Simple Love escrita por Katy Clearwater


Capítulo 18
Capítulo dezessete





Capítulo dezessete:

.

Jacob

Leah estava mais uma vez ao meu lado tentando me fazer comer, Josh estava aninhado aos pés da mãe visivelmente abatido e mais magro. Minha mãe vinha e ia sem que eu me desse conta de sua presença, eu sabia que ela estava mais preocupada com o escândalo que se estabeleceu com o nome da nossa família desde que Nessie foi presa do que com meu estado, mas eu a ignorava. Ultimamente ignorava tudo.

Há duas semanas os médicos tinham tirado toda aparelhagem e deixado Bella em coma induzido. Eles diziam sempre que o quadro dela era estável, mas eu não via isso. Ela não estava bem, eu não estava bem. Nada estaria bem até que ela acordasse.

– Jake passar fome não vai fazê-la acordar. – Leah usou seu tom acido para chamar minha atenção, mas essas semanas me deixaram imune ao humor volátil da minha amiga. – Jacob Black! Eu vou à cantina, vou pegar comida e você vai comer. – dizendo isso ela saiu batendo a porta.

Josh levantou a cabeça e me olhou triste forçando um sorriso de lado, mas logo voltou a se acomodar perto da mãe. Estalei o pescoço tentando me recompor o máximo para levantar, chegar perto dela sem chorar, passar força para Josh e assumir o controle dessa situação, mas minhas forças e vontades estavam em coma naquela cama há um mês.

– Jake? – Josh me chamou.

– Fala campeão.

– Quando minha mãe morrer para onde eu vou?

Fiquei chocado, apenas parado com a boca aberta encarando o menino com voz chorosa que me olhava sentando na cama esperando uma resposta. O que eu posso falar? Eu não tinha nada para falar. A pergunta certa é: para onde EU vou quando a Bella morrer?

– Jake o que houve? – senti Leah me puxando para fora do quarto, mas nem me lembrava de tê-la visto voltar. – Jake, você precisa se controlar. – sem sentir eu estava aos prantos, meu corpo convulsionava com o choro, mas eu não tinha exato controle sobre minhas lágrimas, apenas as tinha ali. – Jake! – Leah gritou e me deu um tapa.

Algumas enfermeiras pararam no corredor e olharam horrorizadas. Outras apenas sorriram e seguiram sem dar importância para o fato.

– Você precisa se acalmar. O que aconteceu? Eu te deixei bem e quando volto, depois de o que? Cinco minutos? Você está chorando que nem criança que perdeu o caminhão do sorvete.

– A Bella vai morrer? – perguntei desesperado realmente parecendo uma criança.

– Jake, eu...

– O Josh me perguntou e eu não sei o que dizer. Eu sei, mas eu não quero ouvir. Eu sei, mas não quero acreditar. Então me diz Leah, diz que eu vou entrar naquele quarto e que a Bella vai estar acordada e ela vai querer ir para casa. Que nós vamos nos casar e que o Josh vai ser o primeiro filho de muitos. Diz que a minha vida não está escapando pelos meus dedos porque eu não vou aguentar perder a Bella. Eu não sei o que fazer, não sei responder a pergunta de uma criança, eu não sei nem se quero viver num mundo onde a Bella não exista.

– Precisam de ajuda? – uma enfermeira perguntou.

– Sim, um pouco de água, por favor. – Leah respondeu e me puxou para sentar.

Logo a enfermeira voltou com a água, eu rejeitei. Não queria droga de água nenhuma, na verdade não estava querendo nada ultimamente.

– O Dr. Cullen está no hospital? – Leah perguntou a enfermeira.

– Posso verificar.

– Por favor, verifique. E peça que venha até aqui.

A enfermeira se afastou com a água rejeitada com passos apressados. Leah segurava minha mãe e aos poucos consegui parar de chorar.

– Para que chamou o Edward aqui? Ele não é o médico da Bella. – perguntei.

– Porque você confia. Se não confiasse não teria transferido a Bella em estado grave para um hospital onde ele é o responsável. Isso tudo mesmo ele sendo irmão da mulher que colocou a Bella nessa situação. Então se tem alguém nesse lugar que pode te dizer que a Bella vai ficar bem e que é para você se acalmar é ele.

Continuamos sentados ali por volta de meia hora até que Edward aparecesse. Edward parecia abatido, porém extremamente feliz. Tânia havia dado a luz a Beck há pouco mais de uma semana.

– Oi Jake. – ele me cumprimentou com um sorriso triste.

– Oi. E Tânia e as crianças?

– Bem e obrigado por perguntar. Então... Acho que quer falar sobre a Bella, certo?

– Precisamos falar sobre a Bella. – Leah se intrometeu.

– Eu não quero saber. – levantei, mas Edward me puxou pelo braço.

– Jake, por favor, se acalme e sente-se.

– Não. Para você me dizer que ela vai morrer? Não, obrigado.

– Jake, a Bella não vai morrer. Na verdade ela pode acordar a qualquer momento. Só não sei exatamente quando.

Leah se levantou com ar de choque e eu dei um passo na direção de Edward em estado de total surpresa.

– Não fala isso para mim sem ter absoluta certeza.

– Jake a Bella está sendo mantida sedada. Dei uma olhada no prontuário dela antes de vir falar com você e vi que estão diminuindo os sedativos, ou seja, ela pode acordar a qualquer momento. Mas vamos ter que verificar se houve alguma sequela e acompanhar sua recuperação.

– Ela vai acordar? – perguntei sobre a única parte em que realmente prestei atenção.

– Vai, mas...

Não deixei Edward terminar de falar e voltei para o quarto. Bella ainda dormia, Josh estava encolhido ao lado dela e me olhou assustado quando entrei.

– Jake, desculpa... – ele começou.

– Ei, campeão. Me desculpe você. Tudo bem?

Ele fez que sim com a cabeça e ficou de pé na cama vindo me abraçar.

– Josh, eu quero que vá com a Leah hoje.

– Jake, eu não quero. Quero ficar com você e com a minha mãe. – ele se agarrou mais forte a mim.

– Josh o Jake precisa ficar um tempo com a sua mãe. Prometo que amanhã te trago de volta bem cedinho.

Josh a muito contra gosto foi com a Leah. Edward esperou até que os dois saíssem para falar comigo de novo.

– Precisa de algo? – ele perguntou.

– Preciso que ela acorde. – respondi.

– Jake isso não vai acontecer de uma hora para outra.

– Então não preciso de nada, obrigado.

Edward sorriu e caminhou para sair, mas parou quando já estava com a porta do quarto aberta.

– Jake não se desespere mais, se precisar de qualquer coisa mande me chamar. Ver um marmanjo do seu tamanho chorando é triste de maneiras inomináveis. – acabei rindo da sua ironia.

– Vaza daqui ou você vai ser o marmanjo chorão. – tentei descontrair.

– Bem melhor. Está parecendo mais você.

Edward saiu e bateu a porta atrás de si me deixando a sós com Bella. Ela estava ainda no mesmo estado, mas eu não me deprimi tanto quando me peguei a encarando por minutos.

Puxei a poltrona até que ficasse do lado da cama e sentei segurando sua mão. Não que aquilo fosse passar alguma força para ela, mas passaria para mim. Senti-la me acalmava e dessa calma eu teria que tirar calma e paciência para esperar.

.

Bella

Tentei me mexer, mas meu corpo parecia ter passado por um moedor milhões de vezes. Meus olhos estavam tão pesados que poderia ter um quilo de areia neles. Tentei mover os dedos e senti algo entre eles. Movi a cabeça para ver o que era, mas me arrependi logo no primeiro movimento.

Nossa, pelo estado do meu corpo eu deveria estar dormindo a eras. Porque o Josh não me acordou? Será que eu perdi a hora do trabalho de novo? Eu sabia que ficar de favor na casa do chefe ia dar nisso.

Depois de muito esforço consegui abrir os olhos e observar o ambiente ao meu redor. Parecia um quarto de hospital, mas o que eu estava fazendo num hospital? Como eu vim parar aqui? E porque minha cabeça pesava uns duzentos quilos?

Virei para o lado e vi o Sr. Black sentado numa poltrona. O que eu sentia entre meus dedos era sua mão. Ótimo! Além de acordar desorientada, ainda tem meu chefe segurando minha mão.

Tentei me mexer sem fazer barulho, mas assim que mexi um dedo que estava na mão que o Sr. Black segurava ele acordou.

– Bella? – ele chamou meu nome com uma voz tão profunda e apaixonada que estranhei. – Bella, fala alguma coisa?

– Oi? – disse sem saber mais o que dizer.

E então ele me beijou. Sem me dizer nada, sem preâmbulos, apenas me beijou. Eu senti meu corpo todo ficar a vontade com aquele beijo e com aquele toque, mas minha mente ainda dava mil voltas. Porque eu estava beijando meu chefe? Como eu vim parar no hospital? O que aconteceu?

Quando nos separamos do beijo ainda olhava para o Sr. Black apreensiva e ele me olhava como se conhecesse até meu último segredo.

– Que foi? – ele perguntou.

– Porque me beijou? – a minha confusão tomou o rosto do Sr. Black também.

– Porque não beijaria? – seu sorriso torto fez meu coração disparar.

– Porque sou sua funcionária e o senhor é noivo. – ele me olhou extremamente confuso e se sentou na cama de forma mais reta.

– Bella, qual é a última coisa da qual se lembra?

– De ir para sua casa depois do Mike... – não gostava dessa lembrança, mas algo mais fez minha cabeça doer. – Depois eu... – novamente a dor de cabeça.

– Bella está sentindo algo?

– Porque está todo preocupado comigo? – perguntei desconfiada.

– Porque eu te amo, oras.

Mesmo com dor me levantei a cabeça e encarei seus olhos. Mas não consegui me manter por muito tempo. Era horrível, de repente eram flashes e depois era só dor, depois mais flashes, vozes e então um dor incomoda e constante.

Ouvi quando o médico entrou no quarto. Ele me tocou, tentou colocar uma luz nos meus olhos, mas desviei. Acho que era a claridade do quarto que estava me fazendo ter essa maldita dor de cabeça. A dor me incomodou só por alguns segundos, pois logo apaguei de novo.

Dessa vez quando acordei meus olhos não estavam mais tão pesados e nem minha cabeça. Olhei em volta do quarto e estava sozinha dessa vez. Parei encarando o teto e logo os malditos flashes voltaram. O Mike me batendo, o Tyler... Depois o Sr. Black... O desenho manchado... O beijo... A sua ex-noiva... E ele... Ele me ama... Jake... Sim, ele me ama, eu me lembro disso. Eu ainda estou perdendo algo, mas disso eu lembro.

Eu precisava vê-lo, falar com ele. Levantei e tentei ficar de pé, mas cai levando o telefone que ficava ao lado da cama comigo para o chão. Mas que merda! Quanto tempo dormi?

– Bella?

Ele chamou desesperado quando entrou no quarto. E por um minuto eu me vi como sempre no chão, mas ele estava lá. Aquele olhar de preocupação. Não de pena. Um olhar de real preocupação. Não um cavaleiro numa armadura reluzente, e sim alguém para me puxar do fundo. Não, eu não lembrava ainda como. Apenas sentia, meu coração poderia explodir de tanto amor agora mesmo. E eu não me importava como, só importava que eu o amava. E amava demais.

– Porque saiu da cama? – ele me ergueu em seus braços e me pôs de volta no colchão.

– Eu queria te ver. – pensei que morreria de vergonha ao dizer isso, mas não. Soou bem natural.

– Lembrou de mim? – ele perguntou animado.

– Não. – respondi sinceramente e seu sorriso sumiu aos poucos. – Mas lembro que te amo. Não sei por que, mas essa lembrança é muito viva. Nem como foi. – ele sorriu novamente e acariciou meu cabelo.

– Não importa como. – ele disse.

– Onde está o Josh?

– Com a Leah. Ele já está vindo para cá.

– Com a Senhorita Clearwater? – perguntei confusa tirando uma gargalhada dele. – Não ria de mim Sr. Black.

– Essa sua amnésia ira me fazer rir durante um tempo. E me chame de Jake, Isabella.

– Me chame de Bella, por favor. – pedi torcendo o nariz.

– Prefiro te chamar de minha.

Ele sorriu e novamente me beijou. Minha? Sim, eu sentia, mesmo sem lembrar, que era e sempre seria dele.



Notas finais do capítulo

N/A: Cara... Minha beta é chata! #prontofalei. Eu devia ter aproveitado a fase PC defeituoso dela para acabar com a Bella, mas eu sou boa demais #sóquenão rsrsrs. Então meninas esse é o penúltimo cap da fic. Demorou, mas chegou eehhhhh rsrsrs. Eu sei que ficou muito menininha, muito xumeralas, mas essa fic é muito menininha (assustador para mim não? hahaha) então relevem a autora que vos fala.
Bjks, Katy Clearwater.
.
N/B: Ain... Posso escrever? Posso? Posso?
MINHA BELLA ESTÁ VIVAAA! AÊÊÊÊ
Nunca tive que me empenhar tanto para salvar a vida de alguém antes gente, a autora é dura na queda e com tendências assassinas!kkkkkkkkkkkkk
Sempre fui fan de novela mexicana, é quase um conto de fadas com mansões, carros de luxo e maquiagens que sobrevivem uma noite de sono. E por isso adoro comas e amnésias, é como se começasse a história do zero e criasse mais possibilidades. Já viram que eu estou mais feliz que pinto no lixo!kkkkkkk
Agora é se preparar para o final... #Oremos
Mandem reviews só para garantir que ninguém mais (além da Nessie e Mike) morra, porque se não a autora pode encontrar um personagem dando sopa e já era!kkkkk
Alemorais



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Simple Love" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.