícia que talvez não seja muito agradável. O Naruto vai preparar um chá para nós três enquanto eu explico tudo.

Kakashi ficou em silêncio encarando o loiro, até que este finalmente raciocinou sobre as últimas palavras e levantou num pulo para a cozinha anexada à sala onde estavam. Ele podia ouvir o que Kakashi iria contar, mas estava claro que era para ouvir apenas, sem participar da conversa.

- Sasuke – o sensei começou -, você tem noção que quando deixou a vila para se unir ao Orochimaru, tornou-se um nuke-nin?

O Uchiha apenas assentiu com a cabeça.

- Bem, esse fato nunca foi relevante enquanto Tsunade era a Hokage. Ela sempre entendeu seus motivos e sempre teve esperança que Naruto e Sakura conseguissem encontrá-lo e convencê-lo a não fazer nenhuma besteira. Mas o chefe da ANBU era Danzou e, bem, você sabe quais eram as reais intenções dele. Ele fez questão de manter seu nome como um renegado e, quando se tornou Hokage, mesmo que interino, fez questão de lembrar sua posição a todos, inclusive ao Senhor do Fogo.

Kakashi fez uma pausa para observar o antigo aluno.

- Eu me uni a um dos maiores inimigos da vila, e depois jurei destruir Konoha – Sasuke comentou. – Suponho que ele estava certo, não é?

- Você matou aquela cobra infame – Naruto gritou da cozinha. – E você desistiu de destruir a vila depois!

- E você não precisa defender o Sasuke para mim, Naruto – Kakashi respondeu, bravo.

O loiro se calou, mas continuou prestando atenção na conversa com o olhar desconfiado.

- Você está querendo me contar que eu serei preso, é isso? – Sasuke tentou adivinhar.

- Não exatamente – Kakashi respondeu, voltando-se para o Uchiha. – Eu e Tsunade intercedemos por você. Seu papel na guerra acabou beneficiando mais Konoha que qualquer outra ação sua. O apoio de Naruto também contou bastante a seu favor.

- Mas você está com aquela cara que não está tudo bem... – Naruto interrompeu novamente.

Kakashi deu um longo suspiro com a impaciência de Naruto, e continuou:

- Sasuke, o Senhor do Fogo decidiu montar um novo conselho, com os representantes principais dos clãs da vila e seus anciões. Eles irão decidir se você pode continuar na vila, se deve ser exilado ou, na pior das hipósteses, se será condenado como um nuke-nin.

Naruto ficou tão furioso quando ouviu a notícia que esmurrou a bancada onde estava, derrubando vários utensílios e fazendo um estardalhaço. Sasuke, por outro lado, ouviu suas opções com resignação. Calmamente, perguntou:

- E o que acontece se me condenarem?

- Normalmente, ninjas renegados são presos – Kakashi respondeu, mas Sasuke podia sentir o desconforto em sua voz. – Mas você foi classificado nos níveis mais perigosos da vila, ao lado de Orochimaru e Madara...

- Hunf! – Sasuke desdenhou. – Depois de tanto trabalho para me manterem vivo, a vila vai me condenar a morte.

Kakashi assentiu com a cabeça. Naruto, entretanto, não conseguia aceitar.

- Eu não vou deixar isso acontecer – o loiro berrou. – Eu disse que ia trazer o Sasuke de volta, que o Time 7 ia voltar a sorrir de novo! Eu vou convencer esse vovôs idiotas nem que eu tenha que lutar com todos eles e...

Num único golpe, Kakashi correu até onde seu aluno inconformado estava e o calou.

- Chega, Naruto! Com essa atitude você não vai conseguir ajudar o Sasuke, e ainda vai acabar se prejudicando também. – Virando-se para o Sasuke, continuou: - Nós vamos depor ao seu favor. A palavra do atual Hokage, de Tsunade e de Naruto devem valer alguma coisa.

- Obrigado, Kakashi. Mas talvez eu deva ser condenado mesmo. Ou exilado. Não sou mais útil para Konoha desse jeito. Não vejo motivos para me quererem por aqui.

- Como assim, seu teme!? – Naruto se desvencilhou do sensei e correu para o lado do amigo. – Depois de tudo que a gente passou, eu pensei que você tinha voltado para o Time 7! É claro que a gente quer você aqui!

- Hunf! E o que vocês vão fazer com um cego a tiracolo? Por acaso, o herói Naruto Uzumaki vai se contentar com missões de novatos? Eu não sirvo mais nem para achar o gato de uma velha!

Naruto ficou calado depois do desabafo do amigo. Procurou com o olhar pelo sensei, e então lembrou do primeiro dia de treinamento do Time 7. Eles eram um time. Foi assim que passaram no teste. Só voltando a ser um time é que venceriam o que mais tivessem que enfrentar no futuro.

- Eu não sei como vamos fazer missões com você cego – Naruto repondeu com a voz mais calma. – Mas eu sei que a última vez que você se afastou de nós, você só fez cagada. Por isso, agora, nós não vamos deixar você sozinho de novo. Você é do Time 7, gostando ou não.

Sasuke não sabia como reagir. Uma parte dele estava agradecida por ainda ter o apoio do amigo. Outra sabia que ele era apenas um incômodo, e que tudo aquilo não passava de delírio do Uzumaki.

- Olha só! – Naruto o chamou, com a voz animada como se a conversa anterior nem tivesse acontecido. – Se a gente deixar, a Sakura só vai trazer essa comida de hospital pra você. Eu vou buscar um lámen de porco e a gente pode comemorar que o Kakashi-sensei está aqui!

E nisso ele saiu correndo pela porta, deixando Sasuke e Kakashi sozinhos.

- Parece que o Naruto amadureceu mesmo – Kakashi comentou ao ver seu outro aluno desaparecendo pela porta. – Antigamente ele tentaria me convencer a pagar o jantar...

- Sim – Sasuke confessou. – O Naruto realmente mudou muito desde...

Ele se calou, sentindo desconforto ao citar uma época onde ele ainda era um ninja de Konoha. Kakashi também permaneceu em silêncio, deixando o Uchiha com seus próprios pensamentos.

- Você me avisou que isso ia acontecer – Sasuke começou a falar de repente. – Eu perdi tudo.

 - Você teve mais sorte que eu – o sensei insistiu. – O Naruto e a Sakura estão aí, não desistiram de você.

Sasuke assentiu com um gesto. Depois, continuou:

- Se eu tivesse ficado, seria certo carregar os dois para o mesmo caminho que segui?

Kakashi deu de ombros.

- Talvez. Eu já me peguei pensando nisso todas as vezes que vi o Naruto prometendo que o traria de volta. Eles te seguiriam, com certeza. Mas talvez não deixassem você perder a cabeça.

Sasuke soltou um longo suspiro.

- Pelo menos assim, eu fui o único que ficou cego.

- Então – Kakashi concluiu –, você quer me convencer que nos deixou para protegê-los?

Sasuke soltou mais um suspiro, tentanto encontrar o que dizer. Nem mesmo ele sabia ao certo explicar tudo o que sentira naquela noite, quando virou as costas para Konoha, para a Sakura, para o Time 7.

- Talvez – finalmente respondeu. – Sempre que eu estava quase pensando em desistir de caçar o Itachi, alguma coisa acontecia para me lembrar das palavras dele. Quando Orochimaru mandou o Time do Som para me buscar, entendi que jamais seria forte como eles se continuasse aqui, com aquela marca descontrolada tomando meu corpo. Por outro lado, desde o primeiro dia que me aliei ao Orochimaru que não tive um momento de descanso. Sabia o que ele realmente pretendia e precisava treinar para me manter vivo e não sucumbir aos planos dele. Depois veio Mandara e a mesma desconfiança. Quando descobri a verdadeira história sobre os Uchiha eu lamentei estar sozinho por um momento. Mas depois decidi que era melhor assim. Sem nenhum laço, eu não tinha uma fraqueza para meus inimigos, ou mesmo para meus recentes aliados. Mas o Naruto insistia em aparecer, e aquilo me deixava cada vez com mais raiva. Era para ele se afastar, afastar a Sakura de mim, entendeu? Não suportaria perde-los como perdi minha família.

- Eu entendo, e acho que até mesmo Naruto e Sakura entedem – Kakashi respondeu. – Mas isso não justifica seu ataque à reunião dos Kages. Sem contar as tentativas de matar a Sakura ou o Naruto, que o Senhor de Fogo nem sabe que aconteceu, ou poderia diminuir ainda mais suas chances de se livrar desse julgamento.

- Minha única justificativa era a vingança contra uma das pessoas que arquitetou o extermínio do meu clã – Sasuke respondeu com a cabeça baixa. – Quanto à Sakura e ao Naruto, eu jamais pensei que eles chegariam a lutar seriamente comigo. Quando aconteceu, a única coisa que enxergava na frente era um oponente que precisava ser derrotado para seguir com meus objetivos. E eles não eram mais meros novatos... É claro que uma luta real contra o Naruto seria até a morte.

Kakashi permaneceu em silêncio, encarando seu aluno. Ele entendia o Sasuke. Era a figura dele mesmo anos atrás, antes que as consequências dos seus erros o atingissem e o transformassem no que ele era hoje. Mas era triste verificar que, no caso do Uchiha, os erros e as consequências atingiram proporções muito maiores. De algum modo ele ainda se sentia culpado por não ter conseguido aplacar a rivalidade dos dois alunos, ou por conseguir fazer Sasuke desistir de sua vingança quando ainda havia tempo.

- Mas sou apenas eu quem tem que responder por minhas atitudes – Sasuke continuou, como se estivesse lendo os pensamentos do sensei. – Chegou um momento, quando vi que o único modo de pegar Danzou seria lutar contra os outros Kages, que percebi isso. Conseguindo minha vingança ou não, eu sabia que não sairia ileso. Você, a Sakura ou o Naruto não tem que cumprir a mesma pena que eu.

Kakashi deixou escapar um sorriso por baixo de sua máscara. Sasuke também havia amadurecido. De alguma forma, as palavras do ex-aluno lhe deram a sensação de que, caso a decisão dos anciões e do Senhor do Fogo fosse positiva, em breve o Time 7 realmente voltaria a sorrir. Era só uma questão de tempo.

Não demorou muito para Naruto chegar com o jantar, e o teor da conversa naturalmente acabou ficando mais leve. O primeiro dia de Sasuke em Konoha estava terminando, e aparentemente, sem grandes turbulências como muitos temiam.

-.-.-.-.-.-.-.-

Com o anúncio da aposentadoria de Tsunade, as obrigações de Sakura ficaram cada vez maiores. Ela não era a única ninja médica em Konoha, mas uma das mais talentosas. Sua mestra a deixou encarregada do treinamento de vários chunnins, já que agora era obrigatório que cada time ninja tivesse pelo menos um médico em sua equipe. Normalmente ela não se importava de ficar até mais tarde, acompanhando seus novos pupilos, mas naquele dia seu coração estava no minúsculo apartamento que ela e Naruto haviam alugado para o Sasuke. Ela apenas observava os demais utilizando técnicas de cura em animais feridos, sem realmente prestar atenção se estavam fazendo tudo certo. Ao final da aula, enquanto juntava suas coisa, ficou decidindo se deveria ou não ver o Sasuke, que desculpa daria para aparecer por lá sem parecer exagerada demais, insistindo consigo mesma que, mesmo morando ao lado dele, o Naruto não era responsável o suficiente. Por outro lado, o episódio do chá naquela manhã mostrava que Sasuke continuava se afastando dela como fazia quando eram mais novos, e mesmo com o coração apertado ela decidiu que era melhor voltar para a própria casa.

Assim que chegou na porta do hospital, encontrou Karin esperando por ela. A ex-integrante do time montado por Sasuke com ninjas treinados pelo Orochimaru agora era uma chunnin de Konoha. E como tinha um dom natural para a cura, obviamente já estava integrando a equipe de médicos da vila.

Sakura nunca conseguira se decidir sobre seus sentimentos com a kunoichi que Sasuke escolheu para montar um time. Ela havia se adaptado bem a Konoha e já tinha ajudado a vila em algumas missões. Por outro lado, era impossível para Sakura não ficar ressentida ao vê-la, lembrando-se quando encontrara Sasuke com ela, e todas as coisas horríveis que aconteceram logo depois. Ela sabia que Karin era apaixonada pelo Sasuke quando ambos estavam com o Orochimaru, e sabia também que a kunoichi o odiava depois do que acontecera.

- Er... Oi, Sakura. – Karin a chamou. O desconforto que ela também sentia ao falar com a antiga companheira de time do Sasuke era claro. – Eu fiquei esperando você sair porque preciso te pedir uma coisa.

- O que foi?

- Eu fiquei sabendo que o Sasuke saiu do hospital hoje.

Sakura assentiu com a cabeça.

- Eu fiquei pensando... Depois de tudo o que aconteceu, acho que eu deveria fazer uma visita. Ou ainda é muito cedo?

- Seria excelente para a recuperação do Sasuke conversar com mais pessoas além de mim e do Naruto – Sakura respondeu, séria. – Mas o que você pretende com isso?

Karin franziu o cenho, sem entender.

- Se você pretende visitá-lo apenas para desdenhar, ou para se sentir vingada pelo que ele fez com você... O que o Sasuke menos precisa é de pessoas jogando na cara dele o que aconteceu.

A expressão de Karin se abrandou, quase num sorriso.

- Depois de tudo... e você ainda o defende?

- Eu sei o que você vai dizer – Sakura devolveu –, escuto isso da Ino quase todos os dias. Não me importa que você ache que eu sou uma meninha ingênua e romântica, nem dizer que o Sasuke nunca vai valorizar o que sinto por ele. Eu estou responsável pela saúde dele agora, e você não vai estragar todo o trabalho que eu e o Naruto tivemos na recuperação do Sasuke. Ele já está sofrendo bastante.

Karin ficou impressionada com a voz firme e decidida de Sakura. Houve um momento em que ela realmente ficou feliz ao saber do destino de Sasuke e até pensou em jogar umas verdades na cara dele e garantir que ele estava sofrendo bastante com sua cegueira e demais ferimentos. Mas a raiva passou, e seu desejo de encontrá-lo era puramente para ter mais notícias dos demais integrantes do seu antigo time, Suigetsu e Juugo. Entretanto, por mais que tivesse perdoado Sasuke, ela não esqueceria que quase morreu por causa dele, e não conseguia entender a dedicação de Sakura e Naruto, que sofreram o mesmo ou até mais que ela com a arrogância do Uchiha.

- Você ainda o ama, não é mesmo? – acabou concluindo em voz alta. – É a única explicação para essa sua dedicação depois de tudo que ele fez com você.

Sakura franziu o cenho. Ela odiava quando as pessoas julgavam seus sentimentos daquele jeito. Percebendo que havia tocado numa ferida profunda, Karin se apressou em emendar:

- Não se preocupe. Acho que o Sasuke já teve o castigo que merece, não vou piorar as coisas ainda mais. Você pode estar presente e me impedir se achar que vou fazer algo contra ele.

- Eu vou avisá-lo que você está na vila quando for trocar os curativos dele amanhã. – Sakura respondeu, tranquilizada. - Você pode vir comigo, ou me encontrar lá. Ele está no apartamento em frente ao do Naruto. Você sabe onde é, não sabe?

Karin assentiu e as duas se despediram. Depois daquela conversa, decididamente Sakura não estava preparada para aguentar mais nenhuma tentativa do Sasuke em repelir sua aproximação. Seguiu para casa, torcendo para que Naruto cuidase do amigo direito, antes que ela acabasse com mais dois internos no hospital.