Martírio escrita por Lótus e Annye


Capítulo 7
Capítulo 7




Este capítulo também está disponível no +Fiction: plusfiction.com/book/798860/chapter/7

 

 

Madara ficou, ele não pretendia, mas simplesmente não pode sair, então adicionou os nomes de sua mãe, Togakushi, Kou e Kurohime ao altar de Tobirama e ficou, seus recursos durariam um tempo e depois ele daria um jeito, essa casa escavada na rocha era tudo que tinha restado de sua alma gêmea e aqui era seu lugar, mesmo que nunca tivesse sido convidado a entrar e mesmo que ainda não tivesse reunido coragem para adicionar o nome de Tobirama ao altar. Ele estava se preparando para sair e treinar quando um som abafado chamou sua atenção do lado de fora da entrada oculta da casa, ninguém conhecia esse lugar e, além da localização absurda, Madara se encarregou de cercar a área com genjutsu e armadilhas.

Com uma kunai na mão ele se moveu silenciosamente sobre o invasor, porém o corpo no chão estava imóvel, foi apenas um vislumbre do cabelo branco que o impediu de cravar a arma nas costas do homem.

—Tobirama!

Imediatamente Madara começou a mapear os ferimentos no corpo frágil, desnutrido e seminu, ele sabia muito pouco de iryō ninjutsu, apenas porque Hashirama implementou a última norma de Tobirama na marra e todo shinobi de Konoha sabia realizar atendimentos de emergência e suporte a vida. Seu albino, Madara pensava nele como seu a muito tempo, estava ferido, a coxa rasgada até o osso e perdendo muito sangue, mas não haviam lesões internas abertas. Ele selou a ferida cuidadosamente, curando o máximo que sua habilidade permite, as vias aéreas estavam desobstruídas, a coluna inteira, sem outras hemorragias. Em seguida ele se moveu para o tórax, repleto de lesões de todos os tipos, mas todas superficiais, costelas quebradas e consertadas várias vezes, pulmões machucados, mas limpos, baço cicatrizando, garganta queimada, dentes e língua surpreendentemente intactos, hematomas diversos no crânio, sem traumatismo, as pupilas estavam contraindo e havia reflexo. Ele escaneou o corpo por mais alguma coisa, os ossos das pernas e braços haviam sido quebrados e consertados várias vezes como as costelas, as unhas foram arrancadas e os demais machucados eram totalmente voltados a causar muita dor e quase nenhum dano. Quando estava certo que poderia mover o homem desacordado sem machucá-lo mais do que já estava, Madara o levou para dentro, deitou-o na cama, armou todo tipo de armadilha para protegê-los e se pôs a tratar dos ferimentos, abençoando seu kit obrigatório de primeiros socorros, enquanto guiava pequenas quantidade de soro para o estômago sensível com auxílio de chakra.

 

Tobirama acordou assustado, sem saber onde estava, ele reconhecia o cheiro e a cama era macia, mas não podia ser, ele deveria estar morto, e se fosse outro genjutsu, e se o tivessem pego, ele tenta se mover, mas há um par de mãos o segurando e um perfume de madeira queimada que ele não reconhece.

—Tobirama, você está em sua casa cavada em um penhasco na costa entre Hi no Kuni e Yu no Kuni, você está seguro e tratado.

—Madara? Não, é uma ilusão...

—Sim, sou eu, sinta seu chakra, tem pouco, mas você já pode sentir ele. - a voz silenciou enquanto Tobirama repetia o movimento treinado de levar o resquício de chakra por suas redes e tenketsu desobstruídos. - Viu? É real.

—Porque?

—Explicações depois, agora beba isso. - um copo com líquido fresco e com gosto de remédio foi vertido em seus lábios, muito pouco para aplacar sua sede - Bom, isso vai ajudar nas dores, durma mais um pouco.

Ele tentou protestar, mas antes de formar as palavras já havia dormido. A rotina de dormir, acordar, tomar remédio ou um caldo grosso e dormir de novo se repetiu por muito tempo antes que ele conseguisse se manter acordado.

—Porque vocês está aqui? Konoha… - sua voz sai rouca e sua garganta parecia arranhada.

—Hey, tente não falar ainda, os bastardos fizeram alguma coisa para queimar seu esôfago e suas cordas vocais estão em frangalhos - Madara acariciou seus cabelos e Tobirama queria poder enviar chakra para seus olhos e ver além do borrão que era o Uchiha - Konoha está segura, você praticamente ganhou a guerra sozinho, e eu estou aqui porque pensei que tinha te perdido de novo. Eu fui preconceituoso e te machuquei, você foi um abnegado idiota sem senso de autopreservação que me fez pensar que estava morto, então se acostume comigo aqui porque eu não estou indo embora tão cedo.

—Promete? - a voz quebrada e frágil faz o coração de Madara se apertar. O Uchiha se envolve o mais perto possível de sua alma gêmea sem perturbar suas feridas e beija sua têmpora.

—Prometo.

Tobirama acredita e se permite chorar até adormecer novamente, envolto no chakra que outrora o havia magoado tanto e agora era só quente e protetor com ele.

Madara sabia que não seria tão simples, haviam muitas feridas, físicas e mentais, muita mágoa e dor para ser curada, muitos desconhecimentos para acertar entre eles. Talvez Tobirama o expulsasse quando estivesse melhor, talvez ele tivesse que cavar uma casa para si mesmo na rocha, ele não estava deixando esse lugar, talvez eles nunca se tornassem amantes de fato, mas ele realmente esperava ganhar ao menos sua amizade. Independente do tipo de relacionamento que eles poderiam ter no futuro, Madara estava disposto a ficar, ele só queria a chance de conhecer o homem, além dos fragmentos perdidos que tinha, e para isso eles tinham um penhasco a beira-mar e todo tempo do mundo.


Não quer ver anúncios?

Com uma contribuição de R$29,90 você deixa de ver anúncios no Nyah e em seu sucessor, o +Fiction, durante 1 ano!

Seu apoio é fundamental. Torne-se um herói!


Notas finais do capítulo

Lótus: Eu não esperava escrever o último capítulo, mas eu realmente gosto de Tobirama e é difícil matá-lo ou representar ele sob uma ótica ruim, ao mesmo tempo não consigo pensar nele sem colocar pelo menos um pouco de angústia, acho que é a expressão no mangá. Enfim, aparentemente sou incapaz de manter um final triste e esse capítulo surgiu.
Annye: Alguns esclarecimentos, nós usamos a teoria dos nomes dos irmãos de Madara sempre, o Lótus sempre imaginou Tobirama albino, por causa da cor, mesmo que ele provavelmente não seja, e albinos normalmente enxergam mal, por isso toda a coisa do quase cego. Eu acho estúpido, mas...
Lótus: Depois eu te bato com uma frigideira de ferro fundido e você questiona minha amizade…
Annye: Quieto… tenho mais uma coisa para falar e aí vou te mostrar quem bate em quem! *limpa a garganta* Segundo o mapa mundi de Naruto, Kumo teria que chegar a Konoha por terra cruzando Shimo e Yu, Tobirama emboscou o reforço de Kumo em algum ponto do trajeto e ficou em cativeiro perto de Shimo, de onde se convocou para a fronteira de Yu e Hi no Kuni (sim, ele é fodão e o mapa foi a única coisa que eu pesquisei para essa fic).
Lótus: Bem é isso! Espero que tenham gostado…



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Martírio" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.