Especial de Natal Maroto escrita por Cecilia Black Malfoy


Capítulo 3
Cap.2 E a bola quebrou


Notas iniciais do capítulo

Six e Jay de Natal... será que papai noel me dá?!



Cap.2 E a bola quebrou

Narrado por Marlene:

Chegamos a minha casa e todos olharam em volta, pelo visto meus pais ainda não tinham arrumado nada para o Natal e ia sobrar para mim. Que sacanas! Deixam todo o trabalho pesado para a minha pessoa! Sabe, arrumar a árvore, pendurar os enfeites... Isso cansa! 

Mas se vocês pensam que eu a bobinha aqui vou trabalhar sozinha estão muito enganados! Muahsauhsahuuashuh Coloco todos os marotos para trabalhar e ainda meto as meninas nisso. Todos agora olhavam para mim, por que será? Eu estou com alguma coisa no rosto? Está sujo? Ah não, eu sou a anfitriã mesmo.

Lily olhou para os lados e parou para observar a mesinha da sala até que me olhou rindo. Tenho cara de palhaça?! Tá, algumas pessoas dizem que eu tenho, mas isso não vem ao caso...

- Pelo visto você gosta mesmo do coelhinho da páscoa – disse apontando para o ovo que estava enfeitando a estante. Boba! Gosto mesmo, algum problema?! É melhor não deixar nem ela entrar no meu quarto, mas se vocês pensam que eu vou contar o que tem no meu quarto podem tirando o cavalinho, a égua, o potro, o burro e o jumento da chuva, porque vocês estão muito enganados. E é melhor tirar eles mesmo, não gosto de ver animal doente... Para falar a verdade eu acho que eu nunca vi um animal doente... Sem contar daquela vez que o Sirius pegou um resfriado horrível, chegou a dar pena do cachorro. Mas quem não sente pena dele?! Você tem que ver quando ele faz aquela carinha de cachorro abandonado, meche com o coração de todo mundo! Teve uma vez que eu cheguei a ver o Sirius usar esse método com o James e o pior é que pareceu funcionar... Eu sempre suspeitei da amizade deles!

- Ele é mais bonito que o papai Noel! – Eu exclamei segurando o ovo e fazendo carinho nele.

- Esse ovo parece mais uma bola – disse Paty olhando bem para o ovo.  Não olha muito não! ELE É MEU! MEU PRECIOSO!

- Uhul! Marlene está fazendo carinho em uma bola – falou Sirius com a maior alegria do mundo. Eu olhei indignada para ele enquanto os marotos riam. Será que eles são tão infantis quanto aparentam?

- Bola! Bola! Bola! – Gritaram os três. Eu acho que sim... Eles são muuuuuito infantis.

- Será que dava para vocês respeitarem um pouco mais o coelhinho se não quiserem ser mortinhos? – Perguntei fazendo minha melhor cara assassina, mas isso fez com que Sirius fosse até onde eu estava e tirasse o ovo da minha mão. Epa! Tocou em coisa que não devia.

- E o que o coelhinho vai fazer com o marotinho se ele pegar a bolinha dele? – Ele perguntou me implicando. Opa! Essa frase pegou mal... Eu já disse que ninguém podia tocar nele não disse? Se não disse demonstrei, então não me culpe pela cena a seguir...

- Mexeu com o coelhinho da páscoa mexeu comigo – eu falei avançando para cima do Sirius e pulando em cima dele. Pulei nas suas costas e ele começou a rodar com a bola... Quero dizer, com o ovo ainda na mão.

- MARLENE SUA LOUCA VARRIDA! SAI DE CIMA DE MIM – falava tentando me tirar das costas dele.

- Nunca! – Exclamei malvada e tapei os olhos dele. Um erro se você quer saber, porque ele tropeçou e perdeu o equilíbrio caindo no chão e me levando junto. Isso eu nem liguei, só que a bola... Quero dizer, O OVO voou da mão dele indo se espatifar do outro lado da sala.

Fiquei imóvel, Sirius também e logo depois olhou para mim. Os outros apenas olhavam o ovo. As lágrimas começaram a cair dos meus olhos, meu mundo tinha acabado. Eu levantei de cima do Sirius e fui engatinhando até o outro lado da sala. Quando cheguei ao meu destino, peguei o que fora um ovinho lindo todo pintado e o apertei contra o peito. Continuei chorando até ouvir o Sirius:

- Nunca pensei que fosse ver Marlene com uma bola quebrada no peito – ele falou e os marotos riram. As meninas continuaram imóveis esperando minha reação. Lílian olhava na minha direção e depois para Sirius e Paty apenas tentava esconder o riso... Amiga da onça! Ela vai ver... Levantei com um olhar furioso e andei até Sirius:

- VOCÊ QUEBROU A MINHA BOLA! – Eu gritei ainda chorando que nem um bebê que acabara de acordar morrendo de fome e que a mãe apenas tirou do berço e colocou no chão, em seguida colocou uma vassoura na mão do bebê que foi obrigado a varrer a casa toda para depois poder comer... Gente, isso nunca aconteceu comigo! Mas era para vocês entenderem o quanto eu estava chorando...

- Agora isso é uma bola? – Ele me perguntou! IDIOTA! Hoje eu juro que vou cometer um assassinato! Juro! Foi quando meu pensamento se iluminou, e não! Ninguém tinha acendido uma luz!

- Quer saber Sirius? – Eu perguntei me aproximando perigosamente enquanto largava o que fora um ovo, ou uma bola, nem sei mais, em cima da mesinha – Agora quem vai sofrer vai ser a sua bola! – Eu disse e ele olhou para baixo apavorado. Eu dei uma risada maligna que ecoou pela casa enquanto estalava os dedos. Ele me olhou suplicante e saiu correndo quando uma raivosa, irada, assassina Marlene correu atrás dele com um único desejo na vida, acabar com as bolas de Sirius Black, afinal, ele acabara com a minha. Cara, isso pegou muito mal mesmo! Eu nunca tive uma bola! Eu quis dizer o ovo! OVO!!!

- Marlene não! – Ele gritou quando tropeçou e eu cai por cima dele, se eu não estivesse tentando matá-lo ou deixá-lo sem bola, aquela pose cairia muito mal. Foi quando o idiota conseguiu reverter a situação e fez com que eu ficasse embaixo dele enquanto ele prendia as minhas mãos no chão temendo um novo ataque. Isso querido, tema pela sua vida! – Lene, querida – ele disse se aproximando de mim e eu senti um leve arrepio. Que isso Marlene! Mande esse arrepio pro espaço! E se possível o idiota do Black junto! Ainda mando em um foguete que vá fazer com que ele vá parar na Lua, e se possível eu quero ter certeza que o foguete não poderá nunca mais voltar, ah! E ele vai sem varinha! Vai ficar morando lá na Lua junto do dragão dele! – Lene, a gente pode pedir para os seus pais concertarem com magia – o Sirius falou com um sorriso e eu parei de me debater. O encarei e sorri:

- Você tem razão – eu falei e ele se levantou me ajudando logo em seguida a levantar. Fui até ele e comecei a apertar a bochecha dele – Mas que cachorro inteligente – eu disse e ele riu. Riu até eu acertar com um pontapé no que fora as partes íntimas dele e que agora eram duas passas murchas e uma salsinha estragada... Cara, isso foi realmente muito retardado da minha parte, muito mesmo.

- Por quê?! – Ele perguntou colocando as mãos no lugar onde eu acertara bem em cheio e se agachando no chão de dor. Eu ri,uma risada maléfica e que o fez tremer. Remo e James estavam apenas olhando com pena para o cachorro que parecia que estava morrendo de... de alguma coisa. Só que eles não se atreviam a chegar perto, talvez com medo de levarem um também nos deles.

- Lene, que coisa má – disse Paty se agachando do lado de Sirius e fazendo carinho na cabeça dele. Logo que ela tocou nele o danado logo se sentou e colocou a cabeça no colo dela! Mas que cachorro, viado, idiota, retardado, imbecil, sem bolas, tarado, sem vergonha! Calma Marlene, não tem o porquê de você ficar zangada! É só o idiota do Sirius... Ih! Mas parece que o Reminho aqui também não gostou muito dos paparicos do Sirius e da Paty não... Eita.

- Calma Remo, eles não estão se pegando não – Lily falou e Remo corou. Todos riram, menos Paty que, lerda como sempre, não entendeu a piada e só ficou corada... Aff!

- Ainda! – Falou o cachorro do Sirius derrubando Paty no chão e fingindo que ficava com ela. Remo simplesmente não deu por si e quando nós vimos, ele estava tirando Sirius de cima de uma Paty que rolava de rir no chão... ah! Rolar me lembra o que fora o meu ovinho... Calma Lene! Não chora! Calma!

- Nossa Remo! Quanto ciúme – disse Sirius se afastando e Remo ao ver o que havia feito simplesmente saiu de perto de Paty que o olhava de uma maneira curiosa.

- Nã-nã-nn-não é ciúme – gaguejou o coitado do Remo – Eu só achei uma pouca vergonha – disse e olhou para os lados em busca de apoio.

- Eu também achei! – Eu falei toda autoritária e ele me olhou agradecido. Lily apenas revirou os olhos – É a minha casa e eu não quero essa pouca vergonha – eu falei apontando para Sirius que apenas me olhou de forma maliciosa. Cachorro... ah! Pára de fazer essa expressão, se não eu não dou por mim! Opa, isso também não pegou bem...

- Lene, você não é a melhor pessoa para ajudar o Remo nessa enrascada! Afinal... não é você que tem uma quedinha pelo Sirius?! – falou a idiota da Lily com uma carinha maliciosa! COMO É QUE É?! Eu vou fazer essa ruiva engolir a língua dela e depois vou prender ela na cama e fazer muita cosquinha nela! Aposto que você pensou besteira quando eu falei que ia prender ela na cama... Essas mentes poluídas de hoje em dia... Onde o mundo vai parar?! Eu sempre fui uma santa nesse assunto sabe? Mamãe sempre disse que o mundo precisava de mais pessoas como eu... Bom, eu acho que ela se enganou um pouquinho! Muhauauahuha.

- Lily vai à merda! Vai pra merda! Vai da maneira que você quiser, mas não me enche – eu falei e ela arregalou os olhos. Sirius passou o braço em volta do meu ombro. Aquele braço tudo de bom, super forte, lindo, maravilhoso, , todo horrível, verruguento, fedido, feio, enrugado! Nunca queiram tocar no braço dele! NUNCA! Sério, não toquem nele!

- Lene, eu sabia que você me amava – ele disse todo maroto me dando um beijo no pescoço. Eita arrepio contagiante. Afastei-o de perto de mim!

- Sai daqui Black, se não eu não dou por mim! – Eu falei e ele se possível me olhou mais malicioso ainda! Por quê?

- Você vai me atacar e me fazer de lagartixa?! – Ele me perguntou e foi a minha vez de arregalar os olhos, putz! Ele só pensa besteira!

- Não, só se for de lagartixa morta, mortinha – eu falei e o sorriso dele desapareceu, mas logo reapareceu.

- Vai me matar de... – ele começou, mas eu interrompi.

- NÃO TERMINE ESSA FRASE! – Eu gritei e ele calou a boca. Acho que eu consigo assustar quando eu quero.

- Vamos parar de brigar, por favor?! – Perguntou James e todos olharam para ele.

- Beleza – eu falei e já estava pegando as malas quando James me segurou pelo braço.

- Cadê seus pais? – Ele me perguntou olhando em volta da casa.

- Viajaram. – Eu respondi e eles me olharam surpresos.

- Então quer dizer que somos só nós e vocês, garotas? – Perguntou James com um sorriso maroto enquanto Remo e Sirius ficavam com sorrisos iguais estampados na cara. Aqueles safados...

- Não, na verdade somos homens disfarçados de mulheres. – Eu respondi simplesmente e eles arregalaram os olhos enquanto Lily e Paty riam.

- CORRE ALMOFADINHAS! CORRE ALUADO! CORRE! – Gritou James que nem um desesperado e os três saíram correndo pela casa. Nós apenas cruzamos os braços para ver eles se cansarem...

...

... E eles não param de correr...

...

... Meu Merlin, os façaeles parar...

...

...

- CHEGA! – Eu berrei e eles pararam para me encarar – Era brincadeira! Nossa! Vocês não param de correr!- Eu falei e eles começaram a rir.

- Querida, nós temos fôlego – falou o James passando o braço em volta do meu ombro. Qual é? O que meu ombro tem de tão especial para atrair esses garotos?! Epa! A Lily está vermelha... Isso não é um bom sinal.

Eu sorri para eles. Bom saber que eles tinham fôlego...hehehe!

 – Então gente, vamos pegar as malas e subir que eu vou mostrar o quarto.

Todos pegaram suas devidas malas e eu na frente do grupo subi as escadas. Foi quando eu ouvi o barulho de alguém caindo e virei para trás a tempo de ver um dominó de gente rolando na escada. Aparentemente, Paty que estava atrás de James que estava atrás de mim, tropeçou e segurou no garoto que se desequilibrou e assim os dois caíram fazendo Lily e Remo caírem junto e Sirius, que estava por último, correu escada abaixo para não cair. Nossa! Que confusão... Quando finalmente os três pararam de rolar e se levantaram, eu olhei atentamente. Paty estava com o braço vermelho e Lily com uma visível dor nas costas... James, coitado, tinha um galo enorme na cabeça que com toda certeza iria cantar (?) e Remo estava todo vermelho e ofegante.

- Vocês estão bem? – Eu perguntei e todos se viraram para me olhar com expressões assassinas. Nossa! Foi só por educação que eu perguntei!

- Hihihihi – eu ouvi um riso vindo do final da escada. Sirius ria e todos ficaram espantados.

- Posso saber qual é a graça? – Perguntou Remo irado.

- O James machucou o chifre! – Falou Sirius e Remo que há pouco tempo estava todo irritadinho, começou a rir com Sirius. James colocou a mão no galo, mas isso acabou fazendo com que nós, eu, Lily e Paty, ríssemos também. Não me pergunte o porquê!

- Caramba que amigos hein! Saibam que está doendo – disse James e nós paramos de rir. O machucado estava realmente feio. Lily olhou bem para James e chegou perto do maroto, pegou o rosto dele e passou as mãos no galo. James fechou os olhos... Mesmo com um machucado horrível ele ainda consegue apreciar o toque! Ah! Foi quando a Lily fez uma coisa que eu nunca pensei que fosse fazer, trouxe o rosto de James para perto do dela e deu um beijo no machucado do garoto. Todos ficaram com a mesma expressão, ou seja, tipo assim: Eu nunca pensei que fosse ver isso.

Acho que James também não esperava isso porque após alguns minutos em que ele ficou estático o garoto deu um sorriso. Lily se afastou e corou, mas sorriu mesmo assim.

- Melhorou? – Perguntou a minha amiga, aquela que eu achei que conhecesse. Tipo, eu sempre soube que ela tinha uma queda pelo James e tal, mas nunca pensei que ela fosse capaz de fazer isso nele! To passada! Lavada, enxugada e seca também!

Eu acho que o James estava feliz demais, porque ele só conseguiu dar um aceno com a cabeça.

- Hein, hein – eu pigarreei para mostrar que ainda estávamos lá – Vamos?

Continuamos a subir as escadas, alguns andando e outros mancando.

- Anda patinho – falou Sirius para Remo quando chegamos ao corredor.

- Patinho? – Perguntou Remo e pelo visto ele não estava muito contente pelo apelido.

- Isso mesmo, você manca que nem um pato – ele falou todo feliz por ter criado um apelido tão ridículo, retardado, idiota maneiro! Eu ri e Remo me lançou um olhar mortal. Ele acha que eu tenho medo?! Ele realmente acha que eu tenho medo dele? Está bem... Eu tenho um pouquinho sim... Mas é só um pouquinho!

- Gente, agora nós temos um problema – eu falei toda autoritária – A divisão dos quartos.

- Quantos quartos têm nessa casa? – Perguntou Lily olhando em volta.

- Três, sem contar com o dos meus pais – eu falei apontando para a porta mais próxima.

- Opa! A cama de casal é nossa, né Lily? – Falou o safado do James e Lily mandou um palavrão bem feio pra ele. Ela pode até esconder... Mas eu vi um sorrisinho maroto nos lábios dela quando ela virou.

- Então... Remo? O que a gente faz? – Eu perguntei e Remo olhou confuso para mim e depois para todos que o olhavam.

- Por que eu tenho que decidir? – Caramba! Se eu perguntei para você é para você decidir!

- Porque você sempre pensa em uma ótima solução – eu falei como se fosse óbvio. E é óbvio. A melhor solução que eu já vi o Sirius tomar foi quando a gente estava passando o Natal em Hogwarts e surgiu uma pergunta muito difícil para se responder. Eu lembro até hoje! Lily virou para a gente e perguntou: “Vocês preferem sorvete ou brigadeiro?” E eis que a inteligência rara do Sirius respondeu: “Os dois.” Isso mesmo, mas no final a gente acabou comendo os dois mesmo! E eu posso afirmar que aquilo me rendeu muuuuitas calorias a mais durante meses! Agora você deve estar se perguntando: “O que eles estavam fazendo e onde eles estavam comendo isso?” Simples, a Lily disse que sabia fazer e nós sem mais nada para fazer fomos até a cozinha e a Lily ajudou os nossos amigos elfos a fazer comidas deliciosas que eu nunca tinha comido. E esse dia teve até direito de se ver de camarote um beijo roubado do James na Lily todo lambuzado de chocolate! Os dois! Mas em conseqüência o coitado levou um tapa na cara bem dado... Ok, voltando ao presente...

- Mas eu não sei o que fazer! – Falou o queridinho Remo.

- Oh, grande Remo! – James adora um teatro! Foi logo se ajoelhando diante do Remo – Nos diga o que devemos fazer!

Sirius riu até não poder mais. Tinha tanta graça assim?

- Bom, podemos fazer com que seja meninas juntas e meninos juntos – falou Remo e todos começamos a protestar, menos a Lily é claro.

- Eu não quero dormir com macho! – Falou James sabiamente e Sirius concordou na hora.

- E eu não quero dormir com fêmeas! Ainda mais se tiverem no cio. – Opa! Ofendeu Paty!

- Ótimo! Então resolvam vocês! – Falou Remo dando de ombros e saindo de perto.

- Ah não gente! O Remo ficou chateado! – Falou Paty olhando para ele e ele logo fez bico.

- ABRAÇO COLETIVO NO ALUADO! – Gritou James e todos nós partimos que nem uma manada de rinocerontes para cima do Remo que começou a correr pelo corredor. Nem preciso dizer o resultado disso... Todos nós caídos no chão iguais a baratas tontas...

- Ok! Qual vai ser solução? – Perguntou Sirius quando levantamos.

- Que tal um sorteio? – Perguntou James e todos concordaram, um sorteio era uma boa... Não é que o moleque também pensava?!

Narrado por Paty

Agora estávamos todos na cozinha enquanto a Lene pegava papel e caneta. E que demora... Com certeza o papel deve ter voado da mão dela, ela não volta nunca para a cozinha... Ou ela chorou de novo por aquela bola e agora está usando o papel como lenço...

- Paty – chamou a Lily enquanto os marotos preparavam umas bebidas para a gente. Não me pergunte o que eles estavam colocando lá dentro... Eu só via frutas para um lado, bebidas que eu não reconheci para o outro... Uma mistureba.

- Fala Lily – eu respondi olhando para ela.

- Eu acho que esse sorteio não vai dar certo!

- Calma Lily, você ainda nem viu no que vai dar!

Lene chegou à cozinha com o papel e a caneta e começou a escrever. Depois com a minha ajuda e com a da Lily, a gente dobrou os papeis e os marotos deixaram a bebida de lado para poderem sortear.

- Quem vai ser o primeiro? – Perguntou a chefinha da casa e Remo estendeu a mão.

- Vem reminho querido – falou Lene piscando, opa! Não gostei disso não! Reminho querido é a sua avó,tia,madrinha,sobrinha,tia avó,mãe ! Calma Paty! Respira fundo.

Remo pegou o papelzinho e desdobrou, em seguida deu um sorriso que tentou esconder em vão... Todos nós vimos aquele lobo PERFEITO dar aquela risadinha marota...

- Então, quem vai dormir com o lobinho? – Perguntou Sirius.

- Paty – falou Remo olhando na minha direção. MEUDEUS!!!!! MEU MERLIN! MEU TUDO! PÁRA O MUNDO! PÁRA DE RODAR! PÁRA COM A ROTAÇÃO, COM A TRANSLAÇÃO, OU QUE NOME TENHA, PORQUE SE NÃO EU CAIO! CAIO E NÃO LEVANTO! Eu vou dormir com o gostoso, tudo de bom, lindo, maravilhoso Remo Lupin! Meu Merlin, estou começando a acreditar em milagres!

Não preciso nem dizer que eu corei até a alma quando ele falou o meu nome e que todos começaram a assobiar. Eu tinha que fazer alguma coisa... Falar alguma coisa... Estavam todos esperando minha reação e olhando em silêncio na minha direção. Então me decidi... Fui até o Remo e apertei a bunda dele, em seguida falei:

- Você já ouviu aquele ditado: “A noite é uma criança?” – Eu não devia ter feito isso! Não devia! Agora está todo mundo assobiando e Remo corou mais do que pimenta. Tapei meu rosto no meu momento de vergonha e me senti sendo abraçada. Olhei para ver quem me abraçava e vi Remo rindo.

- Chega de paparico! Guardem isso para mais tarde! – Falou Lene estragando o momento! BOBAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!! Tava tão bom... – Quem vai ser o próximo?!

- Eu! – Gritou Sirius quase furando nossos tímpanos. Ele foi até a Lene e pegou um papel. Abriu e em seguida sorriu malicioso.

- Quem você tirou? – Perguntou Lene curiosa.

- Você meu bebê! – Falou Sirius passando o braço em volta de Lene que não sabia se ficava irritada ou pulava de alegria. Como eu sei disso? Sabe aquela cara que você faz quando recebe uma nota melhor do que seu amigo e não quer pular de alegria, então você fica todo triste junto dele? Então... Era a cara da Lene.

- Ah não, ah não, ah não, ah não. – Falava Lily repetidamente e eu comecei a olhar para os lados e perguntando:

- ONDE? ONDE? ONDE?!

- Onde o que Paty? – Perguntou Lily irritada! Onde o que? Como onde o que?

- Onde está o anão! – Eu falei e Lily começou a bater com a cabeça na mesa.

- NÃO TEM ANÃO NENHUM! AH NÃO! EU VOU TER QUE DORMIR NO MESMO QUARTO QUE JAMES POTTER! – Falou Lily enquanto fingia chorar, mas reparem... Ela não estava chorando.

Quer dizer que não tinha anão nenhum na cozinha?! Comecei a chorar e eles olharam incrédulos para mim.

- Eu não sabia que você queria dormir no quarto do James – falou Lene olhando para Remo que fechou a cara. Que fofo!

- Não é isso! É que... É que... Não tem anão aqui! – Eu falei e cai no choro.

Segundos depois senti um tapa na minha cabeça e vi Lily rindo enquanto me abraçava.

- Sinto muito se te iludi! – Falou a ruiva descontrolada. Ela é ruiva, mas é minha amiga! Shashuashuhuashusahus!

- Tudo bem! Eu tenho o Remo para me consolar! – Eu falei agarrando Remo e rindo.

- Eu só tenho uma coisa a dizer – falou Lily – EU NÃO VOU DORMIR NO MESMO QUARTO QUE JAMES POTTER!

- Lily, foi sorteio! É justo! – Falei balançando a cabeça.

- A vida não é justa! E nem por isso eu reclamo!

- Você está reclamando! – Falou Lene e Lily calou a boca.

- Lily, pára com isso! Só você está arranjando problemas! – Falou Sirius e todos concordaram.

- Ótimo! Se é assim! – Falou Lily olhando para Lene e eu – Que ótimas amigas vocês, hein?

- Das melhores – falamos juntas.

PLAFT! Isso não foi a Lily dando um tapa em ninguém. Foi na verdade a bebida dos meninos espirrando para todos os lados, na gente, nas paredes, na cozinha inteira! Fomos presenteados com um monte de suco no rosto e nos cabelos. Sirius pelo que se viu foi o mais presenteado, porque foi o burro, ou o cachorro, que se esqueceu de colocar a tampa no liquidificador.

- SIRIUS SEU RETARDADO! – Gritou Lene ensopada de suco.

- Eu me esqueci de tapar! Eu não conheço essas coisas trouxas! – Falou o coitado tentando se desculpar.

Por incrível que pareça, James e Remo riam da cena toda! Cara! Eles deviam trabalhar em circo, ou pedir permissão para estrearem em algum filme de O Rei Leão como hienas.

- Seu retardado miserável – falou Lene tentando ir até Sirius, mas escorregando e caindo de bunda no chão. Coitada, fui até ela tentando ajudar, mas acabei com a bunda no chão também.

No final a cozinha da Lene virou uma sala de patinação e todos nós agora descalços, escorregávamos no gelo... Quero dizer... Na bebida.

Depois tivemos que limpar tudo é claro, mas foi muuuuuito bom. Ver o Sirius, o Remo e o James sem camisa... ah! Pelas calças de Merlin!

E eu até pude rir da Lily, quando o James tirou a camisa, a coitada não viu a vassoura no chão e pisou nela fazendo a vassoura levantar e bater na cara dela. Todos olharam para ela que estava mais vermelha do que... do que... Do que o cabelo dela, o que é bem difícil. Falta de imaginação é foda, nem sei interpretar.

Enquanto limpávamos, só se passava uma coisa na minha cabeça...

Remo de noite em um quarto comigo.

Na cabeça de Lilían e de Marlene:

Essa divisão de quartos não vai dar certo...

Na cabeça dos marotos:

 AHA UHU A NOITE É MINHA! AHA UHU A NOITE É MINHA! Cara, essa rima foi muito escrota...



Notas finais do capítulo

So....
Coments?!