Simple Love escrita por Katy Clearwater


Capítulo 5
Capítulo quatro





Capitulo quatro:


Bella

     Cinco da manhã e meus olhos não se pregavam de forma nenhuma. Levantei! Jake tinha uma casa bonita, mas estava bem sujinha. Eu não tinha como retribuir nada do que ela havia feito para mim então comecei a ajeitar a casa. Tentei fazer tudo no máximo silêncio para não acordar nem ele e nem Josh. Em uma hora consegui arrumar apenas a sala e a cozinha, e o apartamento devia ter pelo menos mais oito cômodos. Isso ia demorar um pouco mais do que eu imaginava.

    Quando deu seis horas me assustei com o barulho vindo do corredor, mas era só o Jake levantando.

- Bom dia. – ele se assustou comigo, mas logo sorriu.

- Bom dia. – eu respondi como sempre abaixando a cabeça.

- Eu tenho que ir para o escritório, mas faz umas compras porque eu acho que eu não tenho nada na geladeira sem ser água. – ele começou a remexer na gaveta de uma das mesas da sala.

- Não precisa se incomodar comigo. – assim que eu o disse ele me deu aquele mesmo olhar sério de quando eu disse que ficava em qualquer lugar.

- Claro que precisa. O Josh vai comer o que? Tofu? – ele deu um sorriso brincalhão e foi impossível não sorrir também.

- Muito obrigada mesmo. – foi tudo que consegui responder.

- Ei. – eu sabia que ele só estava tentando me ajudar, mas quando ele se aproximava de mim meu coração parecia que ia parar de tão rápido que batia. – Não precisa ficar me agradecendo. – ele levantou meu rosto pelo queixo e nos olhamos diretamente nos olhos. – Eu achei que eu te conhecesse de algum lugar, mas de repente a gente se conhece de outra vida. – ele disse parecendo pensar alto e não falando realmente comigo.

- Acredita nessas coisas? – eu tentei sorrir mesmo estando nervosa.

- Não. – ele sorriu e se afastou de mim. – Mas sei lá. É estranho. Pensei nisso, na verdade, ontem à noite depois que voltamos da delegacia. Achei estranho me sentir tão próximo a você sendo que mal nos falamos duas vezes.

- Próximo a mim? – ele mesmo ficou sem graça depois de falar.

- Eu quis dizer que...

- Mãe? – a voz do Josh vinda do corredor interrompeu totalmente nosso assunto.

- Aqui, meu amor. – fui até a entrada da sala para que ele me visse e viesse em minha direção.

- Bom dia. – ele se agarrou as minhas pernas e cumprimentou o Jake meio desconfiado.

- Bom dia. – Jake disse e me entregou um dinheiro e uma chave que parecia ser do apartamento. – Eu vou avisar na portaria que você é minha hospede e essa é a chave da porta de entrada. Vai fazer compras!

- Tudo bem. Assim que eu chegar do trabalho, eu...

- Não! Você está de folga hoje.

- Mas, eu...

- Bella, você está de folga até quando eu achar que deve. Ok? – ele não foi rude, mas foi firme e eu não tinha como dizer não.

- Ok. – eu sorri enquanto ele sumia pelo corredor.

    Depois de uns quinze minutos ele saiu apressado e eu comecei a arrumar Josh para ir para escola. Troquei de roupa e quando ia passando pelo hall de entrada vi um bilhete com a letra do Jake.

Para o taxi.

    Abri o envelope e quase cai para trás.

- Nossa mãe! Quando dinheiro! – até Josh se assustou quando viu.

    Tinha duzentos dólares e ele disse que era pra o taxi. Taxi para onde? Forks!

- Eu sei filho. O Jake é bem exagerado! Vamos senão a gente se atrasa. – puxei Josh pela mão e saímos do apartamento.

- Mãe a gente vai de avião com esse dinheiro todo?

- Não! Você não vai de avião para escola!

- Poxa mãe!

Jacob

    Eu não conseguia me concentrar no trabalho. Eu ficava pensando nela, sozinha com Josh... E se o idiota aparecesse? Não! Eu liguei para delegacia e ele estava preso. Jake foco no trabalho!

    Assim que um furacão de salto scarpin invadiu minha sala olhei pra o relógio e vi o motivo do stress.

- Nunca mais me peça para buscar aquela noiva cadáver possuída! – Lee tremia e provavelmente era de raiva da Nessie.

- Ela reclamou muito? – perguntei com medo.

- Antes ou depois de me tratar como “mucama”? – eu achei que a Lee fosse voar em mim assim que falou.

- Eu vou ligar para ela.

- Eu acho bom! E fala para aquela lagartixa albina que se ela me chamar de preta mais uma vez, processo essa biscate por racismo. – no mesmo ritmo que entrou na minha sala ela saiu e eu sabia que apesar da raiva que ela estava sentindo iria chorar.

    Apesar de termos quase a mesma cor a Lee sempre sofreu mais preconceito do que eu. Eu era indígena e ela era negra. Eu era rico e ela trabalhava para ajudar os pais a pagar os estudos. Nós éramos quase da mesma cor, mas as pessoas sempre ficavam nos diferenciando em mínimas coisas e a coisa só piorou na faculdade, mas na verdade era assim desde que a gente era pequeno. A Nessie tinha o dom de fazer a Lee gritar e chorar ao mesmo tempo, isso me irritava. Às vezes eu fico me perguntando como eu sou capaz de estar noivo de uma pessoa tão capaz de aborrecer os outros.

    A Nessie era fútil e mimada, mas ela era a esposa que minha família sempre esperou que eu tivesse. Tão rica quanto nós e tão mimada e fútil como qualquer garota estúpida da nossa classe social. Eu namoraria como uma menina tipo a Lee, independente. Se a Lee não fosse uma irmã para mim eu podia namorar com ela. Com certeza minha vida seria mais fácil com uma mulher forte que agüenta as coisas e consegue ficar do seu lado que a barra está ruim. Mulheres tipo a Lee e a Bella... Eu girava e girava e meu pensamento sempre voltava nela. Eu realmente estava preocupado com ela e com o fato de ela estar sozinha.

    Cocei a cabeça e pensei em ligar para casa, mas primeiro eu precisava ligar para Nessie. E eu não estava com a mínima vontade de fingir que era simpático e tratá-la bem. Merda! Vai ter choro. Disquei os números no meu celular e no segundo toque sua voz estridente já estava enchendo meus ouvidos.

- O que você estava pensando quando mandou aquela idiota me buscar?

- Eu estava pensando que eu trabalho e que eu tenho mais o que fazer além de acompanhar seus horários. E ela não é idiota! É uma amiga que me fez um favor. – ela ficou calada na linha e eu sabia que isso era o inicio do choramingo. – Como foi de viagem? – mudei bruscamente de assunto e ela bufou, agora vinha novamente os berros.

- Primeiro você me trata como uma qualquer e agora quer saber como eu fui de viagem?

- Nessie quando você quiser falar comigo me liga. – desliguei na cara dela e me senti muito bem com isso, mesmo sabendo que em segundos ela iria retornar.

    Não demorou trinta segundos e o celular começou a tocar de novo.

- Está mais calma? – perguntei antes do alô.

- Porque você me trata assim? – ela gritava e chorava.

- Porque você age assim? – eu perguntei no meu maior tom de irritação.

- Assim como? – cobri os olhos com as mãos tentando afastar a culpa que o choro dela trazia. Se eu desse mole para Nessie ela me castrava depois de casado.

- Como uma vaca fútil. – eu disse de uma vez e ela deu um daqueles berrinhos estridentes.

- Você me acha uma vaca?

- Eu não disse isso. – na verdade disse, mas eu jamais ia admitir. – Eu vou te buscar para gente almoçar tá bom?

- Jake você ainda me ama? – ela perguntou de repente e eu fiquei sem ação, na verdade sem resposta.

- Porque quer saber isso agora?

- Você tá com outra né?

- Não tem outra, Nessie. A gente vai se ver e vai ficar tudo bem. Não precisa se preocupar. – eu sorri e com isso ela parou de chorar.

- Nosso casamento vai ser perfeito, não vai?

- Vai ser do jeito que você sempre sonhou. – eu respondi enfadonho e ela sorriu com a minha afirmação.

- Te vejo à tarde. – ela desligou antes que eu pudesse responder.

    Eu sabia que não era a Nessie que eu queria ver, mas não sabia se era certo correr para casa e ver quem eu queria ver.

Bella

    Eu não estava acostumado a andar na rua com tanto dinheiro e ainda mais sem ter o que fazer com ele. Passei o dia no mercado e comprei tanta coisa que realmente fui obrigada a voltar para o apartamento do Jake de taxi. Combinei de pegar Josh no metro assim que ele saísse da escola e assim o fiz.

    Enquanto voltamos para casa deixei ele tomar sorvete mesmo sabendo que ele não iria jantar depois. Ele passou por tanta coisa que hoje não era dia de cobrar. Quando voltamos para o apartamento Josh me ajudou na faxina e perto das seis já estava tudo limpo e arrumado. Cruzes! Ficou até parecendo outra casa.

- Josh vem jantar. – gritei da cozinha, mas antes que ele me respondesse ouvi o barulho de algo caindo no chão.

    Eu já vivia num grande estado de tensão então o barulho do choro do Josh depois de algo caindo só fez isso piorar. Segui o som dele e o achei numa sala que parecia ser o escritório do Jake.

- Mãe eu num fiz de propósito. Agarrou no pano... Aí quando caiu o detergente derramou. – Josh chorava e falava quase gritando quando eu finalmente olhei pro chão.

- Ah Meu Deus! – o projeto do Jake estava destruído.

    O detergente fez o desenho manchar e conforme secava a folha estava se contorcendo, não dava nem para copiar.

- Bella, a comida estava queimando e... – eu me enfiei na frente do Josh quando ouvi a voz do Jake. Ele parou na porta do escritório e ficou com mesma cara que eu quando viu o trabalho no chão.

- Desculpa. – Josh disse chorando ainda mais quando viu o Jake.

- Jake eu sinto muito. – eu consegui dizer, mas ele ainda não falava nada.

- Estava uma droga mesmo. Tudo bem. – ele conseguiu sussurrar, mas eu sabia que não estava nada bem.

- Foi sem querer. – Josh falou com ele e eu pensei que o Jake fosse explodir, mas ele só olhou para o Josh com toda atenção.

- Tudo bem, carinha. Eu faço outro. – do jeito que o Jake falou parecia fácil, mas eu sabia que não era. – Pode me deixar sozinho? – ele me pediu com os olhos brilhando e eu só concordei com a cabeça e sai do escritório.

     Josh não quis jantar. Eu também não estava no clima de jantar nenhum. Coloquei Josh na cama e voltei ao escritório para ver se conseguia falar com o Jake, mas ele não estava mais lá.

     Ele tinha material de desenho em casa e olhando a situação pensei: Porque não? Eu podia refazê-lo e ajudar um pouco quem me ajudou tanto.

Jacob

    Não me bastava à tarde horrível que eu passei com a Nessie, agora isso! Eu queria ficar irritado, mas eu não conseguia. Ele era uma criança e não entendia, e a Bella ficou apavorada com a possibilidade de eu encostar nele. Eu vi o medo nos olhos dela, mesmo que ela não demonstrasse.

    Merda! A reunião com o pessoal da Honda era amanhã de manhã e eu não tinha nada para apresentar. Ia ser um fracasso com certeza! Eu estava me preparando para deitar e chorar meu fracasso quando as batidas na porta do meu quarto me fizeram despertar.

- Oi. – ela disse quando eu abri a porta.

- Oi. Olha, eu já ia dormir...

- Tudo bem. Eu só queria que você visse isso. – ela me estendeu um esboço. Não! Aquilo era perfeito! Era o design, o estilo, a inovação que eu estava procurando.

- Você fez isso? – eu abri a porta do quarto e a puxei para dentro.

- Fiz sim. Eu queria copiar o seu, mas eu não me lembrava direito. Ai eu fiz esse e eu sinto muito mesmo.

- Eu nunca vi nada tão bom. – consegui falar e ela se calou.

- Não é nada. – ela disse e me deu um sorriso.

- É sim. Estudou Desenho Industrial?

- Mais ou menos, na verdade vim para Nova York fazer Design. Mas acabei grávida e aí... O resto você já sabe.

- Você vai amanhã comigo na reunião. – eu disse com um sorriso confiante e ela se assustou.

- O que?

- Isso mesmo. Vamos juntos na reunião e eu vou apresentar minha nova designer. – ela estava parada e sem expressão até que suspirou e engoliu em seco.

- Nova designer?

- É! – abri um largo sorriso e ela também.

       Meu sono foi embora e parece que a novidade afastou o dela também. Voltamos para o escritório e ficamos discutindo o que seria válido apresentar na reunião da Honda. A Bella ficou parada do meu lado bem próxima a mim e seu cheiro foi me aplacando a cada palavra que ela dava, essa noite eu sabia que o sono não voltaria mais.



Notas finais do capítulo

N/A: Olá lindas, muitas att's hj eu sei...rsrsr. Tô tentando me redimir...rsrsrs. Obrigada a todos os reviews. Vou sentar meu rabinho e responder um por um. Posso ser pidona? Nem sei, mas vou pedir assim mesmo...kkkk. Num tô merecendo recomendação? Poxinha só ganhei uminha. Tá ruim ou tô de castigo?..rsrsrs. Brinks amores, obrigada pelo carinho da maioria de vcs.
Bjks, Katy Clearwater.


N/B: Ain tá tão lindo esses dois né? É tão natural e espontâneo que o sorriso não sai mais da minha cara gente! Muito lindos esses dois!*.*

O Josh falando poxa mãe foi D+, eu ri... Gostei muito do menininho mesmo sendo filho do Mikebosta!kkkkkkkkkkkkk

Não me agüento para ler o próximo! Gente e os reviews? E as recomendações? Merece vai, está linda, linda essa fic!

Beijos e até o próximo

Alemorais