Reflexões daqui e de lá... escrita por Paloma Her


Capítulo 1
1 A lei do livre arbítrio, versus a lei do amor


Notas iniciais do capítulo

O pior de tudo isto, é que aqui na Terra poderemos ser mal criados durante uns 2 milênios. Só. Assim que uma Era muda, por exemplo, de Era de Peixe para Era de Aquário, há uma remoção de espíritos em grande porte para outros mundos. E aqueles que nunca praticaram a lei do amor, serão transferidos para outros lugares do Universo que seja afim deles.



Este capítulo também está disponível no +Fiction: plusfiction.com/book/810350/chapter/1

 

As leis mais antigas do Universo são a: - “Lei do amor” e a “Lei do livre arbítrio”.

A "lei do amor" é mais usada no domínio imaterial, durante a existência como espirito. Enquanto estamos desencarnados, tem muitas almas amorosas que nos ajudam com apoio espiritual, nos consolam das nossas magoas da existência terrena e nos mostram todas as vantagens que a lei do amor carrega. Cada vez que voltarmos ao plano terreno, em mais uma vida,  conversamos com esses seres angelicais de tudo o que gostaríamos ser nessa próxima existência. Costuramos sonhos nunca realizados em vidas do passado, planejamos reencontrar pessoas amadas, escolhemos nossa futura família, e os espíritos amorosos nos dão todo tipo de incentivos e nos dizem que viveremos uns 60 anos de pura felicidade.

E, é assim, que nós reencarnamos mais uma vez.

E é nessa existência terrena que a “lei do livre arbítrio” toma conta de nós. Esquecemos tudo que desejávamos ser antes de nascer, e assim que a inteligência começa a desabrochar e a ser usada na escola, tomamos nossa primeira decisão: - Estudar, ou não estudar? Se decidirmos estudar, estaremos usando também a “lei do amor”. Amor ao mestre que está em frente de nós ensinando-nos a ler e escrever, amor aos nossos amigos dentro da escola e amor ao conhecimento. Amor à sabedoria. Amor e admiração para nossos sábios que deixaram para nós essa herança cultural. E, continuando por esse caminho amoroso, um dia entraremos no ensino médio para continuar fazendo a mesma coisa. Se formos pobres, estudaremos mais ainda, para ter uma bolsa de estudos e entrar na Universidade, para sermos um profissional muito eficaz no futuro. Reencontraremos gente muito amada e seremos felizes pelo tempo de vida que nos foi assinalado antes de nascer. E depois da morte, os seres amorosos estarão nos esperando com braços abertos e gritando: - você conseguiu!

Mas, se decidirmos não estudar, ficar em casa dormindo, ou, perambular pelas ruas brincando com vizinhos, se estará usando apenas a lei do “livre arbítrio”. Pois essa lei nos dá o direito de fazer tudo o que nós desejarmos durante nossa existência no plano terreno. Se quisermos, podemos ser mentiroso, indisciplinado, rebelde, agressivo, assaltante de rua, enfim. Mas, com essas decisões, estaremos utilizando só a lei do libre arbítrio e estaremos muito longe de praticarmos a lei do amor.

E ninguém vai nos castigar por sermos maldosos.

O castigo ao inferno é uma invenção religiosa, planeada durante a Idade Média por clérigos cristãos, para assustar as pessoas e obriga-las a serem boazinhas. O que há, não é um castigo, senão, que quando regressarmos ao âmbito espiritual depois de termos sido tão mal criados, não reencontraremos os antigos espíritos do amor da existência espiritual anterior. Ficaremos  em outros lugares, com almas tão maldosas quanto nós. Apenas isso. Vamos conviver com gente que usou e abusou da lei do "livre arbítrio" mas nunca da "lei do amor" durante a vida terrena. Matou mulher e filhos, estuprou criancinhas, roubou desapiedadamente e eles serão os únicos amigos que teremos, até a próxima reencarnação. Não haverá ninguém ao nosso lado dando-nos apoio nem incentivos para essa próxima existência terrena.

Apenas isso. Vamos nascer tristes, assustados, seremos crianças que choram muito, sem sabermos os porquês. E, mais uma vez, a lei do livre arbítrio irá nos mostrar os dois caminhos que há pela frente e as possibilidades boas. Teremos que decidir o que é que desejamos ser durante a vida. BONS? RUINS? Uma decisão difícil de tomar, até nos tempos atuais, com tantas e tantas tentações em redor.

O pior de tudo isto, é que aqui na Terra poderemos ser mal criados durante uns 2 milênios. Só. Assim que uma Era muda, por exemplo, de Era de Peixe para Era de Aquário, há uma remoção de espíritos em grande porte para outros mundos. E aqueles que nunca praticaram a lei do amor, serão transferidos para outros lugares do Universo que seja afim deles. Para um planeta onde só haverá um povo ruim e conviverão uns 2 milênios com gente que matou, roubou e nunca soube das vantagens da lei do amor. E, é claro, um mundo sem nenhuma tecnologia, pois encontrarão uma civilização muito primitiva, que sobrevive da caça e da colheita. Aliás, gente que nem sequer ainda começou a falar.

Os Espiritas chamam esse mundo de “Planeta Quirom.”

E eles afirmam que já estão partindo naquela direção, os terráqueos que traficam drogas e animaizinhos, desmatam as selvas,  roubam velhinhos nas ruas, e agridem aos outros por quaisquer motivos. 


Não quer ver anúncios?

Com uma contribuição de R$29,90 você deixa de ver anúncios no Nyah e em seu sucessor, o +Fiction, durante 1 ano!

Seu apoio é fundamental. Torne-se um herói!


Notas finais do capítulo

Vamos nascer tristes, assustados, seremos crianças que choram muito, sem sabermos os porquês. E, mais uma vez, a lei do livre arbítrio irá nos mostrar os dois caminhos que há pela frente e suas possibilidades. E novamente teremos que decidir o que é que desejamos ser durante a vida. BONS? RUINS? Uma decisão difícil de tomar, até nos tempos atuais, com tantas e tantas tentações em redor.



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Reflexões daqui e de lá..." morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.