A Missão Final escrita por Gaia


Capítulo 12
Adrenalina




Sasuke ainda estava pensativo no sofá quando ouviu a porta abrir e Naruto entrar em desparada. O Uchiha já havia esquecido da ausência do outro e quando ele entrou, não pôde deixar de bufar.

- Sakura está bem! Ela só tinha desmaiado. – o loiro disse abrindo um largo sorriso.

Sasuke deu um meio sorriso involuntário e se levantou.

– A Sakura parece ser uma pessoa bem certa… - ele falou. Já estava anoitecendo e lhe parecia uma ótima oportunidade para começar sua investigação.

- Ela é. – Naruto afirmou convicto. – Conheço ela desde sempre e nunca a vi fazendo nada de errado.

O moreno ficou sério e tentou pensar na sua próxima pergunta, Naruto não podia desconfiar de nada.

– É, ela parece ser incapaz de fazer qualquer coisa errada. – ele falou sinceramente. – Como por exemplo, matar alguém.

Naruto ergueu as sombrancelhas e começou a gargalhar.

- Sakura não mataria nem uma mosca! – ele berrou entre as risadas. 

Sasuke lembrou-se de sua pequena luta na floresta, aquela Sakura certamente seria capaz de matar uma mosca. Tudo parecia ficar mais confuso, o Uchiha não sabia mais no que acreditar.

– Realmente… - ele murmurou insatisfeito. – Mas ela nunca se meteu em nenhuma encrenca?

- Éé… Não que eu saiba! – Naruto respondeu pensativo.  – Triste né? Eu já me meti em tantas!

O loiro estava tão preocupado em rir que não notou a face de ódio de Sasuke, ele estava frustado, não era possível que nem o melhor amigo dela sabia dizer se ela fez alguma coisa a Fugaku. Mesmo se fosse apenas um boato, tinha que ter base em alguma coisa.

– Eu vou até a casa dela. – decidiu de repente. Já não aguentava mais ficar no escuro. – Ver se ela está bem… - completou ao perceber o que havia dito.

- Tá bem! – Naruto berrou pegando o telefone no criado-mudo. Estava com um sorriso de orelha a orelha, tão grande que Sasuke não ousou questionar o motivo.

O Uchiha saiu do pequeno apartamento e partiu para a casa de Sakura sem planejar nem pensar no que faria quando chegasse lá. Ele simplesmente precisava vê-la. Sentiu que se a visse, saberia o que fazer.

----

- Sou eu. Entre. – Sakura falou abrindo a porta para Karin. – No que posso ajudá-la?

A ruiva entrou e a olhou com desdém. “Foi essa ai que machucou o Sasuke?”, ela pensou lembrando-se do estado em que Sasuke estava quando voltou de sua misssão.

– Na verdade, sim. – ela disse entre os dentes. Sutilmente, ela trancou a porta e guardou a chave, sem que Sakura percebesse.

Rapidamente, sacou duas pequenas facas de seus bolsos traseiros e se posicionou para atacá-la. Queria se divertir antes.

- Ei, sabe de uma coisa? Ninguém me viu entrar aqui, acho que vou fazer com que pareça suicidio. – Karin falou com um sorriso maligno. – Depois de te matar, claro.

Ela avançou com as facas apontadas para Sakura, que estava completamente atônita. No último segundo, ela conseguiu acordar e pular para trás. Infelizmente, o pulo não foi grande o suficiente, lhe causando dois cortes profundos nas bochechas.

Ela berrou de dor e imediatamente começou a correr para a cozinha, onde poderia achar alguma arma. Sem saber o que fazer, derrubou as coisas por onde passava para evitar o alcance de Karin, que já estava furiosa a perseguindo.

Finalmente encontrou uma faca de carne e se virou bruscamente com a arma apontada para frente.

– Po-por quê?! – ela berrou os olhos marejados.  O sangue em suas bochechas se misturaram com suas lágrimas. – Por quê vocês querem me matar?!

Karin pensou que Sakura não conseguiria lutar direito devido ao seu estado psicológico, então parou e se posicionou para atacá-la novamente.

A rosada estava soluçando e tremendo, ela não compreendia. Ainda com o olhar baixo, percebeu a presença de Karin indo em sua direção e se moveu agilmente, deixando-a dar um soco na geladeira

- Eu nunca te fiz nada! – Sakura se forçou a dizer. Precisava saber o motivo de todo aquele ódio no olhar de Karin e, anteriormente, no de Sasuke.

Mesmo assustada, firmou a faca em sua mão e decidiu lutar, ainda não estava pronta para morrer. Viu Karin virar-se completamente fora de si e começou a medir seus movimentos para que pudesse acertar um golpe.

A ruiva não entendeu o comportamento de Sakura, por que ela não estava correndo? Ela queria lutar?

- Você quer lutar comigo, garotinha? Acha que só porque deu sorte com o Sasuke-kun, é palha para mim? – a ruiva debochou divertindo-se.

- Por quê você quer me matar? – Sakura perguntou novamente agora com o olhar decidido e com a mão firme.

– Cale a boca! Sou eu quem faço as perguntas! – Karin gritou furiosa. O novo comportamento de Sakura estava a irritando profundamente.

Novamente, ela avançou, dessa vez, lentamente, analisando a situação. Quando já estava à uma distância razoável, jogou duas pequenas facas que escondia nas mangas, uma acertou em cheio a perna de Sakura e a outra, de algum jeito, voltou para si, ferindo o seu braço.

A rosada engolia os gritos de dor, não sabia o que ardia mais, seu rosto ou sua perna. Lentamente retirou a faca de sua perna e conteve o sangue pressionando o ferimento com a faixa que usava para prender seu cabelo. Olhou para Karin e a viu fazendo o mesmo com o seu braço.

Sakura havia sido rápida ao usar sua faca para repelir parte do ataque da ruiva anteriormente, mas sentiu que não funcionaria de novo, e se recebesse outro ferimento daquele, provavelmente iria ficar incapacitada de lutar. Por isso, tentou pensar em um jeito de chamar por ajuda.

Analisou a situação e, tentando não fazer contato visual com Karin, planejou em como iria para a sala para pegar o telefone. Olhou para o chão e viu pequenas poças de sangue espalhadas. Usando isso ao seu favor, jogou a pequena faca que pegou de sua perna em Karin, fazendo com que ela se esquivasse e escorregasse.

Com o tempo adquirido, Sakura correu com dificuldades em direção a sala e, agitada com a adrenalina, pegou o telefone tremendo. Estava prestes a discar o número da polícia quando se surpreendeu com a porta caindo no chão e Uchiha Sasuke entrando ofegante em seu apartamento.

Após alguns segundos hipnotizada pelos olhos do Uchiha, voltou a sua atenção para o telefone ainda mais assustada. Com os dois juntos, não teria chance nenhuma.

- Sakura… - Sasuke sussurrou chocado ao notar os ferimentos dela. – Quem…

Sua pergunta foi interrompida pelo berro de Karin, que apareceu enfurecida correndo em direção a Sakura. Esta, largou o telefone com o susto e se protegeu com os braços.

- Karin! – Sasuke berrou.

A ruiva virou o rosto não acreditando em seus ouvidos. A faca que segurava já estava a centimetros de Sakura.

- Sasuke-kun?! – ela exclamou incrédula afrouxando a faca em sua mão.

O moreno arqueou as sombrancelhas e logo percebeu o que estava acontecendo. Itachi havia mandado Karin para completar sua missão inacabada.

- Ela é minha. – ele disse simplesmente. – Eu não preciso de você.

- Sasuke, ela é só mais uma vítima, vamos acabar logo com isso agora e…

- Não! – ele berrou quase histericamente. – Isso é o que Itachi quer, eu preciso de informações dela antes.

Karin piscou várias vezes perplexa, não entendeu o ponto de vista do Uchiha. Estava prestes a falar outra coisa quando levou um golpe forte da cabeça, a fazendo desmaiar na hora.

Sakura havia a golpeado com a caixa eletrônica do telefone e agora estava tremendo com as lágrimas rolando pelo rosto. De repente, a gravidade pareceu mais forte do que era, fazendo com o seu corpo ficasse mais pesado e seus ferimentos mais dolorosos. Por um momento, se preocupou com Sasuke, mas, exausta, deixou seus joelhos falharem e caiu no chão ao lado de Karin.

O Uchiha não sabia o que fazer, viu ambas caídas no chão e por um instante pensou em pegar Karin e ir embora, mas Sakura parecia tão mais necessitada de socorro que o seu corpo se locomoveu sozinho em direção a ela.

Se ajoelhou ao lado do corpo da rosada e levantou sua cabeça desejando que ela abrisse os olhos e o encarasse com aquelas duas esmeraldas hipnotizantes. Se assustou com seu pensamento e bufou, sem soltá-la.

Ficou alguns minutos apenas a segurando e encarando a sua beleza, mas logo se condenou e a colocou no sofá. Se voltou para Karin, que já estava abrindo os olhos.

- Vá embora. Eu termino aqui. – ele disse assim que a viu levantar.

A ruiva saiu sem hesitar, sua cabeça estava doendo absurdamente e mesmo sem acreditar em Sasuke, resolveu ir embora e cuidar do caso depois.

O Uchiha suspirou e recorreu seu olhar para Sakura. Ela parecia tão vulnerável, tão fraca… Sem pensar muito, começou a tratar de seus ferimentos. Ele simplesmente ignorou o fato de que aquilo era completamente inaceitável. Porque se importar com alguém não era algo comum para Uchiha Sasuke.



Notas finais do capítulo

Oooi gaal, um capítulo novo para vocêees ^~^

Este capitulo é tipo, o começo de algo grande, só isso eu posso dizer (A)

Enfiim, deixem reviiiews, podem xingar, eu deixo. EUIHAOIUHE

Beeijos :*