Simple Love escrita por Katy Clearwater


Capítulo 12
Capítulo onze





Capitulo onze:

Bella

      Quando me mexi pude ouvir quase todos os meus ossos estalando, mas a sensação foi boa. Gemi em pensar que tinha que abrir os olhos.

- Você fica linda fazendo manha para acordar. – sorri ao ouvir a voz de Jake, mas fechei o sorriso antes de olhar para ele.

- Oi. – levantei ajeitando o cabelo e sentei na cama. – Cadê o Josh?

- Na escola. – ele respondeu prático. – Eu ia te acordar para almoçar então enchi a banheira para você tomar um banho. Quando terminar eu vou estar na cozinha.

- Jake... – ele me ignorou e saiu do quarto enquanto eu falava. Perfeito!

     Fui para o banheiro e só o cheiro da espuma me fez suspirar. Tomei um banho bem demorado e depois sai do banheiro de roupão. Quando cheguei no quarto havia uma roupa em cima da cama arrumada. Coloquei a roupa, que estava tão cheirosa quanto a espuma, e fui para cozinha encontrar com Jake.

- Precisa de ajuda? – ele se virou para mim com um sorriso.

- Não. – Jake largou a bacia de salada que ele segurava e puxou a cadeira para eu sentar na mesa.

- Não precisa disso tudo. – depois de colocar a salada na mesa Jake sentou ao meu lado e me encarou por alguns segundos antes de falar.

- Eu estou tentando uma tática diferente para ver se dessa vez você não some quando eu piscar. – me encolhi na cadeira devido ao tom amargo que ele usou. – Eu não quero ser rude, mas eu... Eu não entendo.

- Eu fiz o que achei que seria melhor para você e para mim e para o Josh também. – antes que eu terminasse de falar já estava chorando.

- Me deixar é o melhor para você Bella? – fiquei calada sem ter coragem de olhar para Jake depois dessa pergunta. Senti seu dedo levantar meu rosto e nossos olhares ficaram presos. – Eu faria qualquer coisa para o seu bem, até sair da sua vida se esse for o seu desejo. Mas eu não quero que você vá para rua com o Josh como se você fosse uma indigente. Eu tirei você de casa, eu mudei sua vida sabendo que você não teria condições de se manter com seu filho. Sendo assim, mesmo que você não me queira, mesmo que o fato de você não me amar me mate por dentro, não precisa ir embora só porque não quer um relacionamento amoroso comigo. Se me deixar é o melhor para você, me deixe. Mas não abandone seu emprego, sua oportunidade de dar uma vida melhor para o seu filho só porque você não me quer mais. Se é que algum dia quis. – a última frase saiu como um sussurro. Eu não sabia o que fazer com aquele sentimento todo, o Jake não era para mim! Mas se ele não era para mim porque meu coração parece um espelho caindo no chão toda vez que eu penso em deixá-lo?

     Minha mente estava um turbilhão e ele ainda segurava meu rosto olhando nos meus olhos esperando que eu dissesse tudo o que eu não tenho coragem de dizer. Depois de longos minutos de silêncio ele soltou meu rosto com delicadeza, passando o dedão sobre minha bochecha antes de se afastar de vez.

- Vamos almoçar e depois conversamos. – ele usou seu tom de chefe abaixou a cabeça e começou a remexer seu prato.

     Eu não podia fazer isso. Eu não podia vê-lo assim e não fazer nada. Levantei da mesa e fui até o quarto que ele tinha ocupado como o do Josh. Comecei a arrumar minhas coisas de novo e dessa vez nem que fosse de carona eu iria sair da cidade e sumir da vida do Jake. Eu sou péssima para ele.

- Você ouviu uma palavra do que eu disse? – Jake entrou no quarto atrás de mim gritando como um louco. 

    Enquanto eu ficava muda e chorando Jake arrancava da minha mãe tudo o que eu tentava colocar na mochila.

- Porra, Bella! Para! – eu quase cai dentro do armário quando ele teve um acesso de raiva e arrancou a mochila da minha mão.

    Eu cai sentada no chão do quarto na frente do armário aberto e automaticamente levei as mãos para o rosto. Foi um instinto de defesa, mesmo sabendo que ele não era o Mike. O Jake nunca seria como o Mike. Mas mesmo sem querer eu já estava preparada para ele me bater.

- Bella, eu... – ele tentou me ajudar a levantar, mas eu desviei dele e me encolhi chorando.

     Porque tudo para mim tem que ser tão difícil! Eu nunca amei alguém que realmente se importasse comigo e agora que eu tenho isso porque eu não posso ser boa o bastante para ele? Por quê?

- Eu nunca encostaria em você. – Jake se afastava andando de costas para fora do quarto e mesmo sem olhar para ele eu via as lágrimas no seu rosto.

- Jake! – eu chamei e dessa vez ele parou bem longe de mim. Longe demais.

     Levantei no chão e me joguei em seus braços o abraçando com a maior força que pude. Seus dedos enrolaram as pontas do meu cabelo me aninhando ali.

- Desculpe, eu não queria te assustar assim. Eu não medi minha força. Me perdoa. – eu só balancei a cabeça num sim e me apertei mais a ele.

     Eu queria dizer tudo que eu sentia, mas já que nada saia o beijei. Eu tive que me prender ao seu pescoço para alcançá-lo, mas ele foi rápido em entender o que eu queria. Hoje eu tinha mais urgência dele do que ele de mim. Eu precisava disso para me sentir mais normal de novo.

     As mãos do Jake tomaram meu corpo e a cada toque eu o sentia marcar posse sobre mim. Eu sei que meu pescoço estava com uma marca quando ele me segurou mais firme e fez todo meu corpo contrair, relaxar e flutuar antes de acomodar sobre seu peito. Estávamos deitados no chão do quarto, ele fazia carinho nas minhas costas e eu tentava descobrir como falar novamente.

- Eu te amo sabia? Nunca achei que fosse me sentir assim com uma pessoa que eu mal conheço. Eu passei anos procurando esse sentimento pela Nessie, eu sempre achei que ele estava lá em algum lugar que eu não sabia aonde, mas que estava lá. Aí você apareceu na minha vida e eu soube que ele nunca esteve comigo até eu conhecer você. – me apoiei no meu cotovelo e finalmente consegui manter o olhar firme.

- Eu não mereço você. Não tenho nada para te oferecer e... – ele me silenciou com o dedo sobre meus lábios.

- Você me ama?

- Demais. – as lágrimas começaram a rolar no meu rosto e ele as amparou com os dedos.

- Me fala o que houve para você ir embora assim. – seu beijo calmo me fez chorar ainda mais, mas eu tinha que falar para ele a verdade.

- Depois que o Mike atirou em você eu me senti uma... Uma... Uma merda sabe? E aí a Nessie apareceu dizendo que tinha sido minha culpa e eu sabia que era minha culpa porque se não fosse por eu ser assim você não teria sido baleado. – tentei me desvencilhar de Jake e levantar, mas ele me puxou e me prendeu em seus braços.

- Deu ouvidos a Nessie? Bella, por favor.

- Mas ela está certa.- com uma das mãos ele continuou me segurando enquanto com a outra tirava o cabelo do meu rosto.

- Eu não preciso que você faça nada além de me amar, entende isso? – fiz que sim com a cabeça mesmo sem concordar com ele. – Bella, por favor, eu não posso viver com sensação de que você pode ir embora a qualquer momento. Eu estou implorando para você ficar, comigo. – quando olhei para o seu rosto vi que ele estava chorando também.

- Jake, eu... – aí que merda agora eu fiz ele chorar. Eu sou uma droga mesmo. – Olha para mim. Porque eu? Você vai conhecer uma mulher legal e...

- Não faz isso. – Jake levantou abruptamente e vestiu sua calça. – Não fica me consolando como se eu quisesse outra pessoa. Eu vou ligar para Lee e pedir para ela procurar uma casa para você, se é isso que você quer. Mas não, não mesmo, não me diga que eu vou encontrar alguém melhor porque isso só cabe a mim.

- Jake eu amo você, mas dá para você entender que eu quero o melhor para você. – eu gritei me levantando também.

- Dava para você entender que para mim o melhor é você? Eu não acredito mesmo que você ouvidos a Nessie. Bella, eu te amo! Larguei ela para ficar com você. É claro que a Nessie sempre vai ter algo horrível para te dizer. – ele bufava e balançava os braços irritado.

- Eu sei, mas eu... Desculpa. – não sei de onde essa desculpa saiu tanto que Jake me olhou extremamente surpreso.

- Eu nunca implorei para nenhuma garota ficar comigo. Isso me dá algum ponto extra quando eu for me desculpar por ter sido um grosso? – fiz que sim com a cabeça e dei um sorriso quando ele me abraçou.

- Eu acho melhor eu me vestir. – peguei minha camisa do chão, mas Jake segurou minha mão.

- Você dormiu quase vinte horas, deixa eu me aproveitar de você um pouquinho.

- Vinte horas? – perguntei assustada enquanto ele beijava meu pescoço.

- Eu tive que mostrar para o Josh que seu peito estava se movendo porque ele já estava chorando achando que você tinha morrido. – eu senti Jake mordendo os lábios para não rir.

- Tadinho. – tentei sem sucesso não rir também.

- A gente pode pegá-lo na escola daqui a pouco e almoçar juntos. Pode ser? – fiz que sim com a cabeça e me perdi no beijo que o Jake me deu depois disso.

     Quando chegamos na escola a maioria das crianças já tinha ido embora. Josh correu em nossa direção, mas só me entregou a mochila e subiu no colo do Jake.

- Nem precisou da minha ajuda. – eu o ouvi cochichar para o Jake antes de me dar um sorriso amarelo.

     Almoçamos no shopping e mesmo comigo protestando Jake comprou um carrinho de controle remoto para Josh e algumas outras roupas e sapatos. Ele voltou para casa todo animado com o brinquedo, mas eu deixei claro que brinquedo só depois do dever de casa. Enquanto ele e Jake arrumavam o que compramos no shopping eu fui para cozinha fazer o jantar.

     Era tão estranho e normal estar na casa do Jake que ao mesmo tempo em que eu me sentia intrusa, eu me sentia dona. Eu trabalhei anos para ele, mas efetivamente nos conhecíamos mais ou menos há uma semana e já estamos nessa montanha russa emocional de um casal casado.

- Mãe me ajuda com o dever? – Josh me tirou dos meus devaneios quando veio atrás de mim com o caderno.

- Eu ajudo. – Jake se prontificou, mas eu o vi com vários papeis de desenho na mão.

- Você não ia trabalhar? – perguntei olhando para suas mãos.

- Posso fazer isso amanhã no escritório. – Josh nem me deixou dizer mais nada, saiu puxando Jake pela mão e foi para sala com seu caderno.

     Os dois ficaram uma hora calados só remexendo num livro ou outro, eu soube que tinham terminado quando um carrinho invadiu a cozinha e passou em cima do meu pé.

- Josh! – gritei o olhando de cara feia e ele me pediu desculpa com os olhos.

     Os dois riam e brincavam enquanto eu arrumava um bolo de carne para o jantar. De vez em quando o Jake vinha só para me olhar e depois voltava a brincar com Josh. Já era quase hora do jantar quando ouvi batidas na porta. Fui correndo até a sala, mas Jake já estava no corredor para atender. Ele me deu um sorriso tentando me acalmar e se aproximou de mim antes de abrir a porta.

- Tudo bem. – Jake beijou minha testa antes de ir abrir a porta.

    Assim que Jake abriu a porta uma mulher acompanhada pela Nessie entrou sem pedir licença. Jake revirou os olhos e a mulher me encarou com o mesmo desprezo que Nessie da primeira vez que me viu.

- Suas empregadas deviam usar uniforme. – ela me olhou de cima e meu rosto pegou fogo de vergonha.

- Mãe olha o que o Jake me ensinou. – quando Josh gritou já era tarde demais para qualquer atitude.

     O carrinho trazia um copo de suco que derramou até a última gota em cima dos sapatos da Senhora. Ela olhou enfurecida para o carrinho que tinha virado quando passou em uma dobra do tapete.

- Josh, eu disse que em cima do tapete não ia dar certo. – Josh passou atrás de mim e foi pegar o carrinho.

     Quando ele levantou a mulher o encarava com os olhos pegando fogo, mas antes que eu desse um passo Jake já estava com ele no colo.

- Josh essa é minha mãe. Mãe esse é Josh, meu enteado. – Nessie amparou a mulher que quase desmaiou levando a mão ao peito.

- O que? – ela perguntou abismada e agora Jake não segurava mais o riso.

- Mãe você vai entrar ou vai ficar parada na porta?

- Jake, você devia estar descansando. - Nessie falou com Jake, mas seu olhar estava voltado para mim.

- Eu estou. Estava brincando com Josh enquanto a Bella faz o jantar.

- Eu espero você em casa amanhã mocinho. – a mulher saiu puxando Nessie pelo braço, mas os olhos estavam fixos em mim também.

- Mãe, eu estou em casa. – a mulher fuzilou Jake com os olhos antes de sair batendo a porta.

      Depois que ela saiu Josh estava assustado no colo do Jake.

- Hei campeão, ela não é tão má quanto parece. – Josh olhou para ele desconfiado. – Eu estava falando da minha mãe. – com essa até eu ri.

     Jake colocou Josh no chão e ele voltou a brincar maravilhado com o carrinho novo.

- Era sobre isso que estava falando. – murmurei enquanto Jake se aproximava de mim.

- Te amo. – ele segurou meu rosto entre as mãos e o ergueu para me beijar.

- Eca. – tentei olhar séria para Josh, mas ao me virar já estava rindo.

- Xô. – acenei com a mão e ele saiu correndo na direção do quarto.

    Quando Josh já tinha sumido no corredor voltei a olhar para Jake, mas antes que eu falasse ele ergueu o dedo.

- Não quero brigar por isso. Você vai se casar comigo e não com a minha mãe.

- Casar? – eu sabia que estava corada como um tomate agora.

- É. – Jake deu um sorriso de menino e me beijou mais uma vez.

     Saber que essa vida não era para mim, eu sabia. Conseguir não desejá-la até a última gota, impossível. Sentindo Jake em meus braços só tomei a única decisão plausível no momento. Tentar! Mesmo que o mundo fosse contra nós, mesmo que tudo conspirasse para o erro eu o amava e isso valia qualquer risco.



Notas finais do capítulo

N/A: Hello amores, bem hoje este post está adiantado um dia e agradecem as biquinhos da Michelle...kkkkkkkkkk. Estamos perto do fim, mas eu ainda sonho com um Jake desses...rsrsrsAproveitando a nota para fazer um merchan, a ritinha, diva diga-se de passagem, acabou de postar uma nova fic e me deu a honra de betar para ela *metintindo.com.br*. A fic se chama The Only One e está cheia de surpresas 666~
http://www.fanfiction.com.br/historia/129032/The_Only_One
Espero vcs lá, bjks Katy Clearwater.
N/B: Oh que linduuuu!*.*! Que p*rra de homem perfeito é esse minha gente? É só pra gente se matar por que não temos desses ao nosso lado (acho que a maioria infelizmente)!*se descabela*Preciso dizer que está em reta final? Não né? *chora*Então vamos caprichar nos reviews e nas recomendações para sabermos mais sobre o futuro desse casal perfeito, que a tia Steph não deu pra gente!
Bjs
Alemorais



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Simple Love" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.