Simple Love escrita por Katy Clearwater


Capítulo 13
Capítulo doze





Capitulo doze:

Jacob

       Bella estava me ajudando a vestir minha camisa, mas ela sempre errava um botão quando me pegava a encarando.

- Para. – ela disse com o rosto corado.

- De que?

- De ficar me olhando com essa cara de boboca. – eu fingi irritação quando ela me chamou de boboca, mas logo me derreti com o sorriso de moleca que ela deu.

- Tem certeza que não quer ir comigo? – perguntei quando ela finalmente conseguiu terminar de fechar os botões.

- Sim. Eu tenho que pegar o Josh na escola e eu acho que a última coisa que preciso é da sua mãe tentando me matar com o olhar enquanto almoçamos.

- Eu não vou demorar. – lhe dei um beijo rápido e sai de casa já com vontade de voltar.

     Peguei um taxi até a mansão dos meus pais e assim que cheguei minha mãe já estava na porta me esperando.

- Você estava aí parada me esperando chegar ou sentiu meu cheiro? – minha mãe me deu um olhar feroz enquanto eu subia a escadaria principal.

- O Senhor anda muito rebelde. – eu mordi as bochechas para não cair na gargalhada.

- Não é rebeldia mãe, é maior idade. Já tivemos essa conversa centenas de vezes, mas eu explico tudinho de novo.

- Jacob Black! – o berro da minha mãe fez com que um dos jardineiros que regava as flores da entrada derrubasse todas suas ferramentas.

- Olha só! A Senhora está causando acidentes de trabalho.

- E você está quase causando um acidente cardio vascular na sua mãe. – a voz de Edward vindo de dentro da casa me surpreendeu.

- Eu não sabia que estava na cidade. – cumprimentei meu ex-cunhado que ria abertamente dos ataques da minha mãe.

- Cheguei ontem com a Tânia.

     Edward e Tânia eram casados a menos de dois anos e ela já estava grávida do primeiro filho deles. Era impressionante o fato dele e Nessie dividirem os mesmos genes. Carlisle pegou tudo de bom e pôs num filho só porque o Emmett e Alice também não eram lá grande coisa.

- Lembrou que seus pais moram na mesma cidade que você? – meu pai perguntou irônico quando chegamos à sala.

- Jake! – a filhinha da Tânia veio correndo na minha direção.

- Melinda o Jake tá dodói não fica pulando nele que nem uma macaquinha. – Tânia falou entre os dentes quase matando a menina que a ignorou e pulou no meu colo.

- E aí princesinha? Tudo bem?

- Tudo. – ela riu e me deu um beijinho antes de pular para o colo do Edward.

- Pai, a Joana tá doente de novo. Cuida dela? – todos na sala rimos quando ela mostrou a boneca para Edward.

- Cuido depois do almoço até lá a coloque de repouso. – a menina desceu do colo dele e foi correndo colocar a boneca para dormir no carrinho.

- Ela fez quantos anos? – perguntei a Tânia.

- Quatro. Os benditos quatro. – Tânia se lamentou e Edward riu.

- Essa é a melhor fase. – Edward se aproximou de Tânia e acariciou sua barriga.

- Isso mesmo. Depois eles crescem e alcançam a “maior idade” e a sua opinião vira nada. Começam a te ignorar e se envolvem com elementos suspeitos que catam na rua. Levam tiros e quando você se preocupa não significa nada porque você é a mãe. – Tânia e Edward morderam os lábios para não rir e eu revirei os olhos.

- Mãe para de fazer cena. A Senhora é muito importante para mim mesmo que eu não queira mais casar com a Nessie.

- Você não vai mais casar com a Tia Bruxa?

- Melinda! – Tânia gritou com a menina e minha mãe a olhou chocada.

- Minha querida não pode chamar sua Tia de bruxa. – minha mãe disse indignada, mas a atenção da Melinda era para mim.

- Você vai namorar com uma princesa agora? Porque nos filmes quando a bruxa morre a princesa casa com o cara legal e o cara legal é sempre um príncipe então você pode ser um príncipe só falta à gente te arrumar uma princesa. Se você quiser namorar a Joana é só pedir para o meu pai, mas eu acho ela muito baixinha para você, melhor a gente te arranjar outra namorada. Dessa vez ela tem que ser bem bonita porque a bruxa passava uma meleca verde na cara para dormir e...

- Já chega Melinda! Você tem que dar atenção a Joana que está muito doente! – eu estava no meio de gargalhadas quando Edward cortou a menina.

- Vamos almoçar? – Tânia disse logo com um sorriso forçado.

- Vamos. – minha mãe saiu batendo o pé na máxima força permitida pela etiqueta e nós a seguimos controlando nosso riso.

     Eu fui o último a sair da sala e Edward me segurou para conversamos a caminho da sala de jantar.

- Fiquei sabendo que você e minha irmã tiveram um briga e não que romperam.

- Eu rompi com ela e ela brigou comigo. – ele sorriu e concordou com a cabeça.

- Está com outra pessoa né? – Edward além de ser meu cunhado era um bom amigo.

- Sim, estou.

- E sua mãe não gosta nada dela.

- É a menina que servia café no meu escritório. Ela era casada, tem um filho de cinco anos e o marido dela acabou de me dar um tiro. – Edward me encarou dez segundos antes de cair na gargalhada.

- E meu pai me chamou de louco quando eu casei com uma recém divorciada.

- Para você ver. – Edward me deu um tapinha nas costas como irmãos fazem.

- Dava para vocês se apressarem. A Lorena está me assustando. –  Tânia surgiu na nossa frente falando baixinho e irritada.

    Fomos os três rindo para sala de jantar e quando nos sentamos à mesa minha mãe estava mesmo com uma cara assustadora. O almoço foi tranqüilo devido ao silêncio que se instalou na sala. Parecia que cada um conversava com seu prato, depois da sobremesa meu pai pediu que o café fosse servido no jardim e nos encaminhamos para lá.

- Jacob não vai me falar nada mesmo? – minha mãe andava ao meu lado na trilha que ia da casa até o jardim.

- Falar o que mãe?

- Sobre você envolvido com uma mulher com um filho bastardo que pelo que eu vi você já trata como se fosse seu. – eu nunca tinha visto minha mãe alterar o tom de voz até hoje.

- Então o problema é que a Bella tem um filho de outro cara? – eu também falei alto, mas um choro se sobressaiu a minha voz.

- Vamos embora! – quando olhei Tânia estava puxando a filha pelo braço e Edward a seguia.

- Tânia, eu não estava...

- Falando de mim Lorena? Eu sei que não! Mas a situação não é a mesma?

- Claro que não! – minha mãe respondeu prontamente. – Seu marido não atirou no Edward e você não era a moça do café. – o desdém na voz da minha deixou até meu pai estarrecido.

- Não era a moça do café, era a secretaria do consultório do Edward. Meu marido não atirou nele, mas lhe deu uma surra quando eu estava saindo do trabalho porque soube que o Edward perguntou se meu bebê estava bem. Lorena o Edward começou a namorar comigo quando eu estava grávida de outro homem e toda família dele comentou e foi contra. Filho bastardo é uma coisa que eu ouvi muito e se referia a mim. A diferença que eu vejo aqui é a presença, eu estou presente e a namorada do Jake não! Então o que não me faria pensar que quando eu não estou você não fala o mesmo de mim? –  Tânia chorava e estava bastante nervosa. – Vamos, eu... Aí! – ainda puxando Melinda Tânia se curvou segurando a barriga.

- Meu amor o que foi? – Edward segurou Tânia que ameaçava cair e Melinda começou a chorar.

- Está feliz agora? – falei com a minha mãe cuspindo as palavras com ódio e dei a volta nela para pegar Tânia no colo.

      Fomos todos para o quarto de hospedes e eu a coloquei na cama. Edward era o próprio medico dela. Tem melhor obstetra para cuidar de uma gestação do que o próprio pai?

- Ela precisa descansar e não pode se aborrecer. A gravidez já é de risco e se alterar é... – Edward secou com uma das mãos o suor frio que se formou em seu rosto devido ao nervoso. Melinda estava encolhida na cama do lado da mãe.

- Eu vou mandar arrumar um quarto para vocês aqui. – Edward e eu saímos do quarto e minha mãe logo chamou alguns empregados.

- Lorena, acho melhor não. – Edward disse um pouco rude fechando a porta pela qual saímos.

- Eu insisto. Eu não queria que nada disso acontecesse e eu só estou preocupado com o Jake e essa... – mesmo irritado não consegui gritar com a minha mãe já que ela estava chorando.

- Meu filho sua mãe só está preocupada com você se envolvendo com a mulher de um traficante. – olhei para meu pai estarrecido e Edward mesmo nervoso se espantou.

- Que historia é essa de traficante? – Edward perguntou confuso.

- Sei lá. O Mike é só um bêbado e não um traficante. – mesmo chorando minha mãe me olhou sem entender.

- Jake não precisa mentir para mim. A Nessie esteve aqui depois que você e ela brigaram por causa dessa menina. Jake a moça do café é uma coisa, mas agora prostituta? Acha que a menina vai se regenerar com você ou algo assim? E a gente nem sabe se aquele menino é filho dela, pode bem ser um pivete e...

- Mãe, cala a boca! – eu estava tão perplexo que deixei o ódio me consumir.

- Jake aonde você vai? – Edward veio andando atrás de mim pelas escadas.

- Atrás da sua irmã. – respondi bufando.

- Filho? Meu bebê, eu...

- Mãe eu não acredito que tirou todas essas conclusões baseada no que a Nessie te disse! – minha mãe se encolheu no peito do meu pai e começou a chorar compulsivamente. – Mãe, desculpa. – a puxei para mim me sentindo culpado com todo aquele choro.

- Eu só quero o melhor para você meu filho. A Nessie veio chorando e falando coisas horríveis dessa menina. Você queria que eu acreditasse na sua noiva ou em possibilidades? Você nem liga para seus pais para avisar que terminou um noivado de cinco anos. – minha mãe tremia de tanto chorar em meus braços.

- Mãe eu não preciso te comunicar todos os meus passos, mas eu devia mesmo ter avisado sobre a Nessie. Desculpe.

- Eu não quis ofender a Tânia ou essa...

- Bella, mãe. O nome dela é Bella.

- Eu não quis ofender nem a Tânia, nem a Bella.

    Levamos minha mãe para sala e eu expliquei toda situação da Bella para minha mãe, meu pai e Edward. Os três ouviram atentamente e só minha mãe que às vezes fazia uns Oh’s ou coisas do gênero. Quando terminei minha mãe abaixou a cabeça e depois me olhou nos olhos.

- Não acredito que você ama uma menina que conheceu há uma semana. Esperei anos que você falasse da Nessie com essa devoção e nada! Agora você tem a coragem de sentar na minha frente e usar esse ar de “encontrei a mulher da minha vida” para se referir a uma estranha?

- Tenho, mãe. Tenho coragem. – respondi secamente sem querer arrumar mais discussão.

- Então é bom essa menina te fazer muito feliz ou vou ter que estragar meu lindo salto Prada a arrastando pelos cabelos até o Central Park. – meu pai e Edward taparam a boca para suas gargalhadas não saírem altas, mas eu fiquei estático olhando para minha mãe.

- Então... – a incentivei.

- Não mocinho, eu ainda não gosto dessa menina porque nem conhecê-la eu conheço. Mas eu acho que ela deve ser uma boa moça já que você a ama tanto e se ela não for uma boa moça vai se ver comigo, meus tapas e meus doze advogados. – puxei minha mãe para um abraço com tanta força que ela só teve tempo de soltar um gritinho.

- Jacob Black, olha a compostura. Hoje já foi um dia muito atípico. – soltei minha mãe e em menos de um segundo ela estava me agarrando e me beijando.

- Lorena Black, olha a compostura. – falei em meio aos risos.

     Fiquei feliz por meus pais terem entendido sobre a Bella, mas o ódio da Nessie estava sendo maior que essa alegria. Fiquei quase a tarde toda com eles tentando esquecer, mas nada. Fui para casa ainda com a raiva na cabeça, mas parte dela se dissipou quando vi Bella e Josh dançando na sala.

- Mãe isso tá bem ruim. – ele falou deixando os ombros caírem.

- Filho ninguém aprende a dançar em um único dia. Vamos praticando até a festinha tá?

- Tá. – Josh respondeu murchinho ainda.

- Eu já vi piores. – os dois me olharam surpresos já que não tinham me escutado entrar.

- Demorou. – mesmo tentando soar indiferente vi um pouco de irritação no comentário da Bella e amei isso.

- Minha mãe ficou falando na minha cabeça. – dei um beijo de leve na Bella enquanto Josh ficava nos encarando com um sorrisinho de canto.

- Vou fazer meu dever. – ele saiu de mansinho da sala nos fazendo rir.

- Então vamos ter festinha? – Bella riu do meu tom quando disse festinha.

- Sim, vamos. A escola vai fazer um baile para as crianças e Josh ainda não sabe dançar. – a puxei para mim e começamos a dançar a musica que ela ensaiava anteriormente com Josh.

- Se está fazendo planos de baile é porque tem planos de ficar, correto? – sem me responder Bella me puxou pela nuca e me beijou.

    Deixei me envolver pelo seu beijo e isso foi melhor do que qualquer sim que ela pudesse ter dito em voz alta.



Notas finais do capítulo

N/A: Estamos quase no fim amores, mas Jake e Bella ainda tem umas pendências para resolver antes da palavra FIM ^^.Bjks, Katy Clearwater.
.
N/B: Oh e ele ainda tem dúvidas de que a Bella vai ficar!hahahahEssa Nessie tem que morrer! :@ E... Confesso que fiquei de c... (Deixa pra lá!kkkk) na mão quando eu li EDWARD, mas parece que não trará maiores problemas isso!kkkkkkkkkkkkAi, tá acabando já! Já estou com saudades dessa perfeição, desse conto de fadas *momento Melinda*!kkkkkkkkVamos começar a se despedir da fic com loucor em? Muitos reviews e recomendações, talvez assim nós ganhássemos uma lua de mel detalhada *momento tarada*!hahahah Bjs genteAlemorais