Simple Love escrita por Katy Clearwater


Capítulo 4
Capítulo três





Capitulo três:


Bella

    Ótimo! Eu não tinha problemas o bastante? Agora que meu chefe sabe do meu problema com o Mike cada dia vai ser um desespero com meu medo de ser mandada embora. Fiz hora extra no trabalho e evitei de todas as formas ir ao andar do Sr. Black. Eu não queria cruzar com ele de novo.

    Sai do trabalho e passei no mercado para comprar as coisas que o Mike tinha destruído com o seu piti e depois fui para casa. Achei estranho chegar em casa e não escutar nenhum barulho, como o do Josh vendo TV ou qualquer coisa do gênero, mas não me preocupei de imediato. Não me preocupei até que entrei e vi Mike sentado no sofá da sala com um cara estranho.

    Passei os olhos pelo apartamento e não vi Josh em parte alguma. Meu coração apertou violentamente com isso. Passei direto pela sala e coloquei as sacolas na cozinha. Quando me voltei para sair da cozinha e procurar Josh, Mike bloqueou meu caminho.

- Vai me fazer um favor hoje. – ele disse perto do meu rosto e seu bafo me fez enjoar.

- Tá. – respondi e tentei desviar, mas ele me segurou pelo braço.

- Mas é agora sua idiota. O cara lá na sala é o Tyler, um parceiro meu. – ele se apoiou na soleira da porta me impedindo de sair do cômodo. – Eu devo uma grana para ele. Nada demais! Só $150,00 dólares. – eu fiquei de boca aberta com o cinismo do Mike.

- Mike, eu não tenho esse dinheiro. – eu disse ficando desesperada.

- Tanto faz. Ele gostou de você e se você transar com ele vai estar pago. Achar uma puta limpinha não é fácil e ele disse que você é cheirosa. – eu encostei na mesa da cozinha para não cair no chão com o susto. Ele ia me fazer de puta para pagar suas dividas com cachaça?

- Mike, eu sou sua esposa! Você não pode me fazer de vadia. – assim que eu terminei de falar um tapa forte me fez cair sentada no chão.

    Meu rosto pegava fogo e eu chorava compulsivamente, mas uma preocupação maior me fez despertar.

- O que você fez com Josh? – eu chorava demais e minha voz saiu embargada, mas ele entendeu a pergunta.

- O fedelho está trancado no banheiro, mas isso não interessa! Vai lá e agrada o Tyler. Ele disse que se você for boazinha até me dá uma grana. – Mike me puxou pelo cabelo e me fez levantar do chão. – Limpa essa cara e vai para o quarto. – ele me empurrou e eu bati com o ombro na porta da cozinha, mas isso não o inibiu de continuar me empurrando.

    Eu pensei em desviar e ir até o banheiro ver Josh, mas ele sentiu meu vacilo e novamente me puxou pelo cabelo me fazendo ir em direção ao quarto. Ele me empurrou com tanto força dentro do quarto que eu cai no chão e só não machuquei o rosto no baú por alguns centímetros de diferença.

- Tyler chega aqui. – Mike chamou e alguns segundos depois o homem já estava na minha frente.

    Ele era alto e tinha a pele bronzeada. O corpo lembrava o de um homem que pratica esportes, mas o cheiro denunciava que ele era tão esportista quanto o Mike. Ou seja, o único esporte que praticava era o de levantar copos.

- Ela é meio fresca, mas é só ignorar que ela cala a boca. – Mike deu um tapinha no ombro do cara e saiu do quarto.

    O homem veio andando em minha direção e parou de frente para mim. Ele abaixou o corpo e alisou meu rosto antes de puxar meu cabelo pela nuca me fazendo levantar.

- A gente vai se divertir bastante se você colaborar. – ele falou ameaçador e mordeu meu pescoço.

    Eu senti nojo e um bolo se formou na minha garganta para vomitar, mas eu sabia que isso só faria ser pior. Fechei os olhos e chorei pedindo a Deus que pelo menos tudo acabasse rápido.

Jacob

- Jacob Black eu não acredito! – tirei o telefone do ouvido quando a Lee berrou.

- O que você queria que eu fizesse? Ela me evitou o dia inteiro no escritório! Se ela morrer eu vou-me sentir culpado.

- Morrer? Ela não morreu até hoje e não iria morrer até amanhã. Eu devia ir aí e te matar eu mesma! – eu entendia a irritação da Leah.

    Mesmo passando por dificuldades ela não morava num bairro ruim. Tudo bem... Ninguém aqui dirigia um Porshe e todo mundo que passava olhava para minha cara e para o meu carro, mas não é como se eu fosse ser seqüestrado ou algo do gênero. Certo?

- Lee, agora eu já estou aqui na porta do prédio dela e eu vou tentar subir. Só liguei para dizer onde eu estou, caso...

- Caso o marido te de um tiro? Ok! Estou avisada. – ela sorriu sarcástica e desligou. A Lee era um amor quando queria, o que agora não era o caso.

    Fiquei parado na porta do prédio dela sem saber se batia ou não. Eu parecia um tarado ou psicopata esperando alguém e as pessoas começaram a me reparar. Droga! Daqui a pouco iam chamar a policia para mim.

    Estava quase desistindo quando uma Senhora extremamente gorda e com umas vinte sacolas a mais do que conseguia carregar começou a subir a escadinha do prédio.

- Deixa eu ajudar a Senhora. – primeiro a mulher me olhou assustado e depois me entregou algumas sacolas.

- Obrigada meu filho. Esperando alguém? – ela perguntou enquanto abria a porta do prédio.

- Na verdade eu estava pensando se a Senhora não poderia me deixar entrar. Eu gostaria de ver Isabella Swan. – ela me olhou confusa quando eu disse.

- Se for algum problema com aquele asco de marido dela não a incomode. A menina já sofre tanto em criar o filho e ser casada com aquilo. Não a importune, por favor. – a voz da mulher saiu como uma suplica.

- Não quero importunar. Quero ajudá-la. – a mulher me analisou e depois sorriu de lado ainda desconfiada.

- Você sabe que Deus castigaria mesmo um rapaz tão bonito quanto você se mentisse para uma velha?

- Sei sim. – eu sorri educado e quando ela abriu a porta me convidou para entrar.

    Peguei o elevador com ela e fomos conversando sobre a Bella. Ela disse que ninguém do prédio se metia e que já tinham tentado despejá-los devido aos escândalos que o marido dela fazia, Mike era esse o nome dele segundo a Senhora.

- Eles moram no último apartamento no fim do corredor. Acho que o Mike está em casa, então cuidado. – eu a ajudei a colocar as bolsas na entrada do apartamento e nos despedimos.

   Caminhei para o apartamento de Bella agora pensando em tudo que a Lee havia me dito. Jake, para de ser idiota! O cara não vai te dar um tiro ou coisas assim. Bati na porta do apartamento e nada aconteceu. Bati novamente com mais insistência e depois de alguns palavrões a porta se abriu.

- Quem é você? – o bafo do cara era de matar e ele ainda tinha a aparência imunda, parecia ser bem mal educado.

- Jacob Black. Eu sou chefe da Isabella e quero falar com ela.

- Você limpa chão? – ele começou a gargalhar e eu fiquei imaginando se ele era retardado ou algo assim.

- Não. – respondi de forma rude e ele parou de rir.

- A Bella está ocupada e não pode te atender. – ele ia bater a porta na minha cara, mas eu o impedi colando o pé na porta.

- Eu posso esperar. – eu disse com arrogância e ele bufou.

- Não! Não pode! – ele forçou mais a porta e eu ia ceder quando comecei a escutar umas pancadas vindas de dentro do apartamento.

- O que foi isso? – eu perguntei empurrando a porta e forçando-a se abrir totalmente.

- Não é da sua conta mauricinho. – eu o empurrei enquanto ele tentava dar uma de macho e entrei no apartamento.

    Segui pelo corredor e percebi que as pancadas eram atrás de uma porta que parecia ser de um banheiro. Eu tentei abrir, mas a porta estava trancada.

- Abre a porta. – eu gritei para ele enquanto ele cambaleava pelo corredor em minha direção.

- Vai se fuder. – eu queria socar a cara dele, mas as batidas não paravam.

- Sai de trás da porta. – eu gritei para a pessoa que estava lá dentro. A minha intuição me dizia que não era a Bella.

    Comecei a chutar a porta e de primeira a madeira só rangeu, mas depois de quatro chutes seguidos a porta se escancarou e o bêbado ainda estava no corredor só me xingando. Quando a porta abriu vi que minha intuição estava certa. Dentro banheiro havia uma criança com as mãos amarradas nas costas e uma fita tapando a boca.

    O menino chorava e o rosto estava bem vermelho, vi que as batidas eram chutes que ele dava na porta. Abaixei e comecei a soltá-lo.

- Cadê minha mãe? – ele gritou e saiu correndo pelo corredor dando vários tapas no cara que deveria ser seu pai.

- Para moleque. – o idiota empurrou o menino com tanta força que ele bateu com a cabeça na parede e caiu meio tonto e chorando.

- Você ficou maluco? – eu parti para cima dele e o levantei do chão pelo menos dois centímetros.

    Eu estava pronto para bater nele quando ouvi um barulho e agora meu coração deu um pulo como se de alguma forma eu soubesse que era a Bella. Joguei o idiota no chão e abri a porta, esta não estava trancada.

    Meu coração quis sair pela boca e eu pensei em vomitar, mas me segurei. Tinha um merda em cima dela, ela estava de quatro na cama e o idiota estava usando uma violência absurda para quem tem a intenção de fazer sexo. Da porta eu podia ouvi-la chorando e abafando os gritos no travesseiro, mas o idiota parecia gostar.

    Pensar foi algo que parei de fazer assim que meu sangue ferveu. Parti para cima do cara e lhe dei um soco que o fez cair da cama. Ela caiu deitada e chorando ainda mais, mas não olhou para mim. Eu peguei o babaca do chão pelo pescoço e o joguei para fora do quarto o cobrindo de socos e pontapés. Eu queria parar, mas meu corpo estava de tal forma que eu só agia e não pensava. E minha ação no momento era bater, bater e bater mais.

     Mike pulou em cima de mim tentando separar ou se meter na briga, mas o máximo que conseguiu foi apanhar também e nele eu batia com uma vontade que me fez ficar preocupado com meu estado mental. Ele não ia nunca mais encostar nela! Eu não ia deixar.

- Aí meu Deus! Josh! – a voz de Bella me fez despertar e eu soltei aquele merda no chão. – Josh, meu amor fala com a mamãe? – ela pegou o menino no colo e chorava compulsivamente.

- Pega suas coisas, vamos embora. – eu a puxei de volta para o quarto e peguei o menino no colo.

- Eu não tenho onde ficar. – ela disse chorando desesperada.

- É claro que tem. Vai ficar comigo e eu vou te levar na delegacia e no hospital. Pega sua bolsa e as coisas do menino. – ela me olhou assustada, mas sem se mover. – Tudo bem! Vai ficar tudo bem agora. – sequei seu rosto com a ponta dos dedos e ela fez que sim com a cabeça antes de correr para se arrumar.

    Quando olhei para o chão vi o estrago que tinha feito. Tanto o babaca quanto o marido estavam desmaiados. Ótimo! Isso não vai cair bem na hora da Bella denunciar o idiota! Ela não demorou nem cinco minutos pegando uma mochila com algumas coisas dela e outra com as coisas do menino.

   Saímos do apartamento dela e fomos direto a delegacia. Ela e Josh fizeram exames e prestaram depoimentos por horas. Conseguimos sair da delegacia por volta da uma da manhã e eu estava um caco. Droga! Eu tinha uma reunião às sete.

- Obrigada. – ela sussurrou enquanto eu dirigia para o meu apartamento.

- Disponha. – eu consegui sorrir para ela, mas ela não sorriu de volta. Mesmo mais calma as lágrimas caiam silenciosas de seus olhos. Vê-la triste estava me matando.

    Estacionei na garagem do meu prédio e subi pelo elevador de lá mesmo. Josh dormia no colo dela, mas eu fiz questão de levá-lo. Afinal ele pesava muito mais que as mochilas.

- Fica a vontade. Está meio bagunçado porque eu estou sem empregada, mas amanhã eu vejo alguém. – eu falei antes de abrir o apartamento.

- Eu fico em qualquer lugar. Não tem problema. – ela mordeu o lábio quando eu a encarei mais irritado.

- Não! Não fica não. – nós entramos e quando eu acendi a luz até eu me assustei. Eu precisava ter um papo com a vassoura. Sério! – Desculpe por isso. – tirei uma caixinha de comida chinesa de cima do meu notebook. O troço devia estar lá há dias.

- Tudo bem.

    Mostrei o quarto de hospedes para ela e coloquei Josh na cama. Era o único cômodo não zoneado da casa.

- Tem um banheiro aqui. Eu vou deitar, mas qualquer coisa me chame. – eu a disse enquanto ela analisava o quarto.

   Sua ação foi muito rápida e eu não tive tempo de me preparar. Quando dei por mim ela estava em meus braços me abraçando pela cintura e eu a abraçava de volta. Ela era tão pequena, frágil e indefesa, mas nada disso me remetia pena e sim um incontrolável desejo de protegê-la. Eu me sentia necessário na vida dela e isso é difícil nos tempos de hoje, onde as mulheres são sempre mais independentes e melhores que os homens. A Bella era forte, aturou os maus tratos tanto tempo, mas também era frágil e isso me intrigava. Mesmo sendo necessário a ela eu não era primordial. Confuso! Mas meu coração queimava pensando em tudo isso.

- Obrigada. Eu nunca vou poder te agradecer o bastante. – ela chorava com a cabeça encostada no meu peito e eu afaguei seu cabelo.

- E não precisa. Eu fiz o certo. – abaixei e beijei o topo da sua cabeça, mas seu corpo tremeu e ela se afastou. Jake, seu mula imbecil a mulher acaba de ser estuprada e você vem de beijinho? Eu devia me enfiar a porrada agora.

- Você é único, sabia? – e diferente do que eu pensei ela não pareceu aborrecida comigo.

- São seus olhos. – eu disse me afastando e indo para porta. – Boa noite Isabella.

- Boa noite Jacob.

- Me chama de Jake, já disse.

- E não me chame de Isabella, só Bella. – eu sorri enquanto encostava porta.

- Ok! Boa noite, Bella.

- Boa noite, Jake. 

    Sai do quarto e a ouvi se movendo, provavelmente para tomar. Afastei todos os pensamentos malditamente obscenos que eu tinha com a possibilidade de vê-la nua e fui para meu quarto. Eu não me lembrava de pensar nela como mulher antes de ir aquele apartamento, mas agora eu pensei e deveria me bater. Ela está frágil e a última coisa que ela precisa é de um babaca tarando ela.



Notas finais do capítulo

N/A: Ai gente é possível amar mais o Jake? *-* Num sei não, mas acho que eu tenho mais um lugarzinho para ele no meu coração.

Bjks amores, Katy Clearwater


N/B: G-Zuuuuiiiis! Tem condição? Como eu escrevo uma nota descente depois desse capítulo? É tanta coisa que eu queria comentar, falar suspirar me irritar, enfim dividir minhas opiniões com vocês... Mas ai a nota não teria fim!kkkkkk

O Jake é perfeito e tudo de bom, como a Katy consegue melhorá-lo em cada linha que escreve? Eu não sei a resposta, mas sei que isso merece muitos reviews e recomendações por ser Simple Perfect!kkkkkkk

Ai queria escrever mais uma porrada de coisas, mas não vou encher mais o saco de vocês!

Beijão Galeraaa

Alemorais