Simple Love escrita por Katy Clearwater


Capítulo 14
Capítulo treze





Capitulo treze:

Bella

    Levantei da cama bem devagar e consegui não acordar Jake. Ele dormiu tão agarrado comigo que eu pensei que fosse me sufocar, mas estava tão bom que eu não reclamei. Quando cheguei ao quarto do Josh e ele já estava de pé arrumando a mochila.

- Levantou cedo. – eu lhe dei um beijo e ele me olhou com uma carinha de dar pena, mas eu não entendi. – Que foi meu amor? – perguntei preocupada.

- Mãe você esqueceu. De novo. – ele disse com os ombros caídos e quase chorando.

- Esqueci o que meu amor? – me ajoelhei na frente dele e foi como se uma luz tivesse me mandado um sinal. – É hoje né? – eu pedi desculpas só com o olhar.

- É. Mas eu sabia que você ia esquecer. Os últimos dias foram muito emocionantes. – arquei uma sobrancelha quando vi meu filho falando desse jeito maduro, como se ele tivesse idade para tal.

-É sim, mas eu não devia ter esquecido seu aniversario. – o puxei para meus braços e o suspendi no colo. Ele deu uma risada gostosa e estalou um beijo na minha bochecha.

- Tudo bem. – ele disse compreensivo e desceu do meu colo para voltar a se arrumar para escola.

- Filho, eu... – mordi os lábios antes de continuar, na verdade não sabia o que dizer. – Eu vou fazer um bolo para você tá? Um de verdade dessa vez.

- De chocolate e com muita cobertura? – seu sorriso animado me fez sorrir também.

- Sim. – ele largou a mochila e veio correndo abraçar minhas pernas. – Mãe, você vai avisar ao Jake né?

- Claro amor. – deixei Josh no quarto se arrumando para ir a escola e voltei para o quarto do Jake.

    A intenção era acordar Jake, mas eu preferi me trancar no banheiro e chorar. Que espécie de mãe esquece o aniversario do filho de cinco anos? Seis Bella! Agora ele tem seis.

- Bella? – Jake bateu na porta do banheiro e eu acabei derrubando uns vidros que estavam em cima da pia enquanto tentava esconder o choro. – Bella, tudo bem aí dentro?

- Aham. Eu já vou sair. – fingi a voz o mais normal possível.

- Tudo bem.

     Ouvi Jake saindo do quarto e sentei no chão do banheiro ao invés de me levantar. Se eu queria encarar esse dia eu tinha que colocar tudo para fora agora.

Jacob

      Eu sabia que a Bella estava chorando no banheiro, mas eu iria lhe dar espaço. Fui para cozinha tomar café e quando cheguei parei na porta admirando a cena. Josh estava em cima de uma cadeira e se esticava para pegar a caixa de cereal na prateleira de cima. Depois que alcançou o cereal ele pegou o leite e colocou seu próprio café. Ainda sem se dar conta da minha presença ele ligou a TV da cozinha no jornal da manhã e sentou a mesa com a sua tigela de cereal.

- Não vai ver desenho? – ele olhou assustado para entrada da cozinha, mas quando me viu sorriu.

- Passa depois desse jornal. – apesar do sorriso travesso que ele dava notei uma tristeza.

- Eu posso te levar na escola hoje, pode ser? – Josh balançou a cabeça num sim, mas seus olhos ficaram focados na tigela de cereal. – Que foi campeão? – sentei ao seu lado e levantei seu rosto.

- Minha mãe esqueceu meu aniversario. – eu vi que ele estava tentando prender o choro enquanto mordia os lábios.

- Josh, eu sinto muito. Eu sei que ele não teve a intenção de esquecer. – eu ia puxá-lo para o meu colo, mas ele levantou e foi lavar sua própria tigela mesmo sem ter terminado de comer.

- Eu sei, mas foi melhor que no ano passado.

- O que houve no ano passado? – ele me olhou de lado e depois virou de costas para mim encostando-se na pia o bastante para abrir a torneira e lavar sua tigela.

- Meu pai bateu tanto nela que ela desmaiou e demorou uma hora para lembrar quem era. Foi a primeira vez que ela entrou na minha frente para ele não me bater e... Ele jogou meu bolo fora. – eu estava tão perplexo que não soube como agir. Se fosse um adulto falando daquela forma eu saberia o que falar, mas ele é só uma criança lidando com tudo isso... Me senti perdido diante dele. – Mas está tudo bem agora. Minha mãe falou que vai fazer um bolo quando eu voltar da escola. – a conformidade dele me quebrou. Como uma criança podia agir assim? Isso era surreal demais! Aquele monstro roubou sua infância e ele está aceitando.

- Josh, mas aniversário não é só um bolo e a sua mãe cantando parabéns. Você é criança! Tem que ter amigos e pessoas com quem queira comemorar. – ele virou para mim com o rosto vermelho de tanto prender o choro.

- Só tenho você e minha mãe. – quando ele disse isso eu não tive como não chorar. Levantei da cadeira e fiquei de joelhos em sua frente. Mesmo se contendo ele também chorava agora.

- Josh, eu e a sua mãe vamos estar aqui para você sempre. Mas você precisa de amigos, crianças da sua idade para brincar, passear e tudo mais.

- Ninguém fala comigo direito. – e agora finalmente ele cedeu ao choro.

- Por que não?

- Porque eu sou filho do bêbado. Ninguém quer brincar comigo, nem falar comigo, nem nada comigo. – odiar crianças é um sentimento horrível, mas eu não conseguia pensar em outra coisa.

- Isso vai mudar hoje! Eu quero que você esqueça o Mike. Esqueça para sempre. Eu sou seu pai e eu nunca, nunca, nunca mesmo vou deixar nada acontecer nem com você e nem com a sua mãe. – quando eu terminei de falar ele me abraçou com bastante força enquanto chorava de soluçar. – Eu não vou deixar mais ninguém machucar você, te humilhar e nem nada que te faça mal. Prometo.

- Eu te amo. – ele disse chorando.

- Eu também amo muito você.

   Nós dois ainda chorávamos quando Bella chegou à cozinha com os olhos inchados. Ela nos viu abraçados e ficou a beira das lágrimas até que Josh a abraçou.

- Mãe o Jake disse que vai ser meu pai agora. – os olhinhos de Josh brilharam, mas a expressão da Bella não foi nada feliz.

- Quem te disse isso? – ela perguntou forçando um sorriso.

- Eu. – respondi um pouco frio e peguei Josh pela mão. – Vamos campeão senão você se atrasa para escola.

    Sai com Josh de casa, mas estava totalmente magoado com o olhar da Bella. Como ela pode agir dessa for só porque eu quero estar com o garoto? Eu sei que eu sou intrometido, mas... Mas... Mas eles são tudo que eu sempre quis.

    No caminho da escola Josh já parecia mais animado e sua animação fez um pouco da minha magoa com a Bella passar.

- Então campeão, quando você fez aniversário? – ele deu um sorriso sincero quando eu perguntei e isso me acalmou mais ainda.

- É hoje. – parei o carro e vi seu rosto corar como o da Bella quando tem vergonha.

- Josh... A gente vai sair para fazer alguma coisa ta? – ele fez que sim com a cabeça e abriu um sorriso de doer às bochechas.

     Depois de deixá-lo na escola voltei para casa. Eu teria que conversar com a Bella sobre nós, sobre Josh e sobre um monte de coisas sobre as quais nós não conversamos até agora. Assim que entrei em casa ela veio como um trovão em minha direção.

- Eu não admito que você fale desse jeito com o meu filho. – ela gritava com o dedo em riste e o rosto coberto de lágrimas.

- De que jeito? – fui tão rude quanto ela, porém Bella me encarava firme.

- Iludindo ele. Ele é uma criança Jake! Droga, ele já teve um monte de expectativas frustradas na vida e eu não vou permitir que ele tenha mais uma.

- Eu sou uma expectativa frustrada? – eu estava tão irritado que eu não conseguia evitar os berros mesmo com medo de assustá-la.

- Quando você cansar de brincar de casinha comigo vai!

- Eu preferia um soco no estômago a ouvir isso. – passei por Bella como se ela nem estivesse parada na minha frente e fui para cozinha. Eu precisava de água para voltar a pensar.

- Jake eu não quero te magoar...

- Tarde demais, suas intenções não mudam seus atos.

- Eu sinto muito, mas isso não vai dar certo. Foi um erro ficar aqui e vai ser um erro maior ainda continuar. – ela saiu da cozinha em passos rápidos, mas a alcancei enquanto ela passava pela sala.

- Vai embora de novo? – perguntei com mais raiva do que pretendia.

- Para de falar como se eu não estivesse te fazendo um favor. Eu estou evitando que todo mundo aqui se machuque.  – ela gritou chorando, o que só me deu mais raiva de mim, de tudo.

- Pare de tomar decisões por mim! A sua incrível capacidade de não me amar é o que me machuca.

- Mas eu te amo. – ela gritou.

- Porra nenhuma! Você está sempre fugindo de mim, como... Bella, eu não sou o Mike. – eu não tinha mais nada para dizer que pudesse fazer efeito. Eu estava consumido pela raiva naquele momento.

- Eu sei que você não é o Mike. – Bella parou a minha frente e segurou meu rosto entre suas mãos. – Mas eu sei aonde isso vai...

- Casa comigo? – sua cara de surpresa e medo foi contraditória com o brilho nos seus olhos.

- O que? – ela desviou o olhar do meu e se afastou alguns passos.

- Casa comigo? Então vai ser tudo real. Uma família de verdade, uma vida de verdade. Vai ser tudo bem real e você pode parar com esse seu medo infundado de que eu vá me cansar de você ou do Josh. – puxei sua mão e segurei seu rosto com a minha outra mão. – Bella, casa comigo?

Marry me – Train

- Eu não conheço você, nós não nos conhecemos e se daqui a alguns dias olharmos um para o outro sem saber por que estamos juntos? Jake, eu... – Bella desviou o olhar, mas eu segurei sua mão e a puxei para mais perto antes que ela se afastasse.

- Quer saber quem eu sou? Tudo bem. – a sentei no sofá e puxei a mesinha de centro me sentando a sua frente. – Prazer, me chamo Jacob Black...

- Jake eu não quis dizer isso. – ela tentou me interromper e se levantar, mas a puxei de volta para o sofá.

- Você quer saber quem eu sou, então me escuta. – Bella se encolheu no sofá e eu segurei sua mão antes de voltar a falar. – Bom, como eu dizia meu nome é Jacob Black e até alguns dias atrás eu era uma pessoa muito alheia ao que se passava ao meu redor. Eu fiz sucesso na minha carreira muito jovem, era noivo de uma mulher que eu não amava, mas que me dava status e tinha tudo que um cara de vinte e seis anos pode querer, mesmo assim não me sentia feliz. Minha vida ia insossa e bem até que a menina do café me disse que meu trabalho não estava bom o bastante, depois disso não consegui tirar mais isso da cabeça, mesmo não me lembrando o nome dela. Depois de uma reunião péssima derramei café no meu paletó e quando fui ao meu carro ver se tinha concerto encontrei a mesma moça, chorando e parecendo muito mais frágil do que realmente é. Eu soube que ela precisava muito de mim desde aquele dia, mas só depois que ela e o filho encheram minha casa com uma alegria que eu não sabia que existia foi que eu descobri que também precisava enlouquecidamente dela. Eu não acreditava em destino ou almas gêmeas, mas desde o dia em que o sorriso dela iluminou meu dia não acho que uma vida seja bastante para amá-la. Bella, eu tenho dinheiro, casa e um monte de coisas que qualquer um pode ter se trabalhar, ganhar na loteria, for pilantra e milhares de coisas assim, mas o que eu tenho com você e com Josh não se compara a nada disso. Nós nos conhecemos tempo o bastante para saber que nos amamos e se deu tempo de se apaixonar é porque é tempo o bastante para tudo. Você disse que se pudesse e tivesse como me agradecer as coisas que eu fiz para você o faria. Mas quando eu te peço o simples, que é só que você me ame pelo simples fato de eu te amar você não consegue...

- Mas eu te amo. – ela me cortou e mordeu os lábios tentando conter o choro.

- Então porque você fica me deixando? – eu nunca tinha chorado por mulher nenhuma, ainda mais na frente da mesma. Mas a Bella era a luz da minha vida e sem ela...

- Eu não quero deixar. – ela disse olhando nos meus olhos e passou um dedo no meu rosto para limpar uma lágrima que caia.

- Então fica, casa comigo, me deixa ser pai do Josh e cuidar dele como a criança que ele tem que ser. Me deixa entrar na sua vida, me deixa cuidar de você. – segurei o rosto dela entre as minhas mãos tentando com todas as minhas forças não perder nada daquilo.

- Eu tenho medo de acordar e descobrir que isso é só um sonho e que você não existe ou que nada disso aconteceu mesmo. Eu não vou agüentar viver um segundo num mundo sem você e eu não posso quebrar, não posso, eu tenho que estar lá para o Josh e eu... Eu não quero acordar nunca mais se isso for mesmo um sonho. – Bella saiu do sofá e sentou no meu colo me abraçando e enterrando o rosto no meu pescoço.

- Casa comigo e a gente vai dormir e acordar todo dia juntos para você ter certeza que não é um sonho. – levantei seu rosto e encostei os lábios nos delas sem beijá-la. – Isabella Swan, você é a mulher da minha vida, eu te amo e quero passar todos os dias da minha vida com você sem me importar com o que houve antes de nós. Casa comigo? – nossos olhos pareciam presos um no do outro, a respiração dela oscilou e antes de me responder sua boca cobriu a minha com um beijo.

    Envolvi sua cintura a puxando mais para perto e esse beijo foi tão doce e longo que doeu na hora de terminar.

- Caso. – Bella sussurrou antes de me beijar de novo.

   Posso afirmar que nunca fui completo na vida até aquele momento, a sensação plena de que tudo começaria a partir de agora me tomou e só consegui abraçar Bella com o máximo de força que eu pude. Eu nunca mais a deixaria sair do meu lado. Nunca.

Bella

- Eu ainda acho que isso não é necessário. – Jake sorriu abertamente para mim e voltou a me ignorar.

    Ele me obrigou a vir com ele no shopping e escolher a aliança mais cara que eu pudesse encontrar. Quando ele viu que o meu mais caro seria um anel de brinde de chiclete ele resolveu escolher ele mesmo.

- Esse é perfeito! – Jake puxou minha mão e enfiou um anel no meu dedo.

- Não! – dei um berro quando vi o anel e todas as atendentes da loja me olharam como se eu fosse louca.

- Temos um maior se a Senhorita desejar. – eu senti o desdém na voz da atendente e a fuzilei com o olhar.

- Quando eu quiser a sua opinião eu peço. Agora com licença, eu quero falar com meu noivo. – a garota saiu bufando e Jake se dobrava de rir na minha frente.

- Seu primeiro piti de dondoca.  – ele segurou meus ombros e fez cara de choro. – Estou tão orgulhoso. – dei um tapa na sua barriga e ele começou a rir.

- Jake não tem graça. Eu não posso andar com isso na rua! Vão arrancar meu dedo por esse anel. – enquanto eu ainda reclamava Jake me calou com um beijo e só parou de me beijar quando teve certeza de que eu estava sem ar.

- Vamos levar esse anel. – ele chamou a vendedora nojenta. A vaca ainda ficou toda se querendo para o cartão de credito dele. Mulher baixa!

     Saímos da joalheria com o Jake ainda rindo do meu piti. Passamos numa casa de festas e compramos algumas decorações e um bolo. O Jake insistiu em fazer pelo menos uma festinha para Josh, mas não sei se ele vai gostar. Se bem que sendo idéia do Jake talvez ele adore.

     Jake tinha ligado para Leah pegar Josh na escola e quando voltamos para o apartamento os dois já estavam lá. Ao contrario do que eu pensei Josh ficou animadíssimo em ter uma festinha e ainda mais animado quando Jake disse que faria outra festa no fim de semana.

- Duas festas? – Josh pulava no sofá enquanto Jake separava as sacolas que eram da festa e as que eram presentes para ele.

- Sim. Porque hoje é dia de semana e seus amigos da escola não podem vir, mas no sábado podemos alugar uns brinquedos e montar um parque no jardim da mansão. Eu tenho como alugar uma roda gigante da hora.

- Um parque só para minha festa? – eu queria brigar com o Jake por esse mimo todo com Josh, mas quando ele gritou todo animado cortou meu coração pensar em fazer qualquer coisa contra isso.

- Sim e um vídeo game novo de presente hoje. – Jake finalmente começou a dar as sacolas para ele.

    Josh se distraiu abrindo vários presentes e eu puxei Jake para cozinha. Leah veio junto.

- Ele vai ficar mimado. – eu disse baixinho para Josh não escutar e Leah riu.

- Com Jake como pai? Claro que vai... E muito! E não tem nada que você possa fazer quanto a isso. – eu devia ficar irritada com a afirmação da Leah, mas apenas sorri.

    Jake saiu sorrateiramente da cozinha e foi para sala brincar com Josh. Decidi por fim que hoje não era dia de brigar por nada e deixei os dois rindo e se divertindo.

- A propósito Bella, bela aliança. – Leah chamou minha atenção e sorriu para mim com aquela cara de: quero saber da fofoca.

    Nós não éramos exatamente amigas, na verdade nem nos conhecíamos bem, mas foi bom ter para quem contar do pedido e ouvir todos os gritinhos animados que amigas dão quando ouvem coisas assim. As pessoas começaram a chegar e a Leah fez questão de me arrumar toda. No todo eram uns amigos do Jake do próprio escritório e algumas crianças do prédio.

    Todo mundo já estava bem animado e com cada grupo em sua conversa quando a campanhinha começou a tocar sem parar. Achei estranho, pois pensei que não mais ninguém viria.

- Melinda para com isso. – quando Jake abriu a porta reconheci logo sua mãe, mas ela estava acompanhada por essa moça grávida que brigava com a garotinha, um cara com jeito de mauricinho e mais um senhor. O senhor deve ser o pai do Jake.

- Oi tampinha. – Jake falou para garotinha e ela sorriu para ele.

- Meu pai não me deixou trazer a Joana e disse que esse presente não é para mim. – a menina reclamou e o cara olhou feio para ela.

- Melinda já falamos sobre isso. – a menininha fez bico de choro, mas logo riu quando Jake a pegou no colo.

    Jake veio com ela em minha direção e todos os seguiram.

- Melinda essa é minha princesa. O nome dela é Bella. – a menininha no colo do Jake deu um sorriso enorme e acenou para mim.

- Você é bem mais bonita que a Nessie.

- Tá agora chega! – mesmo rindo eu fiquei boquiaberta com o que a menina falou, assim como a mulher que a arrancou do colo do Jake.

- Desculpe por isso. Sou Tânia, a mãe do monstrinho. – ela se apresentou.

- Edward, pai dessa boneca muito linguaruda. – até que para um mauricinho ele pareceu bem simpático.

- E eu sou a Melinda. – a menina desceu do colo da mãe e parou na minha frente me medindo com os olhos. – Você vai casar com o Jake? – ela perguntou, fazendo os pais ficarem sem graça de novo.

- Um dia vou sim. – respondi tentando esconder a aliança para que a mãe dele não desse uma crise.

- Vai demorar? Porque ele já te deu um anel e a minha mãe tem um desse, mas a minha já é casada com meu pai... – a menina parou por um instante e virou para Jake com cara de choro. – Você casou sem me chamar? – o biquinho dela foi de cortar o coração quando perguntou.

- Claro que não princesinha! Você vai ser minha daminha lembra? Vestida de Barbie. – Jake se abaixou na altura da menina e deu um beijo em seu rosto.

   Mesmo com a cena meiga entre Jake e Melinda acontecendo senti os olhos de sua mãe quase me atravessando. Ela olhava fixo para minha aliança e depois de alguns momentos de olhar intenso Jake percebeu.

- Josh vem aqui, por favor. – assim que ouviu Jake chamar Josh veio correndo em nossa direção. – Mãe, pai, esse é o Josh e essa a mãe dele, a Bella, minha noiva.

- Noiva? – a mãe dele perguntou com um tom afetado.

- É. – Jake respondeu passando o braço sobre meus ombros.

- Temos mais para conversar do que eu imaginei. – o tom dela não foi nem um pouco mais agradável agora.

    O clima estava cada vez mais tenso e para piorar a campanhinha começou a tocar de novo.

- Eu abro. – Josh saiu andando em direção a porta e de má vontade a abriu, mas ficou congelado quando viu quem era.

- Eu trouxe um presentinho para você.

- Pois pode ir embora e enfiar o seu presente no... – Jake começou a gritar, mas foi interrompido.

- Jacob Black! – a mãe dele se aproximou da porta e a puxou para dentro.

- Olá Bella.

- Nessie, eu posso saber exatamente o que veio fazer na minha casa? – ela me olhou com desdém quando eu disse minha casa.

- Agora a casa é sua? – ela perguntou com deboche.

- Sim, agora a casa é minha. – pela primeira vez exibi e ostentei o que o dinheiro poderia comprar sem nenhum remorso. – E esse é meu anel de noivado com o Jake. – sua cara pálida ficou mais pálida ainda com isso. – Então, eu posso saber o que você está fazendo na minha casa?



Notas finais do capítulo

N/A: Como prometido! Dois caps para vcs num dia só é coisa rara...rsrsrsrs. Espero que gostem e nós vemos logo. Adoro vocês, principalmente quando não me xingam...rsrsrsrs... lembrem-se disso. Bjks, Katy Clearwater.
.
N/B: Que espécie de mãe esquece o aniversário do filho? Errr... A minha!hahahPois é gente, Minha Bella mãe esqueceu meu niver 2 vez já, mas eu não liguei pq eu já esqueci o meu próprio aniversário também! O.O!kkkkkkSabiam que homens perfeitos, desses assim como o Jake de Simple Love, também têm defeitos? Sim, sim...Não tem nenhuma plantação deles, nem laboratórios tentando reproduzi-los ou um, ao menos um, pelas ruas para nós agarrarmos e nunca mais soltarmos!mimimi! Entretanto eu me viro nos 30 e fico babando por esse homem perfeito daqui! @.@BjsAlemorais