A Missão Final escrita por Gaia


Capítulo 36
Ordens




Gaara andava a sua frente, enquanto ela o seguia um tanto hesitante, com os pensamentos a mil. Ela se perdeu em suas dúvidas, sem prestar atenção no caminho e quando se deu conta, não estava em nenhum lugar que conhecia.

Quando se viu em um corredor estreito e escuro, começou a preocupar-se. Onde Gaara estava a levando? Ela estava acostumada a obedecer Sasuke em seus planos sem questionar, mas ela confiava nele. A situação era outra.

 - Hm… Onde estamos indo? – perguntou, quebrando o silêncio.

O ruivo não respondeu, apenas continuou a andar. Sakura parou, não estava gostando daquilo.

- Gaara. – chamou, fazendo-o parar. – Onde estamos indo?

Novamente, ele não respondeu, apenas virou-se e a fitou. Ficou um tempo apenas a analisando, quando finalmente se convenceu de que ela não iria ceder.

- Eu vou ir a luta e você vai ficar escondida com isso. – mostrou-lhe um fone preto junto com um microfone para pendurar na roupa. Sakura já havia visto aquilo antes, sabia muito bem o que era. – Você vai observar e me informar o que está acontecendo.

A rosada piscou várias vezes e pegou os apetrechos. Era péssima em espionagem e já colocou isso a prova diversas vezes quando era pega sempre que tentava.

- Eu… Mas… - começou a contestar.

- Você não queria ajudar? – ele ralhou. Conseguia ser mais grosso que o Uchiha.

Sakura acenou com a cabeça e continuou a seguí-lo. Assim que chegaram ao seu destino, entendeu na hora onde estavam, tinham pego um atalho para a sala de controle de câmeras.

Lá, ela conseguia ver o que se passava em quase todos os cômodos por grandes telas de televisão. Curiosamente, não tinha ninguém na sala, o que não ajudou nada para saciar suas dúvidas.

Mesmo sendo inexperiente no assunto, ela sabia que devia ter alguém ali. Estaria substituindo alguém, alguém provavelmente importante… “Itachi!”, pensou. E tudo fez sentido.

O desaparecimento repentino de Itachi fez com que a Akatsuki ficasse em desvantagem em seu próprio território. O que levaria tal ação? Não conseguiu deixar de pensar em como Sasuke estaria se sentindo com a possível traição do irmão e soltou um suspiro.

- Qualquer movimento estranho ou morte em massa, fale no microfone. E preste atenção no que eu for te falar também. – Gaara avisou antes de correr para fora, não dando chance para que ela se pronunciasse.

“Morte em massa” soava fortemente na sua cabeça, mas tinha que se concentrar. Sentou na grande poltrona na frente das câmeras e focou seu olhar em algumas televisões que tinham movimento eminente.

Involuntariamente, tentou localizar Sasuke no meio da multidão que brigava ardualmente no meio da sala de estar. Era completamente sem sentido aquilo para ela. Aparentemente havia assuntos que ela não queria –e nem precisava- entender, e a causa de tal briga era um deles.

- Vamos, apareça Sasuke… - murmurou baixinho para si mesma, esquecendo-se completamente do microfone.

Pelo que conseguia entender, a Akatsuki estava em desvantagem, não só por números, como em armamento.

Quando os tais reforços iam aparecer? A aflição se adicionou a todos os sentimentos acumulados de Sakura e ela começou a chorar descontroladamente.

A culpa, a pressão, a tristeza, a preocupação e agora a aflição, foram todos explodidos em suas lágrimas pesadas que escorriam rapidamente pelo seu rosto.

Apesar do tanto que já tinha chorado em seu apartamento, ainda tinha muito para liberar e havia escolhido uma péssima hora para isso.

Em minutos, conseguiu ser recompor e continuou a fitar as telas, tentando notar um dos aspectos que Gaara tivesse citado.

Na última tela era onde estava ocorrendo os ataques principais, com assassinos de ambas as organizações brigando e se ferindo rapidamente. Era difícil entender quem era quem e se havia, de fato, homens feridos.

Em outra televisão, podia-se ver que a Akatsuki estava usando a cozinha como um refúgio para os feridos, mantendo uma barreira de homens para que ninguém pudesse invandir.

Seus olhos rolaram para a escada do hall e Sakura entendeu porque não tinha ninguém no andar de cima. Tinham vários homens da Akatsuki impedindo qualquer um que ousasse subir. Parecia que era ali onde mantinham os assassinos mais fortes, já que o serviço estava aparentemente funcionando.

Mesmo com mais homens e com as armas melhores, a organização de Madara estava tendo problemas para deter a Akatsuki completamente, eles eram resistentes e tinham estratégias melhores.

- Veja se tem alguém lá em cima! – ouviu uma voz em seu ouvido, a fazendo pular de susto.

- Não. – ela respondeu prontamente, levando o microfone a altura da boca. – A barreira da escada não está tendo problemas, mas os homens da sala de estar podiam contar com ajuda…

Não obteve resposta, mas conseguiu ver o ruivo correndo para o local indicado por ela.

Finalmente viu alguém conhecido, Naruto estava ajudando os feridos na cozinha, tentando fazer com que ninguém da organização inimiga entrasse. Pelo jeito, estava fazendo um bom trabalho, deixando Sakura mais aliviada.

O que a preocupava de verdade era o Uchiha, e este não se encontrava em nenhum lugar. Já havia visto o rosto de cada um que se encontravam presentes nas telas. O pensamento horrível passou pela mente de Sakura… Será que ele havia fugido? Ou pior…

- Não! – exclamou pra si mesma. Não podia pensar assim.

– O que foi?! – Gaara respondeu.

– Nada, nada. – a rosada disse envergonhada, sempre se esquecia que estava sendo ouvida.

Sakura respirou fundo e voltou a atenção para as imagens. Ver tudo aquilo e não poder ajudar estava a deixando louca.

De repente, ouviu um chiado no seu ouvido e outra voz assumiu, uma voz que conhecia muito bem, que a fez sorrir imediatamente.

- Sakura?! – Sasuke berrou do outro lado.

Ela não respondeu, estava aliviada demais para poder pensar em falar.

- O que você está fazendo?! – ele perguntou com a voz alterada. Só pelo seu tom ela já conseguia notar como estava furioso. E não era o nervoso cotidiano, mas sim outro nível de fúria.

Sakura suspirou e pensou no que diria. A última conversa deles fora uma briga sem fundamentos, não queria começar outra. Já se sentia desesperada demais, pensando que poderia perdê-lo.

- Sasuke… - murmurou, confortando-se com a palavra. – O Kakashi se… Se… Matou. – soltou em um sussurro sofrido.

Ela sabia que havia coisas mais importantes para se dizer, mas aquilo estava entalado e ela precisava desabafar, mesmo que fosse por um microfone com alguém que estava bravo com ela.

- O que?! – o moreno perguntou, tentando notar algum to de brincadeira na voz da rosada. 

Sakura não disse nada. Seus soluços voltariam como ondas se explicasse mais.

- Sakura, isso é verdade? – Sasuke perguntou, voltando a sua voz normal. Agora estava mais inconformado do que bravo.

Ela acenou inutilmente com a cabeça antes de sussurrar um “sim” falho. O outro xingou baixinho e parou de falar de repente, deixando o fone mudo.

Ela suspirou e voltou o olhar para a tela, para ver se finalmente encontrava ele. Sem sucesso, baixou o olhar e esperou que sua voz voltasse e pudesse confortar-se só pelo seu som.

- Sakura! – ouviu para a sua felicidade. – Vai pra casa! – seu tom de voz alterado tinha voltado e aquilo soava muito mais como uma ordem do que com um pedido.

Ainda sem coragem para respondê-lo. Continuou a segurar o fone com força, esperando que sua presença pudesse atravessar o aparelho e passasse a confortá-la fisicamente.

- Sakura, pelo amor de… - ruídos substituiram sua voz e a única coisa que ela conseguiu reconhecer foi o som de algumas lâminas se encontrando. Sua respiração falhou e ela fechou os olhos com força. Aquela aflição estava a matando. – Não se faça de teimosa agora e vai embora!

Não era teimosia, ele não entendia?

- Não vou embora sem você. – conseguiu dizer claramente para o microfone preso em sua blusa. Nada iria fazê-la mudar de idéia.

- Não foi uma sugestão. – ele ralhou.

Sakura revirou os olhos, ele não tinha como obrigá-la.

- Idem. – respondeu, tentando manter a voz firme. Ouviu Sasuke bufar do outro lado e deu um meio sorriso. – Mesmo se eu quisesse, eu não conseguiria ir embora.

– Não me interessa! Saia daqui! – o morendo berrou do outro lado. Ela precisava entender, aquilo era perigoso e ele não suportaria se a visse machucada.

- Você não vai se livrar de mim tão facil. – retrucou, conseguindo visualizar perfeitamente o rolar de olhos de Sasuke. – Onde você está? Não te vejo nas câmeras…

Ele não respondeu, novamente, sua voz foi substituida por outros ruídos e o coração da rosada apertou-se novamente. Não aguentava mais, precisava achá-lo, aquilo estava ficando insuportável.

Deixando a razão de lado, levantou-se e saiu da sala de controle. Tinha certeza que Gaara compreenderia.


Sakura saiu da sala com a cabeça erguida, pronta para encontrar Sasuke. Agora que já sabia como se desenrolava as lutas, sabia muito bem por onde ir e o que evitar.

Começou seguindo para a cozinha, pegando os atalhos que estudou pelas telas. Tentaria ajudar os feridos para depois perguntar sobre o Uchiha, alguém ali devia saber seu paradeiro.

Finalmente achou a porta e assim que saiu, ouviu alguém berrando:

- Intruso! – e indo em sua direção.



Notas finais do capítulo

Ooi amorees. Demorou, mas está ai, né? AHEOIUAE

Espero que tenham gostado ^^

Comentem, comentem *--*

Beeeijos :*