Até que a morte nos separe escrita por Fallon


Capítulo 4
Capitulo 4


Notas iniciais do capítulo

➤ Me perdoem pelo chá de sumiço.

➤ Boa leitura.

➤ Comentem.



 

“Ela tem chifres como os do diabo apontando para mim, e não há lugar para correr”

Sirius ajeitou a jaqueta sobre os ombros quando aparatou na fazenda. Ele não estava esperando por uma recepção de Rose. Seu patrono chegou até ele por volta das quatro e meia, enquanto ele estava na casa de Marlene. Fora uma decisão espontânea, uma Sirius havia tomado ao decidir ficar na casa da mulher, mas ele não contaria a Rose , porquê ela já estava furiosa o suficiente com ele. Bella tinha chegado, e ja estava a quatro horas na fazenda.

Seus olhos examinaram incansavelmente a área a procura de qualquer indício de cabelos negros , mas ele não viu nenhum. Ele se sentiu aliviado, não queria que Bella chegando de fininho na própria casa. O alivio que sentiu foi reprimido no instante que encontrou James esperando por ele nos degraus com os braços cruzados e os olhos mortíferos. Ele caminhou até ele com um suspirou vendo que receberia uma bronca.

— Lá dentro, por favor James. - ele disse baixinho quando chegou ao final da escada.

James nada disse, apenas caminhou na frente com Sirius o seguindo até o celeiro. O amigo estava tenso é ele conseguiu perceber por seus ombros contraídos.

— Onde diabos você estava?! - questionou o homem assim que entraram no celereiro.

— Eu.. - James o cortou.

— Rose estava correndo pela fazenda toda a procura de notícias suas! Você sabia que Bellatrix já está aqui?

Sirius abriu a boca mais James foi mais rápido.

— Você pirou? Esqueceu que ela chegaria hoje? - ele dizia entre dentes - Sinceramente Padfoot, eu esperava que você fosse mais responsável!

Sirius suspirou pesadamente, olhando o amigo que resmungava sem parar, suas bochechas já estavam vermelhas e seus olhos cheios de fúria por trás dos óculos.

— Onde você estava Sirius?

— Se me deixasse falar eu já teria o respondido! - resmungou Sirius, mas James bufou, parecendo mais irritado. - Estava com Marlene.

James esbugalhou os olhos, Sirius só poderia estar de brincadeira! Enquanto o amigo estava na casa da amante ele estava com o corpo todo dolorido por conta da irresponsabilidade de Sirius.

— Oh você só pode estar de brincadeira! Eu não acredito que você estava no bem e bom enquanto eu tive que dormir no celeiro para sua noiva não me ver!

Sirius não segurou a gargalhada só notando agora que James estava cheio de feno, até os cabelos castanhos tinham indícios de feno.

— Pelo menos estava fazendo companhia para Mimosa. - ele sorriu brincalhão.

— Pro inferno Sirius Black! - James ralhou pegando um punhado de feno e tacou em cheio na cara do amigo. - É bom você tomar um banho e tirar esse cheio de perfume enjoado que só Marlene tem, é uma péssima impressão para a sua querida noiva.

Ele avisou, indo em direção a casa.

Enquanto saia para o patio, agora limpo e longe do "perfume enjoado e doce" ele caminhou em direção ao jardim iluminado pelo varal de lâmpadas que preenchia todo espaço. Ele recusou a olhar para qualquer um dos homens que ainda estavam se movimentando pela fazenda. Seu destino eram os jardins e ele se recusava a pensar em qualquer outra coisa, especialmente em quem estava esperando por ele lá fora. Tentou não suspeitar dela, ou imaginar que ela estava tramando algo em vez de ser gentil. - já que Rose comentou em como ela era adorável.

Ele empurrou o portão com mais força do que pretendia, um pouco surpreso por não ter quebrado o portão delicado. Pelo caminho de cascalho ele foi, o som triturando em sua mente enquanto ele caminhava e seus olhos procurando por qualquer sinal dela. Ele parou quando finalmente teve um vislumbre dela, ela tinha se desviado do caminho, vagando pelo perímetro oeste. Ela parou enquanto ele a observava, ainda não percebendo sua presença, porque algo tinha chamado sua atenção no jardim. Ele endireitou sua camisa inconscientemente antes de se dirigir a ela, tentando manter seus passos leves enquanto seguia para a grama. Seus olhos encontraram o que tinha chamado sua atenção e ele viu quando ela estendeu a mão para tocá-lo. Ele encontrou as palavras para impedi-la em seu caminho antes que ela pudesse fazê-lo.

— É um cardo. - disse ele, e ela saltou para longe, virando-se para encará-lo com os olhos arregalados. - Uma flor muito bonita. - continuou ele - Mas seus espinhos podem deixar uma picada desagradável. - Ela parecia perdida a procura de palavras, então ele permitiu que seus olhos a avaliassem enquanto ela procurava sua voz.

Ele não podia negar sua beleza, como homem, ele seria um tolo em negar isso. Ela era muito bonita, estava lá, em seu jardim tão graciosa. Sirius não pôde deixar que seus olhos vagassem pela curva do seu pescoço antes de seguirem o cachos negros que terminavam logo acima de sua cintura. Sapatos azuis de salto alto em verniz, pernas perfeitamente torneadas, um vestido azul claro, justo a um corpo elegante e com curvas bem definidas, uma face de anjo, com dois olhos de um azul safira fascinantes... Aquela não era, definitivamente, a mesma Bellatrix irritante que usava sempre tranças, que conhecerá a sete anos atrás. Ele moveu os olhos para os dela, e ela finalmente pareceu recuperar os sentidos.

— Resolveu parar de se esconder Sirius?

Sirius pode captar um tom de irritação em Bellatrix.

— Eu tenho motivos para me esconder, Bella? - Ele disse sorrindo, fazendo Bella revirar os olhos ao ouvir o apelido que Sirius lhe dará.

Ele estendeu o braço em sua direção, ela segurou sentido o perfume amadeirado precher suas narinas. Enquanto caminhava, Sirius pode observar a garota vagar seu olhar por todo jardim. Ela sempre amou jardins, e ele não tardou em caprichar ainda mais nele para sua chegada.

— Creio que esteja cansada da viagem, já descansou depois que chegou? - Ele perguntou fazendo Bella erguer uma sobrancelha.

— Aprecio sua preocupação e agradeço. E para ser franca, estou bem pouco, costumo ser bem elétrica quando me esforço. A viagem foi um pouco cansativa já que não pude aparatar até aqui. - ela disse suspirando - Mas sim, já descansei depois de cheguei, embora você não estivesse aqui para saber.

— E não parece muito feliz com a chegada.

— Sinceramente Sirius, eu não estou nem um pouco feliz em saber que vou ter que morar em uma fazenda. Mamãe vai surtar quando souber disso. - Ela empinou o nariz enquanto Sirius a levava até o corredor de tulipas.

— Por mais incrível que pareça sua mãe está totalmente de acordo com a casa, e com o modo em que vamos viver.

Bella arregalou os olhos, e Sirius não sabia se era por conta de sua resposta ou por conta das tulipas.

— Eu também tive a mesma reação, mas não me admira que ela tenha concordado por causa de tudo que está acontecendo. Já é o décimo bruxo em um mês que estão queimando na fogueira. - ele murmurou pensativo.

— Em que século estamos, no XV? Fracamente, malditos Muggles! - ela murmurou levando as mãos até as flores, totalmente distraída.

— Todavia, temos que nos esconder nas sombras, nenhum lugar é seguro.

— Ótimo. - Bella revirou olhos, irritadiça.

— Contudo, isso não importa no momento. Porquê você sabe por qual motivo veio parar aqui, não é mesmo?

— Claro que sei. - ela afirmou soltando um extenso suspiro - Infelizmente iremos nos casar contra nossa vontade e eu vou perder minha felicidade de ficar sozinha.

— Você fala como se eu quisesse estar me casando com você.

Bella voltou seu olhar para Sirius com um pouco de plexplexidade.

— Escuta aqui, eu não estou aqui porquê quero. Estou aqui pela tradição de nossa família e pela promessa que fiz a mim mesma que levaria isso adiante.

O rapaz a fitou por alguns segundos e soltou um riso escárnio.

— Se soubesse que você continuava com sua lingua afiada teria desfeito esse casamento tolo.

— Teria feito a mesma coisa se me interessase mais pelo meu futuro marido. - Bella respondeu firme porém ainda com seu tom solene que aprendeu a controlar - Durante todos esses anos eu fui prometida a você, e depois que você foi embora eu nunca mais procurei saber sobre sua vida, seus atos ou sua personalidade. Agora estou arrependida amargamente.

Ele desfez o sorrisinho sutil e travou o maxilar.

— Eu também me neguei a saber sobre sua vida, porque estava ocupado tentando viver a minha.

— Caso não saiba, eu sou Bellatrix Black, carrego o sangue Black e essa penitência de ter que me casar com você desde do meu primeiro suspiro.

— E eu me chamo Sirius Black, o herdeiro dos Black e o primeiro da árvore genealógica para ter sua mão!

Sirius estava aborrecido e aproximou-se demais de Bella, fazendo a garota levantar um pouco o queixo devido sua altura. Os rostos proximos o suficiente e os olhares sustentados de forma acirrada.

— Se não quer se casar, volte para Londres.

— Eu vou voltar para Londres e como você vai conseguir provar alguma coisa para nossos familiares? - ela esperou resposta, mais o rapaz apenas continuou fitando suas íris azuis - Na verdade você pode continuar sendo o fracassado da família, eu não irei me importar, Pois eu sim sou digna do nome Black. Já você, não pode dizer o mesmo, não é?

Sirius observou fixamente os traços de Bella, que manteve-se madura e intimidadora. Todavia, o rapaz como ele encontrará um desafio de difícil excursão, provocante e Belo como a princesa dos Black, mas ele nunca admitiria tal pensamento em voz alta.

Ela sorriu escárnio o olhando fixamente nos olhos antes de partir.

— Tenha uma boa noite Black, foi um desprazer reve-lo.

Assim que a Black se foi pelo caminho de volta a casa. Sirius suspirou indo logo atrás, era o primeiro dia de Bella na fazenda e já haviam discutido. Ele não estava surpreso, mas estava zangado, ela sempre teve o poder de tirar sua paciência.

Entrando na cozinha ele encontrou James e Rose, que servia um glorioso pedaço de bolo para o Potter, que tinha um brilho em seus olhos.

Rose o encarou e sabia que algo estava errado, Sirius nunca ficava de mau humor e aquela era a primeira vez em anos que ela notou uma carranca no rosto sorridente do rapaz. Um sorriso brincou no rosto de James.

— Já começou as discussões?

— Está tão na cara? - Ele perguntou carrancudo apoiando-se na bancada.

— Desculpe, como assim já começou? - Rose perguntou.

— Na época que estudavamos não havia um dia em que esse dois não brigassem. Sirius não tardava em implicar com Bellatrix, que perdia a paciência no mesmo instante e gerava brigas e mais brigas.

Sirius não pode deixar de sorrir com a lembrança, ele sempre teve esse dom e Bella não era a única que conseguia tirar-lhe a paciência.

— A conversa está boa, mas tenho que ir descansar. Partirei cedo, estou cansado de me esconder de sua noiva pela casa. - Disse James colocando o guardanapo sobre a mesa.

— Ainda está se escondendo dela?

— Sim, não quero ser o motivo da fúria da recém chegada. Sei como são os sentimentos de Bellatrix quando se refere a mim.

— Vai me abandonar sozinho com esse tornado aqui?

— Minha presença só iria piorar tudo Sirius, você sabe bem. - ele sorriu dando tapinhas nas costas do amigo. - Te vejo no casamento.

— Se não nos matarmos antes dele. - resmungou Sirius.

— Não sei porquê falam assim dela. - Resmungou Rose os olhando com uma careta - Ela é formidável.

Sirius negou com a cabeça, Bella estava longe de ser formidável, nem chega perto disso. Na verdade, ela era perversa.

 

 

༻──── CONTINUA ────༺





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Até que a morte nos separe" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.