Reflexões daqui e de lá... escrita por Paloma Her


Capítulo 28
28. Exterminadores de hoje


Notas iniciais do capítulo

Então, criar “robôs assassinos” seria dispendioso demais. E deve ser por esse motivo que os “Senhores da guerra” em lugar de utilizar robôs assassinos nos massacres do mundo, eles preferem usar “sujeitos robotizados”. E um “sujeito robotizado” é bem baratinho de inventar, pois ele matará em troca de um dinheiro mexeruco, para dar comida à família.
Como o telejornal mostra as guerras ao vivo, podemos assistir todos os dias a esses “sujeitos robotizados” fazendo seu trabalho macabro.



Este capítulo também está disponível no +Fiction: plusfiction.com/book/810350/chapter/28

 

Nos filmes “Exterminadores do futuro”, a ficção mostra as maquinas matando homens. Não há uma explicação dos porquês às maquinas fazem isso nessa ficção, pois a tecnologia cria suas maquinas com tempo de uso predeterminado. Além do mais, as maquinas necessitam dos homens para mantê-las aproveitáveis durante sua existência. Devem-se trocar peças gastas por novas, ou, colocar óleos para evitar ferrugens, ou, passar uma tinta, enfim. Quem possui um carro sabe muito bem o quanto custa mantê-lo, pois ele deve ser alimentado diariamente, lavado, e quando sofre uma batida o mecânico o receberá o carro na oficina para deixa-lo como novo mais uma vez. E tudo isso é caríssimo.

Então, criar “robôs assassinos” seria dispendioso demais. E deve ser por esse motivo que os “Senhores da guerra” em lugar de utilizar robôs assassinos nos massacres do mundo, eles preferem usar “sujeitos robotizados”. E um “sujeito robotizado” é bem baratinho de inventar, pois ele matará em troca de um dinheiro mexeruco, para dar comida à família.

Como o telejornal mostra as guerras ao vivo, podemos assistir todos os dias a esses “sujeitos robotizados” fazendo seu trabalho macabro. E eles estão em todo lugar. Explodem carros em alguma rua, ou, dentro de uma igreja. As redes sociais da internet também nos mostram alguns homens sendo decapitados com maestria pelos “sujeitos robotizados”. Sempre com rosto coberto, pois eles não são mais seres humanos, senão que são “sujeitos robotizados”.

 Para dar vida a um “sujeito robotizado” deve-se seguir um roteiro bem delineado. Desde terna infância, ele jamais poderá pensar naquilo que ele quiser. Não, ele deve pensar coisas surreais, como por exemplo, que ele é um escolhido por uma entidade divina, para fazer algo grandioso pela humanidade. À medida que ele se transforma em adolescente, nenhum “sujeito robotizado” se considerará a si mesmo como uma pessoa comum, não, pois ele passara a acreditar, desde o fundo da alma, que ele deverá morrer para salvar os homens de um inimigo terrível. E criar esse opositor imaginário é fácil na atualidade. Basta realizar vídeos hollywoodianos mostrando o quanto esse inimigo é mau.

Mas, além deles, temos também os “soldados alienados” como parceiros dos “sujeitos robotizados”. Nem sempre fazendo barbáries um ao lado do outro, pois ambos estão em todos os lugares, e matarão as ordens dos generais donos dos conflitos.

Os “soldados alienados” são diferentes, pois eles seguem entidades que não são divinas. Eles não se acham a si mesmos heróis, que serão premiados no paraíso pelas hostes celestiais. Pois, os “soldados alienados” seguem as ideologias materialistas. Eles não matam um inimigo terrivelmente mau, não. Eles invadem países e massacram inocentes porque naquele lugar há uma reserva de gás, ou, um manto petrolífero, ou, minas com diamantes, etc. E, é claro, os soldados ganham um bom trocado. Principalmente os mercenários, que entram em qualquer guerra e em qualquer lugar, só bastando ser muito bem pagos.

A mídia moderna se tornou muito eficiente na propaganda dessa brutalidade estabelecida.  Ela não só mostram as barbáries humanas, não, ela destaca os “sujeitos robotizados”, ou, os “soldados alienados” em capas de revistas, a noticia principal do telejornal, e desta maneira muitos jovens se sentem cativados por essa fama, passam a sentir admiração por eles, os apoiam nas redes sociais e os seguem na internet como heróis modernos.

Em muitos lugares da terra, os “soldados alienados” e os “sujeitos robotizados”  governam países inteiros, e o povo faz tudo aquilo que eles os mandam a fazer. Afinal, eles usam armas mortais, que são colocadas em suas mãos pelos senhores donos da guerra. “Senhores da guerra” totalmente desconhecidos, pois eles atuam nas sombras.

No Youtube tem bastante material sobre esses senhores que se escondem nas sombras e orquestram todas as guerras. No canal do “Pepe café” há uma analise minuciosa sobre o assunto. Basta se informar. Afinal, na FAIXA DE GAZA, existem enormes reservas de gás. Um bom motivo para massacrar inocentes.  


Não quer ver anúncios?

Com uma contribuição de R$29,90 você deixa de ver anúncios no Nyah e em seu sucessor, o +Fiction, durante 1 ano!

Seu apoio é fundamental. Torne-se um herói!


Notas finais do capítulo

Afinal, eles usam armas mortais, que são colocadas em suas mãos pelos senhores donos da guerra. “Senhores da guerra” totalmente desconhecidos, pois eles atuam nas sombras.
No Youtube tem bastante material sobre esses senhores que se escondem nas sombras e orquestram todas as guerras. No canal do “Pepe café” há uma analise minuciosa sobre o assunto. Basta se informar. Afinal, na FAIXA DE GAZA, existem enormes reservas de gás. Um bom motivo para massacrar inocentes.



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Reflexões daqui e de lá..." morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.