Jardim dos Anjos [ Sendo reescrita] escrita por Senhorita Black


Capítulo 11
Confusa




— Não!

Já havia perdido as contas de quantas vezes em apenas 24 horas eu tinha repetido a mesma palavra a Jacob, desde que saímos do seu escritório ele tentava me convencer a aceitar fazer as fotos para campanha  da marca de perfume, apesar de estar feliz por ele não ter reclamado da surpresa com Alicia eu não concordava com a ideia.

— Jacob, eu não sou modelo, sou apenas uma babá! Explicava enquanto terminava de ajudar Alicia a se vestir.

— São só umas fotos, não vai nos deixar na mão agora, justo quando conseguimos! Ele explicava fazendo uma cara de cão sem dono.

— Não adianta fazer essa cara!

— Renesmee, me promete que vai pensar, eu te dou mais alguns dias! Ele se aproximou me olhando nos olhos e corei.

— Eu,é - comecei a gaguejar enquanto Jacob me olhava – esta bem! Suspirei.

Jacob deu um sorriso largo, como ele ficava lindo sorrindo, “sério Renesmee esta achando Jacob Black lindo?” saia do meu devaneio temporário e desviava o olhar retornando a atenção para Alicia.

— Vou pensar, não disse sim! Falei tentando disfarçar.

— Espero que seja sim! Ele respondeu dando um beijo em Alicia – Preciso ir! Falou saindo apressadamente do quarto.

Dei um sorriso bobo e finalmente terminei de arrumar Alicia, peguei sua mochila que estava escondida e saímos para seu primeiro dia de aula, apesar de não ser correta esta levando Alicia a escola sem ele saber esse era o próximo passo para que ela tivesse uma vida normal, tinha esperanças de logo poder contar a ele.

 Saí do prédio alguns minutos após Jacob e peguei um taxi, uma hora depois chegávamos a escola, durante toda a viagem Alicia repetia que estava indo a escola, o que me deixava apreensiva pois ela poderia falar na frente do pai e as coisas se complicariam.

Finalmente chegávamos a escola, descemos e caminhamos passando pelo portão da entrada, Alicia puxava a sua mochila de rodinhas e eu acompanhava seus passos, passamos pela recepção indo até a sala do primário, assim que ela viu a professora se escondeu atrás de mim segurando na minha perna.

— Bom dia Alicia, seja bem vinda! A professora falou carinhosamente.

Alicia a olhou e em seguida seus olhinhos se voltaram para mim, me abaixei a sua altura acariciando seus cachos.

—Não quer ir mostrar a professora seus materiais? E olha quem esta ali sua amiguinha! Apontei para uma das mesas infantis onde a menininha a qual ela havia se aproximado estava sentada.

— Acompanhe ela Renesmee e a sente na mesa, não esqueça que hoje é seu primeiro dia de aula, e mesmo já tenho vindo esses dias ela ainda pode chorar! A professora me explicava.

Segui a orientação da professora e então entrei na sala deixando Alicia sentada ao lado da menina que sorriu e lhe entregou uma massinha de modelar, ela pareceu gostar, pois segurou e começou a brincar, sorri ao perceber que ela não sabia o que fazer com a massa e a coleguinha tentava a ensinar.

— Acho que ela gostou! Sussurrei aliviada.

— Agora pode sair, mas fique pela escola, não sabemos como ela vai se comportar durante essas horas!

— Claro! Respondi dando uma ultima olhada em Alicia que estava distraída com a coleguinha, em seguida sai da sala caminhando pelos corredores, vi Isadora conversando com algumas mães e assim que ela me avistou sorriu caminhando em minha direção.

— Renesmee, como vai?

— Muito feliz Alicia ficou na sala de aula, sem choro! Falei empolgada.

—Alicia teve uma evolução muito grande, mesmo os sintomas do autismo sendo tão pequenos nela se você não tivesse procurado ajuda seu quadro poderia agravar! Isa explicava enquanto caminhávamos.

—Sim, graças a vocês que fazem um trabalho tão bonito! Respondi sorrindo.

— Às vezes fico pensando o que será dessas crianças se fecharmos as portas, Alicia tem condições financeiras, mas a maioria das crianças aqui não tem! Ela falava com um tom de preocupação.

— Fechar? Como assim Isa? Perguntei preocupada.

— Nós somos um projeto sem fins lucrativos, a maiorias dos professores não cobram para estar aqui, mas temos outras despesas e como pagamos aluguel e temos outras despesas estamos no vermelho.

— Vocês não têm ajuda?

— Não, infelizmente ainda há pouca ajuda principalmente do governo.

Fiquei pensativa com o que Isa havia dito, aquele lugar era lindo e ajudava pessoas que não sabem como lidar com os problemas de seus filhos, sei que não estava dentro da minha missão ajuda-los, mas que espécie de Querubim eu seria se fechasse os olhos para isso.

Isadora se despediu de mim, pois tinha novas crianças para atender, sentei na recepção e fiquei pensativa, observava crianças entrando e saindo e pelo comportamento dos pais eram novas ali, eu não deixaria aquele local fechar.

Fiquei algumas horas na recepção e quando finalmente chegou o fim da aula fui até a sala de aula, Alicia me aguardava sentada e assim que me viu correu em minha direção.

— Ela se comportou muito bem! A professora a elogiava.

— Meu amor estou orgulhosa! Falei a pegando no colo e ela prendeu os braços em volta da minha nuca me abraçando forte – Não vai dar tchau para a professora?

Ela acenou dando tchau para a professora e então seguimos de volta para casa, no caminho liguei para Bella e pedi para que passasse a tarde com Alicia, ela aceitou, então a deixei na casa de Bella e segui para a agencia, havia tomado minha decisão talvez eu pudesse ajudar Isa.

Assim que cheguei as recepcionistas foram muito atenciosas, ri baixinho enquanto pegava o elevador, mas antes que a porta fechasse Leah entrava me olhando surpresa.

— Você aqui? Aconteceu algo com Alicia?

— Não, Alicia esta ótima! Respondi um pouco sem graça, Leah nunca havia falado comigo, as poucas palavras que já havia me dito eram apenas perguntando pelo Jacob quando chegava em casa – Vim falar com Jacob! Completei.

— Fico feliz que ela esteja bem, na verdade ela ficou bem melhor depois que você chegou! Leah respondia.

A olhei novamente com o canto dos olhos, seria mesmo Leah? Ela estava sendo gentil comigo, aquilo sim era estranho. O elevador apitou e a porta se abriu, saímos juntas caminhando até a sala de Jacob, Mel não estava na recepção por isso entramos juntas e assim que entramos vimos Jacob beijando uma mulher ruiva.

— Jake! Leah falava alto totalmente sem ação.

Ele a empurrou, olhando para nós duas em seguida.

— Não é nada que possam estar pensando! Jacob tentava se explicar.

— Cassandra! Leah falava com os olhos marejados e saia da sala, Jacob ainda tentou falar algo, mas ela não quis escutar.

Um silêncio se fez na sala, Jacob passava as mãos na cabeça e me olhava, a ruiva sorria se divertindo com a situação, até que ela mesma quebrava o silêncio.

— Não sei pra que tanto drama, foi apenas um beijinho!

— Cassandra acho melhor você ir, mal voltou e já esta me dando problemas! Jacob  falava um pouco exaltado olhando para mim.

— Eu acho melhor conversar com você em casa! Falei um pouco desorientada.

— Nossa Jacob, em casa?espera você esta com a Leah e com essa garota? Ela dava uma gargalhada – Jacob seu patife!

— O que? Não, eu não tenho nada com ele! Tentei me explicar.

— Já chega Cassandra! Jacob caminhava até a porta e a abria – por favor! Completou pedindo para ela sair.

A moça pegou a bolsa aborrecida e caminhou até a porta, ao passar por mim me olhou de uma forma estranha saindo da sala, Jacob fechava a porta vindo até mim.

—Renesmee eu posso explicar, Cassandra é uma amiga e chegou de viagem hoje, não sei por que ela me beijou e...

— Não me deve explicações! O interrompi.

— Claro que devo, não quero que pense coisas que não existem!

— Não estou pensando nada, acho que deve ir atrás de Leah, ela deve estar magoada!

— Esta preocupada com Leah? Ele me olhou surpreso.

— Ela ama você, deve esta triste !Respondi.

Ele sorriu e me olhou de uma forma estranha, apenas o encarei, pela primeira vez senti um aperto no meu coração, e não entendia o porquê.

— Você é realmente muito especial Renesmee! Ele falou pegando minha mão.

—Preciso ir, eu vim apenas falar que aceito fazer as fotos, mas amanhã conversamos, Bella esta com Alicia e eu preciso ir para casa!

Sai da sala e respirei fundo, precisava pensar e entender a mistura de sensações que eu estava sentindo pela primeira vez. Sai da agencia e decidi caminhar antes de voltar para casa.

— Confusa? Uma voz sussurrou em meu ouvido enquanto eu seguia em direção a ponte Vicent Thomas.

— Olá Rafael! Respondi continuando a caminhar!

—Algo a atormenta? Ele perguntou caminhando ao meu lado.

—Às vezes os sentimentos e sensações humanas me confundem! Respondi.

— Tem certeza que são as emoções humanas que estão confundindo você, ou é Jacob? Ele perguntava desaparecendo em seguida.

Continuei a caminhar chegando à ponte e segui enquanto alguns carros passavam ao meu lado, olhei para frente e havia uma mulher parecia que ia pular da ponte.

—Espera! Gritei correndo em sua direção.

Ela me olhou então parei a olhando sem reação.

— Leah! Sussurrei.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Jardim dos Anjos [ Sendo reescrita]" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.