Be your everything (BlackWater) escrita por Amanda Vieira, MandysGonçalves


Capítulo 7
Sete




Este capítulo também está disponível no +Fiction: plusfiction.com/book/809310/chapter/7

Leah.

 

 Os quatro dias seguintes foram uma correria para mim. Eu passava a maior parte do dia trabalhando na cafeteria, então para conseguir passar mais tempo com os meninos, eu dormia na Sigma. Eles me traziam na cafeteira para começar meu expediente e aproveitavam para tomar o café da manhã. Eles ficavam um pouco e depois iam curtir o dia, fosse na cidade ou apenas jogados no sofá da república. No meu horário de saída, meu esquadrão já estava a postos, me esperando para nossa próxima parada.

 Pela primeira vez, pareciamos apenas um grupo de amigos normais, fazendo programas aleatórios apenas para aproveitar a presença um do outro. Quando todos estávamos na matilha de Sam, só haviam três opções de lazer em grupo: as noites da fogueira, alguns momentos na praia com os pares perfeitos e o mais recorrente de todos, reuniões na casa de Sam e Emily (argh). Na matilha de Jacob, nós éramos livres, podíamos fazer o que quiséssemos, e isso havia feito nos aproximarmos cada vez mais, sem pressão, sem obrigação, então estávamos sempre na praia ou na minha casa, já que Paul parecia ter tomado a propriedade Black para si, mas nunca havíamos saído para algo banal como ir ao cinema juntos.

 -Nós vamos ter que repetir isso com a Claire, ou ela vai ficar chateada. -falou Quil.

 Havíamos acabado de sair do cinema, após assistirmos um filme de comédia.

 -Ela ou você? -provocou Embry, debochado.

 -Qual é, ela praticamente faz tão parte desta matilha como qualquer um de nós. -resmungou ele.

 -Nós podemos repetir Quil, porém, se for com a presença de todos, aí precisa convencer a Leah a ir pra casa mais cedo. -falou Jacob.

 -Essa desalmada vai nos abandonar até o verão. -reclamou Quil, me fazendo rir.

 -Vocês podem vir me visitar durante um feriado. -sugeri.

 -Você vai ter que voltar pra casa em algum momento, nem que seja pra dar umas broncas no Jake. A gente vai tentar manter ele na linha, mas você sabe como ele é. -falou Embry. Jacob riu e lhe deu uma cotovelada.

 -Que tal uma corrida para esticarmos as pernas? -falei. Os garotos rapidamente se entreolharam animados.

 Todos assumiram suas posições no meio da rua.

 -No 3. -avisei.

 -Não vale roubar! -gritou Seth.

 -Não vale chorar, Seth! -retrucou Quil.

 -1! -gritou Jacob.

 -2. -gritou Embry.

 -3! -gritei, e disparei pela rua.

 Assumi a liderança, com Jacob em meu encalço, Quil e Embry atrás dele e Seth em último. Já estava começando a suar e Jacob quase ao meu lado quando entramos na curva na rua da Sigma. Foi então que Quil e Embry, trombaram um no outro e ao caírem, levaram Jacob com eles. Corri até a porta da fraternidade e desabei de tanto rir. Seth chegou logo depois e também começou a rir descontroladamente. Jacob levantou da neve e veio caminhando irritado. Quil e Embry vieram atrás discutindo.

 -Se não sabe correr então pede pra sair! -reclamou Quil.

—Você que escorregou e tentou se apoiar em mim! -protestou Embry.

 - Vitória dos Clearwater! -exclamou Seth, e fizemos uma dancinha.

 Jacob passou pela porta e se jogou no sofá.

 -Inacreditável. -resmungou ele.

 -Eu que não acredito que você vai chorar Jacob. -falei, me jogando no sofá ao seu lado. Ele passou um braço ao meu redor e cheirou meu cabelo.

 -Arrumem um quarto! -zombou Quil.

 -Argh. -resmungou Seth.

 -Bom, galera, vou indo nessa, minha gata tá me esperando, no quarto dela. -anunciou Embry.

 -Já estou até vendo, Embry vai assumir o lugar de Quil na choradeira quando voltarmos pra Reserva. -comentou Seth, esparramado na poltrona.

 -Talvez eu não volte, posso arrumar um lugarzinho aqui com a Leah. -retrucou. Engasguei com minha própria saliva.

 -Como é? -indaguei. Ele deu de ombros.

 -Tem lobo demais pra aquele lugar. -respondeu.

 -Nessa você tem razão. -concordei. -Porém, ache seu próprio lugar pra ficar. Um irmão mais novo já é o suficiente pra vida inteira.

 -Eu sou mais velho que você! -protestou ele.

 -Pode fazer o que quiser, mas você que vai falar com a sua mãe. -avisou Jacob. Embry deu um sorriso amarelo.

 Embry era filho único, e sempre que queria fazer algo, digamos, mais "ousado", pedia ajuda de Quil e Jacob para convencer a mãe.

 -Bom, eu vou indo nessa, vejo vocês amanhã. -se despediu.

 

 …

 

 Devo ter cochilado no sofá, pois não me recordava de ter saído de lá e vindo para a cama. Acordei no meio da noite sozinha no quarto que eu havia me apropriado temporariamente. Pensei em ir até Jacob, no quarto vizinho, mas eu sabia que se fosse até lá, não iria dormir tão cedo e eu realmente precisava de um descanso. Claro que eu estava muito feliz com a presença dos meninos e por tentar aproveitar ao máximo a presença deles, estava dormindo menos do que gostaria. Me acomodei novamente na cama e em poucos minutos já estava apagada novamente.

 Acordei no dia seguinte com Seth batendo a minha porta.

 -Acorda Leah! -berrou.

 -Mas o meu celular nem despertou. -reclamei.

 -Isso é porque seu celular ficou lá na sala ontem e já acordou a casa inteira. -explicou ele, dei um pulo da cama e corri pra porta.

 - Que horas são? Tô atrasada? -questionei.

 -Não, faz só 10 minutos que despertou. -respondeu, suspirei aliviada.

 -Vou tomar um banho rápido e já desço. -informei, antes de bater a porta na cara do meu irmão.

 Como prometido, tomei banho e me arrumei em tempo recorde. Encontrei Quil, Jacob, Seth e Adam na mesa.

 -Pro recesso de Natal, essa casa tá bem movimentada. -comentou Adam, em tom brincalhão.

 -Desculpem pelo alarme. -falei.

 -Eu já tinha saído pra correr. -falou Adam, dando de ombros.

 -Você iria acordar a gente de qualquer forma mesmo. -falou Quil, conformado.

 -Bom dia rapaziada! -exclamou Jenna, adentrando a cozinha. -Quem topa boliche hoje?

 -Contanto que Embry e Quil não tentem me derrubar ao invés dos pinos. -resmungou Jacob,e fazendo gargalhar.

 -A culpa foi do Embry, aquele idiota causou um tumulto. -reclamou Quil. Eu e Seth estávamos morrendo de rir. Jenna e Adam sem entender nada.

 -Falando no diabo, cadê aquele capetinha? -perguntou Jenna.

 -Com a Agatha. -respondeu Seth.

 -Esse casinho de inverno está rendendo hein. -comentou ela.

 -O papo está bom, senhoras, mas preciso ir trabalhar. -avisei.

 Os meninos prontamente se levantaram e partimos para a cafeteria.

 

 Após meu expediente, Jacob passou para me buscar de caminhonete, me levou até os alojamentos no campus, onde eu tomei banho e aproveitei para pegar umas coisas. Depois seguimos para a fraternidade, para pegarmos a galera para o boliche. Adam e mais dois garotos da fraternidade estavam indo conosco, Jenna pegou carona com eles. Um pessoal do alojamento também havia combinado de nos encontrar lá.

 Fechamos três mesas de boliche. Fui para minha mesa com os meninos, e Embry ficou para trás, trocando mensagens no celular. Jenna e Adam sentaram conosco. Estávamos montando os times, quando Embry chegou abraçado com Agatha e Izzy, Noah vinha atrás. Nossa mesa ficou completa com 2 times.

 O jogo começou. Embry e Agatha, apesar de estarem em times opostos, comemoravam as jogadas um do outro. Eu estava concentrada no meu jogo, pois, se havia uma coisa que eu era, era competitiva. Cada um tinha sua vez de jogar, e estávamos empatados na última rodada. Noah era péssimo, Adam e Jenna estava dando o sangue pelo jogo, Agatha era boa, Izzy estava mais concentrada em fisgar Jacob. Do nosso lado, eu e Quil estávamos na liderança, Seth estava super concentrado, embora errasse algumas, Embry não estava muito preocupado, só queria se divertir e Jacob precisava ficar se esquivando de Izzy. Estava indo tudo bem, até que Jenna foi pegar uma bola para sua jogada e Izzy que estava perto, fazendo charme, esbarrou nela, fazendo-a derrubar a bola que quase acertou seu pé.

 -Puta que pariu! -gritou Jenna. -Mas que porra você está fazendo garota? Você veio pra jogar ou paquerar?

 -Desculpe, não vi você aí. -retrucou Izzy, como se não tivesse quase causado um acidente.

 -Você não viu? Perai que eu vou te mostrar! -falou Jenna, indo pra cima de Izzy.

 Jenna agarrou os cabelos loiros de Izzy, que gritou. Adam que estava perto segurou Jenna, a levantando do chão.

 -Solta! -mandou ele. Jenna se debateu.

 Agatha tentou ajudar a amiga a se soltar, Izzy gritava. Me aproximei da confusão.

 -Solta Jenna, deixa pra lá. -falei.

 Demorou alguns segundos, Jenna se debateu e Adam aumentou o aperto ao redor dela, ambos pedindo para que ela soltasse. No instante em que Jenna soltou as mechas loiras, Adam se afastou com ela ainda presa em seus braços, ao mesmo tempo em que Izzy tentou um contra golpe, acontece que eu estava na frente e recebi o tapa no lugar de Jenna.

 -Que merda. -falou Seth.

 Embry segurou Izzy, que não parava de gritar. Respirei fundo e contei até 100 para não socar a cara de Izzy. Então Noah entrou na minha frente.

 -Você está bem? -perguntou ele, analisando meu rosto. -Vamos, vou pegar gelo pra você.

 Eu não estava realmente machucada, embora Izzy tenha tentado usar toda sua força. Mas eu estava irritada. Então segui Noah até o balcão, onde ele pediu gelo para o meu machucado. Coloquei o gelo no rosto, esperando que ele esfriasse meus ânimos. Noah estava bem pertinho, verificando se eu estava bem, quando Jacob apareceu atrás dele, como uma sombra.

 -Leah. -falou ele. O encarei. -Quer ir embora?

 Me levantei de imediato, largando o gelo no balcão.

 -Obrigada pelo gelo, nos vemos depois. -me despedi de Noah e segui Jacob.

 Voltamos pra fraternidade, Embry havia ficado com Agatha e Izzy, Adam já havia levado Jenna pra casa, os encontramos na cozinha, bebendo uma cerveja.

 -Não acredito que você não devolveu o tapa. -comentou Jenna. Dei de ombros e também peguei uma cerveja.

 Ficamos na cozinha, alguns, como eu, bebendo cerveja. Uma hora depois Embry chegou.

 -Que noite. -comentou ele, ao se juntar a nós. Jenna então se levantou e foi pra cima dele.

 -Isso tudo é culpa sua, que porra que você pensou levando a debi e a loide lá? -gritou ela. Embry ergueu os braços.

 -Eu não tinha como saber que a Izzy se comportaria daquele jeito, mas a Agatha não fez absolutamente nada! -respondeu ele.

 -Não tinha como saber? Tá zoando comigo? -berrou Jenna. -Ela age exatamente do mesmo jeito todas as vezes que vocês vão na cafeteria, me poupe.

 Embry permaneceu em silêncio, então Jenna continuou.

 -Se ela tivesse quebrado meu pé, você ia pagar as despesas do hospital.

 -Mas não quebrou, pelo contrário, você que quase arrancou os cabelos da garota. -retrucou ele. -Sem falar que Leah levou um tapa no seu lugar.

 Jenna ameaçou bater em Embry, mas Quil a interceptou.

 -Já chega, Embry. -falou Jacob, usando o tom de alfa. Embry bufou e subiu para o quarto.

 -Você vai dormir aqui ou quer uma carona? -perguntou Quil, para Jenna.

 -Vou dormir no meu quarto, obrigada. -respondeu ela.

 -Deixa que eu levo ela. -falou Adam, pegando a chave do carro. Jenna deu de ombros e os dois saíram da casa.

 -Depois dessa eu vou dormir. -falei, terminei de beber minha cerveja e subi pro meu quarto emprestado.

 

Playlist no YT Music


Não quer ver anúncios?

Com uma contribuição de R$29,90 você deixa de ver anúncios no Nyah e em seu sucessor, o +Fiction, durante 1 ano!

Seu apoio é fundamental. Torne-se um herói!




Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Be your everything (BlackWater)" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.