A Missão Final escrita por Gaia


Capítulo 35
Tentativa e Erro




Enquanto Sakura dirigia, Gaara permanecia inquieto, perguntando-se onde estaria indo. Devia ter pensado melhor na proposta antes de aceitá-la, mas já não se importava com nada, então tanto fazia.

Ela já tentara começar uma conversa, mas o ruivo era pior do que Sasuke nesse quesito, então desistiu e permaneceu calada durante o trajeto inteiro.

Quando finalmente chegou na rua da mansão, pensou no que faria, não iria ser imprudente como da última vez. Teria que pensar bem em como tudo iria se desenrolar, precisava se preparar.

- Gaara, você está pronto? – ela perguntou.

- Para o que exatamente? – ele retrucou sem entender.

– Eu não sei… - ela admitiu. – Só tente não morrer.

Ele arregalou seus olhos extremamente verdes e ficou um tempo fitando a rosada.

- Oi?

Sakura deu um sorriso nervoso e suspirou.


- Eu entendo se você quiser voltar… Mas é que eu precisava de alguém para me ajudar… Mas tudo bem, foi um impulso, pode ir pra casa. – ela disse, abaixando a cabeça. Sabia que aquilo não daria certo desde o começo, o choque da morte de Kakashi a fez agir completamente por impulso.

Gaara continuou a fitando, incrédulo.

– Eu posso chamar a polícia se…

- Não! Escuta, vai pra casa, me desculpe por te envolver nisso, foi imprudência minha. – o interrompeu, agora voltando a sorrir. – Esquece, ok? Eu estava em estado de choque…

O ruivo olhou em volta e viu a mansão mais a frente.

– Aquela é a sede da… - antes de completar, parou imediatamente ao perceber o que estava prestes a falar.

Sakura virou-se e ergueu as sombrancelhas.

– Da Akatsuki, sim. – completou a frase por ele. – Você sabe o que é?

Gaara virou o rosto, não podia se entregar.

– Gaara! Se você tem alguma coisa a ver com isso tudo, você devia saber do que está acontecendo! Está tendo um ataque ali e eu vou ajudar… - ela afirmou agora saindo do carro. Ficou pensando em como tudo aquilo era estranho, seria ele um inimigo? E como ele sabia da Akatsuki?

Nesse mesmo instante, Sakura viu Suigetsu correndo rua a dentro.

- EI! – ela gritou para o chamar. 

Ele virou a cabeça e se surpreendeu com a presença da rosada, o que estaria fazendo ali? Ele achava que ela já estaria fora daquilo tudo faz tempo.

- Sakura?! – exclamou aproximando-se. – Você tem que ir embora, tá um caos ali!

Ela o olhou preocupada e suspirou, tentando se acalmar, sem pensar no pior.

- E você vai fugir? – foi a primeira pergunta que lhe veio a cabeça.

Suigetsu franziu o cenho e voltou a correr, já havia feito seu papel, tinha avisado. A medida que se afastava, deixava Sakura mais indignada com sua desistência.

Pensando no que ele havia dito, começou a correr em direção a mansão, indo completamente contra o que havia decidido antes. Não tinha tempo, precisava ver o que estava acontecendo.

Olhou para trás e viu que Gaara não estava mais lá também, provavelmente havia fugido como o outro, o que seria a coisa mais correta a fazer. Mas ela não se importava, a única coisa com que estava preocupada era Sasuke.

Lembrou da entrada de trás e foi por lá, por sorte, a porta da garagem estava escancarada, provavelmente invadiram por ali. Sorrateiramente, pegou algumas ferramentas que poderia usar como armas e outros utensílios que julgou úteis.

Subiu as escadas e tentou lembrar-se do caminho, já havia andado lá antes. Torceu para que não encontrasse ninguém, já tivera experiências demais com assassinos para saber que não era apta para lutar com eles, apesar de sua habilidade em artes marciais.

Tentou fazer o mínimo barulho possível ao atravessar o corredor e localizar a sala de Itachi, curiosamente, não havia ninguém naquela área da mansão. Presumiu que estariam lá embaixo, considerando os barulhos. 

Abriu a porta do escritório lentamente e encontrou um homem deitado no chão, morto. Colocou a mão na boca para não berrar, mas não conseguiu controlar sua respiração, que imediatamente começou a acelerar.

Evitando olhar para o corpo, observou em volta, tentando achar alguma coisa que pudesse lhe ajudar. Sem sucesso nos arredores, procurou na mesa de Itachi, achando diversos documentos.

Infelizmente, não conseguiu localizar nada que soasse importante, então resolveu sair. Ao abrir a porta, deparou-se subitamente com Naruto, que claramente estava exausto.

- SAKURA-CHAN? – ele berrou ao vê-la. Rapidamente a empurrou de volta para o escritório e trancou-o. – O que está fazendo aqui?! Você está louca?!

O loiro estava ofegante e com várias marcas de sangue em sua capa escura, fazendo Sakura morder os lábios de preocupação. Quase que imediatamente, abriu o kit de primeiros socorros que havia achado na garagem e se aproximou do amigo.

– Nós não temos tempo para isso! – ele protestou antes dela tocá-lo. – Você tem noção de onde está se metendo, Sakura?

A rosada colocou a mão na cintura e o olhou com sarcasmo.

- Naruto, eu quero ajudar. Se esse é o único jeito que eu posso, então vai ser assim. – ela afirmou, pronta para manter sua opinião caso ouvesse objeção.

O outro suspirou, sabia o quanto a amiga era teimosa, mas não podia perder tempo daquele jeito.

- Eles estão em maior número, tem armas melhores e o Itachi sumiu. Sem mencionar os assassinos que fugiram. Então por favor, Sakura-chan, me deixe ir lutar, eu prometo que vai ficar tudo bem. – ele falou olhando em volta para ver se encontrava o Uchiha mais velho.

Pela primeira vez, Sakura o levou a sério de imediato, ele não estava exagerando e nem brincando. Ela abaixou a cabeça, sentindo-se inútil, não sabia como podia ajudar.

- Quero ver o Sasuke. – declarou sem jeito.

Naruto a fitou e coçou a cabeça, nervoso. Itachi não estava lá e Sakura só estava causando problemas.

– Se ele souber que você está aqui… - resmungou para si mesmo.

Depois, como sempre, deu um sorriso largo e se aproximou.

- Ele está bem, é o melhor assassino daqui. – disse, tentando confortá-la para poder sair.

A rosada abaixou o olhar, não importava as palavras dele, queria checar, não conseguiria continuar na incerteza. Queria ajudar de algum modo, sua inutilidade estava a sufocando.

Naruto já estava impaciente, precisava voltar para a batalha, não podia se dar ao luxo de esperar as decisões da rosada.

– Vai embora, Sakura, se você for até lá, só vai atrapalhá-lo.

- Você está certo, eu vou. Pode voltar, Naruto, desculpe te atrapalhar. – mentiu. Só precisava de mais um tempo para pensar, ela não deixaria o caos reinar. – Itachi vai aparecer… Você vai ver.

O loiro não se convenceu de nada do que ela havia dito, mas não podia perder mais tempo. Na mesma hora, saiu correndo de volta para o andar de baixo, deixando Sakura a pensar.

Ela decidiu quase que imediatamente o que faria ao voltar o olhar para o corpo morto no chão. Obviamente não era da Akatsuki, já que não estava com a capa preta e vermelha.

Fez a mesma coisa que havia feito com Suigetsu ateriormente, pegou suas roupas de combate e armas para poder se infiltrar como um deles. Enquanto despia o homem, segurava a respiração e fazia caretas de desgosto, os ferimentos eram horríveis, não entendia como alguém era capaz de fazer isso.

Ao terminar, apesar de se sentir miserável, ergueu a cabeça encapuzada e saiu do escritório. Torceu para que ninguém da Akatsuki a encontrasse, porque se seu plano funcionasse, seria a vitória da organização.

Sutilmente, deslizou pelo corredor, atenta a qualquer barulho e sombra. Não mexia nenhum músculo que não fosse os de suas pernas e sua respiração estava o mais ralha possível.

Apesar de sua indignação perante a Suigetsu e sua enorme culpa e tristeza pelo que aconteceu com Kakashi, ainda conseguia manter seus pensamentos apenas em Sasuke.

Estava prestes a descer as escadas e se infiltrar nos inimigos, quando foi puxada pela cintura.

- O que está fazendo? – ouviu por trás. Não virou-se para olhar, pensou imediatamente que estaria morta.

O braço afroxou e ela conseguiu se virar, pronta para um ataque.

– GAARA?! – exclamou, esquecendo-se de onde estava.

O ruivo juntou as sombrancelhas e a puxou novamente para mais longe. Ela queria ser morta?

- O que você está fazendo aqui? – perguntou, ainda incrédula. Não conseguia acreditar que apesar de tudo, ele ainda estava ali. Ela devia saber desde o começo que era uma péssima ideia levá-lo.

- Eu não posso dizer. – explicou. – Vamos, eu tenho um plano.

Sakura hesitou por um instante, estava prestes a confiar no seu vizinho estranho que nunca falava com ela.

Mesmo assim, por uma razão que não sabia dizer, foi e jogou seu destino para a sorte, torcendo para que ele não fosse um inimigo.



Notas finais do capítulo

Oooie, capítulo novo para vocês (:

Queria dizer que estou encaminhando a história para o fim, essa provavelmente vai ser a última "aventura", espero terminar lá pelo capítulo 40 pra mais :D - depois eu faço um discurso de agradecimentos e pá, ainda tá longe, hahha -

Reviews?

Beeijos :*



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "A Missão Final" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.