I Will Never Give Up On You escrita por JTLYNCH


Capítulo 33
Carona


Notas iniciais do capítulo

OI GENTE, CAPÍTULOS DE HOJE......



Peeta acelera o carro.

 Já estou com meu coração saltando e não sinto meu corpo.

—katniss! –diz prim, mais não consigo me mexer -ela não esta se mexendo!

—deve estar em choque-diz peeta ainda correndo com o carro, consegue entrar em uma rua e acelera mais.

 Ele pega minha mão e o olho

—tudo bem amor?

—sim, só que é muita coisa

—o que aconteceu com você?-questiona prim me abraçando

—suspiro-

—nada, não fizeram nada.

—o que aquele cara fez com você? o derek?!

—nada, ele me ajudou. Estavam leiloando mulheres e ele me comprou, é um ex da minha amiga.

—bom, desculpa. Não podia fazer nada, quase nos mataram!

—eu sei-digo ainda parada

—o que foi?-questiona peeta e sinto a bola em minha garganta.

—para o carro

—o que?

—para o carro!-digo e ele da um freada.

 Abro a  porta, corro e começo a vomitar sem parar

 Peeta me segura

—katniss-diz prim assustada

—você tem que terminar de vomitar. Prim, pega agua-diz peeta, enquanto eu continuo a vomitar ate que não consigo mais e peeta me pega nos braços -ta melhor?-questiona e assinto

Prim volta com a agua e bebo inteira. Peeta me coloca no carro, me faz deitar e checa minha temperatura.

—como se sente.

—não sei, estou nervosa.

—foi muita emoção peeta, ela só precisa descansar.

—quer comer alguma coisa?

—não –digo negando, ele concorda e beija minha cabeça.

—tenta descasar um pouco, vou encostar o carro em algum lugar.

—peeta vai rápido, esse lugar me da medo-diz prim, ele concorda e volta a dirigir.

Tento dormir mais não consigo, não sem peeta.

 Fico olhando pro banco preto, sinto minha mão formigar. Estou ficando muito nervosa preciso me acalmar.

—respiro fundo- varias vezes ate conseguir me acalmar

 Depois de um tempo o carro para, peeta sai do carro e vem deitar comigo. Abro espaço, ele entra e me aconchego em seu peito suspirando, voltando a sentir meu coração acelerado e seu cheiro delicioso que tanto amo.

—agora a verdade, você precisa me contar!-diz e o encaro.

—tentei fugir com as mulheres quando chegamos lá, mais não conseguimos ir muito longe, pensei em pegar a arma de algum deles e não deu certo; Então um deles beijou meu pescoço, o que foi muito nojento-digo, vejo que peeta fica bravo e acaricio seu rosto-por favor não fica bravo, não quero ficar mais nervosa-digo pegando sua mão e ele se assusta.

—sua mão ta estranha.

—esta formigando, acontece quando fica nervoso assim como vomitar-digo, ele pega minha mão beijando com cuidado e sorrio.

—continua, não vou ficar bravo

—então tivemos o leilão e o ex da minha amiga me ajudou, disse que não ia fazer nada comigo, o que foi um alivio, porque não quero imaginar o que eles fariam-digo respirando fundo e peeta concorda, trincando os dentes-depois eu tive que fingir estar trabalhando pra ele e lavar a roupa e quando fui pendurar no varal, um cara me agarrou.

—o que ele fez?-questiona com a voz um pouco vacilante.

—me beijou. Eu fiquei com muito nojo e acabei vomitando, ele me bateu e foi embora.

—ele bateu em você!

—eles não eram muito cuidadosos, mas fiquei com pena das mulheres eram muito maltratadas.

—sinto muito não poder salva-las mais precisava matar todos eles.

—eu sei, o que você fez foi muito perigoso não devia ter feito isso.

—eu precisava, eu não conseguia pensar em mais nada que não fosse encontrar você, era só nisso que eu pensava o dia todo.

—o que fez pra chegar aqui?

—sai de casa

—sozinho?!

—sim, peguei algumas facas, sai e comecei a esfaquear os zombies sem me importar-diz e fico brava.

—eles podiam ter te mordido!

—eu não pensei nisso não pensei em nada, só queria-te salvar-diz e suspiro assentindo-depois dirigi seguindo a estrada da roda e consegui chegar aqui.

—você dormiu?

—eu não consegui-diz beijando minha mão.

—não acredito que fez isso. Não deve nem ter comido ne?

—eu precisava encontrar você

—você precisa comer!

—eu não preciso-diz, nego levantando, ele levanta e suspira –só como se você comer.

—ta tudo bem-digo, ele pega uma caixa de sucrilhos.

 Começamos a comer e o abraço forte

—tinha combinado com derek pra fugir no final de semana.

—eu não podia esperar, estava com medo do que iria acontecer com você.

—eu sei, mais preferia que você não tivesse se arriscado tanto.

—mais eu consegui. Você ta aqui comigo e isso que importa-diz, sorrio o abraço apertado e começo a chorar.

—eu te amo muito, não quero perder você. Quando tudo aquilo aconteceu eu só pensava se vocês estariam bem e...-digo chorando e ele me abraça.

—calma ta tudo bem. Eu também não conseguia ficar sem pensar que poderiam acontecer coisas ruins, por isso fui o mais rápido que consegui. Fiquei louco, achei que tirariam o amor da minha vida de mim-diz pegando meu rosto e acaricio o seu.

—eu nunca mais quero ficar sem você, promete não me abandonar?

—eu não vou, nunca. Prometo-diz, sorrio e ele seca minhas lagrimas.

—eu queria muito beijar você mais eu acho melhor não, preciso lavar a boca.

—você precisa descasar, melhor dormimos um pouco-diz e concordo.

 Ele deita e deito em seu peito ouvindo seu coração bater

 -suspiro-

 Sorrio e entrelaço sua mão com a minha.

—te amo

—eu te amo

—boa noite amor

—boa noite amor-diz beijando minha cabeça e caio no sono.

\\\\\\\\\ \\\\ \\\\\\\\\\

Acordo e abro os olhos devagar.

Sorrio, vendo que não foi um sonho, estou aqui com meu amor e prim, minha família.

—bom dia-digo e eles sorriem.

—bom dia!

—como se sente amor?

—acho que bem, não sei.

—como assim?

—estou muito feliz de estar de volta-digo, ele sorri, fazendo meu coração acelerar-mais estou com desconforto.

—como o que?

—não sei me sinto inchada.

—talvez seja pelo mal estar, é melhor comer alguma coisa.

—eu pego-diz prim, que esta sentada no banco da frente, me entrega um pacote de bolacha e uma agua.

—obrigada prim-digo começando a comer-onde vamos agora?

—pensei em parar em algum lugar pra você descansar.

—eu to bem

—não sei katniss, você é a medica aqui e ta doente. O que nos vamos fazer-diz prim provocando risadas.

—não sei, mais eu to bem. Só preciso repor forças e vou voltar a ficar perfeita de novo.

—precisamos parar no posto. Quer tomar um banho?

—sim, por favor.

—eu também, não aguento mais essa roupa esta colando em mim de tanto calor.

—é mesmo, o clima esta quente.

—é porque viemos por outro lado, aqui é mais quente.

—então realmente vamos precisar desse banho-digo, prim concorda e fica falando animada fazendo eu e peeta rirmos.

 Pego sua mão e ele sorri, beijando e sorrio .

—o que é aquilo?-diz prim apontando pra algo na estrada que se move -é um zombie?

—acho que sim

—não sei ele esta bem lento pra ser um zombie-digo negando.

—chega mais perto peeta.

—não. Não vou me arriscar com um deles.

—não é um deles-digo vendo que ele esta acenando pra nos.

—ele é uma pessoa normal

—para o carro amor

—não, acabamos de pegar esse carro. Não vamos arriscar com mais uma pessoa-diz e o cara pula na frente do carro, fazendo peeta dar uma freada e vou pra trás rapidamente com o impacto.

—todo mundo bem?

—sim

—sim-diz prim, peeta pega sua arma e pego sua mão chamando sua atenção.

—já matamos muita gente, tenta ouvir primeiro.

—certo-diz saindo do carro e vai conversar com ele. Fica falando um tempo e depois volta ate-nos-ele quer uma carona

—vamos dar uma carona

—não, pode ser perigoso. Não sabemos quem ele é e de onde veio.

—você também não sabia nada sobre mim e mesmo assim deixou.

—porque prim me obrigou

—mais acabou dando certo, se não katniss não estaria com a gente e vocês não estariam namorando-diz e peeta me olha.

—da uma chance-digo e ele suspira.

—vou deixa-lo no posto de gasolina.

—pode ser, pelo menos ajudamos-digo, ele concorda e volta a conversar com o cara e o revista e depois o deixa vir conosco.

—prim, vai junto com a katniss-diz peeta e prim pula o banco pra trás, pego uma arma atrás, apenas por prevenção e coloco no chão.

 Ele entra no carro e sorri.

—oi gente

—oi-dizemos juntas

—só ate o posto.

—obrigada. Não sabe como eu preciso de ajuda, estou perdido-diz e peeta começa a dirigir.

—quanto tempo esta aqui?

—muito, não passa ninguém por aqui.

—como conseguiu fugir?

—eu vim de Cambridge e consegui pegar carona com dois amigos mais eles morreram.

—como?

—com um tiro-diz, tira uma arma da cintura e aponta pra peeta.

 Assustamos-nos, peeta freia o carro e ele coloca a arma mais perto dele, me deixando desesperada.

—o que ta fazendo?!

—saiam do carro!

—por quê?

—vamos ficar com o carro de vocês e tudo.

—vamos?-questiono confusa.

—balança a mão

—o que?-diz prim assustada.

—BALANÇA A MAO NA JANELA-diz e prim balança a mão com medo-agora saiam!-diz e vejo que tem mais dois deles com armas se aproximando, estavam escondidos na mata.

—me deixa sair primeiro, a katniss ta com pe machucado-diz peeta, ele olha pra minha perna e concorda

 Peeta sai, ele olha pro lado e nesse minuto pego a arma no chão e atiro em sua cabeça, o fazendo morrer na hora. Peeta saca a arma, atirando, nos da frente e eu atiro no outro.

 Prim começa a gritar.

—ABAIXA PRIM-digo, ela baixa no banco

 Fazemos troca de tiros, eles quebram os vidros da frente e peeta acerta um, consigo acertar o ultimo e suspiramos.

—todos bem?!-questiono com o coração acelerado e olho pra prim, vejo se ela esta machucada, apenas com alguns cortes do vidro.

 Viro pra peeta que esta olhando pra sua barriga, engulo em seco. Levanto, indo ate ele e abro a blusa, sinto um alivio completo ao ver que ele esta de colete. Tiro a bala, jogo no chão e o abraço.

—achei que não sobreviveria nessa

—você vai sobreviver em todas, eu vou te proteger.

—eu também-diz, me abraçando e ficamos um pouco de tempo assim .

 Depois começamos a arrumar tudo e cuido dos machucados de prim.

—ta tudo bem pequena?

—não quero mais ser legal com ninguém-diz fungando.

—e não vamos-diz peeta tirando o cadáver do banco do passageiro e começa a limpar o vidro-esta no carro todo e não temos mais janelas, estamos ferrados!

—vamos ter que pegar outro carro.

—sim, mais não sei aonde.

—vamos seguir adiante, tem que ter alguma coisa-digo, ele concorda beijando minha mão e abraça prim que ainda esta chorando-nunca mais vamos dar carona.

—nunca-digo afirmando e peeta volta a dirigir.

É, parece que não temos folga.



Notas finais do capítulo



—JT.



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "I Will Never Give Up On You" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.