Crônica - 1 Litro de Lágrimas. escrita por KarolCullen, KarolCullen02


Capítulo 1
Crônica - 1 Litro de Lágrimas


Notas iniciais do capítulo

Boa Leitura...



                                                               1 Litro de Lágrimas

                     “Onde eu devo ir? Embora eu não saiba a resposta, eu me sinto melhor se escrevo. Eu procurei por um par de mãos para me ajudar, mas eu não posso senti-las, não posso ve-las. Só enfrento a escuridão e ouço o som de meus gritos desesperados de 1 litro de lágrimas.”

                                                                                                         [Aya Kito]

                     Todos nós enfrentamos vários problemas em nossa vida e devido a muitos deles desistimos facilmente de viver. Mas nunca paramos para pensar que existem pessoas que enfrentam dificuldades ainda maiores e nem por isso desistem. E por mais difícil que seja a vida, há sempre um jeito de contornar as situações complicadas.

                     Eu não pensava assim. Apenas passei a pensar, quando bati de frente com a realidade do mundo em que vivemos e notei que há pessoas no mundo, que nunca conheci e nunca chegarei a conhecer, que passaram por dificuldades maiores do que as que eu enfrento ou enfrentei e que apesar de tudo lutam até o fim.

                     Foi a partir de uma novela japonesa baseada em um fato real que aconteceu com Aya Kito no Japão, que vi com meus próprios olhos o sofrimento de uma adolescente da mesma idade que a minha, que descobriu possuir uma doença chamada Degeneração Espinocerebelar, uma doença que não possui cura e que ninguém jamais sobreviveu.

                     Uma doença que faz com que o cerebelo se atrofie e por esse motivo os neurônios acabem morrendo. Perdendo os movimentos do corpo, a fala, tenha falta de equilíbrio, disartria, disfagia, diplopia, rigidez muscular em membros inferiores, cãibras e formigamento nos pés, chegando até o dia em que fiquem paralisados numa cama, até acabar por falecerem.

                     O que mais me emocionou nessa novela japonesa, foram as suas palavras. As palavras que  Aya escreveu em seu diário enquanto ainda estava viva e lutava contra a doença e a reviravolta que sua vida sofreu. Palavras que me fizeram seguir em frente e aproveitar a minha vida, enquanto eu a ainda a tenho, conforme Aya em seu diário cita:

                     “A realidade é muito cruel, muito brutal. Nem sequer tive a oportunidade de sonhar. Por que essa doença me escolheu? Quando penso no futuro, não posso evitar as lágrimas.

                     Quero construir uma máquina do tempo e voltar ao passado. Pois se não fosse por essa doença, eu conseguiria me apaixonar e não depender de ninguem para viver. Mas quer saber, eu não direi mais que quero voltar aquele dia, aceitando o eu de agora, eu vou viver.  Apesar de muitas vezes eu ter me machucado com esses olhares sem coração, eu percebi que havia ainda olhares de gentileza. Não sou a única que sofre.

                     As pessoas não deveriam viver no passado. É suficiente fazer o possivel no presente. Além disso, o que tem de mais em cair? Você pode se levantar de novo.”

                     Essas foram algumas de suas palavras, que me fizeram querer viver mais e mais a minha vida. Me ensinando que sempre que eu cair, é apenas para que eu aprenda a me levantar mais forte.

                     As vezes me pergunto. Qual é o meu propósito na vida? Talvez eu ainda não tenha a resposta, mas nem por isso deixarei de sonhar até um dia encontrar meu caminho.

                     Hoje tento viver o máximo o meu presente. Pois devemos sempre viver a nossa vida no limite, não importando nossa condição física ou mental. Lutando sempre para derrubar os obstáculos no caminho.

                     Foi no dia 23 de maio de 1988 as 12:55 da manhã que Aya Kito, de 25 anos, dormiu para sempre. Morrendo rodeada de flores. A última frase que Aya escreveu foi. “O fato de eu estar viva é uma coisa tão encantadora e maravilhosa que me faz querer viver mais e mais.”

                     Eu ainda estou viva e não me deixarei abater pelas dificuldades que ainda virão em meu caminho. Irei lutar e serei forte por mim e por todos a minha volta. Seguirei o meu sonho e não desistirei.

                     Obrigado Aya, por ter mostrado que devo enfrentar os meus problemas e nunca desistir, que devo aproveitar minha vida, mesmo que no caminho eu tenha que derramar 1 litro de lágrimas.

                                                                                    Crônica por Karoliny Oliveira.



Notas finais do capítulo

O que acharam??? Reviews??
Eu gostaria da opinião de vocês.
Obrigado por lerem.
Beijos e até mais.



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Crônica - 1 Litro de Lágrimas." morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.