Simple Love escrita por Katy Clearwater


Capítulo 16
Capítulo quinze





Capitulo Quinze:


Jacob


Eu sempre gostei de trabalhar, mas desde que Bella chegou na minha vida estar em casa era melhor do que qualquer outra coisa. Depois de uma longa manhã de reuniões e ainda aturar o desgraçado do Alec perguntando como a Bella estava eu merecia almoçar com a minha família. Mas meus planos foram frustrados quando Leah literalmente despejou na minha mesa um rio de projetos que precisavam da minha aprovação... Ou não.

Acabei almoçando pelo escritório mesmo e minha tarde foi consumida em segundos por trabalho e mais trabalho. Já estava perto das 18 horas quando Angela timidamente bateu a minha porta e entrou com seu típico ar de por favor não me mate. Vou ter de pedir a Bella para conversar com ela sobre isso.

- Senhor Black, eu compreendi que o Senhor não quer ser interrompido, mas uma Senhora Peterson já ligou inúmeras vezes pedindo para falar com o Senhor.

- Tudo bem, pode passar. - Angela respirou aliviada e praticamente fugiu da minha sala.

Depois que ela fechou a porta não demorou para o ramal tocar. Eu não gostava de ser interrompido, pois quebrava minha concentração, mas se a pessoa liga insistentemente mesmo diante de várias respostas negativa é porque deve ser importante.Depois de três toques do ramal atendi.

- Jacob Black.

- Senhor Black desculpe incomodá-lo...

- Pois não. - a incentivei a continuar.

- Eu sou diretora da escola onde Josh Newton estuda.

- É Josh Swan. - escutei a voz de Josh no fundo brigando com a diretora.

- Algum problema? Ele ficou de castigo ou algo assim? - já era bem fora do horário dele estar na escola isso eu sei.

- Não. É que desde que a Senhora Swan se mudou alguém sempre vem buscar o menino e hoje não apareceu ninguém...

- Como assim não foi ninguém? - sem querer a cortei de forma grosseira.

- Desculpe, eu não estou procurando causar nenhum transtorno, mas a Senhora Swan não apareceu para buscar Josh e também não atendeu ao telefone residencial que deixou para contato. E bem... A escola vai fechar.

- Eu vou buscá-lo. Perdão pelo transtorno e obrigado por ligar.

Desliguei o telefone procurando ficar calmo, mas pensar que Josh passou a tarde toda na escola sem almoçar, sem descansar... Aquilo me deixou a beira de um ataque de nervos.

- Angela o que seriam inúmeras vezes para você? - antes que ela respondesse a cortei levantando um dedo - Mais alguém me ligou?

- Sim, Senhor. - ela respondeu quase chorando.

- Angela quantas vezes essas pessoas me ligaram? - eu tentei controlar o ódio na minha voz, mas pelo olhar desamparado de Angela não funcionou.

- A Senhora Peterson ligou oito vezes e a Senhora Lamar ligou doze...

- Doze vezes? E nenhuma das vezes você pensou em me perguntar se eu poderia atender? Tipo na segunda vez que ela ligou depois de você dizer que eu não poderia atender. - eu acabei explodindo em berros e Angela se encolheu e chorou na cadeira.

Agora você é um tirano Jake. Parabéns! O mundo está mesmo precisando de mais pessoas idiotas e sem paciência assim como eu.

- Angela, por favor, não chora. Eu... Desculpe-me. Eu estou estressado, sei que não tem perdão. Prometo que não vai se repetir. - ela me olhou assustada e se mexeu minimamente para pegar um lenço na gaveta.

- Tudo bem, Senhor Black. Eu sou muito chorona mesmo. O erro foi meu, o Senhor tem toda razão.

- Angela, nada disso. Eu não deveria ter gritado com você. Isso foi totalmente inapropriado e... - respirei fundo tentando me acalmar. - A Senhora Lamar não é a sindica lá do meu prédio? - perguntei tentando associar o nome a pessoa.

- Sim, Senhor. Achei que o que ela quisesse com o Senhor poderia ser resolvido quando estivesse em casa. - ela me lançou um olhar de quem pede desculpas.

- Tudo bem, tudo bem... Eu vou para casa agora. Você também deveria. - ela concordou tentando dar um pequeno sorriso, mas eu sabia que assim que eu saísse ela começaria a chorar de novo.

Dirigi no limite da velocidade até a escola de Josh e realmente não consegui definir se o maior sorriso a me ver era o de Josh ou da Senhora Peterson. Ela já estava com a bolsa na mão e a escola trancada esperando apenas que eu o buscasse para ir embora. Passei com Josh numa lanchonete de fast food e comprei umas porcarias para levar para casa. Bella com certeza iria querer me matar, mas depois de passar toda tarde esquecido na escola o menino merece.

Agora que estava com Josh comigo consegui me preocupar com Bella. Será que ela se distraiu tanto com a planejadora de casamentos? Ou será que saiu e não voltou a tempo de buscá-lo na escola? Mas no caso da segunda opção ela teria me ligado. Ela nunca fugiria sem Josh, a presença dele é garantia da presença dela. A não ser que... Não, não, nada aconteceu.

- Jake cadê minha mãe? - Josh perguntou com a boca cheia de batata frita.

- Não sei, vamos para casa e procuramos por ela. - ele sorriu me deu a mão suja de catchup e caminhou comigo de volta para o carro.

Quando entrei no carro meu celular piscava com vinte chamadas não atendidas da Leah. O que a Leah queria de tão urgente? Meu dia estava sendo muito atípico e isso começou a me aborrecer profundamente. Tentei não transparecer meu nervosismo, mas Josh notava tudo.

- Jake aconteceu alguma coisa? - ele perguntou enquanto se enrolava com o cinto e as batatas.

- Nada campeão, não aconteceu nada. - tentei tranqüilizá-lo enquanto discava para Leah.

- Jake, onde você está? - ela atendeu no primeiro e já saiu falando.

- Estou indo para casa.

- Jake, assim que você saiu daqui dois policiais vieram te procurar. Foi questão de segundos, você colocou o pé fora e eles colocaram dentro.

- Calma, Lee. Deve ser algo em relação ao Mike, amanhã eu vou a delegacia.

- Não, Jake. Acho que tem algo a ver com a Bella. - meu corpo gelou por inteiro. Josh me encarou pelo espelho e eu desviei o olhar. Não conseguiria fingir agora.

- Leah como assim sobre a Bella?

- Jake vá para casa. Te encontro lá.

Dirigi para casa em silencio absoluto, mesmo sem saber o que era ao ouvir o nome da mãe sem estar seguido por nenhuma noticia boa Josh começou a chorar. Meu prédio sempre foi agitado, mas o número imenso de repórteres e policiais na porta era de assustar. A Senhora Lamar usava um vestidinho preto e um lencinho para enxugar as falsas lágrimas. Será que era sobre esse alvoroço que ela queria falar? Mas o que isso tem haver comigo? Calma Jake. Calma! Antes de pensar o pior se acalme.

Assim que o elevador parou no meu andar me senti dentro de um seriado policial. Havia detetives, fotógrafos com luvas e mais um monte de gente que parecia procurar por algo no meu apartamento. Peguei Josh no colo e ele deitou a cabeça no meu ombro se apertando a mim com toda força.

- Não pode entrar aqui, Senhor. - o policial me barrou na porta.

- Esse apartamento é meu. - falei o mais alto que pude e um homem de terno e gravata se aproximou de mim.

- Calma, Senhor Black. Estamos aqui para ajudar, mas no momento não é possível permitir a entrada de ninguém na cena do crime.

- Cadê a minha mãe? - antes que eu pudesse segurar Josh pulou do meu colo e correu para o apartamento.

Ele conseguiu chegar até a sala antes de ser contido pelos policiais. Eu ainda estava em estado de choque parado junto à porta. Como crime? Que crime?

- Senhor Black precisamos lhe fazer algumas perguntas. - o homem me disse com olhar de compaixão.

- Não, mãe! Mãe! Eu quero a minha mãe. Mãe! Jake, cadê a minha mãe? Eu quero minha mãe. - Josh foi contido pelos policiais e o pude entrar até a sala para pegá-lo.

Tentei conte-lo como podia, mas ele se debatia e gritava chamando pela mãe.

- Creio que esse seja o filho da Senhorita Swan. - o homem disse olhando Josh se debater no meu colo.

- Sim, ele é. Senhor o que houve aqui? - antes que o homem pudesse me responder senti meu mundo cair.

Consegui ver uma ponta da cozinha e vi um pé feminino estendido. Ele parecia sem vida e havia sangue no chão. Segurei Josh o mais firme que consegui e fui em direção à cozinha. Ninguém me conteve. Não, não podia ser... Não! Estava tudo bem hoje de manhã. Ela estava linda na minha cama se preparando para o nosso casamento. Ao entrar na cozinha me deparei com um ser sem vida, os cabelos chocolate jogados no chão ensanguentado... Não, não, não... Se mova, pelo amor de Deus, se mova.

Josh estava agarrado ao meu pescoço sem coragem de olhar, me afastei e me recostei na parede do corredor para não olhar mais. Como eu posso ter perdido minha vida toda em algumas horas? Eu estava aqui hoje de manhã, minha vida perfeita estava aqui faz menos de dezesseis horas.

- Senhor Black, por favor, se acalme. - o homem me puxou pelo braço e me conduziu até meu escritório.

Assim que entramos coloquei Josh sentado na poltrona. Ele se encolheu tanto que parecia uma bola, só se dizia que era uma pessoa pelos soluços e gemidos do choro. Sentei ao lado dele também chorando, eu não entendia a dor que ele sentia sendo criança, mas eu também sentia a minha dor. A Bella estava... Não, eu não posso aceitar isso.

- Senhor Black, me chamo Jason Thomson e serei o detetive responsável por esse caso. A primeira coisa que quero esclarecer é que o Senhor está fazendo um equivoco com a cena que viu. - olhei para o detetive sem compreender, mas ele sorriu e continuou a explicar. - A mulher na cozinha não é exatamente uma mulher e sim nosso manequim para reconstituição de crimes. A Senhorita Swan está no hospital, ainda desacordada, mas segundo os médicos seu quadro é estável.

- Minha mãe... - Josh levantou e veio para o meu lado.

- Sua mãe vai ficar bem rapazinho, mas por um triz. A planejadora de casamentos chegou e viu a porta aberta. Ela relatou que iria embora, mas achou estranho a porta aberta e resolveu entrar. Quando o fez se deparou com a Senhorita Swan desmaiada na cozinha. Ela ligou para emergência e quando os paramédicos chegaram o estado da Senhorita Swan já era muito grave. No último contato que fizemos com o hospital ela ainda estava desacordada, porém estável. - suspirei aliviado e Josh se jogou nos meus braços sorrindo como nunca o vi sorrir antes. - O Senhor poderia vir comigo um minuto para conversamos? - Josh imediatamente se juntou a mim quando fiquei de pé. - Seria melhor que o menino ficasse aqui. - o policial disse olhando para ele.

- Não Jake, eu vou ficar quietinho. Prometo. - Josh me deu um olhar suplicante.

- Esse menino já passou por tanta coisa... Acho que conversar com ele aqui não fará mal. - voltei a me sentar e coloquei Josh no meu colo.

- Bom... O Senhor quem decide. - o detetive voltou a se sentar e me encarou tentando me analisar. - Senhor Black agora preciso saber onde o Senhor esteve durante todo dia?

- Eu estava no meu escritório.

- A sindica do prédio tentou contato com o Senhor inúmeras vezes e...

- Eu dei ordem a minha secretaria para não me transferir nenhuma ligação. Mas temos câmeras de segurança no prédio e em todas as saídas dele.

- O Senhor nos liberaria essas gravações por iniciativa própria?

- Claro. Tudo que precisarem para achar quem fez isso com a Bella.

- Ok. O Senhor recentemente teve contato com a Senhorita Renesmee Cullen? - parei por um minuto e encarei o policial antes de responder.

- O que a Nessie tem haver com isso?

- Nessie? Vocês seriam íntimos ou algo do tipo?

- Nós éramos noivos antes de eu me relacionar com a Bella, mas o que isso tem haver com... - parei por um momento e respirei fundo tentando conter toda raiva que eu sentia. - A Renesmee teve algo haver com isso? - perguntei quase bufando.

- Senhor Black estamos investigando o caso e assim que tivermos algum suspeito o Senhor será informado. - com isso ele se levantou apertou minha mão e saiu me deixando com a dúvida e com o ódio só de pensar na possibilidade.

- A gente pode ir ver minha mãe agora? - Josh perguntou baixinho com a cabeça ainda encostada no meu peito.

- Claro campeão, claro.

Os policiais me deixaram passar rapidamente nos quartos e pegar alguns objetos pessoais. Fiz uma pequena mala para mim e para Josh e segui para o hospital que me indicaram. Quando cheguei ao hospital passava muito do horário de visitas, mas com isso descobri que os olhos lacrimejantes de uma criança abrem portas tão bem quanto dinheiro.

Quando chegamos ao quarto Bella estava desacordada. Havia um respirador conectado a ela e a enfermeira deu milhões de recomendações antes de dizer que tínhamos apenas cinco minutos. Josh se aproximou da maca e com medo e delicadeza tocou os dedos da mãe. Ele começou devagar, mas logo chorava aos soluços e o peguei no colo antes que a enfermeira voltasse e o tirasse a força dali. Bella não movia. Seus olhos tão fechados pareciam realmente de uma morta, mas o vai e vem fraco do seu peito me trazia uma ponta de esperança.

- Ei campeão... A mamãe vai ficar boa. Logo!

- Promete? - Josh me olhou diretamente nos olhos ao perguntar.

- Prometo. - respondi com firmeza.

Ela tinha que ficar bem. E eu tinha que descobrir se Nessie realmente teve algo haver com todo esse mal. Caso tivesse, eu mesmo a mataria.



Notas finais do capítulo

N/A: Olha o que eu passo com essas betas. É cada uma kkkk Meninas vou confessar que já tinha conversado com a madu e com a ritinha sobre o fim dessa fic e em todas as teorias era fato que o Josh ou a Bella morreriam. Sim, um deles ia para o além porque a fic tbm é tragédia. Mas eu fiquei com pena do Josh, ele é uma criança e já passou por tanta coisa tadinho que deu dó. Já da Bella... muahahaha Vcs sabem que eu nunca tenho dó. Só que eu tenho dó do Jake kkkkk E ele ia sofrer demais nessa fic se ela morresse, então voltei eu para tabela de planejamento e já montei um final mais feliz para vocês kkkkkkk E olha eu dando spoiler. Mas tá né, a fic já está no fim mesmo, creio que mais uns dois caps e um epilogo para deixar todo mundo contente. Mas fiquem calmos, como diz a beta eu sou uma assassina e ainda tem muita gente para matar nessa fic, vai que eu mudo de ideia. kkkkk
Bjks, Katy Clearwater
.
N/B: Promete??? Faço minha as palavras do Josh!
Depois de a autora me aterrorizar por dias dizendo que ela ia matar a Bella, e depois que eu rodei a baiana ela falou que ia matar o Josh no lugar dela... Isso não é uma autora, é uma assassina! Então é melhor nós nos prepararmos para alguma desgraça, mas Katyzinha tá avisada já né bem? Se Bella morre... vc não vê o dia seguinte!MUAHMUAHMUAH
Bora lá gente, vamos comentar e fazer uma corrente para manter a Bella viva porque se depender da autora ela ignora meu desespero nessa causa!
Alemorais
PS: Não sei para quê a Katy quer uma beta, pq se eu mexi em 3 palavras no texto foi muito. kkkkk



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Simple Love" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.