Yuu-kun’s Life Journal escrita por Haruyuki


Capítulo 6
Entrada Extra 02


Notas iniciais do capítulo

Victor /o/



# Victor Nikiforov

 

Desde pequeno, Victor adora patinar no gelo. Desde o dia em que seus pais o levaram para uma arena de gelo ao ar livre. Assistindo às competições pela televisão, ele passa a sentir uma paixão enorme pelo esporte. Uma paixão que o leva a querer aprender e ser o melhor patinador do mundo.

Os primeiros anos foram uma bagunça, para falar a verdade. A medida que o tempo passa, ele aprende mais e mais coisas, ao mesmo tempo que assiste em primeira mão seus pais brigando um com outro até altas horas da madrugada. Eles vem brigando muito há anos, mas nunca na intensidade em que estão agora. Minha mãe passa a maior parte do tempo fora de casa, o que faz meu pai sentir ciúmes e acusar ela de traição.

Victor pergunta até quando a sua vida vai continuar a ser assim. E então, no dia que ele completa 12 anos, algo de muito estranho acontece. Madame Lília Baranoskaya, também conhecida como a perfeita protagonista de um show de horrores, aparece no ringue de gelo, ao lado de um de seus mordomos, que carrega uma caixa de papelão pequena. Victor se pergunta se ela finalmente resolver explodir a arena e matar Yakov. Mas… ela está olhando para ele? Por que?

"Victor Alexandervich." Ela diz, e ele faz careta ao som daquele nome. "Eu tenho um presente para você. Feliz Aniversário."

"Oh, Lília. Não precisava ter o esforço de me dar algo." Ele diz, se aproximando dela.

Ele faz bico quando percebe que a caixa já está aberta, mas logo a abre e se surpreende ao ver um cachorrinho de pelúcia preto.

"Isso é para você." Lília diz, estendendo um envelope branco para ele.

Uma carta?

Ele pega o envelope e franze a testa ao não perceber nada além de seu primeiro nome. Olhando para Lília, que cruza os braços e o olha seriamente, ele engole em seco e a abre, retirando um papel e três fotos dela. Fotos super fofas de um menino gordinho usando uma roupa estranha, de cabelos negros, olhos castanhos escuros e um sorriso animado que imediatamente o faz sorrir também. Quem é esse menino?

"Leia a carta." Ela diz, e ele desdobra o papel, imediatamente lendo o que está escrito em russo.

Vitya,

Me desculpe por não estar aí nesse momento para te procurar proteger do que está para acontecer. Meu nome é Yuuri Katsuki, sou um garoto que mora em uma cidade pequena no Japão e tenho apenas 8 anos de idade, no exato momento que esta carta chega em suas mãos. Você está vendo o cachorrinho de pelúcia preto? O nome dele é Yuuchan, e ele é meu presente de aniversário para você. Feliz aniversário, minha alma gêmea. Estarei fazendo o possível para ir vê-lo o mais rapidamente possível, então eu só posso pedir nesse momento que você espere por mim.

Meu querido Vitya. Me parte o coração não poder te ajudar, principalmente quando as coisas estiverem complicadas. Tudo o que eu posso fazer é oferecer a você algo para lhe dar conforto quando precisar chorar e para lhe lembrar de que você não está sozinho. Eu já estou ciente do que está acontecendo na sua casa, e peço que tente sair de lá o mais rápido possível. Eu não quero que você sofra mais nas mãos deles. Pegue as suas coisas mais importantes e vá para a mansão de Madame Baranoskaya. Não espere muito tempo, por favor.

Eu também peço que continue a patinar no gelo. Afinal, eu também sou um patinador rumo a categoria Júnior em alguns anos. E recomendo treinar bastante, pois quero ver seu nome listado nos recordes para que eu os quebre na minha vez. Talvez eu consiga patinar junto com você na categoria Júnior, mas as chances são poucas por causa da diferença de idade. Mas não se preocupe. Quando eu finalmente for para a categoria Sênior, eu irei certamente ser o melhor patinador do mundo. Agora… você vai permitir isso? Que eu tome de você seu sonho sem nenhuma dificuldade?

Eu não sei quando poderei mandar uma próxima carta, pois custo do envio do Japão para a Rússia é muito alto. Leve Yuuchan para suas competições e abrace ele após terminar suas apresentações. Eu o verei pela televisão em breve.

Boa sorte, Vitya. Até o dia em que nós finalmente poderemos nos encontrar. Ou quem sabe até o dia em que você me encontrará, onde menos esperar. Em breve, poderemos ser capazes de nos comunicarmos um com o outro facilmente, onde quer que estejamos. E tome cuidado. Nem sempre viver para o mundo é algo bom.

Nas fotos que eu te mandei, sou eu comemorando meus 5 anos de idade. Sabia que no Japão, existe um festival tradicional que celebra o ritual de passagem do Japão para meninas de três e sete anos e meninos de três e cinco anos de idade, chamado Shichi(7)-go(5)-san(3)?

Todo o momento eu penso em você e rezo para que esteja bem.

Com muito amor,

Yuuri Katsuki

Alguém que nasceu para te fazer feliz.

27/10/1997

Victor está chorando quando ele termina de ler a carta e imediatamente pega o poodle de pelúcia e o abraça.

"Victor? Qual é o problema?" Lília pergunta, franzindo a testa para ele.

Mas ele apenas balança a cabeça, agradece a ela e se prepara para sair do gelo e ir em direção aos armários.

"Vitya!! O que pensa que está fazendo…" Yakov Feltsman começa a gritar, mas se cala ao ver sua ex-esposa ali. "Lília?"

Ela o olha por um tempo, antes de dar as costas e sair de lá. Quando Yakov se aproxima dos armários e vê Victor chorando, ele não sabe o que fazer para acalmar alguém assim. Pelo menos o garoto consegue se acalmar sozinho.

Todo dia antes de dormir, Victor lê a carta de Yuuri. Mesmo que ela o diga para ele sair de casa, ele acha que tudo vai ser resolvido entre seus pais e eles vão ser felizes novamente. Mas quando ele acorda com um grito e barulho de coisas caindo e se que quebrando, ele entra em pânico.

"O que aconteceu…" Ele começa a perguntar, mas congela ao ver sua mãe no chão, perto de objetos quebrados e com a mão no rosto, olhando para o pai dele apavorada.

Apavorada porque ela está com a mão no rosto. Seu pai, que está de pé a olhando com muita raiva, ergue a mão fechada.

"Papa, pára!" Victor exclama, indo em direção às sua mãe.

Ao ouvir uma porta batendo com força, Victor percebe que seu pai não está mais presente ali. Sua mãe o abraça e começa a chorar.

"Mama, não acha que deveria se separar dele?" Victor pergunta, a olhando seriamente. "Eu tenho medo que ele volte a machucar a senhora."

"Mas e você, Vitenka?" Ela pergunta, preocupada.

"Eu estou começando a fazer meu dinheiro com a patinação artística. E Madame Lília pode me acolher até eu completar 18 anos de idade." Victor diz, desejando que o que o tal de Yuuri diz na carta seja realmente verdade.

"Entendo, então eu posso ir para a casa de meus pais sem precisar me preocupar com você. Que bom." Ela diz, com um sorriso triste no rosto.

Enquanto isso, Victor se vê respirando fundo, ignorando a dor que essa frase lhe causou em seu coração. De volta ao seu quarto, Victor agarra Yuuchan e se deita na cama com ele, chorando muito. Quando se acalma, ele pega sua mala e começa a colocar suas coisas nela. Faz o mesmo com uma mochila, colocando nela por último a carta e a foto de Yuuri e seus patins.

Não é nem 6h da manhã quando Victor Nikiforov bate na porta de Madame Baranoskaya, abraçando o filhote de pelúcia. Quando um dos mordomos abre a porta, ele começa ficar com medo de que ela não o aceite em sua casa.

"Bom dia, Senhor Nikiforov. Seu quarto já o espera." O mordomo diz, o fazendo arregalar os olhos.

Victor se vê surpreso com aquilo. Ela sabia que ele precisaria de ajuda. O que poderia significar que Yuuri pediu para ela. Yuuri, seu bobo.

~x~

Quando Victor se encontra com Allisson Mitchell, a última coisa que ele esperava era encontrar fotos de um certo menino japonês de cabelos negros bagunçados, grandes olhos castanhos e com o mesmo sorriso que o de suas fotos. Ele olha maravilhado para as fotos do menino patinando no gelo, usando roupas que parecem ser da estilista americana. Não pode ser…

"Ele é fofo, não é?" A mulher chamada Alisson pergunta, sorrindo ao olhar dele para as fotos. "Esse menino é incrível. Eu estava no Japão, tendo uma crise profissional e esse menino surge do nada, se senta ao meu lado e começa a conversar comigo em Inglês. Foi ele quem sugeriu que eu passe a trabalhar para a patinação artística, acredita? Dizendo que seria um patinador internacional e que esse é o futuro dele."

Ela dá risada, e ergue a mão para o desenho pregado junto com as fotos. O desenho de uma roupa preta com malha do lado direito, pedras e uma meia-saia.

"Ele desenhou essas lâminas. Foi então que eu percebi que eu estava me focando na área errada." Ela diz, o vendo olhar para o desenho com surpresa.

"Eu encontrei." Ele diz, erguendo a mão e deslizando seus dedos no desenho da roupa. "Eu quero que me faça esta roupa. Por favor."

"É claro." Ela diz, retirando o desenho e escrevendo o nome Victor Nikiforov nele.

~x~

Em Sofia, Victor abraça o poodle de pelúcia, se perguntando se Yuuri o assistiu dar o seu melhor. Finalmente ele está fazendo progresso. Naquele mesmo ano, ele adora um filhote, que o chama de Makkachin.

~x~

O tempo passa e como ele surge algo muito interessante: a internet. Victor não perde tempo e se cadastra em sites como o Hotmail, desejando ter como entrar em contato com Yuuri, que lhe envia cartas sempre no final do ano, perto de seu aniversário, contendo novidades da vida dele e mais fotos dele, da família dele e dos cachorrinhos, que Victor se apaixona imediatamente.

Quando ele recebe uma mensagem no MSN, de uma conta chamada ~ Yuuri Katsuki ~ contendo uma foto do menino, ele se anima e logo o adiciona.

~x~

Quando a notícia de que um estrangeiro ia participar do acampamento de Yakov, Victor acha que é alguém de um país vizinho. Mas quando rumores de que ele é um menino japonês e que consegue apresentar um programa que rivaliza o seu, aí sim ele fica curioso. Mas naquele dia, um patinador mais velho decide implicar muito com Victor, o chamado de gay, de garoto afeminado e dizendo que ele é uma desgraça para a Rússia. Victor o ignora, mas se apavora quando vê o homem carregando um par de tesouras e agarra seu cabelo.

"Não, me solta!" Ele diz, se debatendo.

"Cala a boca! Eu…" O homem começa a dizer, mas é interrompido quando sente algo frio e pontudo em seu pescoço.

"Eu, se fosse você, soltava ele e a tesoura." Ele escuta e finalmente percebe que um sapato de patinação está ao lado dele e congela, pois isso significa que o que está tocando em seu pescoço é a lâmina dele. "Você é surdo, por acaso?"

Quando sente seus cabelos serem soltos e a tesoura cair no chão, Victor finalmente percebe o que está acontecendo. E arregala os olhos ao ver quem foi que o salvou. Um jovem de longos cabelos negros presos em um rabo de cavalo, olhos castanhos e aparência asiática.

"Yuuri?" Ele pergunta, não acreditando que está vendo ele em carne e osso.

Yuuri é real.

"Agora, eu me lembro de ter ouvido técnico Feltsman procurando por Victor. Imagina como ele reagiria se o visse cortando os cabelos de uma das maiores esperanças da Rússia de vencer nas próximas olimpíadas? Eu diria que você seria banido do esporte pela FFKK, que você iria preso por agressão e que seria condenado a pagar indenização. Uau, imagino como sua família reagiria a isso." Yuuri diz friamente para o homem, que fica cada vez mais pálido. "Suma daqui, antes que eu mude de idéia e decida te matar aqui mesmo."

E quando Yuuri afasta o sapato do pescoço dele, o homem começa a correr para o lado de fora. Respirando fundo, o adolescente olha para Victor e sorri.

"Desculpa a demora, Vitya." Ele diz e Victor o abraça, chorando silenciosamente. "Está tudo bem agora. Não se preocupe. Eu estou aqui."

"Não ouse usar esses programas." Yuuri diz, olhando para Victor seriamente.

"Finalmente alguém concorda comigo!" Yakov exclama, levando a mão direita na cabeça. "Vitya, pelo amor de deus, escute Katsuki."

"Não." Victor diz, cruzando os braços e fazendo bico.

"Vitya, você pode ser bom na parte técnica, mas você não vai ganhar pontos o suficiente na parte de interpretação." Yuuri diz, soltando um suspiro.

"Mas… mas… as pessoas querem ver meu lado masculino!" Victor exclama, frustrado.

"E o que você realmente quer?" Yuuri pergunta, o olhando seriamente.

"Eu quero isso." Victor desvia o olhar dele, com medo.

"Então marque minhas palavras. Você não vai nem chegar à final do Grand Prix com esses programas." Yuuri então se afasta, deslizando no gelo.

"Yuuri! Não me amaldiçoe desse jeito! Você não disse que era meu fã?!" Victor exclama, mas Yuuri apenas dá de ombros, se dirigindo até meio do ringue.

Victor e Yakov o assistem performar o programa 'The Lilac Fairy', chocados com a precisão que ele tem. Seja na parte técnica, ou na apresentação. Ambos percebem que, apesar de não ter som nenhum, eles conseguem sentir a música que sai do garoto. Victor se vê encantado com o talento e surpreso por ele conseguir realizar perfeitamente um programa dele sem muito esforço.

Oh, merda. Quando ele for competir na categoria sênior, ele vai ser alguém temido pelos outros competidores. E isso deixa Victor bastante excitado.

Treinar com Yuuri. Passear com Yuuri e os cachorros. Comer com Yuuri. Dormir… no quarto ao lado de Yuuri(embora ele tenha seu próprio apartamento) na casa de Lília. Conversar com Yuuri. Assistir Yuuri treinando balé sob a tutoria de Minako e Lília, que está com um sorriso misterioso no rosto. Conversar com a família de Yuuri pelo computador.

Victor se vê tendo seus dias tomados pelo garoto e percebe que isso lhe faz feliz. Mas o acampamento chega ao fim e Yuuri precisa voltar para o Japão. Ele o abraça, não querendo que ele vá embora.

"Eu também não quero ir, mas eu preciso me preparar para essa temporada. Além disso, temos MSN e um programa legal que vai ser lançado em breve chamado Skype, que permite fazer chamadas a vídeo pela internet. Eu sei que vai ser difícil, mas eu prometo a você mandar mensagens todo dia."

"Yuuri, eu vou sentir sua falta!" Victor exclama, se afastando de Yuuri.

Mas congela ao ver ele sorrir e aproximar o rosto, lhe dando um beijo na bochecha.

"Não se esqueça, Vitya. Mesmo distante, meu coração e minha alma estão conectados à você." Ele diz, sorrindo. "Espere por mim para chutar sua bunda na categoria sênior."

"Yuuri!!!" Victor exclama, horrorizado.

Rindo alto, Yuuri e Minako entram no carro cedido por Lília, que os leva para o aeroporto.

~x~

Como Yuuri previu, Victor não conseguiu ir para a final. Ele fica com raiva por dias, até Yuuri dizer que irá fazer uma coreografia para ele. Mas o demônio o obriga a obedecer Yakov em troca de não divulgar seu segredo mais íntimo.

"O que diabos está acontecendo com você?" Yakov pergunta ao ver ele comportado e obediente.

"Yuuri me obrigou a te obedecer." Victor responde, fazendo bico e cruzando os braços.

Yakov o olha com surpresa por um momento antes de cair na gargalhada.

"Deus abençoe aquele menino!" Ele exclama.

Victor o olha em choque, não esperando aquilo de seu técnico.



Notas finais do capítulo

1 - Sobre o Shichi-go-san do Yuuri... Pois é, eu havia esquecido na hora de escrever a fic. Mas então eu pensei que seria legal se Victor recebesse fotos dele pequeno e eu me lembrei sobre o rito de passagem. E deu nisso :3

2 - O que acharam do que Yuuri fez no acampamento? Na minha cabeça, foi nesse acampamento que Victor teve seus cabelos cortados e o patinador em questão perdeu tudo logo depois por causa de Yakov e o FFKK.



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Yuu-kun’s Life Journal" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.