A Missão Final escrita por Gaia


Capítulo 22
A Falha




Após um tempo considerável de viagem sem palavras ditas, Sakura resolveu começar seu processo de salvamento. Por mais absurda que a ideia parecesse em sua mente, ela simplesmente precisava conhecer Sasuke antes que colocasse sua vida em risco na organização.

Ela o fitou de perfil, como era bonito
, com seus traços másculos e perfeitamente suaves ao mesmo tempo.

– Sasuke… - ela falou após um longo suspiro. Percebendo o que havia dito, corou e virou o rosto, constrangida.

– Que? – o Uchiha perguntou animando-se. Ele achava engraçado ver como ela se forçava a não cair em tentações.

– Nada. – Sakura respondeu rápido.

– Ah. – murmurou o moreno ainda achando graça. – Por um instante, eu pensei ter ouvido o meu nome. – ele disse provocando-a.

Com essas palavras, Sakura conseguiu ver indícios do outro Sasuke, do que havia conhecido em seu escritório. E isso bastava para que um sorriso brotasse de seu rosto.

– É, por um instante eu ouvi também. – a rosada respondeu sorrindo.

Ele deu um meio sorriso raro e continuou a dirigir como se nada tivesse acontecido, indiferente, como sempre.


- O que faremos quando pisarmos na Akatsuki e todos vierem com armas? – ela perguntou divertindo-se com a idéia de vê-lo em apuros.

Sasuke bufou e falou, seco:

- Não se preocupe.

– Certo. – Sakura respondeu virando o rosto, decepcionada, ele realmente não lhe contaria no que estava pensando.

- Sasuke? – o chamou após algum tempo perdido em suspiros.

Ele virou o rosto novamente e esperou que ela falasse. Tudo aquilo seria muito mais fácil se ambos não se envolvessem, e ele sabia disso, mais do que ninguém.

– Por que… Hm… - ela tentava selecionar as palavras certas a usar quando Sasuke parou abruptamente o carro.

- Chegamos. – ele disse olhando para o lado. Sakura sabia que ele a interrompera de próposito, ela também entendia que tudo seria mais fácil se não se envolvessem, mas lhe parecia tão impossível…

Apertou os olhos e tentou ver por trás do vidro escuro, com muito esforço, surpreendeu -se com uma grande mansão branca cercada por um alto muro propriamente protegido contra invasões. Ela já havia a visto antes em alguma das revistas de Ino, e lembrou-se, era a mansão Uchiha.

Por um instante, perguntou-se por que uma organização como aquela se encontraria na mansão mais cobiçada da região. Conhecidentemente, um olhar cansado e um suspiro de Sasuke entregaram a resposta. Obviamente era um disfarce perfeito, para desgosto do Uchiha menor.

Deu uma olhada para trás e viu um grande portão branco incrivelmente alto, protegido por um par de seguranças que fitavam o carro com desconfiança.

– Ótimo, aparecer assim na porta da frente foi uma brilhante ideia. – ela disse ironicamente abaixando-se no banco.

Sasuke bufou, ela claramente não confiava nele e isso estava dificultando o seu alto controle.

- Relaxa. – ele pediu perdendo a paciência. – Entra no porta-malas assim que eu apagar aqueles dois.

- O.. O quê?! – ela perguntou incrédula, mas já era tarde demais, ele já havia saido do carro, estava andando em direção ao grande portão.

Os golpes foram tão rápidos que Sakura mal conseguiu ver, em segundos, apenas viu os dois seguranças no chão e o Uchiha voltando calmamente. Saiu do carro e entrou no porta-malas como ele havia ordenado, não iria contradizer em uma hora como aquela, apesar de tudo aquilo ainda parecer loucura.

Sasuke pegou no volante novamente e entrou na garagem, que abriu com um controle remoto que pegou com um dos seguranças. Já dentro da garagem, saiu tranquilamente e abriu o porta-malas, ajudando Sakura a sair.

- Siga o meu jogo. – ele falou simplesmente.

- Como assim?! – ela protestou. E sendo ignorada, insistiu: – O que você vai fazer?!

Ele bufou.

Depois, começou a rasgar as próprias roupas e bagunçar o cabelo. Ela não deixou de notar que mesmo assim ele continuava incrivelmente bonito. Aquilo era tão irresistível.

Assim que o Uchiha terminou de se desarrumar, andou em direção à ela e ergueu a mão, prestes a mexer nos cabelos rosados de Sakura. Prevendo o movimento, ela disse, hesitante:

- Não… Dei-eixa que eu desarrumo.

Ela sabia que o toque dele tiraria toda a sua concentração, sabia que não resistiria, aquilo era claro até para alguém que visse a cena de fora.

Um tanto nervosa, balançou a cabeça a fim de bagunçar o cabelo, o que, sutilmente, fez Sasuke se encantar. Por mais estranho que aquilo parecesse para ele, Sakura lhe parecia muito sexy
com os cabelos rebeldes e as roupas rasgadas.

Condenando-se por seu pensamento importuno, virou o rosto e viu uma algema no canto da garagem, era perfeito. Pegou-a e prendeu o pulso de Sakura junto com o seu e, nesse gesto, ela entendeu tudo.

“Que raios de plano é esse?”,
ela pensou indignada, mas não protestou. Apesar de tudo indicar fracasso, ela ainda confiava nele.

- Sasuke… Eu… Acho que isso não é uma boa idéia. – falou enfim. – Quer dizer, eles vão me matar de qualquer jeito, estando presa a você ou não.

– O que? – ele perguntou sem entender.

– Esse é o seu plano, certo? Fingir que me capturou… - Sakura disse baixinho. - Mas eu não vejo como isso vai nos manter salvos.

Ela olhou para baixo e viu seu pulso acorrentado com o dele e percebeu, não precisava de uma algema, ela ficaria ao lado dele de qualquer jeito e mesmo esse pensamento a assustando, não conseguiu evitar. Até ela, que nunca foi tão perceptiva, percebeu os seus sentimentos.

Finalmente admitiu para si mesma que aquilo não era normal.
Todo o seu receio por um toque de Sasuke, o arrepio, as risadas involuntárias, o ódio repentino, a sua determinação em entendê-lo…

Voltou a olhá-lo e encarou os olhos ônix. Outro aspecto que não era normal, como um par de olhos conseguia fazer aquilo com ela?

- Tudo bem… Vamos arriscar. – ela concluiu por fim.

Sasuke não disse nada, apenas ficou a fitando e piscando os olhos lentamente. De novo, ela havia entendido tudo errado, mas não tinha tempo de explicar. Sem dizer nada, a puxou pela mão e subiu a escada que daria para fora da garagem.

Assim que terminaram de subir, Sasuke berrou:

- CALE A BOCA, VOCÊ VEM COMIGO!

Por um instante, Sakura ficou assustada e o mirou arregalando os olhos, mas entendeu onde queria chegar e entrou no jogo, como ele havia pedido.

- Me solte! Por favor! Eu não fiz nada! – berrou tentando ser convincente. Lembrou-se das aulas de teatro que fez na escola e como a sua professora dizia que ela era um prodígio e que deveria seguir carreira. Ela, lógico, nunca acreditou naquelas palavras.

- Calada! – Sasuke gritou divertindo-se.

Sakura teve que segurar o riso, a expressão do Uchiha era perfeitamente irônica.

Segundos depois, apareceram tantos homens, que Sakura perdeu a conta depois do quinto.

- Sasuke? - o primeiro falou. Ela notou a semelhança dos dois e concluiu que aquele era o irmão de que Sasuke tanto falava.

Itachi estava perfeitamente indiferente como o irmão. Sakura notou a beleza do maior, como aquela família conseguia tanta beleza?

- Olá Itachi. – Sasuke falou simplesmente.

Sakura se encolheu e abaixou a cabeça, fingindo estar terrivelmente assustada. O que por partes era verdade.

- O que está fazendo aqui? – o Uchiha maior perguntou erguendo a mão para que abaixassem as armas que já estavam a postos pelos outros homens.

- Poderíamos falar em particular? – Sasuke perguntou, como se aquilo fosse algo normal, o que obviamente não era. Nunca iria querer falar com o irmão antes de atacá-lo devido as circunstâncias.

Itachi hesitou, conhecia bem o irmão e suas táticas, mas resolveu entar em seu jogo e ver até onde iria.

- Claro. Vocês podem ir, vou com Sasuke até o escritório, fiquem na porta e embaixo das janelas.

– Não confia mais em mim Itachi? – o Uchiha menor perguntou o olhando com desdém.

O outro ignorou, finalmente havia notado a presença de Sakura ao lado de Sasuke.

- Olha só o que me trouxe. Levem-na para o porão, depois decido o que faremos com ela.

- Não. Ela tem algo a te dizer também. – Sasuke disse prontamente quando alguns homens estava andando em direção a Sakura, que já estava tremendo.

- Obviamente. – Itachi disse divertindo-se. Sasuke sempre fizera planos perfeitos, mas aquele em especial era realmente péssimo na visão do Uchiha maior.

Mais rápido que esperava, Sasuke estava sentado na cadeira a frente da mesa de Itachi e com Sakura ao seu lado, que tentava parecer o mais invisivel possível.

- Sasuke… Nós dois sabemos porque você está aqui e isso não vai funcionar. – Itachi falou finalmente, com um sorriso.

- Sempre me subestimando. – o outro falou seco. – Sabe quem eu encontrei, Itachi? Hatake Kakashi. Ele me contou histórias interessantes…

Itachi arregalou os olhos de leve e depois franziu o cenho com desgosto. Esfregou a mão no rosto e perguntou calmo, tentando não demonstrar sua ansiedade:

- O que você quer para não abrir a boca?

- Até que seria bom se vazasse a história de como nosso pai realmente chegou no poder da Akatsuki… – Sasuke disse ignorando a pergunta e fingindo analisar a situação.

- Cala a boca! – Itachi gritou sobressaindo-se. – Estou cansado de seus joguinhos de criança. Você não tem noção do que causou quando fugiu, então para de ser um adolescente rebelde e me diga de uma vez por todas o que você quer!  

O Uchiha maior estava de pé e berrava com as mãos pousadas na mesa. Sasuke nunca o vira tão irritado, era óbvio que sua procura causou ao irmão muitos distúrbios e noites sem dormir. Sasuke finalmente percebeu o quanto o irmão se importava com ele.

- Eu… - o menor balbuciou.

Sakura o fitou e impressionou-se com sua insuficiência perante ao irmão. Aquela relação era realmente complicada como pensara. Sasuke ergueu o olhar para Itachi e levantou-se.

– Eu quero que ser o dono da Akatsuki. – disse firme, deixando Sakura e Itachi completamente perplexos.



Notas finais do capítulo

Aaah meus amores, mil mil mil desculpas pela demora *apanha

Por muitos motivos eu demorei e o capitulo não saiu na qualidade que eu esperava, mas como eu não queria demorar mais, postei do jeito que tava mesmo, desculpem por isso também.

Assim, não me matem, mas eu vou ficar sem postar até as férias. É porque tenho que estudar para as provas finais, senão repito de ano, OEIUAHUAE, então por favor, peço um pouco da paciência de vocês. Eu prometo que nas férias eu posto toda semana, como sempre, e os capítulos vão estar decentes.

Beeeijos :*