Naruto e Hinata Uma Nova Vida escrita por zariesk


Capítulo 9
Capítulo 7 - responsabilidade


Notas iniciais do capítulo

a fic voltou de onde parou, nesse capitulo finalmente será revelado o segredo contado por sakura e que misterio é esse em torno da missão secreta do antigo time 7?




<!-- /* Style Definitions */ p.MsoNormal, li.MsoNormal, div.MsoNormal {mso-style-parent:""; margin:0cm; margin-bottom:.0001pt; mso-pagination:widow-orphan; font-size:12.0pt; font-family:"Times New Roman"; mso-fareast-font-family:"Times New Roman";} @page Section1 {size:595.3pt 841.9pt; margin:70.85pt 3.0cm 70.85pt 3.0cm; mso-header-margin:35.4pt; mso-footer-margin:35.4pt; mso-paper-source:0;} div.Section1 {page:Section1;} --> 

 

O retorno para konoha foi rápido, como de costume naruto se recuperou rapidamente e no dia seguinte já estavam de volta á vila.

— o que fará agora? – perguntou hinata para naruto.

— eu e o shikamaru iremos entregar o relatório para a vovó tsunade, você pode ir buscar a yukie que eu sei muito bem que você está doida pra fazer isso.

Hinata abraçou naruto e rapidamente foi buscar sua filha que estava na casa de sakura e sasuke.

— você pode ir também naruto – disse shikamaru – eu posso entregar seu relatório.

— nada disso! – respondeu naruto – dessa vez faço questão de entregar pessoalmente.

Os dois seguiram para o escritório da hokage, despediram-se do outros e pularam pelos telhados.

Chegando ao prédio hokage naruto encontrou seu velho sensei esperando por ele.

— oi naruto, podemos ter uma conversinha?

— kakashi-sensei! A quanto tempo! Acho que faz um mês desde que nos falamos pela ultima vez.

— mais ou menos isso mesmo, você tem um tempinho?

Naruto olhou para shikamaru que imediatamente entendeu aquilo com “vá na frente que depois eu vou”.

— soube que você liderou essa missão – começou kakashi – e então? Como foi?

Naruto olhou seriamente para kakashi.

— kakashi-sensei, você me acha forte?

Pelo tom da pergunta e o olhar serio de naruto kakashi entendeu que ele não queria palavras de incentivo ou bajulação, ele queria a verdade.

— você é forte, só lhe falta experiência, não sabe quase nada sobre estratégias ou lutas planejadas. Mas porque essa pergunta?

— eu encontrei um espadachim da nevoa nessa missão, se não fosse por Sai e chouji ele teria me matado, não conseguir fazer nada a não ser me manter vivo.

— você se sairá melhor da próxima vez, é isso que chamamos de experiência: agora que você o conhece não será como antes, de certa forma ter lutado e sobrevivido se tornou uma vantagem pra você.

Naruto sorriu para kakashi, sua duvida tinha desaparecido mas uma coisa ainda ocupava sua mente.

— eu senti medo, sensei. Senti medo de morrer e deixar minha família para trás, nem mesmo quando lutei contra a akatsuki naquela guerra eu senti esse tipo de medo.

— isso é natural – respondeu kakashi sorrindo por baixo da mascara – se você não sentisse nada provavelmente seria porque não os amasse o suficiente.

— nem diga uma coisa dessas sensei! eles são tudo pra mim!

Kakashi riu da expressão do seu ex-aluno, gostava de ver que ele tinha se tornado um homem responsável apesar de brincalhão. Mas esse não era o motivo de procurar naruto assim que ele voltasse da missão.

— eu queria lhe avisar naruto – começou kakashi seriamente – que um deles foi visto por ai.

— de quem você ta fal... – naruto ficou pasmado com a idéia que passou na sua cabeça – não me diga que é o que estou pensando?

— ainda não sabemos qual deles é, mas fique preparado que talvez tenhamos que procura-lo em breve.

Essa era a missão secreta do antigo time 7, uma missão conhecida apenas por eles e a hokage, algo tão secreto que nem mesmo hinata sabia o que era embora ela soubesse que naruto fazia algo.

— cada vez que encontramos um deles fica mais difícil, acho que eles já perceberam.

— desde que não apareça mais de um acho que podemos continuar, mas realmente está ficando difícil. Você pode continuar?

— é claro que posso! – respondeu naruto fazendo sinal de positivo – uzumaki naruto não desiste nunca.

— é assim que se fala, agora vai logo entregar seu relatório antes que tsunade-sama coma seu fígado!

Naruto nem respondeu, correu o mais rápido possível para o escritório dela.

— tem coisas que não mudam nunca! – reparou kakashi satisfeito.

No escritório da hokage naruto se recuperava de mais um soco da sua querida vovó tsunade.

— você acha que pode ficar papeando por ai antes de terminar seu trabalho? – perguntava ela com fúria.

— foi mal vovó tsunade, é que o kakashi-sen... – foi interrompido por outro soco.

— quem é sua vó aqui?

— VOCE VAI ME MATAR DESSE JEITO!

— eu não to nem ai, agora cadê o relatório?

Naruto entregou o relatório ainda meio zonzo de tanto apanhar.

— muito bem naruto! – elogiou tsunade mudando de humor completamente – essa missão foi muito melhor do que o esperado, e eu recebi uma carta do daimyo elogiando seu desempenho também.

— herr, obrigado – disse ele encabulado com o elogio.

— é por isso que eu tenho prazer em lhe entregar isso – disse ela pegando um envelope.

Alem do pagamento pela missão que era bem grande por sinal havia um documento dentro, naruto leu o conteúdo e com uma cara de felicidade crescente olhou para tsunade.

— isso é serio mesmo vovó tsunade? Não tem nenhum engano?

— é claro que é serio! – respondeu tsunade deixando escapar o “vovó” de agora a pouco – você já tem capacidade para isso, só faltava alguns detalhes que você provou ser capaz de dar conta nessa missão.

Naruto deu um grito de alegria e praticamente saiu voando do escritório, precisava conta essa novidade para hinata.

— “seu sonho está cada vez mais perto de se realizar, naruto” – pensou tsunade enquanto admirava as faces dos hokages pela janela.

**************************************************

Hinata correu para encontrar sua filha o mais rápido possível, foram quase dez dias fora sem vê-la e a saudades já a comia por dentro.

Ao chegar na casa de sakura sua filha já a esperava na porta.

— meu anjo! – disse hinata pegando a filha nos braços – eu estava morrendo de saudades de você.

A menina abraçou-a fortemente, também sentia falta dos pais apesar de gostar muito de ficar com sakura.

— ela te viu a um quilometro de distancia – informou sakura trazendo as coisas da menina – e ficou toda eufórica com isso.

— isso quer dizer que... – reparou hinata com um sorriso no rosto.

— isso mesmo! Ela usou o byakugan pela primeira vez!

Hinata não conteve a emoção, para um hyuuga usar o byakugan pela primeira vez é tão importante quanto os primeiros passos ou as primeiras palavras.

— eu queria tanto está do lado dela quando isso acontecesse!

— mas você foi a primeira pessoa que ela viu, então deve valer a mesma coisa.

— cadê o papai? – perguntou yukie olhando em todos os cantos.

— ele vem logo – respondeu hinata sorrindo – está com sua vovó tsunade.

Apenas yukie chamava tsunade de vovó e ficava por isso mesmo, na verdade tsunade se sentia mesmo como avó dela já que sempre amou naruto como um filho.

— mas me diga mocinha – disse hinata para yukie se fingindo de seria – você se comportou enquanto estava aqui não é?

A menina respondeu balançado a cabeça positivamente, sakura admirava como ela era inteligente e espontânea, sonhava com o dia em que teria seu tão esperado filho com sasuke.

— ela se comportou bem mesmo, mas era mais por causa do sauke-kun, parece que ela tem medo dele.

— hinata gargalhou ao ouvir isso, na verdade sasuke não sabia cuidar de crianças muito bem e acabava assustando elas.

— acho que o sasuke-san tem muitas dificuldades em liderar um time de gennins não é?

— nem me fale – disse sakura abanando as mãos – os pobres coitados não sabem se é mais seguro com o inimigo ou com sasuke.

— as duas riram muito disso enquanto que sasuke que estava fora em uma missão acabou espirrando.

— gripado? – perguntou um ANBU ao seu lado.

— acho que estão falando mal de mim – disse ele coçando o nariz.

De volta a konoha hinata levava sua filha para casa, primeiro passaram no mercado para comprar coisas para preparar um belo almoço já que ela sabia haver motivos para comemorar. Yukie carregava uma pequena sacola com guloseimas que ela adorava comer e hinata achava engraçado cada tentativa de sua filha de comer doces escondida que eram prontamente frustradas pelo olhar atento de hinata.

Foi quando yukie reparou em algo.

— é o tio neji – avisou a menina olhando para uma parede.

— onde? – perguntou hinata procurando-o também.

A menina apontou para a parede, hinata não entendeu a principio mas depois percebeu que a parede era de uma loja de especiarias e verificou o interior com seu byakugan e viu neji acompanhado de outra pessoa.

Quando neji saiu estava carregando uma sacola e viu hinata na porta sorrindo para ele.

— bom dia hinata – cumprimentou neji surpreso por encontrar hinata ali.

— bom dia neji nee-san, fazendo compras para o clã?

—sim, e você?

— também! – respondeu ela mostrando as sacolas de compras – voltei hoje de uma missão com o naruto-kun e vou preparar um bom almoço, está convidado para se juntar a nos se quiser.

— eu agradeço mas fica para outra ocasião.

Hinata já esperava essa resposta embora adoraria ter seu primo como convidado.

— foi ela quem o viu – disse hinata olhando para a filha que tentava se esconder atrás dela – hoje foi a primeira vez que ela usou seu byakugan.

Neji esboçou um pequeno sorriso discreto com o canto da boca, não seria grande coisa se não fosse o fato de que quase nunca ele ria de nada.

— meus parabéns mocinha – disse neji para yukie ao se abaixar – tenho certeza que será uma boa kunoichi.

Hinata parecia bastante satisfeita em ouvir isso, ao que tudo indicava neji tinha carinho por yukie.

— neji-sama! – disse uma outra pessoa saindo da loja com uma bolsa – é falta de educação de sua parte me largar lá dentro sozinha!

Hinata percebeu se tratar de uma hyuuga, pelo jeito como escondia a testa com uma faixa ela deveria ser da bouken.

— me desculpe – respondeu ele sem muita importância – lá dentro estava quente.

Só então que ela reparou em hinata.

—oh, hinata-sama!

— eu acho que não me lembro muito bem de você – disse hinata para ela.

— meu nome é hyuuga hana, é um prazer revê-la – respondeu ela se curvando.

Hyuuga hana era membro da bouken como hinata suspeitava, usava o cabelo longo preso em uma trança única e tinha os contornos do corpo delicados, se mostrava uma moça muito simpática .

— não precisa me chamar de “sama” – pediu hinata para hana – já não sou sua líder a anos.

— para mim hinata-sama será sempre minha líder – respondeu hana se curvando mais uma vez – atualmente com exceção de neji-sama ninguém no clã hyuuga é digno da liderança.

Neji ficou encabulado com o comentário, já faz um bom tempo que hana fora ordenada a acompanhar neji dentro da vila como uma espécie de ajudante pessoal. Isso era algo desnecessário mas os conselheiros do clã achavam que isso ajudava a aumentar o status de neji.

— cuidado com o que diz, hana – pediu neji constrangido – esse tipo de comentário não é nada bem visto pelo clã.

— eu só digo a verdade.

Hana reparou na presença de yukie e se abaixou para ficar de frente com ela.

— que menina linda! Você é uma abençoada hinata-sama por ter uma filha tão linda.

Yukie sorriu para hana, raramente ela ficava assim na frente de estranhos.

Hinata sentiu simpatia por hana, essa personalidade nada servil indicava que nem todos no clã baixavam a cabeça.

— eu gostaria de continuar essa conversa, mas agora eu devo voltar e preparar o almoço para um certo uzumaki faminto, espero poder vê-los em breve.

Neji seguiu seu caminho sobre os protesto de hana que queria continuar conversando com hinata, e hinata por sua vez ria achando que hana fazia bem a ele   

De volta para sua casa hinata guardou tudo que comprou e começou a esquentar água no fogão, yukie estava sentada em sua cadeirinha na mesa de jantar.

— o papai vai chegar logo – disse hinata para sua filha – e então vamos comer um almoço bem gostoso!

Pouco tempo depois naruto entrou em casa como um furacão, foi rapidamente ao seu quarto para guardar sua mochila e voltou correndo para  a cozinha.

— cadê minha filhinha do coração? – disse naruto pegando yukie nos braços.

Yukie adorava o pai, ela adorava vê-lo treinar movimentos e gostava ainda mais de brincar com ele.

Papai voltou! – exclamava a menina de felicidade.

— seja bem vindo – cumprimentou hinata – o almoço logo estará pronto.

Naruto colocou sua filha de volta no lugar deixando-a chateada, foi até hinata a agarrou levantando-a no ar.

— eu vou ser sensei! – gritava naruto eufórico – eu vou treinar um time só meu!

— é, eu sei! – disse hinata acompanhando-o na alegria.

— você sabe? Perguntou naruto surpreso – mas eu acabei de receber a noticia.

— sakura-san me contou antes de irmos a missão, ela ouviu tsunade-sama comentando que se você se saísse bem como líder receberia essa responsabilidade.

— isso não é justo! – reclamou naruto – você sabia esse tempo todo e não me contou nada?

— mas se eu contasse poderia estragar tudo.

— sem desculpas senhorita! Eu pensarei em um castigo pra você depois. Agora eu vou comer que esse almoço cheira muito bem.

Hinata se arrependeria pro resto da vida depois disso, quando naruto dizia algo como castiga-la significava que ele aprontaria algo com ela, geralmente uma de suas brincadeiras de moleque que ela estava acostumada a ver por ai.

A noite quando já tinham posto sua filha para dormir os dois ficaram conversando um bom tempo.

— sabe quem encontrei hoje? O neji passeando com uma garota do clã, não é surpreendente?

— com certeza! Já tava na hora dele se interessar por outras coisas alem de trabalho.

Naruto se referia ao fato de que até hoje jamais ouvira qualquer historia dele namorar alguém.

— falando em trabalho você começará amanhã não é?

— sim, vou conhecê-los amanhã. Como será que eles são? Será que são legais ou são uns malas?

— está pensando nisso por experiência própria? – provocou hinata.

— você hoje tirou o dia para me provocar hein?

Hinata riu com isso, para ela toda a felicidade de naruto era bem vinda.

— mas você sabe o que significa treinar um time não é? – perguntou hinata um pouco seria.

— significa que sou responsável por eles – respondeu naruto – suas vidas, seus sonhos e futuros estão em minhas mãos.

— que bom que compreende essa responsabilidade.

— eu não decepcionarei ninguém, amanhã eu começo uma nova fase da minha vida.

continua



Notas finais do capítulo

espero que não se ecomodem com o texto juntinho mas é que to sem tempo pra revisar.
o cap 8 já está em andamento!