I Will Never Give Up On You escrita por JTLYNCH


Capítulo 53
Desilusão




POV PEETA

MESES DEPOIS....

Saio da sala de aula

Ouço alguém chamar meu nome, me viro e Ashley  vem ate mim sorrindo e quase sorrio.

—peeta-diz ofegante.

—o que foi?

—acredita que consegui entrar no grupo de lideres!

—nossa! Parabéns!

—obrigada. Eu to muito feliz mais...

—o que?

—só que é ruim uma coisa, mais deixa.

—pode dizer

—não, você vai pensar coisas.

—não vou. Pode dizer-afirmo, ela suspira e morde o lábio me fazendo ficar meio rígido.

 Desvio a visão, quando ela cruza os braços, fazendo seus seios levantarem e trinco os dentes.

—não vou poder fazer as lições de casa.

—você pode fazer no fim de semana-sugiro, não a olhando.

—são os jogos, mas você não tem nada haver com isso-diz e penso.

—eu posso fazer se quiser

—faria isso por mim?-questiona e olho.

—sim-digo, ela sorri, me da um beijo na bochecha, me deixando totalmente surpreso e em choque.

—muito obrigada peeta. Você é incrível?-diz e concordo –tenho que ir.

—ta-digo, ela sai e fico parado um tempo.

 Saio andando e paro um pouco.

Nossa! Acabei de beijar uma garota, ou melhor, ela me beijou, então foi porque quis.

Não acredito nisso!

Sinto meu coração ficar bem rápido, já pensando em muitas coisas que me deixam confuso.

Vou pra casa, me tranco no quarto e ouço um barulho. Pego meu celular vendo uma mensagem dela

‘’obrigada pela ajuda peeta, só preciso dos trabalhos de português e de historia. Você é incrível! bjjs’’

É a primeira vez que recebo algo assim, me sinto estranho, não senti algo assim antes, acho que é diferente.

Pego minhas coisas e começo a fazer o trabalho, se ela esta contando comigo eu não vou desapontar.

\\\\\\\\\\ \\ \\\\\\\\\\

Fico olhando pra rosa em meu armário e fico acelerado

 Já faz muito tempo que faço o trabalho da Ashley , nos tornamos mais próximos, uma vez ela ate me deu um abraço eu me senti um máximo.

Prim ficou me falando muitas coisas, que ela gosta de mim e eu tentei muito dizer que não, mas não consegui evitar. Não tenho certeza do que sinto, só fico nervoso, como quando vou levar uma surra forte.

 Gosto de ficar perto dela e ela não me odeia o que é um progresso.

Estamos no final do ano e em véspera do baile, já tenho dois ingressos e uma rosa pra convida-la; estou nervoso, não sei o que vai acontecer.

E se ela disser não?

 Acho que vou ficar mais nervoso.

—Respiro fundo-

 Tranco a porta do armário, vou pra aula e fico esperando ela entrar, ate que a vejo e fico agitado.

—oi peeta

—oi-digo e ela se senta na fileira ao meu lado.

 Minha ansiedade aumenta demais, pensando em mil maneiras de como chama-la para o baile.

Quando ela pede pra sair vejo a oportunidade perfeita, não vai ter ninguém lá fora .

Peço pra sair também

Corro ate meu armário, apanho a rosa e me direciono á porta do banheiro, escondendo a rosa e espero, mas ela não aparece e acho que vai demorar. Desisto, voltando pra sala, quando ouço um barulho e o sigo.

 O barulho vem de uma parte escondida da escola ao lado da quadra, ouço risadas e olho escondido e tenho uma visão que me deixa totalmente furioso;

 Ashley se agarrando com um jogador de futebol.

Fico parado pensando em como fui idiota.

 Claro que ela estava me usando todo esse tempo pra fazer as lições dela!

Como sou estupido!

Jogo a rosa e os ingressos fora, volto pra sala e olho pra minha mesa sentindo um ódio enorme. Quando a aula acaba ela ainda não voltou, pego seu caderno, arranco as paginas que são pra nota e todos os trabalhos que fiz.

 Jogo na minha mochila e saio da escola.

Nunca mais vou confiar em uma garota de novo.

\\\\\\\\\\\ \\ \\\\\\\\\

TEMPO DEPOIS......

—Foi isso classe, dispensados-diz o professor, levanto, pegando minha mochila e saio da sala.

E lá estão eles me esperando.

Por quê? De todas as faculdades do mundo eles tinham que estar aqui?! Porque eu tenho que sofrer todos os dias da minha vida?!

—gordo, gordo–diz e ando pra fora.

 Eles me seguem falando coisas em meu ouvido pra me irritar

Ando ate meu carro, mas não antes deles roubarem minha mochila e começarem a jogar de um lado pro outro; tento pegar desesperadamente mais eles não deixam e jogam no lixo.

 Espero ate saírem rindo, pego, conferindo se meu computador esta inteiro.

— suspiro-

Achei que ganhar peso me faria ser menos zoado e ao contrario disso nada mudou, continuo sendo o mesmo garoto idiota, acho que isso não vai mudar; mas continuo com o mesmo pensamento.

Alguma hora a faculdade acaba.

\\\\\\\\\\\ \\ \\\\\\\\\

—volte sempre-digo, entregando o bolo ao senhor que me agradece.

—esse foi o ultimo?

—sim-digo tirando meu avental.

—peeta preciso que feche, tenho muita coisa pra fazer e eu não queria te meter nisso, mas eu não tenho nin..-diz e pego as chaves.

—tudo bem

—obrigado peeta. Eu pediria pra algum dos outros, mas é domingo, os adolescentes gostam de festar e você é o único com quem posso contar.

—ta, tudo bem-digo, ele concorda e sai se despedindo.

Limpo a cozinha, lavando a louça e limpando o balcão.

Tiro o lixo, apago as luzes e com tudo pronto pego minha mochila;

 Como dois doces, amo muito! Isso me faz ter muitas espinhas no rosto e ser tão gordo, mas eu não consigo parar. Apanho um cupcake de chocolate, saio da loja, tranco bem e admiro de fora.

Sempre vou amar ver meu trabalho

 Algum dia vai ser um prédio enorme ou um apartamento, onde vou morar sozinho; já planejei bem isso.

Vou para o carro, dirijo ate minha casa e quando chego falo oi pros meus pais.

—oi querido. Como foi o trabalho?

—bom

—não devia trabalhar a semana toda

—eu tenho que pagar a faculdade

—não se matando

—pai, eu não quero discutir. Estou exausto!

—tudo bem

—vai comer querido-diz e concordo

 Vou pra cozinha, pego a comida e já ouço os passos de prim.

—peeta-diz animada

 Rio

 Pego a caixa escondendo atrás de mim

—adivinha?

—cookie?

—não

—croissants?

—não-digo, ela pensa e rio da sua cara.

—cupcake

—acertou-digo lhe entregando e ela beija minha bochecha.

—obrigada peeta!

—tudo bem prim-digo pegando minha comida e começando a comer enquanto vejo ela se lambuzar.

Termino de comer, lavo a louça e desejo boa noite indo pro quarto; deito na cama, já dormindo.

 Terei um longo dia amanha.



Notas finais do capítulo



—JT.



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "I Will Never Give Up On You" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.