Senhor Katsuki, Nosso Tutor escrita por Haruyuki


Capítulo 2
Capítulo 2


Notas iniciais do capítulo

Data de aniversário de Mila não é canônico.



Voltando para o castelo, nós vemos Lorde Feltsman decidido não perder muito tempo e tirar satisfação com o velho tutor.

“Senhor Katsuki.” Ele diz, atraindo a atenção do velho homem. “Gostaria de dizer que estou decepcionado com o senhor em me culpar pelos modos como meus filhos se comportam.”

“Lorde Feltsman, poderia me responder quais são as idades e as datas de aniversário de seus filhos?” Senhor Katsuki pede com um sorriso triste no rosto.

“É claro!” Lorde Feltsman responde, franzindo a testa. “Victor tem 16 anos e faz aniversário dia 24 de Dezembro. Georgi tem 15 e faz dia 25 do mesmo mês. Mila…”

“Meu Lorde.” Madame Baranoskaya o interrompe.” Queira perdoar minha indelicadeza, mas o Jovem Mestre Victor está com 17 anos e faz aniversário dia 25. Jovem Mestre Georgi é quem tem 16 e faz no dia 24. A Jovem Dama Mila faz aniversário dia 31 de Janeiro e está com 14 anos e Jovem Mestre Yuri faz aniversário dia primeiro de Março e está com 12 anos.”

Lorde Yakov Feltsman olha para ela com surpresa, antes de olhar de volta para o velho tutor que leva as mãos para frente e as apóia em seu guarda-chuva.

“Pelo que estou vendo, não são apenas seus filhos que precisam de lições.” Senhor Katsuki comenta, o olhando seriamente. “Mas isso será algo para depois. Primeiro eu gostaria de me estabelecer em um quarto e depois do almoço, se não for incômodo, poderia me guiar pelo castelo?”

“Espera um minuto! Por que você está agindo como se eu já o tivesse contratado?” Lorde Feltsman pergunta, surpreso com o velho homem à sua frente.

“Meu Lorde, o senhor desejou minha ajuda, então aqui estou para isso. Se o problema for meu salário, não precisa se preocupar, no início eu desejo apenas um quarto, comida e descanso enquanto as crianças estão na escola. Eu mesmo cuidarei de minhas coisas e o resto irei receber quando o senhor é seus filhos não precisarem mais de mim.” Senhor Katsuki diz, voltando a ter um sorriso no rosto.

“Faça como quiser.” O Lorde diz, se afastando deles.

“Senhor Katsuki, queira me acompanhar por favor.” Madame Baranoskaya diz, pegando a mala dele e percebendo que ela não está pesando nada.

O velho homem a acompanha até um corredor com diversas portas fechadas. Ele percebe que a decoração do castelo é vazia, triste e só estão bem cuidadas por causa da Madame, que para de andar ao chegar em uma porta acinzentada no meio do corredor.

“Este é um quarto para hóspedes. Nele, há um banheiro e uma pequena varanda. Eu preciso agora lavar e passar roupa e cuidar da louça do café da manhã. Depois do almoço, eu cuido da limpeza do Castelo, começando pelos aposentos das crianças e de Lorde Feltsman.” Ela o informa, sorrindo timidamente.

“Eu entendo. Eu fico impressionado com sua dedicação a esta família.” Ele comenta, a fazendo ficar embaraçada. “Madame, existe algum problema em ter animais de estimação por aqui?”

“Não que eu saiba. Acredito que Lady Alexya chegou a ter um cachorro antes de falecer.” Ela responde, surpreso com a pergunta dele.

“Hm. Interessante.”

“Senhor Katsuki?” Ela pergunta, o olhando seriamente.

“Sim?” Ele a olha com um sorriso peculiar no rosto.

“Queira me perdoar com minhas indagações sem delicadeza, mas por acaso o senhor é o 'Bruxo Amaldiçoado’?” Ela pergunta, notando que o lábio dele tremer com a menção do nome.

“Posso ser, como também posso não ser. Afinal o 'Bruxo Amaldiçoado’ é apenas um nome inventado pelas pessoas para justificar um erro que cometeram no passado. “Se eu realmente fosse ter um nome assim, seria 'O Garoto Amaldiçoado.’

“Mas…” Madame Baranoskaya diz, surpresa. “Então você é mesmo…?”

Ele apenas leva o dedo indicador direito aos lábios, pedindo para ela fazer silêncio. Ela afirma com a cabeça, séria.

“Agora, você tem mais uma pergunta para mim?” Ele pergunta, inclinando o rosto para ela.

“O senhor falou de lições para Lorde Feltsman e os filhos dele. Eu também irei precisar?” Ela pergunta, timidamente.

“Talvez, Madame Baranoskaya. Isso vai depender muito do que o seu destino lhe reserva.” Senhor Katsuki diz, se sentando na poltrona.

“Entendo. Vou lhe deixar a sós para que tenha um bom descanso pelo resto da manhã, Senhor Katsuki. Retornarei para lhe informar sobre o almoço em breve.” A empregada se curva para ele, que se curva para ela também.

Quando ela o deixa a sós, ele novamente passa a observar o quarto. Paredes e tetos cinza, sem nenhuma decoração. Uma cama de casal simples com lençóis também cinza, uma escrivaninha e um guarda-roupa pretos, fazendo o velho franzir a testa.

“Tsk. Que quarto mais sem graça.” Ele comenta, rispidamente. “Não concorda comigo, Vicchan?”

Ele dá risada ao ver sua mala, que está deitada em cima da cama, começar a se tremer até finalmente se destacar e se abrir sozinha. E então, dela sai a cabeça… de um Mini Poodle?

Yuuchan, Ohayo!

“Ohayo, Vicchan. Nós já estamos no meu novo cliente.” Senhor Katsuki diz, se encostando na poltrona que está sentada.

Oh? Já estou percebendo que essa casa possui uma energia muito pesada. Ugh! Meu rabinho está todo arrepiado. Yuuchan, Yuuchan! Me deixa dar uma colorida nesse quarto? Ele tá muito depressivo para o meu gosto.

“O que você tem em mente?”

Parede azul clara! Teto branco! Piso de mármore branco! Quadros na parede! Vasos de flores e retratos da escrivaninha. Roupas, calçados, lençóis e colchões no guarda roupa! Estante de livros de Yuuchan ao lado da poltrona! Cortinas de seda nas janelas! Mesa para chá da tarde e oh! Espaço de Vicchan também e… Hmm… isso é tudo?

Senhor Katsuki observa dando risadas seu filhote decorar o quarto como bem entender. Ele não se importa, afinal Vicchan faz parte de sua alma e por isso é capaz de usar sua magia como quiser. É claro que ele é um bom filhote e não exagera muito na hora de usar.

Terminei!!! Yuuchan, Yuuchan! Eu Não sou demais?

“Sim, Vicchan. Você é o melhor companheiro que eu poderia ter nesse momento.” Senhor Katsuki diz, com um sorriso triste no rosto.

Yuuchan, Yuuchan!! Não se preocupe. Tenho certeza que um dia você conseguirá quebrar a maldição e eu prometo para você que até lá, você não vai ficar sozinho.

“Arigato, Vicchan.” O velho tutor diz, se levantando da poltrona e indo até a cama, se jogando nela. “Agora me deixe descansar. Você abusou da minha magia de novo.”

Nah. Pode parar de reclamar que eu sei que você adora tudo o que eu faço. Mas deixa para lá. Vou tirar uma soneca também. Oyasumi.

“Oyasumi.”

~x~

Madame Baranoskaya se aproxima do quarto para avisar Senhor Katsuki que o almoço está pronto. Ela bate na porta duas vezes e coloca as mãos para trás.

“Entre, por favor.” Ela escuta e, pedindo licença, abre a porta do quarto e se assusta com o que vê.

“Ai meu deus!” Ela exclama, não esperando ver aquele quarto tão aconchegante, diferente dos outros cômodos frios do castelo. “Como? Ontem mesmo ele estava…”

Ela olha para o velho tutor, que se levanta com uma facilidade peculiar para alguém da idade dele.

“Já é hora do almoço, Madame?” Ele pergunta, acariciando o pêlo do pequeno poodle que a olha por um tempo, antes de fechar os olhos e voltar a dormir.

“Sim.” Ela responde, recebendo uma afirmação de cabeça dele.

“Entendido. Irei me lavar e imediatamente irei me juntar a mesa.” Senhor Katsuki diz, sorrindo para ela, que se curva para ele e se retira do quarto, fechando a porta.

Ela pisca diversas vezes, olhando para as paredes cinzentas do corredor. Ela olha de volta para a porta do quarto que acabou de sair e abre um largo sorriso. A partir de agora, as coisas ficarão muito interessantes…

Os quatro filhos de Lorde Feltsman chegam da escola e imediatamente vão atrás do velho, que acaba de chegar na sala de jantar. Diferente de antes, ele agora está usando uma camisa vermelha de manga curta e seus cabelos negros estão úmidos.

“Resolva isso.” Yuri diz, mostrando as mãos com 8 dentes dele.

“Por favor.” Senhor Katsuki diz, o olhando com um sorriso no rosto.

“O quê?!” O menino pergunta, ficando furioso.

“Diga por favor.” O tutor diz, o fazendo franzir a testa.

“Tudo bem.” O menino olha para ele e para os irmãos, engolindo em seco. “Por favor.”

De repente, um dos dentes da mão do menino some e as quatro crianças arregalam os olhos.

“Puta merda, o dente voltou!” Ele exclama e se assusta ao se ver cospindo novamente um dente.

“A cada vez que você xingar, um dente cai e a cada vez que você fala algo com educação, um dente caído some e reaparece na sua boca.” Senhor Katsuki explica, inclinando o rosto e o olhando com um sorriso. “Por favor, com licença, me desculpe, muito obrigado.”

Yuri, voltando a ficar com a testa franzida, repete o que ele disse e vê que quatro dos 8 dentes sumiram e voltaram para sua boca. Ele fala de novo, fazendo o resto também voltar.

“Porra!” Ele exclama, contente até ter que cuspir um dente. “Me desculpe.”

O dente some e ele volta a olhar para os irmãos com um sorriso tímido no rosto, embaraçado. Os 3 o abraçam, contentes por ele estar aprendendo a ser mais educado. Madame Baranoskaya aparece e serve o almoço, recebendo agradecimentos do Senhor Katsuki e das crianças, exceto Yuri.

“Após o almoço, vocês têm uma hora para arrumarem seus quartos.” O velho tutor os relembra, sendo olhando com surpresa por todo mundo. “Por enquanto, Madame Baranoskaya irá me ajudar a conhecer melhor este castelo e se os quartos de vocês não estiverem arrumados apropriadamente, vocês não terão lanche para acompanhar as tarefas de casa da escola.”

“O que?! Você não pode fazer isso!”

“Mas… se tudo estiver em ordem, eu mesmo providenciarei lanches especiais para vocês.”

“Que tipo de lanche?” Mila pergunta, com os olhos brilhando.

“É para ser surpresa mas vou dar uma dica para os deixar animados.” Senhor Katsuki diz, dando risada das expressões animadas deles. “Chocolate.”

Madame Baranoskaya o olha com surpresa, pois nao esperava que ele soubesse que os quatro adoram chocolate. Mas o que mais a deixa impressionada é o fato de que eles terminam de comer e ao invés de irem brincar, vão direto para os quartos.

“Vamos começar, Madame?” O velho tutor pergunta, terminado sua refeição e se levantando da mesa.

“É claro, Senhor Katsuki.” Ela responde, recolhendo a louça junto com ele e levando tudo para a pia da cozinha antes de voltarem para sala e desabotoar seu avental. “Siga-me.”

Em silêncio, o velho homem é guiado pelos cômodos principais do castelo. Sala de jantar, sala de estar, entrada, cozinha, lavanderia, depósito, quarto dela, corredores, escritório de Lorde Feltsman, biblioteca, sala de estudos das crianças, sala de jogos das crianças, quintal, jardins,...

Senhor Katsuki lamenta ao perceber o estado que o castelo se encontra ao ver pedaços da parede e do teto se desmanchando.. Não por culpa da Madame, mas sim da magia que envolve o lugar. Ou melhor, da falta da magia. Ele sabe que se não for rápido o suficiente, é capaz daquelas crianças, o pai delas e Madame Baranoskaya percam o lar deles. Fechando as mãos com força e as escondendo dela, ele respira fundo e decide que não irá permitir que isso aconteça.

Nem que ele tenha que me sacrificar por isso…

E então, ambos chegam ao corredor que dá para os quartos.

“Aquela porta, lá no fundo do corredor, é o quarto do Lorde Feltsman. A primeira porta à direita antes da dele pertence ao jovem mestre Victor e a porta do outro lado pertence ao jovem mestre Yuri. Do lado esquerdo, a porta mais ao fundo pertence a jovem mestra Mila e ao lado, é a porta do quarto do jovem mestre Georgi.” Madame Baranoskaya diz, apontando com a mão direita cada as portas indicadas por ela. “Essas outras portas aqui pertinho são quartos de hóspedes vazios, o quarto em que o senhor se encontra hospedado e o quarto proibido.”

“Quarto proibido?” Senhor Katsuki pergunta, franzindo a testa.

“Nem eu, nem as crianças e com certeza nem o senhor tem permissão de entrar neste quarto. É onde Lorde Feltsman trancou todos os pertences de sua falecida esposa, Lady Alexya.” A empregada explica com uma expressão peculiar no rosto.

“Eu entendo.” Senhor Katsuki diz, a olhando curiosamente com o rosto inclinado. “Agora, as crianças.”

Madame Baranoskaya percebe que faz uma hora que eles começaram o tour pelo castelo e se surpreende com isso. Senhor Katsuki ergue a mão e com um rápido movimento, as quatro portas que a Madame apontou serem das crianças se abrem lentamente, as assustando.

“A Madame primeiro, por favor.” Ele diz, a olhando com um sorriso no rosto.

Eles entram no primeiro quarto, que pertence a Georgi, olhando em volta. Eles entram no de Mila, e depois no Victor, finalizando com o de Yuri.

“Eles trabalharam duro.” Madame Baranoskaya diz, se virando para o velho tutor. “Senhor Katsuki?”

“Meus parabéns, vocês quatro. Jovem Mestre Victor, acredito que logo está na hora de seu emprego, não é? Se você tiver dúvidas sobre suas tarefas da escola, eu posso lhe ajudar depois do jantar.” Ele diz, olhando com um sorriso no rosto para o adolescente de longos cabelos prateados primeiro.

“Sim, eu já estava planejando me arrumar.” Victor responde, o olhando com surpresa.

“Vá com cuidado.” Senhor Katsuki diz, voltando a olhar para ele.

“Eu terei.” Victor olha então para seu irmão mais novo, que se coloca na frente da empregada.

“Madame Baranoskaya. Muito obrigada por cuidar de nós.” Yuri diz, com o rosto muito vermelho.

“É um enorme prazer poder cuidar de vocês.” Ela diz emocionada, se abaixando e o abraçando. “Como eu nunca tive filhos, eu considero vocês como se fossem meus.”

“Lição Número 1: Aprender a dar valor ao que tem foi concluída com sucesso.” Senhor Katsuki os informa com um uma expressão de orgulho no rosto. “Jovem Mestre Yuri, Jovem Mestre Georgi, Jovem Dama Mila, peguem seus livros e cadernos e me encontrem na sala de estudos. Após as tarefas de casa, vocês três terão sua recompensa. Jovem Mestre Victor, antes de sair, dê uma passada na cozinha para pegar a sua porção e levar para comer no seu trabalho.”

“Eu irei sim. Muito obrigado, Senhor Katsuki.”

Quando as crianças descobriram tigelas de mousse de chocolate lhes sendo servidas após as lições, eles agradecem o velho tutor e devoram tudo em segundos, gritando 'Vkusno!’ Senhor Katsuki dá uma risada triste, se sentindo aliviado que os 3 estão animados demais para perceber isso e o fato aldeia que certos traços de idade desaparecem de seu rosto, o tornando… mais novo?

...

'Vkusno’. Exatamente como você fez naquele dia, Anata…





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Senhor Katsuki, Nosso Tutor" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.