Retornos & Reencontros escrita por AutoProclamada Rainha Nortenha


Capítulo 14
Capitulo 14


Notas iniciais do capítulo

HEY!! Esqueci de programar esses capitulos então to aproveitando para avisar que só vou conseguir responder os comentário na segunda-feira porque meus dados móveis tão na raspinha do tachinho.
Esse capitulo tem menções a versão do úlimo ep da série porque to apaixonada por aquele barco da Arya e quis por na história.



Jon encontrou todos os homens sentados no grande salão, ele não foi direto ao encontro de Gendry, não tinha jeito para isso. O homem estava entre Tyrion e Davos e os três tinha canecos cheios, mas Tyrion era o claramente mais empolgado com tudo aquilo.

Jon não se juntou a eles, apenas sentou em um ponto mais afastado da mesa

— Acalme-se Gendry, partos são sempre difíceis e tensos, mas tudo vai ficar bem — respondeu Davos, antes de se virar para Jon — Nosso rei aqui é um que possui uma grande experiência com partos difíceis, quem sabe não pode dar uma dica ao nosso Lorde da Tempestade?

— Eu direi que tenho um grande trauma com partos difíceis — respondeu Jon erguendo seu caneco e se aproximando da conversa — Eu não sei se posso dar muitas dicas.

O rosto de Gendry ainda estava inchado, mas não parecia ser esse o motivo de seu nervosismo, aquele sentimento que fazia ele encarar o próprio reflexo no vinho no fundo do copo.

— O que eu posso te dizer — ele falou com um tom mais ameno, era claro o amor de Gendry por Arya e mesmo a própria apreensão no nascimento da filha não poderia se comparar a expressão no rosto do rapaz — É que aconteça o que acontecer, tudo vai estar acabado logo.

— Você acha que ela pode sobreviver? — ele perguntou. Não queria a verdade, só queria que alguém lhe desse uma palavra de esperança que de alguma forma pudesse deixa-lo mais tranquilo e ninguém seria melhor para lhe dar isso do que o irmão preferido de Arya.

Jon respirou fundo, ele não tinha esperanças há muito tempo. Sua mãe havia morrido no parto e Dany também, ele não tinha como garantir para si mesmo que sua irmãzinha ficaria bem e também precisava daquelas palavras de apoio. Os dois precisavam se dar apoio e não ficar brigando.

— Gendry, ela enfrentou a morte várias vezes. Ela literalmente encarou a morte nos olhos e a matou — foi a resposta dele, se lembrando daquilo que Sansa lhe dissera há alguns minutos — Eu nunca confiaria se fosse outra pessoa qualquer, mas a nossa Arya pode sobreviver a qualquer coisa.

Houve uma pausa apreensiva enquanto mais um grito estridente cortava o ar, era isso ou a tensão — tão pesada e densa quanto a neblina de inverno — fazia com que todos os homens presentes estivessem em condições delirantes, preocupados com a grande heroína de Westeros.

— Aonde ela esteve após partir de Porto Real? — perguntou lorde Davos.

Ele havia visto o grande barco com proa de lobo cinzento deixando o porto em direção ao horizonte, mas desde então perdera toda a informação da caçula das irmãs Stark e sempre fora uma curiosidade saber para onde aquele lindo barco com suas velas branca estampadas com o lobo gigante havia ido e porque ele nunca o havia visto depois.

— Ela ia partir para oeste, não sei se chegou a ir — respondeu Jon, tomando um gole longo da bebida, a apreensão palpável fazendo seus dedos se tencionarem ao longo do caneco, os nós brancos em um resultado claro de todo o medo em suas costas — Sansa não me contou e nem ela, mas acho que ela não chegou tão longe antes de ter que voltar.

— E o que irá ocorrer com a embarcação?

Aquela era uma pergunta justa. Barcos não eram itens baratos e Porto Real ainda lutava para restabelecer a frota que um tivera e uma embarcação daquele porte poderia ser uma ótima aquisição perfeita para o momento. Mas não fora o rei quem respondera e sim o senhor da tempestade que limpou a garganta antes de voltar a atenção para a conversa, com os olhos ainda focado no fundo do caneco de forma apreensiva.

— Ele vai vir para cá, ficar a disposição de Arya para quando ela quiser.

Jon o encarou por um longo momento e Gendry o encarou de volta. O rei sorriu minimamente para o homem do outro lado da mesa e o senhor da tempestade sorriu de volta para ele, tudo estava bem entre eles então.

— Você se casaria com ela? — aquilo era uma pergunta de preocupação. Em nenhum momento ele tinha pensado em perguntar a ele, sua vontade era de obriga-lo a casar nem que fosse na ponta de Garralonga.

— Agora mesmo se ela aceitasse — ele respondeu sem pensar duas vezes, ele nunca havia escondido isso de ninguém. Nunca deixara de pensar em Arya desde que se separaram há tantos anos atrás. Ele até pensara em supera-la depois da coroação, quando partiu de Porto Real — Eu nunca faria isso sem a vontade dele.

— Eu agradeço a sua intenção — Jon respondeu, mas isso não era o que ele esperava ouvir — Mas a nossa intenção é que vocês se casem de qualquer forma, evitar que essa criança cresça sob o estigma de bastardo.

O olhar do senhor da tempestade abaixou mais uma vez. Gendry não passara pelo mesmo que Jon, ele só fora descobrir sobre a sua condição de bastardo em quando já era adulto e isso o afetou muito menos do que ao rei de Westeros, mas ele quase morrera duas vezes, uma quando Cersei mandou sacrificar todos os bastardos de Robert e quando Melissandre tentara o oferecer em sacrifício ao senhor da luz.

— Eu entendo — ele respondeu — Eu vou tentar falar com Arya após tudo isso, tentar convence-la.

Eles já haviam conversado sobre isso em outra noite e ela havia dito que pensaria em aceitar a proposta dele, mas nenhum dos dois sentira muito firmeza nisso. Ele já conhecia a mãe de seu filho há tempo o suficiente para saber que ela nunca iria se sentir confortável presa em um lugar só e era por isso que ele queria que o barco de Arya fosse trazido para a costa de Ponta Tempestade, para que ela entendesse que ele não queria a prender.

Mas um pedido de Jon não podia ser ignorado ainda mais quando ele tinha razão. Um filho bastardo iria manchar a imagem de Arya e tornaria a vida da criança um inferno.



Notas finais do capítulo

Conversamos mais na segunda, beijos



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Retornos & Reencontros" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.