I Will Never Give Up On You escrita por JTLYNCH


Capítulo 46
Escolha




Continuo a olhar pra janela, é a única coisa que faço agora.

 Hoje é um dia importante, vamos ver como o bebe está, se está vivo, o que me deixa preocupada mais sei que ele esta, eu sinto isso.

A enfermeira logo chega com uma maquina de ultrassom.

—hoje é um dia importante-diz vindo ate mim. Pisco duas vezes, que quer dizer sim e uma pra não -bom, tenho certeza que ele esta bem. Só vamos conferir.

Ela liga a maquina, tranca a porta e vem ao meu lado, sobe minha roupa expondo vários machucados e gessos. Tira o apoio da minha barriga, passa um gel e a maquininha.

Engulo minha saliva, pronta pra saber em como ele esta, de resposta acabo ganhando a melhor surpresa  e começo a chorar.

—são os batimentos katniss! Esta ouvindo?-questiona, pisco duas vezes e acabo sorrindo sem dentes –estão bem acelerados, ele é forte!-diz e choro mais vendo a imagem dele na tela.

É tão perfeito!

—fico feliz que não tenha desistido. Agora você já esta de dois meses e meio, logo ira completar três-diz, comprimo os lábios chorando e ela vem secar minhas lagrimas-ainda não quer contar pra sua mãe? Talvez assim ela volte de novo

 Pisco uma vez

—bom, é sua decisão mais não quero que fique isolada, esta depressiva! Seu bebe sabe disso. Precisa ficar feliz e animada por ele. Quem sabe conversar com suas amigas, bom, por piscadas-diz sorrindo.

 Pisco uma vez

—ou podíamos, não sei brincar de alguma coisa. O que acha?-questiona.

 Pisco uma vez

 Ela suspira

—volto pra te ver em meia hora-diz levantando, coloca meu protetor, arruma minha roupa e sai com á maquina.

 Volto a encarar a janela.

Eu sabia que meu bebe estava bem, sempre soube que ele era forte, assim como peeta.

Mordo o lábio pra não chorar. É só isso que faço chorar, não consigo parar.

A enfermeira é a única que me visita além do medico. Aquela visita de minha mãe e gale, foi a primeira e única, eles nunca voltaram; nem mais ninguém e não posso culpa-los por isso.

A única pessoa que penso é peeta

 Será que ele sabe?

 Se souber, por que ele não veio me ver?

 Achei que ele me amasse. Talvez eu tenha estragado tudo pra sempre e ele nunca mais vá me perdoar.

Tento e mesmo assim volto a chorar sem parar. Só de pensar que nunca mais ele será meu, me faz sentir a pior dor do mundo.

 Eu não quero perde-lo, mas não posso fazer nada agora e talvez nunca possa; porque se ele não vier, eu também não posso ir.

Pelo menos estou mantendo nosso amor vivo, nosso bebe.

 Não sei onde peeta está, mas sei que ele ama esse bebe e vai voltar pra busca-lo; essa vai ser a minha chance, a única que tenho pra fazê-lo me amar de novo, o que vai ser bem difícil porque não tem como ele me amar.

Estou um lixo!

Não posso mais me mexer, andar, muito menos falar e nem ao menos beija-lo sem ajuda. Estou quebrada totalmente, por dentro e fora. Todos me odeiam, eu sei disso mais meu bebe não, e se ele vive dentro de mim e me escolheu não vou desaponta-lo.

\\\\\\\\\\ \\\\\    \\\\\\\\\

Acordo, olho pro lado, vendo a enfermeira e ela sorri pra mim.

—que bom que acordou! O doutor tem boas noticias-diz e fico um pouco animada e ele chega.

—bom dia katniss! ótimo estar acordada, tenho noticias-diz e respiro fundo-você esta bem o suficiente pra fazer uma cirurgia –diz e ainda fico parada-bom, eu vejo que não esta feliz. Então vou ser mais exato, se você quiser iremos realizar uma cirurgia pra tentar recuperar seus movimentos. O que acha?

—é incrível katniss, a porcentagem de dar certo é de 50 por cento-diz, olho pra baixo pra minha barriga e ele assente.

—não vai ser prejudicial para o bebe, vamos ter cuidado com isso pra não acontecer nada. É uma cirurgia delicada, vamos testar a primeira vez ate dar certo. Mais quero que você pense, não precisa fazer se não quiser, os riscos são ruins, como perda total dos movimentos, é claro que seria uma das alternativas. Eu acho que é o melhor pra você katniss.

—sim katniss, assim você poderia voltar a andar e cuidar do seu bebe-diz, eles me encaram e fico pensando.

—vou te dar um tempo ate amanha de manha, se estiver de acordo me diga pra preparar a sala de cirurgia, aqui as coisas não são tão fáceis-diz e sai.

—me conte amanha-diz a enfermeira saindo.

Fico refletindo sobre a oportunidade, claro que não tenho muito a perder. Afinal, já não tenho quase nada, a única coisa que me importa é meu bebe e se ele vai ficar bem. O doutor disse que irão tomar cuidados, mais não é certo que essa cirurgia vai  ser um sucesso os erros sempre podem acontecer e não quero perder meu bebe.

Sei que podem acontecer muitas coisas, como perder muito sangue; o bebe não reagir ou eu não reagir; é muito a se jogar.

Não sei o que fazer

Acho que vou fazer o que é certo para o bebe e ficar assim ate ele nascer.

Mais como vou cuidar dele?

Ele não tem ninguém além de mim e peeta, que vai voltar apenas quando ele já estiver nascido.

Não faço ideia do que fazer

 Não quero que meu bebe sofra, as chances são meio a meio e eu estou sob pressão mais com isso me vem outra coisa.

Quando meu bebe nascer não vou poder segura-lo; muito menos amamenta-lo; o abraçar; o colocar pra dormir e nem acariciar seu rosto; vou apenas ficar olhando as pessoas fazerem isso por mim. Só de saber que não vou poder abraçar meu bebe já faz lagrimas descerem por meu rosto.

O que vou fazer?!



Notas finais do capítulo



—JT.



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "I Will Never Give Up On You" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.