O Diário de uma Princesa III escrita por Senhorita Black


Capítulo 73
Realeza Rejeitada




Querido diário! Pouco a pouco Jacob está se adaptando a vida de pai, vive com o bebê para cima e para baixo e muitas vezes tenho que controla-lo, retomou sua vida e trabalha como veterinário particular das fazendas de algumas cidades de Londres, além disso a fábrica de Queijo está se expandindo, mesmo com pouco tempo tenta todos os dias chegar antes que o bebê durma, é um pai presente e o melhor marido do mundo.

Fazem exatos dois meses desde que foi encontrado, e desde então minhas mães, Alice e eu cuidamos dos preparativos para o nosso casamento, eu teria casado com ele no dia seguinte afinal de contas já somos casados a um ano, mas ele disse que dessa vez queria tudo como deve ser, festa de noivado, pedido oficial, igreja, lua de mel e advinha quem adorou isso, Alice.

— Vamos lá, precisamos repassar essa lista Nessie! Sobremesas, bebidas, convidados...

— Já repassamos, quatro vezes nas ultimas 24 hr, respondi enquanto pegava meu pequeno no colo.

— Mas é sempre bom repassar...

—Alice, está tudo certo, a festa é hoje a noite!

— Porque acha que estou nessa correria? As mesas já chegaram, os chefes já estão na cozinha...

Revirei os olhos, eu havia pedido para ser algo simples só para os mais íntimos, mas parece que simples não existe no dicionário Alice.

— Sua dinda é muito exagerada né bebe! Falei para o bebê e ele riu.

— Isso é um complô, só pode ser filho de Jacob Black mesmo! Ela bufou saindo do quarto e eu ri.

Troquei a frauda do meu pequeno e então sai do quarto, a festa seria na mansão então por isso Alice não havia me deixado dormir em casa, Jake não gostou muito da ideia, mas acabou cedendo e indo dormir na casa dos Cullens, mas como estava fugindo de Alice e suas ideias malucas havia saído cedo.

Caminhei pelos corredores apenas observando toda movimentação, fiquei imaginando se para apenas uma festa de noivado estava daquela forma imagine no dia do casamento, olhei para sala e haviam muitas mesas com rosas vermelhas e lindas cortinas brancas decoravam o local, suspirei só de imaginar que em poucas horas a sala estaria repleta de pessoas que eu nem mesma conhecia.

— Pago dois dólares por seus pensamentos! Uma voz me tirava de meu transe e eu sorri ao ver de quem se tratava.

— Vô Charlie! Falei surpresa e o abracei.

— Eu entendo você, não queria vir, mas como senti saudade da minha neta! Ele falava de forma carinhosa.

— Perdão, sei que não o visito a meses, mas aconteceram tantas coisas! Respondi.

— E esse garotão? Já está desse tamanho? Charlie pegava o bebê dos meus braços.

— É esta...suspirei olhando para Alice na sala reclamando de algo com os empregados.

— Eu também estaria incomodado com essa superprodução de Hollywood!

Apesar de ter conhecido meu avô a tão pouco tempo, ele me conhecia bem, sabia que não queria tudo aquilo.

— Eu queria um jardim, frutas em uma mesa e as pessoas que amo, só isso!

— Querida, não precisa fazer tudo que sua família deseja só para fazê-los feliz! Meu avô me respondia me entregando meu pequeno.

— Obrigado vô!

— É sua vida, seja aquilo que deseja ser, viva da forma que a faz feliz! Ele falava dando um beijo em minha testa.

Sorri indo para o Jardim, bebê Jake adorava as flores acho que por causa das cores e pelo balançar do vento isso o fazia dar gargalhadas, ele esticava os bracinhos tentando tocar enquanto eu apenas pensava, como dizer a Edward e Bella que não quero ser uma princesa, que só quero uma vida normal ao lado do meu marido e nosso filho?

Me senti sufocada, decidi então sair, arrumei algumas coisas do bebê em uma bolsa e então esperei Alice se distrair e dei a volta pelo jardim indo em direção a garagem.

—Renesmee! Aonde vai?

Me virei e era Verônica, filha do conselheiro de Edward, um dos braços direito de meu pais em seus negócios.

— Olá Verônica! Respondi- o que devo a honra da sua visita?

— Vim para sua festa de noivado, olha está um sonho, quando me casar quero uma festa assim também! Ela falava empolgada e eu revirava os olhos.

Se tinha uma coisa que Verônica nunca havia disfarçado era sua antipatia por mim, ainda lembro das piadas que ela jogou no ultimo jantar que tivemos quando eu estava grávida junto com as outras patricinhas reais.

— A festa é o menos importante, o mais importante é se casar com quem amamos! Respondi.

— Sim tem razão, mas veja você que sorte tem, vai se casar com um homem lindo, rico, com direito a festa de princesa, mas não entendo porque parece tão insatisfeita?

— Verônica, eu preciso ir, o bebê tem consulta com pediatra.

— Há claro o bebe! Ela respondia com desdém

Fechei a cara dando as costas e caminhei até a garagem, coloquei o bebê Jake na cadeirinha e logo sai, se eu ficasse mais alguns minutos com Verônica arrancaria seus cabelos.

Dei uma caminhada pelo Shopping, resolvi almoçar por ali mesmo, usei o fráldario do shopping para cuidar do bebê e depois fui para um parque onde passei a tarde com meu filho só percebi que estava ficando tarde quando o sol começava a se por.

— Ai meu Deus! Sussurrei abrindo minha bolsa para ver a hora, então vi que havia esquecido o celular.

— Jake...deve ter me ligado... ai não!

Sai às pressas do parque, logo entrava no carro olhando o bebê que dormia tranquilamente na cadeirinha, o transito não estava muito bom.

— Droga! Droga! Reclamei batendo no volante.

Alguns minutos depois finalmente eu conseguia sair daquele sufoco e chegar em casa.

Passei pelo Jardim tentando não ser vista, a casa já estava bem movimentava, então para evitar olhares decidi entrar pela entrada de serviços, os funcionários me cumprimentavam meio sem entender e eu sorri indo em direção a escada da área de serviços que dava acesso ao corredor principal da mansão, mas era pega assim que pisava no primeiro degrau.

— Nessie!

Era a voz de Jacob, fiz uma cara de dor e me virei sorrindo.

— Oi amor, desculpa eu...

Ele me puxava para um abraço respirando aliviado.

— Onde estava? Liguei para você o dia todo estava desesperado sem saber notícias – Sua mão segurava meu queixo de forma carinhosa- Você está bem? Aconteceu alguma coisa com vocês? Seu olhar era aflito.

— Eu esqueci o celular, desculpa!

—Renesmee! Onde você se meteu? Quer me matar? Todos estão a sua espera!

— É sério isso Alice? Jacob a interrompia.

— Jacob não sei se reparou, mas é a festa do noivado de vocês, e porque ainda não se arrumou?  

— Vou fingir que não ouvi isso! Ele falava pegando o bebê dos meus braços com cuidado e me puxava para o quarto deixando Alice falando sozinha.

Entramos no quarto e ele colocou lentamente o bebe na cama dando um beijo em sua testa em seguida virou para mim.

— Está chateado comigo?

— Não meu amor claro que não! Ele falou me chamando para sentar em seu colo e assim eu fiz.

— Então o que foi?

— Nessie, eu sei que somos filhos de pessoas importantes, crescemos em meio as festas da alta sociedade, eu mais do que você porque Emmett e Rosie foram mais normais, mas tem certeza que quer criar o nosso filho dessa forma? Sabe, você é uma princesa, mas...

— Eu não quero! O interrompi- Quero criar na nossa casa azul, sem festas chiques, quero que ele tenha suas escolhas!

— É muito bom ouvir isso! Ele respondia selando meus lábios e então meus pais entravam no quarto.

—Desculpa interromper, mas está tudo bem? Edward perguntava.

— Ficamos preocupados! Rosalie falava.

— Estamos bem, Jake e eu vamos nos arrumar e já descemos! Respondi ao ver a cara fechada de Alice.

Meus pais saiam do quarto com Alice e então Jake me fuzilava com os olhos.

— Amor, eles vão ficar muito chateados se fizermos essa desfeita, tem pessoas lá nos esperando, depois da festa conversamos com minha família, eu prometo!

Jake protestou mas acabou cedendo, nos arrumamos e então descemos, apesar de não gostar muito, Jacob estava lindo de terno.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "O Diário de uma Princesa III" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.